terça-feira, junho 04, 2013

Minha experiência com a Cracolândia

Por Renato Vargens

Hoje eu, e os pastores Euder Faber e Joaquim de Andrade tivemos o desfortúnio de conhecer a Cracolândia em São Paulo. Por alguns minutos em plena luz do dia andamos pelas ruas do centro da capital paulista  testemunhando aquilo que essa maldita droga tem feito na vida de milhares de pessoas. Confesso que fiquei impressionado com o que vi. Ruas imundas, desprovidas de segurança. limpeza e dignidade, onde homens e mulheres comportavam-se como zumbis, andando de um lado para o outro, acendendo cachimbos, consumindo crack. 

Se não bastasse isso, para piorar a situação, a policia, presente no local, nada podia fazer, isto porque, foram orientados pelo poder público a agir contra os traficantes e não contra aqueles que porventura estivessem consumindo a maldita droga.

Pois é, cenas de Jovens consumindo drogas publicamente muito me impactou e incomodado por tudo aquilo que havia visto resolvemos voltar a noite àquele lugar de desespero.  Quando  lá chegamos a impressão que tive era que estava diante de um filme de terror protagonizado por gente que há muito havia deixado de ser gente, tendo sido transformados pela droga e pelo diabo em pessoas desprovidas de vida.

Caro leitor, diante do que vi confesso que estremeci e chorei. Sim, estremeci de pavor por ver pessoas criadas a imagem e semelhança de Deus em tamanho estado de desolação. Chorei, por perceber que  satanás, o adversário das nossas almas, tem destruído famílias inteiras mediante o consumo desta droga desgraçada. Todavia, apesar da tristeza proveniente do choque que tive em ver tamanha destruição, louvei ao Senhor por saber que a Igreja de Jesus Cristo não tem se acomodado diante tamanho infortúnio e com graça, poder e autoridade tem tentado resgatar aqueles que cruelmente foram escravizados pelo diabo.

Bendito seja Deus por irmãos preciosos que com disposição tem pregado o Evangelho da Salvação Eterna
àqueles que foram renegados pela sociedade. 

Aproveito o ensejo para afirmar que depois do que vi e ouvi na Cracolândia sou tomado pela certeza de que o Estado precisa intervir efetivamente nas vidas dessas pessoas e que a única maneira de fazê-lo é mediante internação compulsória. Sinceramente não dá pra fazer vista grossa diante tamanha loucura! Digo mais, os mortos-vivos, escravos do crack, precisam de ajuda e a melhor forma de fazê-lo é mediante o braço forte do Estado, porque caso contrário, milhares de pessoas perecerão vitimadas por tão severa droga.

Com lágrimas nos olhos,

Pr.Renato Vargens

Rosanna Gonçalves disse...

fato é muito triste .

Lee disse...

Deveriam começar limpar o local, imundo, em seguida tratar das pessoas, resumidamente é isso, até qdo esperar!????

favourite category

...
test section describtion

Whatsapp Button works on Mobile Device only