A "neopentecostalização" das Igrejas históricas.

Por Renato Vargens
Adicionar legenda
Volta e meia eu recebo emails, scraps, facebooks e twitters de irmãos, membros de igrejas históricas afirmando que suas igrejas saíram do marasmo espiritual e que pela graça de Deus estão vivenciando um grande e significativo avivamento. Segundo estes, os sinais que confirmam o derramamento do Espírito Santo são sobrenaturais, como louvor profético,  revelações, quebra de maldições hereditárias, libertação de espíritos territoriais, dentes de ouro, enriquecimento pessoal e muito mais.

Sei da história de gente que por acreditar que estava debaixo de um grande e genuíno avivamento  judaizou a fé, instituiu levitas,  ordenou apóstolos, derramou de um helicóptero óleo ungido em uma favela do Rio de Janeiro, fez voto de nazireu raspando a cabeça, enterrou Bíblias nos extremos do Brasil, determinou o fim do pecado através de decretos espirituais, criou novas doutrinas fundamentadas em experiências místicas e muito mais.

Há pouco fui pregar numa igreja histórica que por razões diversas manifestou em sua liturgia todo tipo de confusão teológica. Se não bastasse a ênfase judaizante do culto, percebi também que a igreja em questão havia relativizado as Escrituras em detrimento a paganização da fé. Nesta perspectiva, os intercessores tiveram suas mãos ungidas pelo pastor para que pudessem repreender qualquer espírito maligno que porventura se manifestasse naquele lugar. Para piorar a situação, as canções entoadas pelo ministério de música eram extremamente confusas, cujas letras eram sofríveis, burrificadas e desprovidas de saúde teológica.

Em uma outra e famosa igreja histórica ao chegar ao templo deparei-me com o cartaz  que dizia: "Venha participar da corrente das portas abertas! Ore conosco por sete semanas e experimente milagres em sua vida cristã". Numa terceira igreja, o pastor orgulhosamente afirmou: Extingui o conselho da minha igreja!  Agora sou livre para ouvir as orientações de Deus e conduzir a minha comunidade segunda a vontade do Espírito Santo! Pois é, nesta perspectiva, o culto desta igreja, tornou-se mistico e irracional onde gritarias histéricas se transformaram na marca principal de uma igreja que abandonou nas prateleiras do gabinete pastoral as Sagradas Escrituras.

Falando em pastor, não são poucos os pastores de igrejas históricas que piraram de vez! Há pouco soube de um que abandonou as Escrituras em virtude da psicologia e que acredita que a psicanalise é a melhor maneira de ajudar o membro de sua igreja a superar os dilemas da vida.  Soube de outro que preferiu dar ouvidos aos ensinos maniqueístas instituindo cultos de batalha espiritual onde demônios recebem nomes e a cidade é mapeada, isto sem falar naqueles que andam de congresso em congresso buscando revelações escalafobéticas para fazerem as suas igrejas crescerem.

Caro leitor, diante disto ouso afirmar que um número incontável de igrejas históricas se perderam no meio do caminho. Lamentavelmente boa parte destas que deveriam ser proclamadoras  das verdades bíblicas abraçaram o neopentecostalismo, jogando na lata do lixo doutrinas fundamentais e indispensáveis a fé cristã. 

A conseqûencia direta disto é a proliferação de heresias cuja disseminação tem produzido a apostasia e o esfriamento espiritual de um número incontável de pessoas que dia após a dia se distanciam das Sagradas Escrituras.

Pois é, diante do quadro pintado pelos artistas da apostasia neopentecostal, como também pelos pintores da teologia liberal,   sou tomado pela convicção deas igrejas históricas mais do que nunca precisam priorizar as Escrituras, abandonando ao relento ensinos e doutrinas antagônicos a Palavra de Deus.

Isto posto me sirvo das palavras do Principe dos Pregadores, Charles Haddon Spurgeon que costumava dizer: "Eu quero um avivamento das antigas doutrinas. Não conhecemos uma doutrina bíblica que, no presente, não tenha sido cuidadosamente prejudicada por aqueles que deveriam defendê-la. Há muitas doutrinas preciosas às nossas almas que têm sido negadas por aqueles cujo ofício é proclamá-las. Para mim é evidente que necessitamos de um avivamento da antiga pregação do evangelho, tal como a de Whitefield e de Wesley. As Escrituras têm de se tornar o infalível alicerce de todo o ensino da igreja; a queda, a redenção e a regeneração dos homens precisam ser apresentadas em termos inconfundíveis."

Caro amigo, se a igreja deseja vivenciar um avivamento em terras tupiniquins mais do que nunca necessita regressar à Palavra de Deus, fazendo dela sua única regra de fé, prática e comportamento, até porque, somente assim conseguirá corrigir as distorções evangélicas que tanto nos tem feito ruborizar.

Soli Deo Gloria,

Renato Vargens

11 comentários:

O olho cresceu, a moda agora é.... FICA RICO, PRUQUE GIZUIS NÃO GOSTA DI PROBI!!! Tenhameasantapaciência!!! É o fim!

27 de junho de 2011 10:54 comment-delete

Pois é Renato, isso tem sido uma praga mesmo, o problema que os problemas so veem a tona depois de algum tempo... o pior é que essa busca por novidades parece não ter fim...Ja vivi todas essas experiencias...tanto num como no outro extremo e sempre tive pé atras com tudo que ja vi e estou vendo...confesso que as vezes isso tudo da um certo desanimo,,porem continuo lutando...e tanta coisa...O ricardo gondim e essa briga toda..os mercadores da fé...essa apatia da igreja...confesso que fico meio confuso...(essa briga de um tal Julio Severo com o pessoal do Geniza...Denuncias do Caio fabio, coisas que vc escreve...tudo isso ta dificil... Aonde vamos parar com tudo isso...pra ser sincero não sei aonde tudo isso vai parar....

Bem vindo a luta...Abraços (www.julianofabricio.com)

27 de junho de 2011 11:28 comment-delete

Pr. Renato, as igrejas histórias também não são perfeitas, sou batista desde os 8 anos de idade, amo a Igreja Batista, mas a frieza com que certos assuntos são tratados na igreja me deixam muito desanimada. O pastor com medo de entrar na onde neo pentecostal prefere se abster de certos assuntos,o evangelismo praticamente não existe pq qualquer método ou trabalho em grupo para evengelizar remete aos metodos neopentecopstais, como o evangelismo nos lares, tudo lá é superficial, menos o ensino da palavra, mas eu me pergunto, do que adinata um bom ensino se nada é colocado em prática?? Estão todos Salvos, sentados e satisfeitos...

Monica S.
27 de junho de 2011 12:28 comment-delete

O que tenho a dizer é que nós, que queremos doutrina bíblica, devemos fazer é nos alimentar da Palavra para que possamos ter argumentos e nos proteger das doutrinas pregadas pelos discípulos de satanás, profetas de baal e outros.
Deus é o nosso refúgio e fortaleza. Jesus, Seu Filho, é o nosso baluarte. Voltemos ao evangelho puro, simples e que nos faz crescer em graça.

Deus o abençoe, pastor.

27 de junho de 2011 13:15 comment-delete

Concordo com a postagem.
grande abraço!
Rev. Mauro

O grande desafio que Jesus e os apóstolos deixaram para os cristãos foi exatamente este, de estar no mundo, ser enviado ao mundo, mas não ser dele (Jo 17:14-18).
www.meadiciona.com/mauroferreira

27 de junho de 2011 17:10 comment-delete

Mônica, quanto a métodos de evangelização, o único método bom que conheço é pregar as escrituras! Me descupe, se sua igreja não evangeliza isso não se dá ao fato de que ela não é herege(neopentecostal) e sim porque o Espirito Santo não está usando vcs, e também porque vcs não estão interessados, e isso não tem nada haver com ser neopentecostal ou não. E outra nunca um neopentecostal pregou o evangelho, pois eles pregam uma coisa totalmente diferente do evangelho, quem salva é cristo e não heresias!

27 de junho de 2011 18:12 comment-delete

Prezadp Renato! É com muita tristeza que também venho acompanhando estes absurdos nas igrejas históricas. A falta da palavra de Deus nas igrejas tem gerado pessoas frias e enfraquecidas em sua jornada de vida cristã. Que as igrejas no Brasil retornem as escrituras e vivam um avivamento genuíno.

Se possível gostaria que entrasse no meu blog www.cafeegraca.blogspot.com e comentasse por lá também. O blog tem o objetivo de divulgar a apalvra de Deus. Fica na paz.

28 de junho de 2011 09:15 comment-delete

Oi Renato,
Recebi esta reflexão por e-mail e logo repassei para a minha liderança, pois a achei bem fundamentada e contextualizada.
Sou Pastor Batista, há 24 anos, já vi muitos destes movimentos que só servem para dividir lares, igrejas e criar traumas difíceis de serem curados. Creio piamente que estas práticas não têm nada haver com o Espírito Santo, veja, não estou falando das igrejas, que são de Deus, mas das práticas, que geram soberbas e confusões, “Porque Deus não é Deus de confusão, senão de paz, como em todas as igrejas dos santos” I Coríntios 14:33.
É incrível, como a igreja perde a força com estes costumes, luta entre si, o reino fica dividido, mas Deus por sua misericórdia a ajuda e a faz viver o verdadeiro avivamento, fundamentado na Palavra de Deus.
Tudo neste mundo vai passar, menos a Palavra de Deus, nela vemos a sua vontade, é eterna e fonte do verdadeiro avivamento. Historicamente ela levou cerca de 1600 anos para ser escrita. Quanto tempo!! Passou por várias gerações e períodos diferentes, mas Deus a preservou, será que as pessoas não entendem isto?!! A trocam por um pseudo avivamento temporal e passageiro.
Que o Senhor nos ajude, como ministros de Deus, a fugirmos da tentação de querermos encher as novas igrejas por meio de qualquer preço, ou estratégia, pois sabemos bem o seu fim. Mas que nos oriente a ensinar o povo a Sua Palavra, já que esta foi a missão que Ele nos delegou. “Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos” Mateus 28:20, pois assim Ele o fez. Amém.
Abraços
Pastor Anderson Camino Rodrigues – Primeira Igreja Batista em Volta Redonda/RJ

Anônimo
28 de junho de 2011 11:56 comment-delete

Olá Renato é estamos vivendo o que a Biblia nos avisa em I TIMÓTEO 4.1-2
“Mas o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios; Pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizado a sua própria consciência”.

Francisco Horacio Dejeanne
28 de junho de 2011 19:48 comment-delete

Olá, Pastor Renato,
Sei perfeitamente que não sou o único "batistão", creio que ainda exista muitos que defendem a sã doutrina,mas nos últimos tempos temos chegado as raias dos absurdos.
Não estou aqui a condenar ninguém, até porque não tenho tal autoridade, Jesus sim Ele tem, e com certeza esses falsos lideres um dia teram que prestar contas dos estragos que fizeram no Corpo de Cristo (na verdadeira Igreja.
O grande problema a meu ver, é que muitos pastores e lideres buscam crescimento númerico a qualquer preço, ai é preciso apelar para metodos e praticas totalmente avessa a orientação bíblica. Eu creio que o verdadeiro crescimento é espiritual, buscar nas Escrituras Sagradas todo conhecimento necessário para seu aprimoramento pessoal e em contra partida a edificação do corpo de Cristo. Se isto verdeiramente acontecer através de uma vida de oração e dependencia de Deus, comunhão profunda com o Senhor, pode ter certeza que estaremos no centro da vontade de Deus.
Com certeza os nossos cultos não serão mais atropocentricos, o homem não será mais o centro; pode ter certeza que os culto serão CRISTOCENTRICOS, porque tudo sera para agradar e glorificar o nome de Jesus Cristo, o único e Salvador
Querido companheiro, ando bastante entristecido,porque os nossos arraiais andam tendo coisa muito estranha e ante-biblicas
Amado desculpe até poarece um desabafo, mas não, é insastifação mesmo. Creio que as Escritura estão se cumprindo, afinal foi Jesus que disse no seu sermão profético "...e por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará" Mt.24:12.
precisamos de homens e mulheres de Deus, ordenados e não ordenados, que realmente se comprometa com o verdadeiro ensino Bíblico.
Eu vou tentando fazer algo com minhas humildes e isignificantes forças, mas elas estão no senhor Jesus Cristo, Nele, com Ele e pro Ele.
Sou poastor da Primeira Igreja Batista em Itaberaí - Goiás, tenho sofrindo com a pastorada da minha cidade são grandes as pressões e assedio ao rebanho do Senhor que esta sob os meus cuidados, mas eu vou na força do meu Senhor

Pr. Aleones José da Cruz

Anônimo
1 de julho de 2011 19:11 comment-delete

Esse tipo de coisa é o que normalmente acontece, quando se busca obsessivamente o mover de DEUS, e se ignora o DEUS que faz o mover.
O fator principal, o centro de tudo é (ou, pelo menos, deveria ser...) DEUS!!!!

Mover de DEUS sem DEUS não é mover de DEUS. Pensemos nisso. Pensemos muitíssimo seriamente nisso.

4 de agosto de 2011 19:07 comment-delete