Alguns evangélicos amam a teoria da conspiração. É impressionante a capacidade de alguns  fabricarem mitos e lendas. 

Em minha caminhada cristã tenho ouvido e visto histórias do arco da velha. Já ouvi alguns afirmarem que a Procter Gamble financia a obra do capeta, que alguns discos de vinil (ainda existem?) tocados ao contrário exaltam o cramulhão, que o ratibum cantado no parabéns para você é uma maldição, que a Disney tem pacto com o demo, que o rock é o ritmo do inferno, e muito mais.

Lamentavelmente os evangélicos são profissionais na arte de fabricar lendas. Outro dia ouvi de uma irmã em Cristo que a Fanta Uva é uma bebida encapetada e que devido a isso não deve ser consumida pelos cristãos.

Pois é, parece que alguns dos evangélicos têm vocação para ghostbusters, isto porque, procuram o diabo em tudo que é lugar. Alias, assusta-me o fato de que o adversário de nossas almas receba tanta atenção por parte dos cristãos. Em alguns dos cultos evangélicos o diabo é entrevistado, da dicas espirituais e em alguns casos até prega.

Atualmente a grande polêmica encontra-se em torno da presidente Dilma e um provável CHIP da besta que deveria ser implantado nos brasileiros. Ora, vamos combinar uma coisa? No quesito criatividade ninguém supera os evangélicos. 

O site E-FARSAS já mostrou por A + B que isso não passa de um boato (leia aqui) portanto deixe de bobagens e por favor não dê crédito a lendas urbanas.

Com certeza existem coisas mais sérias a nos preocuparmos do que com as invencionices de gente desocupada, esclerozada que em nome de um espiritualidade burra inventa factóides.

Conclusão


Não acredite em tudo o que você lê na internet. Nenhum governo no mundo está obrigando ninguém a utilizar microchips sob a pele. Isso é um boato antigo e recorrente na web que não deve ser levado a sério.    

Pense nisso!

Renato Vargens

Um dos temas que mais tem mais despertado controversia entre os evangélicos é se o crente pode ou não  fazer uma tatuagem. Apesar de não encontrarmos um mandamento especifico sobre o tema nas Escrituras, é comum algumas pessoas citarem Levítico 19: 28 que diz:

“Pelos mortos não ferireis a vossa carne; nem fareis marca nenhuma sobre vós. Eu sou o SENHOR.”

Ora, ao contrário daquilo que alguns dizem, o texto em questão não proíbe o uso de tatuagens. Na verdade, a ideia do texto, é que 
Israel que não copiasse o costume de nações pagãs de sua época, que faziam marcas e feridas na pele em adoração aos mortos. Portanto, esse versículo bíblico não pode ser usado para fundamentar uma proibição total da prática de fazer tatuagens. 

Em contrapartida existem aqueles que dizem que o Senhor aprova a tatuagem mesmo porque, no Apocalipse, encontramos um texto que afirma que Jesus tinha tatuado na coxa a expressão "Rei dos reis e Senhor dos senhores."

"E no manto e na sua coxa tem escrito este nome: Rei dos reis, e Senhor dos senhores."

Caro leitor, vamos combinar uma coisa? Usar esse texto para afirmar que Jesus incentiva a tatuagem é demais da conta não é mesmo? Na minha opinião um dos grandes problemas que ocorre na interpretação da Bíblia é que nós a interpretamos segundo a nossa perspectiva e ótica. Em outras palavras isso significa dizer que projetamos para dentro das Escrituras nossas experiências pessoais, vivências e ideologias em vez de deixar a Bíblia falar por si só aos nossos corações.

O que fazer então? Posso tatuar ou não?

Permita-me lhe dar algumas dicas que lhe ajudarão a decidir se vale a pena ou não tatuar o corpo?

1-) Deus será glorificado em sua tatuagem?  A tatuagem que pretende fazer ofenderá a santidade de Deus? Se a resposta for positiva desista dela.

2-) A motivação em fazer uma tatuagem é despertar interesse sensual ou sexual no sexo oposto?

3-) Sua tataugem vai produzir algum tipo de escândalo ou controvérsia?

4-) Você está disposto a ter pelo resto da vida uma tatuagem em seu corpo?  Lembre-se que tatuagens são "eternas" e a remoção delas além de custar muito caro, deixa marcas no corpo.

5-) Você tem idade suficiente para fazer uma tatuagem? Não? Seus pais aprovam? Se você é menor de idade e seus pais não aprovam esta prática, desista imediatamente do projeto.

6-) Você deseja fazer uma tatuagem porque está na "moda"?  E quando a moda passar? Terá valido a pena?

7-) Você deseja fazer uma tatuagem por que deseja "agredir" alguém? Será que o desejo em si não é uma maneira de se rebelar contra alguém?

Termino esse artigo com quatro afirmações básicas:

1-) Fazer uma tatuagem não é pecado. 

2-) Ninguém possui o direito de se intrometer na vida de quem quer que seja proibindo ou incentivando uma pessoa a fazer ou não uma tatuagem.

3-)  Tomo emprestado as palavras de Paulo que na sua carta aos Coríntios capítulo 6, versículo 12: ensinou que todas as coisas são lícitas, mas nem todas convém. Isto posto, seja criterioso, prudente e sábio na sua decisão, sabendo que um ato equivocado poderá lhe trazer sérios aborrecimentos.

4-) Lembre-se que toda decisão tem  consequências. Você está disposto a sofrê-las? 

Em Cristo,

Renato Vargens


Por Renato Vargens

A doutrina da "divindade humana" defendida por Benny Hinn, voltou a tona com Marcos Feliciano que afirmou que em Cristo "somos deuses".  Aliás, a frase em questão costuma ser usada pelos pregadores triunfalistas, que abraçaram os falsos ensinamentos do movimento da Confissão Positiva e da Teologia da Prosperidade.

Ora, alguém já disse que heresias sempre voltam, o que me faz efetivamente concordar com essa afirmação.

O Pastor Natanael Rinaldi do CACP, publicou um artigo extremamente interessante mostrando as raízes dessa funesta heresia, senão vejamos: 

"Os ensinos heréticos dos teólogos da prosperidade é que hoje já somos deuses: “Você é tanto uma encarnação de Deus quanto Jesus Cristo o foi. Cada homem que nasceu de Deus é uma encarnação e o Cristianismo é um milagre. O crente é uma encarnação tanto quanto o foi Jesus de Nazaré” (Kenneth Hagin, Word of Faith, dezembro de 1980, p. 14).
“Cachorros geram cachorros, gatos geram gatos e Deus gera deuses” (Kenneth Copeland, citado no livro Supercrentes, p. 50, Editora Mundo Cristo, Paulo Romeiro).
“Você não tem um deus dentro de você. Você é um deus” (Kenneth Copeland, idem, idem, p. 50)."
O meu amigo Ciro Zibordi escreveu com propriedade sobre o tema o qual reproduzo abaixo:
"A frase “Somos deuses” é uma falsificação de Salmos 82.6: “Vós sois deuses, e todos filhos do Altíssimo”. Estudando a afirmação de Asafe à luz de seus contextos imediato e remoto, vemos que ele se referiu, de modo irônico, aos magistrados injustos de sua época, os quais, embora nada soubessem e andassem em trevas, pensavam saber alguma coisa (vv. 4,5). Asafe, então, concluiu: “como homens morrereis, e como qualquer dos príncipes caireis” (v. 7). Interpretando o texto sagrado acima e outros de forma equivocada, os triunfalistas pensam que são deuses andando na terra.

Uma das suas maiores eisegeses — não as confunda com exegeses — é baseada em 2 Pedro 1.4. Falsificando essa passagem, eles dizem que somos participantes da natureza divina em sua plenitude. Mas, em 2 Pedro 1, o apóstolo não afirmou que somos deuses ou participantes de todos os atributos da divindade, e sim participantes da natureza divina quanto aos atributos comunicáveis de Deus: amor, santidade, bondade, fidelidade, etc. (vv. 5-9; cf. Gl 5.22; Cl 3.12,13).

Portanto, os pregadores triunfalistas blasfemam quando dizem: “Ser um pequeno deus não é o mesmo que ser igual ao Deus Todo-poderoso. Somos, na verdade, semelhantes a Ele. Somos deuses com 'd' minúsculo”. Na verdade, o Senhor — que não dá sua glória a ninguém (Is 42.8) — pergunta, em sua Palavra: “A quem me fareis semelhante, e com quem me igualareis, e me comparareis, para que sejamos semelhantes?” (Is 46.5). Nenhum de nós pode igualar-se ou sequer assemelhar-se a Deus!"
Isto posto, à luz das Escrituras chegamos a conclusão que o ensino em questão é antibíblico e que deve ser rejeitado pela igreja de Cristo.
Pense nisso!
Renato Vargens
Por Renato Vargens

Eu sei que tem muita heresia sendo disseminada nas redes sociais, todavia, também sei que existe muita coisa boa na grande rede. Pensando nisso, resolvi indicar 10 páginas no Facebook que você não pode deixar de curtir.Tenho absoluta certeza que você será ricamente abençoado através das posts destes irmãos.

Claro que tem muito mais, principalmente se levarmos em conta os estrangeiros, no entanto, acho que pra início de conversa está bom.

Os irmãos abaixo relacionados costumam publicar em suas páginas, textos, artigos e reflexões extremamente profícuos. 

Tenho certeza que você será extremamente abençoado!

1-) Augustus Nicodemus (aqui)
2-) Franklin Ferreira (aqui)
3-) Mauro Meister (aqui)
4-) Ciro Zibordi (aqui)
5-) Geremias do Couto (aqui)
6-) Mário Freitas (aqui)
7-) Editora Fiel (aqui)
8-) Pulpito Cristão (aqui)
9-) Consciência Cristã (aqui)
10-) Wilson Porte (aqui)

Curte lá!

Recomendo!

Renato Vargens
Por Renato Vargens

A Teologia da Prosperidade ensina que ser pobre é uma maldição, e que todo cristão deve ser rico materialmente. 

Para os defensores deste pensamento teológico, uma pessoa ao se converter deve deixar de ser pobre transformando-se pelo poder de Deus num individuo rico. E se porventura  isso não acontecer significa dizer que a pessoa em questão encontra-se debaixo de maldição tornando-se necessário então uma quebra de maldição na vida do desgraçado. 

Caro leitor, vejamos o que Bíblia tem a nos dizer sobre o pobre:

1-) Deus fez o rico e o pobre: . "O rico e o pobre se encontram; a um e a outro faz o SENHOR." (Pv. 22:02)

2-) Deus manda ajudar os pobres: (Is. 58.6-7). Em Dt. 15.11 está escrito: “…nunca cessará o pobre do meio da terra; pelo que te ordeno, dizendo: Livremente abrirás a tua mão (…) para o teu pobre na tua terra”

3-) Deus escolheu os pobres do mundo (Tg. 2.5). Quando Jesus andou na terra, anunciou o evangelho principalmente a eles (Mt. 11.25; 19.21; Lc. 4.18). O próprio Jesus enquanto aqui no mundo não era rico (Lc. 9.58). 

4-) Deus não faz acepção de pessoas. Tiago ensina que não devemos desprezar os pobres. Todos devem ser tratados da mesma maneira nas igrejas cristãs (Tg. 2.1-6).

Ora, em nenhum momento nas Escrituras você encontrará um texto proferido por Cristo ou pelos apóstolos dizendo: "Receba Jesus e ficarás rico." ou ainda, "Aceite a Cristo e nunca mais serás pobre." 

Prezado anigo, se a teologia da prosperidade fosse verdadeira não haveriam cristãos pobres. Eu particularmente conheço inúmeros irmãos em Cristo, fiéis a Deus que não enriqueceram depois de suas conversões. Conheço lugares tanto no Brasil quanto no exterior, onde amados do Senhor vivem com dificuldade. Em virtude disso é justo afirmar que estes não possuem a bênção do Senhor e por isso encontram-se debaixo de maldição? É claro que não. 

Talvez ao ler esse texto você esteja dizendo consigo mesmo: "Eu não concordo! Eu quero ser próspero, mudar de vida, crescer profissionalmente." 

Veja bem, seu desejo é licito, o que não é lícito é querer fazer de Deus um gênio da lâmpada mágica. 

Quer prosperar? Trabalhe, estude e se dedique naquilo que faz a ponto de se transformar no melhor. O reformador francês João Calvino acreditava que a prosperidade era possível desde que fosse consequência direta do trabalho. Isso mesmo! Prosperidade se dá mediante o trabalho e não por profecias descabidas de profetas manipuladores cujo interesse está efetivamente no seu dinheiro.

Isto posto, Seja o melhor eletricista, pedreiro, médico, engenheiro, garçon, advogado ou qualquer outra profissão e verás que não lhe faltarão oportunidades para crescer e prosperar. Agora, por favor não afirme que Deus deseja que todos sejam ricos e quem não o é encontra-se debaixo de maldição. Afirmar isso além de demonstrar um grande desconhecimento da palavra de Deus, coloca um jugo pesado nos ombros daqueles que vivem a vida com enorme sacríficio.

Pense nisso,

Renato Vargens