Por Renato Vargens 

Segue abaixo mais uma mensagem da série sobre os 10 mandamentos. Desta feita você poderá assistir a exposição que fiz sobre o sexto mandamento que diz: "Não Matarás". 

Renato Vargens



No Brasil tornou-se comum parte da igreja de Cristo valorizar e incentivar atividades do tipo baladas e shows gospel. Em virtude disso, resolvi elencar pelo menos quatro razões porque acredito que um cristão não deva ir a um show gospel.

1-) Os que participam de shows e baladas gospel ferem o terceiro mandamento tomando o nome do Senhor em vão. (Êxodo 20:07) O nome de Deus é santo e não deve ser usado com fins de entretenimento.

2-) Shows e baladas gospel não passam de entretenimento religioso e como tal visa a satisfação do homem e não a glória de Deus.

3-) Shows e baladas gospel apesar de serem usados como estruturas de evangelização, promovem um desserviço ao Reino, oferecendo aos incautos a ideia de um cristianismo bonachão, utilitário e antropocêntrico.

4-) Shows e baladas gospel, relativizam o conteúdo do evangelho , diminuindo o conceito de pecado, juízo eterno e salvação pela graça mediante a fé em Cristo Jesus.

Pense nisso!

Renato Vargens
Por Renato Vargens

Segue abaixo mais uma mensagem da série sobre os 10 mandamentos. Desta feita você poderá assistir a exposição que fiz sobre o quinto mandamento que diz: "Honra teu pai e tua mãe para que se prolonguem os teus dias na terra que o Senhor teu Deus te dá."

Renato Vargens


Por Renato Vargens

Antes de qualquer coisa é preciso informar aos que me leem que eu não tenho nenhum problema com o teatro. Antes pelo contrário, gosto de uma peça que me faça refletir sobre a vida, o cotidiano e o mundo.  Ressalto também que não possuo o menor problema quanto a contextualização, a qual julgo necessário ao tempo que vivemos. E por fim, ressalto não tenho por hábito "satanizar" a cultura, antes pelo contrário, creio plenamente que ela possa ser redimida e usada para a glória de Deus. Todavia, apesar disso, tenho algumas objeções quanto ao uso do teatro no culto, senão vejamos:

1-) O uso do teatro no culto fortalece e incentiva o entretenimento. Concordo plenamente com Spurgeon que dizia que a Igreja tem Cristo não foi chamada para promover entretenimento e sim proclamar o evangelho.

2-) O uso do teatro no culto fortalece e incentiva o pragmatismo. Ora,  o pragmatismo tem sido um dos maiores problemas da igreja brasileira, que prefere fazer o que pode dar certo e não aquilo que é certo. Nessa perspectiva incentiva-se e cria-se estruturas emotivas, sensitivas, fundamentadas num cristianismo semipelagiano cujo o objetivo é a qualquer custo a conversão do pecador. (para ler sobre pastores, evangelização e pelagianismo, clique (aqui)

3-) Deus determinou que o evangelho deve ser anunciado através da exposição das Escrituras mediante a pregação. No tempo de Jesus o teatro já era uma prática comum, contudo não encontramos em nenhum texto neotestamentário incentivos a prática das artes cênicas com vistas a evangelização. Antes pelo contrário, tanto o Senhor como os apóstolos incentivam a igreja a proclamar o evangelho, o que deveria ser feito através da pregação da Palavra.

4-) O uso do teatro tira a centralidade da exposição das Escrituras por parte do pregador.  Desde a reforma protestante, o púlpito ganho centralidade no culto. Como dizia Calvino a exposição das Escrituras é um meio de graça e portanto, deve ser o centro do nosso culto a Deus. 

5-) O uso do teatro no culto tira o foco da glória de Deus, ( o qual é incentivado na pregação da Palavra) e coloca na performance humano, incentivando assim, o antropocentrismo.

Depois de ler os meus argumentos você esteja perguntando: Quer dizer então que o teatro é do diabo e que não pode ser usado na igreja?

Não. Não é isso. Primeiro porque nada pertence ao diabo, antes pelo contrário tudo pertence a Deus. Em segundo lugar, apesar de acreditar que o teatro não deva substituir a pregação da Palavra, ou até mesmo ocupar centralidade no culto, penso que ele possa ser utilizado, em outras ocasiões, em que um culto não esteja acontecendo. 

Vale a pena ressaltar que eu mesmo já escrevi uma peça de teatro que foi encenada num dia específico, com propósito específico e que de forma alguma substituiu a pregação da Palavra e a centralidade de Cristo no culto.

Isto posto, quer usar o teatro, use para glória de Deus, mas, não o faça no culto nem tampouco use-o para substituir a pregação do Evangelho.

É o que penso!

Renato Vargens