O que penso sobre os rolezinhos

Por Renato Vargens


Os Rolezinhos são encontros marcados pela internet por adolescentes em sua maioria oriundos das classe C,D e E.  

Esse tipo de encontro deu-se inicialmente em Shoppings de São Paulo para aonde a garotada afluía com intuito de diversão. 

No começo os eventos eram convocados por cantores de funk, em resposta a um projeto de lei que proibia bailes do estilo musical nas ruas da capital paulista. 

Caro leitor, bem sei que a desigualdade social nesse país é extremamente acentuada, também sei que o racismo existe em todas as camadas da sociedade, além é claro de inúmeras estruturas públicas e privadas que promovem todo tipo de segregação racial e social, contudo, isso não concede o direito de ninguém promover arruaças, badernas, pânico e medo em aglomerações cujo propósito afronta a liberdade alheia.

Diante do exposto afirmo que os jovens em questão possuem todo o direito de frequentarem os mais variados shoppings do Brasil e que ninguém tem o direito de proibi-los a andarem pelos seus corredores. Entretanto, também acredito que os proprietários destes empreendimentos comerciais também possuem o direito de desejarem que a ordem, a decência e paz se façam presentes em todos os momentos. Além disso também acredito que o poder público tem por obrigação  zelar pela seguração dos cidadãos, punindo com o rigor da lei aqueles que em nome de uma pseudo-diversão usam de aglomerações para promoverem danos e prejuízos a terceiros.

É o que penso, é o que digo!

Renato Vargens


13 comentários:

Muito bom.

18 de janeiro de 2014 14:15 comment-delete

Penso assim também!

18 de janeiro de 2014 15:35 comment-delete

Pastor, vc esta certo quando fala que é errado promover arruaça e bagunça... Mas fica uma pergunta, será que essa arruaça e violência não é apenas uma resposta a outra violência já sofrida? Reação aos olhares preconceituosos e desconfiados, gestos de rejeição e desprezos? Não quero justificar a bagunça feita, mas da mesma forma que o senhor fala que as autoridades devem punir os arruaceiros, deve denuciar também o preconceito, a falta de politicas publicas para a juventude... Nunca esqueço da epoca que eu fazia faculdade e morava na favela e fui abordado por policiais. Eles me revistaram, jogaram meu material no chão e falaram que eu tinha roubado porque jovem preto e favelado não fazia faculdade, até que viram minha carteira de estudante. Daí o "tratamento" foi outro. Pense nisso.

18 de janeiro de 2014 18:15 comment-delete

Jesus promovendo arruaça e bagunça no shopping anexo ao templo...primeiro rolezinho registrado! ;) Mt 21, 12-27.

18 de janeiro de 2014 18:38 comment-delete

Também penso assim!

18 de janeiro de 2014 18:48 comment-delete

Pastor, concordo em tudo no seu texto, mas até o momento não existe nenhuma queixa na polícia por nenhum estabelecimento comercial que tenha sofrido algum tipo de depredação e/ou roubo.

19 de janeiro de 2014 01:00 comment-delete

É pastor, não tá fácil pra ninguém, tem até o rolezinho gospel, "O mesmo shopping de Cascavel, no Oeste do Paraná, que no último domingo (5) foi ocupado por um grupo de jovens e adolescentes que marcaram pela internet um encontro conhecido como "rolezinho" voltou a ser “invadido” na tarde deste sábado (11). Desta vez, no entanto, a ocupação foi feita por jovens evangélicos, que participam de um desafio de ler toda a bíblia em 42 dias." http://www.gazetadopovo.com.br//vidaecidadania/conteudo.phtml?id=1439143&utm_source=twitter&utm_medium=social&utm_campaign=plugin-social
triste.

19 de janeiro de 2014 01:22 comment-delete

é verdade.. pior é que já tem os rolezinhos gospel :S
http://www.gazetadopovo.com.br//vidaecidadania/conteudo.phtml?id=1439143&utm_source=twitter&utm_medium=social&utm_campaign=plugin-social

19 de janeiro de 2014 01:24 comment-delete

E por causa desse preconceito que você sofreu você reagiu tornando-se um arruaceiro depredador de propriedade privada? Você diz que não quer justificar a bagunça mas é justamente isso que está fazendo.

19 de janeiro de 2014 09:46 comment-delete

Podemos ver que as pessoas envolvidas nesse tipo de "manifestação" são, em sua maioria, adolescentes. Infelizmente, a maioria dos jovens dessa geração não tem condições de se organizar/pensar/tomar decisões sozinhos e por traz de situações como essas sempre tem algum interesse, em sua maioria, político. Os cidadãos de bem, trabalhadores, acabam pagando o preço dessa arruaça. Atualmente estão tornando o bem em mal e o mal em bem, o certo em errado e o errado em certo, supervalorizando os desocupados/bandidos e desvalorizando o verdadeiro cidadão. Em uma sociedade onde Deus é colocado de fora de toda e qualquer decisão, atitude é de se esperar o caos.

19 de janeiro de 2014 11:59 comment-delete

A comparação foi péssima. Contextos completamente diferentes.

20 de janeiro de 2014 12:23 comment-delete

Graças a Deus não me tornei arruaceiro nem depredador de nada. Não esqueçamos que os de fora não pensam como nós. No mundo existe um principio de ação e reação. Me expresso dessa maneira por que enxergamos apenas um lado da história e esquecemos o outro. Ser discriminado por causa da cor doi muito meu amigo. Sofrer preconceito por uma situação que não é culpa sua e não dá pra mudar é muito cruel. Deus teve misericórida de mim e não me deixou ser levado pelo ódio. Mas outros que não conhecem a Jesus não fazem como eu. Se você acha que não devemos atentar ao preconceito que maltrada muitos, sinto muito.

20 de janeiro de 2014 19:37 comment-delete

A comparação pode ter sido errada, mas que Jesus foi arruaçeiro lá no templo, isso foi...

20 de janeiro de 2014 19:40 comment-delete