A ditatura marxista nas universidades brasileiras

Por Renato Vargens

Volta e meia eu tenho conversado com alguns universitários que compartilham suas indignações com o fato de que suas universidades através dos seus professores, tem feito uma enorme apologia ao Marxismo. Sei de casos de alunos que abandonaram seus cursos em virtude da pressão sofrida pelos adeptos deste maldito comunismo. 

O interessante é que os professores das universidades públicas são os primeiros a meterem o pau no sistema, no capitalismo, na desigualdade social e blá, blá, blá. Todavia, são incapazes de abandonarem a vida burguesa que tem em detrimento a uma vida de privações. 

Pois é, ano passado, os professores universitários fizeram uma longa greve porque queriam que seus salários fossem majorados. Ora, por acaso não são estes os defensores de uma vida simples? Por que então o desejo de aumento de salário? Controverso isso não? 

Sabe de uma coisa? Estou cansado dessa "ditadura"marxista que paulatinamente tem tomado conta do país.

Ontem, o colunista da Folha de São Paulo, Luiz Filipe Pondé publicou um texto que confirma aquilo que infelizmente tem acontecido nas principais universidades publicas do país, o qual compartilho abaixo:

"Muitos alunos de universidade e ensino médio estão sendo acuados em sala de aula por recusarem a pregação marxista. São reprovados em trabalhos ou taxados de egoístas e insensíveis. No Enem, questões ideológicas obrigam esses jovens a "fingirem" que são marxistas para não terem resultados ruins. 

Estamos entrando numa época de trevas no país. O bullying ideológico com os mais jovens é apenas o efeito, a causa é maior.  No cenário geral, desde a maldita ditadura, colou no país a imagem de que a esquerda é amante da liberdade. Mentira. Só analfabeto em história pensa isso. Também colou a imagem de que ela foi vítima da ditadura. Claro, muitas pessoas o foram, sofreram terríveis torturas e isso deve ser apurado. Mas, refiro-me ao projeto político da esquerda. Este se saiu muito bem porque conseguiu vender a imagem de que a esquerda é amante da liberdade, quando na realidade é extremamente autoritária. 

Nas universidades, tomaram as ciências humanas, principalmente as sociais, a ponto de fazerem da universidade púlpito de pregação. No ensino médio, assumem que a única coisa que os alunos devem conhecer como "estudo do meio" é a realidade do MST, como se o mundo fosse feito apenas por seus parceiros políticos. Demonizam a atividade empresarial como se esta fosse feita por criminosos usurários. Se pudessem, sacrificariam um Shylock por dia. 

Estamos entrando num período de trevas. Nos partidos políticos, a seita tomou o espectro ideológico na sua quase totalidade. Só há partidos de esquerda, centro-esquerda, esquerda corrupta (o que é normalíssimo) e do "pântano". Não há outra opção. 

A camada média dos agentes da mídia também é bastante tomada por crentes. A própria magistratura não escapa da influência do credo em questão. Artistas brincam de amantes dos "black blocs" e se esquecem que tudo que têm vem do mercado de bens culturais. Mas o fato é que brincar de simpatizante de mascarado vende disco. 

Em vez do debate de ideias, passam à violência difamatória, intimidação e recusam o jogo democrático em nome de uma suposta santidade política e moral que a história do século 20 na sua totalidade desmente. Usam táticas do fascismo mais antigo: eliminar o descrente antes de tudo pela redução dele ao silêncio, apostando no medo. 

Mesmos os institutos culturais financiados por bancos despejam rios de dinheiro na formação de jovens intelectuais contra a sociedade de mercado, contra a liberdade de expressão e a favor do flerte com a violência "revolucionária". 

Além da opção dos bancos por investirem em intelectuais da seita marxista (e suas similares), como a maioria esmagadora dos departamentos de ciências humanas estão fechados aos não crentes, dezenas de jovens não crentes na seita marxista soçobram no vazio profissional. 

Logo quase não haverá resistência ao ataque à democracia entre nós. A ameaça da ditadura volta, não carregada por um golpe, mas erguida por um lento processo de aniquilamento de qualquer pensamento possível contra a seita. 

E aí voltamos aos alunos. Além de sofrerem nas mãos de professores (claro que não se trata da totalidade da categoria) que acuam os não crentes, acusando-os de antiéticos porque não comungam com a crença "cubana", muitos desses jovens veem seu dia a dia confiscado pelo autoritarismo de colegas que se arvoram em representantes dos alunos ou das instituições de ensino, criando impasses cotidianos como invasão de reitorias e greves votadas por uma minoria que sequestra a liberdade da maioria de viver sua vida em paz. 

Muitos desses movimentos são autoritários, inclusive porque trabalham também com a intimidação e difamação dos colegas não crentes. Pura truculência ideológica. 

Como estes não crentes não formam um grupo, não são articulados nem têm tempo para sê-lo, a truculência dos autoritários faz um estrago diante da inexistência de uma resistência organizada.  Recebo muitos e-mails desses jovens."

Prezado irmão,  alguém já disse que o o comunismo é uma das mais bem sucedidas armas satânicas dos últimos tempos, e  que tem destruído milhões de pessoas no mundo, incutindo na mente de jovens e adultos tanto o ateísmo como  o materialismo. O famoso primeiro ministro inglês Winston Churchill (1874-1965), afirmou que o socialismo é o evangelho da inveja, o credo da ignorância, e a filosofia do fracasso. Martin Luther King chegou a afirmar que o comunismo existe  por que o cristianismo não está sendo suficientemente cristão.

Renato Vargens

22 comentários:

Bom vou dar o meu testemunho sobre isso:

Curso Gestão Pública na UFMG.O prédio onde fica localizado meu curso é na FAFICH. Quem conhece ou já estudou lá,sabe como é difícil para um cristão viver naquele ambiente.Temos professores que usam de suas influências para pregarem ideologias contrárias aos conceitos cristãos. Quantas vezes na sala de aula tive que me calar frente aos comentários preconceituosos que de forma indireta são plantados nos alunos em sala de aula.
Pensei seriamente em trancar meu curso.Posso afirmar com plena certeza, que isso hoje em dia se vê mais em Universidades Federais do que me particulares. A imagem que se tem de cristãos nas Universidades é que os mesmos são "fundamentalistas" "burros"...
Pro meu azar, é que na minha sala,existem alunos que fazem parte de partidos de extrema esquerda.Na visão deles o que vale é somente o que eles pensam e ai de quem contradize-los.Você cursa um curso em que teoricamente se preza e se aprofunda nos valores democráticos aos longos dos anos.Você estuda Dahl,Bobbio e outros mais no final o que realmente interessa é que todos devemos pensar da mesma forma.
Pra finalizar,quem duvida do que eu falo, está convidado a ir a UFMG propriamente na FAFICH e observará que não estou mentindo.

5 de novembro de 2013 16:09 comment-delete

Se me permite, seu texto é um tanto quanto incoerente.

Primeiro pq vc faz uma generalização estranha quanto aos professores universitários do país. Faço Engenharia Elétrica numa universidade federal e não tenho nenhum professor socialista ou comunista. Seria mais prudente trabalhar com fatos do que com suposições, ou então deixar bem claro que se trata de suposições. Sua generalização atende aos propósitos do texto mas não traz informações reais.

Segundo que, ou você se fez de desentendido, ou não sabe muito bem o que são o socialismo e o comunismo. Quando estabelece a relação entre uma "vida simples" e socialismo, me parece que faltou um pouco de pesquisa a respeito do tema. O socialismo tem a ver com uma distribuição justa dos meios de produção e o fim da exploração do homem pelo homem. Não tem nada a ver com vida simples. Estabelecer essa relação direta é um erro. Pelo que me consta, quem busca vida simples são os Franciscanos e não os socialistas, não pq os socialistas seja hipócritas, mas sim pq sua filosofia não prega vida simples em momento algum.

Terceiro que os professores universitários buscavam o que eles acham justo e não simplesmente "aumento de salário". Não imagino que eles tivessem motivações socialistas para batalhar esse aumento, mas se pesquisar bem, verá que ganhar o justo é parte da teoria socialista. É óbvio que você pode não concordar com o que eles acham justo, mas isso é questão de opinião. Não concordo em dizer que há hipocrisia nesse caso.

Quarto que a associação de socialismo com "armas satânicas" é, no mínimo, hilário. Dizer que as pessoas devem trabalhar e realmente receber sobre aquilo que seu trabalho produziu, e não apenas o que outra pessoa disse que deveriam receber, não me parece satânico. Dizer que aquele que não trabalhou efetivamente na produção não deve receber os lucros dessa produção não me parece satânico. Dizer que o homem não deve se aproveitar de outro homem para ganhar mais dinheiro não me parece satânico. Pelo menos não mais satânico do que outras formas de organização econômica.

Para finalizar, gostaria de dizer que posso até acreditar que o meio universitário é um meio "com uma ideologia mais socialista", da mesma forma que o meio eclesiástico e mais capitalista. E o que dita isso são, em sua maioria, questões históricas. Se tivesse que opinar sobre qual dos dois meios mais se afastou da sua missão original, com certeza diria o eclesiástico. Não acredito que ser capitalista tenha ajudado a igreja a se manter no caminho. Na universidade não existe ditadura alguma e nem pressão para "converter capitalistas em socialistas". Como disse, falo isso por estar concluindo um curso numa universidade federal e conhecer centenas de universitários e não saber de nenhum caso de abandono por "pressão socialista". Abandona-se muito por falta de condições financeiras, mas por pressão ideológica não. Já na igreja, conheço muitas pessoas que a abandonam por esse tipo de pressão. Se não se concorda, não pode fazer parte. É uma pena.

Abraços

5 de novembro de 2013 16:20 comment-delete

Landim deixou um novo comentário sobre a sua postagem "A ditatura marxista nas universidades brasileiras":

Antes de mais nada, Graça e Paz, amado Reverendo.

Quero dizer, que, mesmo não concordando, respeito sua postura de direita, não importam as implicações disso.

Segundo, estamos mesmo sendo perseguidos por sermos cristãos e evangélicos, no sentido etimológico da palavra? A-LE-LUI-A!

Parece coincidência, mas estive lendo hoje pela manhã a primeira carta do Santo Apóstolo Pedro. E lá, ele nos exorta a nos alegrarmos se padecemos por causa da justiça, tendo sempre a consciência limpa. Ora, se esse tal bullyng anti-cristão está de fato ocorrendo(o que pelo menos eu ainda não vi ocorrer no IFCE, campus do Benfica, onde estudo) por causa da nossa fé, quão bem-aventurados somos: "Mas também, se padecerdes por amor da justiça, sois bem-aventurados. E não temais com medo deles, nem vos turbeis;"
1 Pedro 3:14

Não há o que temer, nem faz sentido clamar que a Igreja reaja a isso. A postura da igreja sempre foi, é e será sempre a mesma. Ser pura, imaculada, terminantemente apartada do mundo e de seus 'conhecimentos' e atrativos.

Há que se centrar na Palavra e pregar a Palavra, não se deixando dominar pela concupiscência da vida, porque todas essas coisas passam.

Quanto ao comunismo e/ou socialismo, ele é sim ateísta, na medida em que combateu as injustiças sociais ocorridas perante os olhos da Igreja Romana, profundamente envolvida com a política dos países onde sua influência era forte, tão envolvida na política destes países quanto a geração puritana do fim do século XVIII e início do século XIX, estes quais parece que se mantiveram apáticos perante tais injustiças. Eu diria que foi Deus quem os colocou lá para nos prová-los.

Por último, fico triste em ver que um meio de proclamação do Evangelho esteja sendo usado para fazer pré-campanha anti-eleitoral esquerdista. Tanto isso é verdade, que nesse texto, nada foi dito a respeito da Cruz, ou do Sangue, ou do Calvário, que é/são o centro de nossas atenções. Todo o resto deve ser deixado para trás(Filipenses 3.13-14).

Aliás, o certo seria nos santificarmos disso e sermos santos de toda essa imundície, tal como Deus nos ordenou. A política brasileira é viciada, irreversivelmente corrupta e por ser algo do mundo já está condenada, uma vez que NUNCA conheceu a Deus.

Sem mais.

Anônimo
5 de novembro de 2013 18:38 comment-delete

Pastor, gosto muito de seus post, mas toda vez que o tema é comunismo ou socialismo você se perde nas ideias.
Sou formado em geografia e atualmente curso mestrando em geografia humana numa univeridade federal e pra falar verdade, o marxismo tá longe de ser predominante nas universidades. Grande parte dos departamentos universitarios de hoje ou ainda são positivista ou já abraçam uma tendencia pós moderna.

5 de novembro de 2013 19:36 comment-delete

No seu segundo ponto fica claro que é você que se faz de desentendido. O Socialismo clássico sempre defendeu a estatização da propriedade e meios de produção. O socialismo é a segunda etapa gramsciana de implantação do modelo comunista, já que a primeira etapa é a revolução cultural em clara implantação no Brasil. Os esquerdistas, ao verem a tragédia que o socialismo representou em pelo menos 1/4 do planeta, mudaram rápido de discurso pois são sinicos. Antes, defendiam a estatização dos meios de produção que, um de seus ônus é o fim dos preços de bens e serviços que leva na total estagnação econômica .Agora eles defendem um socialismo meaboca, ou seja, PROTEGEM A GALINHA DOS OVOS DE OURO que a liberdade de mercado (com o máximo de controle do Estado= vide Brasil!) sem tocar no patrimônio privado para não perder votos.

Esta conversa mole de justiça social, distribuição justa de, fim da exploração do homem, são o vestido de ideias de Karl Marx, ou seja, defendem conceitos justos e coerentes a primeira vista, só que, tal defesa esconde uma ideologia que visa a dominação politica sobre um único partido, dominação cultural e religiosa, só prestou pra gerar conflitos entre patrões e empregados e enriquecer seus sindicalistas, só serve pra gerra caos social na base da violência (vide últimos acontecimentos no pais) nivela a sociedade por baixo enquanto os amigos do rei vivem uma vive nem um pouco simples; nisto você está correto Porreca. Finalizando, o Socialismo é uma mentira, braço da ideologia Marxista que é culpada pelo assassinato de mais 100 milhões de pessoas no mundo, que levou a degradação social e moral que paises euopeus até os dias de hoje colhem seus frutos: isso é uma ideologia satânica ou não?????


Que Deus lhe abençõe Rev. Renato, leio com frequência seu excelente blog^^
Não te intimides em dizer e nos apontar o caminho da verdade. Saibas que, infelizmente, vivemos em um pais cujo seu governo financia militantes engajados para realizarem campanha difamatória na net contra qualquer um que se levante contra o esquerdismo.

Só que Jesus Cristo é a verdade!
Soli deo Gloria

5 de novembro de 2013 22:45 comment-delete

Infelizmente caro pastor, o teor do seu texto foge totalmente da proposta do seu blog que é 'mensagens pastorais e teologia reformada'.
Um abraço!

5 de novembro de 2013 22:56 comment-delete

Nos comentários mais longos contrários ao post do pastor é possível notar claramente a doutrinação de esquerda dos leitores.

6 de novembro de 2013 08:15 comment-delete

É interessante (e triste) notar o sucesso da doutrinação esquerdista nos comentários que criticam o texto do pastor.

6 de novembro de 2013 08:20 comment-delete

A semana passada, em prol de Finados no sábado, o M8-32 (um grupo evangélico atuando na Universidade Federal Fluminense) realizou um trabalho evangelístico baseado nas seguintes frases:

1) "Se os mortos pudessem fala, eles diriam..." (os alunos podiam completar a frase num flip-chart)
2) "Você é bom o bastante para ir pro céu? Faça o 'Teste de Bondade' aqui!"

Montamos uma mesa na saída do "Bandejão" (restaurante universitário) e, ao longo dos 4 dias lá, quase 500 estudantes fizeram o "Teste de Bondade" (c/ 8 perguntas baseadas nos Dez Mandamentos) e ouviram que, sem arrependimento e fé em Jesus, eles ficarão reprovados para toda a eternidade. A grande maioria estava realmente curiosa e preocupada mas, como era esperado, havia gente querendo zoar e ridicularizar.

Por exemplo, alguém escreveu no flip-chart: "... para ter menos religião nas universidades". Eu escrevi ao lado: "Como, por exemplo, marxismo, socialismo, cientismo, etc.?" Realmente a idéia que esse pessoal da esquerda tem é que a universidade é laica e, portanto, não há espaço para "religião". Porém, o que eles esquecem é que o marxismo deles é SUA religião. Além do mais, a palavra "universidade" vem do latim "universitas", que significa "um corpo ou comunidade". Há diversidade num corpo ou comunidade? É claro. Portanto, podemos "concordar em discordar". E há mais. Existe a Magna Charta Universitatum de 1988 que promove a "liberdade acadêmica". Mas esses esquerdistas autoritários querem eliminar qualquer diversidade ou liberdade de expressão divergente. A ironia é que eles se beneficiaram desse compromisso com a diversidade nas universidades para chegar onde chegaram. Agora que chegaram "ao poder", eles não querem competição? Hipócritas!

6 de novembro de 2013 08:59 comment-delete

Caro Porreca vamos responder as suas indagações:

1- Creio que o Pastor ao se referir a professores com origens marxistas que ficam cooptando seus alunos com estes ideais, ele refere aos cursos de humanas e não de exatas.Agora falar que essa manipulação não existe é no mínimo não conhecer a USP(vide Emir Sader...),PUC e UFMG (Prédio da Fafich).
2-Fica aqui uma abordagem feita pelo Olavo de Carvalho: "O ideal socialista é, em essência, a atenuação ou eliminação das diferenças de poder econômico por meio do poder político. Mas ninguém pode arbitrar eficazmente diferenças entre o mais poderoso e o menos poderoso sem ser mais poderoso que ambos: o socialismo tem de concentrar um poder capaz não apenas de se impor aos pobres, mas de enfrentar vitoriosamente o conjunto dos ricos. Não lhe é possível, portanto, nivelar as diferenças de poder econômico sem criar desníveis ainda maiores de poder político. E como a estrutura de poder político não se sustenta no ar mas custa dinheiro, não se vê como o poder político poderia subjugar o poder econômico sem absorvê-lo em si, tomando as riquezas dos ricos e administrando-as diretamente. Daí que no socialismo, exatamente ao contrário do que se passa no capitalismo, não haja diferença entre o poder político e o domínio sobre as riquezas: quanto mais alta a posição de um indivíduo e de um grupo na hierarquia política, mais riqueza estará à sua inteira e direta mercê: não haverá classe mais rica do que os governantes. Logo, os desníveis econômicos não apenas terão aumentado necessariamente, mas, consolidados pela unidade de poder político e econômico, terão se tornado impossíveis de eliminar exceto pela destruição completa do sistema socialista. E mesmo esta destruição já não resolverá o problema, porque, não havendo classe rica fora da nomenklatura , esta última conservará o poder econômico em suas mãos, simplesmente trocando de legitimação jurídica e autodenominando-se, agora, classe burguesa. A experiência socialista, quando não se congela na oligarquia burocrática, dissolve-se em capitalismo selvagem. Tertium non datur . O socialismo consiste na promessa de obter um resultado pelos meios que produzem necessariamente o resultado inverso."

6 de novembro de 2013 11:45 comment-delete

Fica um estudo feito pelo Solano Portela:

http://tempora-mores.blogspot.com.br/2006/01/socialismo-na-bblia-mitos-e-verdades.html

6 de novembro de 2013 11:48 comment-delete

Eu acho graça quando ouço esse tipo de comentário : "postura de direita".


Ora caro anônimo hoje temos posicionamentos de esquerda como a legalização do aborto,a aprovação do casamento entre pessoas do mesmo sexo, a legalização das drogas e demais assuntos. Nesses pontos nós como cristãos necessariamente temos que ter um posicionamento mais conservador ora bolas.
Segue uma frase do Solano Portela: "Qualquer sistema de governo, seja qual for o seu rótulo, que reconheça certas bênçãos advindas da graça comum divina – como o direito à liberdade, à iniciativa individual, à propriedade privada – e que tenha em sua estrutura salvaguardas e controles que lidem com o pecado e a violência, tem mais possibilidades de refletir princípios de justiça divina e prover com que as riquezas do país sejam revertidas em benefício dos cidadãos que o compõem, diminuindo assim a perspectiva de fome, carências e violências.

O governo eficaz respeita a propriedade, controla e pune malfeitores (não o empreendedor e o cidadão ordeiro comum); essa é a função primordial dele, conforme Rm 13. Depois disso, ele reconhece e galardoa os cidadãos de bem, principalmente certificando-se não de que todos sejam iguais, mas de que todos possuam iguais oportunidades de desenvolverem suas individualidades e talentos específicos."

6 de novembro de 2013 11:55 comment-delete

Me desculpe a intromissão, mas o positivismo foi a base do pensamento que permeou o período dito de "Proclamação da República" onde o conceito religioso também foi atacado com a intenção de ser minorado e desclassificado e que em pouco tempo se provou ser uma "fórmula" que não atendia os anseios. Não vejo muita diferença dessa ideologias todas que no final são modinhas criadas para bestificação conjunta de um bando de pseudos intelectuais que através dos últimos 30 anos vêm desempenhado um trabalho magistral em prol do imbecil coletivo.
Auguste Comte, Karl Marx e outros tipinhos no final são apenas déspotas servindo apenas de instrumento do mal.
Considero isso tudo como criações desprovidas do bem como disse Santo Agostinho em Confissões.
Fico surpreso em saber que ainda hoje tem gente que se julga positivista. Pelo jeito ainda teremos muitos anos pela frente para aguentar esse tipo de engôdos.
Soli Deo Glória

6 de novembro de 2013 23:42 comment-delete

Sabe o que mais dói? É ver os comentários que se seguem. Por exemplo, quando dizem que esses tipos de textos fogem do objetivo do blog. Poxa vida, a gente vive nesse mundo, devemos sair da nossa caixinha fechada e da clássica divisão das coisas do mundo e das coisas da igreja. Nós como cristãos devemos sim falar sobre política, filosofia, socialismo, afinal somos bombardeados por essas questões no nosso dia-a-dia e cabe a nós nos posicionarmos de acordo com a palavra de Deus. Outra coisa, nas universidades há sim uma ditadura maxista, pelo menos na área da humanas, até porque nas exatas o ser, o humano não é trabalhado. Estudei e trabalho hj em uma universidade pública e me entristece, me repugna ver como os cristãos são hostilizados pelos seus valores.

7 de novembro de 2013 00:07 comment-delete

Não pode haver um discurso maniqueísta, de preto no branco, sobre a reforma e o socialismo. Defendo a ética protestante mas meus ideais, no geral, são de esquerda (para deixar claro: assim como reformado é diferente de pentecostal, que é diferente de neopentecostal; marxista, socialista, comunista, e esquerdista são atributos bem distintos). Rejeito a teologia da prosperidade, mas sou pelo ataque à pobreza, a favor da dignidade do ser humano, da distribuição justa da terra, por um estado de bem estar social onde os cidadãos sejam menos dependentes da meritocracia individual (esta sim, nos torna altivos e desejosos de recompensa, olvidando nossa condição de servos inúteis).

Isaías 5 - 8. Ai dos que ajuntam casa a casa, dos que acrescentam campo a campo, até que não haja mais lugar, de modo que habitem sós no meio da terra!

Abraço

7 de novembro de 2013 02:47 comment-delete

Amigo, etenda o conceito de igreja e de ekklesia (chamados para fora, ou à porta, onde eram tomadas as decisões à respeito da vida da comunidade), para saber que o texto está totalmente aliado à proposta do site. E que não só ele mais muitos outros deveriam fazer esse tipo de apelo.

7 de novembro de 2013 09:53 comment-delete

E tem gente que ainda não consegue enxergar o quanto é importante denunciarmos esta "religião" anticristã que é o marxismo. E ainda critica o Pastor por este tipo de postagem. É lamentável a ignorância no meio cristão.

7 de novembro de 2013 23:33 comment-delete

Marxismo está gradativamente sendo abandonado nas universidades. Dizer que o mesmo está crescendo é demonstrar desconhecimento do que fala.

12 de novembro de 2014 16:58 comment-delete

Parabéns Pastor Renato!
Sou estudante do curso de Letras e posso garantir que o senhor está certíssimo em seu texto.

14 de novembro de 2014 02:25 comment-delete

Olá, meu nome é Júlio Amaral, e gostaria de dizer que concordo com o dito nesta matéria. Eu, como estudante do curso de letras de uma das mais bem conceituadas universidades federais do país, posso afirmar que é exatamente isto o que acontece dentro da instituição.

Quase TODOS os professores, de alguma forma, expressam seus ideais ideológicos em aula - muitas vezes afetando o rumo do conteúdo escolástico -, e estes ideais são SEMPRE de cunho socialista.

Muitos alunos que discordam, em especial os cristãos, acabam se sentindo desconfortáveis e "ideologicamente" ridicularizados e humilhados - o que os leva ao silêncio.

Sem dúvida esta é uma situação muito triste. E o pior de tudo, é ver que tais discursos levam a grande maioria dos jovens universitários - cujos quais possuem boas intenções em quase sua totalidade -, a pensarem desta forma, corroendo seus espíritos naturalmente revolucionários, com puro veneno.

14 de novembro de 2015 23:53 comment-delete

Estou lendo isso em 2016, pois apoio Bolsonaro e nao concordo com algumas posições e atos que a esquerda está fazendo contra ele. Felizmente, nesses 03 anos, os videos pelo youtube e facebook viralizaram e nao tem como negarem tudo que esta neste texto. Vi varios videos com alunos sem educação formal atrapalhando o professor, intolerantes, atrapalhando quem quer estudar, de verdade, e expulsando quem nao concorda com suas ideologias. Que o diga a Dra. Janaina Pascoal, que tem sua sala invadida apenas porque ela apontou uma irregularidade no governo do PT e assinou o impitchmam. Ora, concordar ou nao, nao justifica agressões, e imposições marxistas a pretexto de dizer que foi um golpe. Golpe é o que eles fazem com os alunos que pensam diferente e querem seu tempo de escola para estudar e nao fazer militancia politico-ditatotial-marxista. Democracia importa na liberdade de crença e escolhas politicas ou nao. Diferenças enriquecem a humanidade.

22 de junho de 2016 13:37 comment-delete

Fico chocado com os comentários. Não vi um comentário a favor da esquerda dar base bíblica para isso, além da má fé de dizer todas as implicações socialistas. Um disse que "meus ideais". Ou seja, o sujeito é dono de si e não doulos de Cristo

2 de abril de 2017 20:18 comment-delete