Refletindo sobre as musicas tocadas nos cultos evangélicos

Por Renato Vargens

Outro dia  participei de um culto onde o momento de louvor  com música foi uma pulação só. Depois de  mais de uma hora de muitos gritos, saltos e urros espirituais, o pastor tomado por uma espiritualidade um tanto que frenética me avisou que o sermão não deveria passar de  30 minutos, isto porque, a hora havia passado e já estava tarde demais.

Pois é, ultimamente tenho pensado nas canções cantadas em nossas igrejas. Aliás, vale a pena ressaltar que a esmagadora maioria dos denominados cultos evangélicos dedicam muito mais tempo a música do que qualquer outra coisa. Infelizmente os louvores cantados em nossas reuniões são extremamente antropocêntricos, o que nitidamente se percebe em nossos encontros congregacionais. Se fizermos uma análise de nossas liturgias chegaremos a conclusão que boa parte das canções que entoamos são feitas na primeira pessoa do singular, cujas letras prioritariamente reivindicam as bênçãos de Deus. Para piorar a situação, as músicas cantadas pelos denominados artistas gospel, nem o nome de Cristo mencionam mais. Veja por exemplo a canção "Tire os pés do chão" do ministério "Toque no Altar" que incentiva o crente a festejar, dançar e tirar os pés do chão.

Quem me viu dizia
Não poderá alcançar
Mas sou irresistível
Não vou mais parar
Este é um novo dia
A nova casa é maior
É tempo de alegria posso festejar
Por tudo o que vi, E o que virá.
Vou tirar os pés do chão, E festejar, festejar!!!
O impossível se rendeu. Eu posso dançar, dançar!!!
Diante das muralhas, Eu vou gritar.
Sobre os portões do inimigo, Vou saltar...

Caro leitor, participar de alguns cultos é um verdadeiro desafio, isto porque as canções entoadas em nossos cultos são absolutamente desprovidas de boa teologia. Infelizmente  numa liturgia preponderantemente hedonista, este tipo de evangélico é extravagante, quer de volta o que é seu, necessita de restituição, determina a prosperidade, toca no altar, pede chuva, canta mantras repetitivos erotizando sua relação com Deus, desejando da parte do Criador, beijos, abraços e colo. 

Prezado amigo, sem sombra de dúvidas vivemos dias complicadíssimos onde o Todo-poderoso foi transformado em gênio da lâmpada mágica, cuja missão prioritária é promover satisfação aos crentes. Diante disto, precisamos orar ao Senhor pedindo a Ele que nos livre definitivamente desse louvor, filho bastardo da indústria mercantilista gospel, o qual nos tem nos empurrado goela abaixo, conceitos e valores anticristãos cujo objetivo final não é a glória de Deus, mas satisfação dos homens.

Definitivamente a coisa está feia! Minha oração é que o Senhor nosso Deus nos reconduza a uma adoração cristocêntrica extirpando das nossas liturgias essa pulação inconsequente que em nada contribui para o engrandecimento do nome do Senhor.

Soli Deo Gloria!

Renato Vargens

13 comentários:

Sabes que sou pentecostal Renato,mas não suporto muita coisa que o gospel tem produzido. Andamos esquecidos dos mais belos hinos e poesias escritos em tribulação (trecho de um hino da harpa cristã). Os hinários tradicionais como a harpa e o cantor cristão andam de lado , assim como nossa forma de adorar anda réproba. Precisamos rever nossa forma de adorar a Deus, pois ela revela nosso andar com ele, se for só pra pedir chuva,água e fogo, estamos mexendo com a previsão do tempo, não com um Deus que procura adoradores que o honrem com seus lábios. Deus te abençoe

2 de outubro de 2011 13:10 comment-delete

Por motivo das pessoas quererem aparecer nas lirturgias mais que a Palavra e o louvor que devemos ao Senhor é que deixei de frequentar "cultos evangelicos" lembro que alguns ainda faziam biquinhos quando não tinham oportunidade pra ir "se mostrar" !

2 de outubro de 2011 13:21 comment-delete

Caro Renato Vargens,
Graça e Paz!

Sou pastor, e procuro não ser radical, entendendo as mudanças culturais que o nosso tempo impõe, mas é preciso equilíbrio, pois as coisas tomaram um rumo totalmente diferente do verdadeiro culto cristão.
Parabéns pelo excelente artigo.
Postei um link no meu blog, no afã de reverberar para meus leitores.

Um grande abraço!

Seu conservo em Cristo,
Carlos Roberto

2 de outubro de 2011 14:19 comment-delete

Ainda ontem eu conversava com um irmão em Cristo, sobre este assunto. "Ninguém" mais quer cantar hinos da harpa ou cantor cristão, eles "são" arcaicos demais para a época, pois vivemos novos tempos...Sinto-me sem coragem, nos últimos tempos, em participar dos cultos, pois não aguento mais tanta canção gospel.
Muito bom este artigo, isso significa que não estou sozinha em meus pensamentos e conclusões, no tempo de agora.

2 de outubro de 2011 17:08 comment-delete

É por esta e por outras, que estou desanimada com os cultos que participo....

2 de outubro de 2011 17:10 comment-delete

Confesso com sinceridade que participar de determinados "cultos" é uma verdadeira tortura. Ao ver a Palavra de Deus sendo relegada a último plano e o lugar de Cristo sendo usurpado pelas celebridades gospel sinto uma indignação profunda. Não sei onde isso tudo vai parar, pois quem tem coragem para falar contra estes modismos é rechaçado e tido como inimigo. Mas não podemos nos calar.

Pb. Edinei, Th.B

3 de outubro de 2011 09:37 comment-delete

Na minha igreja, aqui em Recife, a Assembléia de Deus, do Pr Ailton, não existe essas coisas. Aqui a mensagem começa às 20h e vai até às 21h. Quando é festa, aí esse tempo para a Palavra aumenta, de 19h até às 21h. Além de que, todas as segundas somos alimentados pela sã doutrina, no mínimo uma hora. É comum ouvirmos o barulho das páginas das Bíblias sendo foleadas pelos irmãos que acompanham a pregação.

Somos um remanescente nessa geração de evangélicos desprovidos de Palavra. No meu pasto, tem muita grama verde para comer. É por essa e outras razões que não troco minha igreja por nada. Pois aqui não somos lubridiados com falasas mensagens sem conteúdo bíblico, tão pouco somos anestesiados com louvores vãos, que só fazem aliviar as mentes cheias de pecado...

***
3 de outubro de 2011 16:10 comment-delete

Querido Pr Renato, é realmente lamentável o que ocorre nas igrejas atualmente. Uma coisa é levar em consideração as mudanças culturais - ainda que elas mesmas também estejam sujeitas ao crivo da Palavra de Deus. Outra coisa é dar vazão a músicas com péssima teologia, com heresias e que contradizem a Bíblia.

Apenas para constar, ter músicas na primeira pessoa do singular não é de todo errado, desde que Deus seja o exaltado na letra. Veja o exemplo de Grandioso és Tu. A última frase é "Fiel a mim", mas se analisarmos a letra como um todo, vemos que a música exalta os atributos de Deus e a Sua fidelidade é apenas um dos atributos ressaltados na letra.

Abraço, Marcos.

3 de outubro de 2011 17:16 comment-delete

Nossa, arrepiei agora com tamanha verdade pq dificilmente encontro alguém que tem coragem de dizer e coisas assim como as que penso!

E ja estou há muito tempo sem uma igreja por conta de coisas como estas. Não quero uma igreja que me ensine que Deus é meu mordomo e nas horas vagas o que me dá colinho sempre que faço uma coisa errada porque Ele é bom.

É sempre uma relação egocêntrica em tudo do homem para com Deus. Me criticam e me questionam por conhecer a palavra de Deus e não estar me congregando.

Mas sinto saudades das igrejas onde se pregava o compromisso com Deus e a morte do EU e não o Deus do compromisso e o VIVA o EGO.

Estarei na corrente de oração por mais homens e mulheres que se levantem para falar a realidade e alertar aqueles que estão sedentos por uma vida de verdade com Deus.

Paz de Cristo

4 de outubro de 2011 00:17 comment-delete

Caro Pr Renato,

Parabens pelo artigo. Mexe em nossas feridas. Oxala, todos os pastores do Reino de Deus tivessem acesso a ele.
Estamos precisando.

4 de outubro de 2011 20:03 comment-delete

Pr. Renato, publiquei seu texto no meu blog e coloquei o crédito e o link do seu blog. Maravilhoso!

Temos plena comunhão nessa preocupação com a qualidade das músicas que se cantam pelas igrejas, o foco teocêntrico está se perdendo.

17 de outubro de 2011 09:42 comment-delete

Concordo em partes com o artigo acima.Algumas letras de musicas,dão o subtender que Deus está no centro da situação.Se estamos dentro de um culto,é pra cultuarmos a Deus.Somente Deus.Quando a letra acima fala "A nova casa é maior ",está fazendo a referencia a um texto de Ageu 2:9.Quanto ao estrelismo gospel,sem dúvida existe,porém os ministros de louvor das igrejas em questão,devem vigiar para selecionar realmente as músicas ou hinos que edificam e entronizam a Deus.Show gospel,oportunidades e etc servem para engrandecer o homem e não a Deus.

Paz abençoados.

1 de outubro de 2013 11:28 comment-delete

SEM CONTAR COM O CAIR DO ESPIRITO,VOCES JÁ VIRAM? AMADOS TEMOS QUE FALAR DESSE ASSUNTO PARA ALERTAR OS CRENTES,POIS ESSA SEITA JÁ SE ENCONTRA NAS IGREJAS DO BRASIL,ATE NA ASSEMBLEIA.ELES LATEM COMO CACHORROS DE QUATRO PÉ NO CHÃO,PIA COMO AVES,RODOPIA,ETC A SEITA DE TORONTO.MISERICÓRDIA SENHOR!

19 de março de 2014 01:37 comment-delete