Respostas àqueles que acham que missionários são preguiçosos e vagabundos.

Por Renato Vargens

Como já escrevi anteriormente infelizmente existem pessoas que acreditam que o missionário é um pastor de segunda categoria. Para piorar a situação,  não são poucos aqueles que pensam que o trabalho no campo missionário se desenvolve lentamente em virtude dos pastores serem preguiçosos e vagabundos. 

Ora, vamos combinar uma coisa? Os que afirmam esta sandice demonstram de forma efetiva que não conhecem o árduo trabalho desenvolvido pelos nossos irmãos . Ora, eu tenho viajado por muitos países e testemunhado com os meus  próprios olhos o quanto os missionários tem trabalhado em prol do Reino de Deus. Um exemplo claro disso, são os missionários da MAIS. Estive com eles no Haiti e fiquei impressionado com a dedicação, o amor e a seriedade do trabalho. O coordenador do projeto, o pastor Mário Freitas, juntamente com sua equipe abriram mão do conforto de suas casas e estão trabalhando duro para a recontrução de escolas e igrejas no Haiti. Sou testemunha do serviço desenvolvido por Jônatas e Ruben que com dedicação, amor e empatia vem servindo apaixonadamente um povo diferente do seu. Por muitas vezes, esses irmãos dormiram no chão, ficaram sem comer, andaram em campings de desabrigados orando com os enlutados, construiram abrigos, montaram tendas  e choraram com os que sofrem. 

Um outro exemplo de missionário trabalhador é o pastor Leonardo Gonçalves que muito jovem mudou para o Peru juntamente com sua esposa, para pregar o evangelho a um povo idólatra e sincrético. Léo, trabalha duramente levantando cedo, dormindo tarde, servindo a Deus com paixão, temor e tremor.

Isto posto, penso que a Igreja de Cristo precisa rever seus conceitos quanto ao seu investimento no trabalho missionário. Em minha caminhada pelo mundo, tenho conhecido gente santa e compromissada com o Evangelho da Salvação Eterna, e que por amor ao Pai, saíram de seus países , indo para a Amazônia, Africa, Ásia, Peru, Haiti e centenas de outros lugares mais, cuja paixão é o de anunciar o Desejado das nações. 

Diante disto, afirmo sem titubeios que  pessoas  deste quilate , não devem ser tratadas com desprezo e indiferença, antes pelo contrário, devem receber por parte da igreja brasileira todo apoio possivel, o que inclui orações, e obviamente  investimento financeiro.

Pense nisso! 

Renato Vargens

2 comentários:

A paz pastor Renato, concordo com o Senhor, muitas das vezes esses homens arriscam a própria vida e também de seus familiares para fazerem a obra de Deus, acho que a igreja deveria investir mesmo, com muita oração e ajuda financeira, muitos tiram até de seu sustento para custear viagens e moradia em lugares onde a idolatria é o centro de tudo!
Que Deus abençoe esses guerreiros de Deus!

29 de junho de 2011 00:01 comment-delete

pois infelizmente muitos tem esta visao destoricida da obra

conheço pessoas que deixaram seus empregos em capitais
deixaram seu conforto agua encanada e tratada, shopings confortos igrejas cheias e foram ao campo no interior do nordeste por exemplo


foram e estao em lugares que nao tem agua encanada nao tem escolas nao tem ercados nao tem praticamente nada e vivem com o minimo aqui mesmo no sertao do ceara, pernambuco rio grande no norte piaui entre outros

um deles nao tinha agua para beber nem tomar banho APELOU MESMO para os ceus e mesmo fora do tempo foi provido por chuvas para beber agua e tomar banho!


AMADOS nao e historia de trancosos acontece isso em plana africa brasileira o nordeste! quem quiser fotos me passe o omail que compartilho!

7 de julho de 2011 17:14 comment-delete