Por Renato Vargens


A inauguração Templo de Salomão pelo bispo Edir Macedo, seus falsos ensinamentos  e a banalização da graça,  bem como a pregação de um falso evangelho fazem do líder da IURD um falso profeta.

A foto ao lado não me deixa mentir. Vestido como um "sacerdote", com as "tábuas da lei" ao lado, recheado de misticismo Macedo afronta o Evangelho.

Eu já havia escrito um texto onde afirmei que a Igreja Universal do Reino de Deus definitivamente não é uma igreja evangélica. Hoje eu escrevo outro afirmando que o seu fundador, Edir Macedo é um falso profeta.

Edir Macedo Bezerra é carioca, tendo nascido em 1945. Seu pai era comerciante, sua mãe dona de casa, ambos católicos praticantes. Edir é o quarto de uma série de 33 filhos, dos quais 10 morreram e 16 foram abortados por terem nascido “fora de época”.

Em 1975, Edir Macedo foi consagrado pastor na Casa da Benção pelo missionário Cecílio Carvalho Fernandes. Dois anos depois juntamente com Carlos Rodrigues fundou a Igreja Universal do Reino de Deus onde tem ensinado e pregado um evangelho diferente do evangelho de Cristo.

O principal foco de Edir Macedo é a “luta” contra os demônios da pobreza além obviamente da espúria teologia da prosperidade. Em todos seus templos enfatiza-se a libertação dos espíritos, e a prosperidade financeira, usando para isso métodos onde o sincretismo e a mistura de crenças e fé se fazem presentes.

As doutrinas ensinadas por Macedo são repugnantes. Para curar ou operar milagres em uma pessoa, os "macedianos" fazem qualquer negócio. Em outras palavras isso significa vender "pedras da tumba de Jesus", comercializar " a água benta do rio Jordão", distribuir "a rosa milagrosa", empurrar goela abaixo "sal abençoado pelo Espírito Santo", além de reconstruir aquilo que Jesus destruiu". Se não bastasse isso, Edir Macedo defende o aborto, relativiza a ética, e sincretiza o evangelho expulsando dos fiéis “encostos” em “sessões de descarrego.”
Caro leitor, como já afirmei a Igreja Universal do Reino de Deus não é uma Igreja protestante ou evangélica, assim também como seu fundador não pode ser considerado crente em Jesus.

"Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema. Assim, como já vo-lo dissemos, agora de novo também vo-lo digo. Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema." (Gálatas 1:8-9)

O Espírito diz claramente que nos últimos tempos alguns abandonarão a fé e seguirão espíritos enganadores e doutrinas de demônios” (1 Timóteo 4:1)

“Pois virá o tempo em que não suportarão a sã doutrina; ao contrário, sentindo coceira nos ouvidos, juntarão mestres para si mesmos, segundo os seus próprios desejos. Eles se recusarão a dar ouvidos à verdade, voltando-se para os mitos.” (2 Timóteo 4:3,4)


“No passado surgiram falsos profetas no meio do povo, como também surgirão entre vocês falsos mestres. Estes introduzirão secretamente heresias destruidoras, chegando a negar o Soberano que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição. Muitos seguirão os caminhos vergonhosos desses homens e, por causa deles, será difamado o caminho da verdade. Em sua cobiça, tais mestres os explorarão com histórias que inventaram. Há muito tempo a sua condenação paira sobre eles, e a sua destruição não tarda.” (2 Pedro 2:1-3)


Minha oração é que Deus tenha misericórdia do bispo Macedo e que ele venha a se arrepender de seus ensinos, pecados e heresias

Renato Vargens

Por Renato Vargens

Certa vez ao ser indagado sobre a eficácia do seu ministério, Spurgeon respondeu ao seu interlocutor dizendo: "Meu povo ora por mim."

Pois é, e você costuma orar pelo seu pastor? Dedica tempo em intercessão pelo ministério dele? 

Lamentavelmente inúmeros irmãos em Cristo, não dedicam um minuto sequer intercedendo pelo seu líder espiritual. Ultimamente eu tenho ouvido vários relatos de pastores que desistiram ou abandonarm o pastorado devido a pressão relativa ao ministério.

Uma pesquisa organizada pelo Instituto Francis Schaeffer,  revelou que, cerca de 1,5 mil pastores têm abandonado seus ministérios todos os meses por conta de desvios morais, esgotamento espiritual ou algum tipo de desavença na igreja.  Veja bem, não se trata de pessoas que abandonam a fé cristã, mas de líderes que deixam o púlpito por não suportarem o as exigências da função. 

Isto posto gostaria de sugerir 10 motivos de oração pelo seu pastor

  1. Ore por ele, peça ao Senhor que lhe conceda forças para enfrentar as demandas do ministério pastoral.
  2. Ore pela saúde dele.
  3. Ore pela esposa do pastor. Esposas de pastores geralmente são cobradas além de sua capacidade de suportar cobranças.
  4. Ore pelos filhos dos pastores. Muitos filhos de pastores sofrem uma pressão por parte da igreja absolutamente desumana.
  5. Ore pelas emoções do pastor. Peça a Deus que lhe conceda equilibrio emocional diante das lutas e batalhas travadas no ministério.
  6. Peça ao Todo-poderoso que conceda ao pastor sabedoria para conduzir a igreja nos caminhos do Senhor.
  7. Rogue ao Eterno que livre o pastor das tentações provinientes do ministério guardando-o do mal.
  8. Ore  para que o pastor ame a Deus acima de todas as coisas pregando as Escrituras com fidelidade.
  9. Ore para que o pastor seja fiel a Deus, a sua familia, as Escrituras e a igreja.
  10. Ore para que o pastor tenha longaminidade, paciência e perseverança diante dos obstáculos que comumente aparecem na caminhada.
Vamos orar?

Renato Vargens





Por Renato Vargens

Conta a história que num domingo Spurgeon encontrava-se extremamente deprimido. Na verdade, devida a GOTA que o vitimava, o principe dos pregadores volta e meia sofria de depressão. 

Não se sentindo bem e inadequado a pregar a Palavra naquele dia, Spurgeon comunicou aos diáconos do Tabernáculo Metropolitano, que não iria ao culto e que outra pessoa deveria pregar a Palavra de Deus. 

O Principe dos Pregadores saiu então pelas ruas e resolveu entrar numa Igreja Metodista. Sem que ninguém aparentemente o reconhecesse ele se sentou em um dos bancos  esperando ouvir a Pregação do Evangelho. 

Para sua surpresa o pastor começou a pregar um dos sermões pregados por Spurgeon. Ao final do culto, o príncipe dos pregadores foi ao encontro do ministro agradecê-lo pela mensagem. O pastor ao ver que o homem que o felicitava era o próprio Spurgeon, foi tomado de grande constrangimento dizendo: "Senhor Spurgeon, perdoe-me por usar seu sermão, é porque eu não tive de tempo de me preparar adequadamente." Charles  ao ouvir as escusas do constrangido pastor replicou dizendo: "Sua mensagem foi muito boa, obrigado por pregar a Palavra de Deus."

Caro leitor, a história de Spurgeon me faz pensar em inúmeros pastores que não preparam suas mensagens optando por extirpar do Google o esboço usado por outros ministros. Ora, vamos combinar uma coisa? Pastores que agem assim não são dignos de subir ao pulpito de suas igrejas.  

Até entendo aqueles que possuem o hábito de consultar  o que outros homens de Deus pregaram em suas comunidades, no entanto, ouso afirmar que os que copiam na integra a mensagem de um ministro aplicando-as em seus púlpitos agem com desonestidade.

Prezado amigo, Spurgeon levava horas preparando seus sermões, e ao contrário destes, muitos ministros, tem optado em copiar o trabalho de outros. A consequência disso é que os ministros da atualidade, diferentemente de Spurgeon que era bem sucedido em suas pregações, tem fracassado na sublime missão de pregar o Evangelho.

Pense nisso!

Renato Vargens