O maior fracassado do mundo segundo a ótica dos teólogos da prosperidade.


Por Renato Vargens

Para os teólogos da prosperidade o apóstolo Paulo pode ser considerado o mais fracassado ministério de todos os tempos.

Ele não foi rico, não possuiu grandes propriedades, não teve carros, cavalos e barcos, não morou em mansões, nem tampouco possuiu ouro, prata e riquezas. Para piorar a situação, o apóstolo aos gentios, recebeu dos judeus cinco quarentenas de açoites,  foi açoitado com varas, apedrejado, sofreu três naufrágios, passou uma noite e um dia no abismo. Em viagens muitas vezes, em perigos de rios, em perigos de salteadores, em perigos com os patrícios, em perigos com os gentios, em perigos na cidade, em perigos no deserto, em perigos no mar, em perigos entre os falsos irmãos, em trabalhos e fadiga, em vigílias muitas vezes, em fome e sede, em jejum muitas vezes, em frio e nudez. Além disso ele foi preso algumas vezes,  lançado em cárceres fétidos e mal cheirosos, tendo morrido na mais profunda miséria.

Para os defensores da teologia da prosperidade Paulo não estava na visão e por não possuir a unção de Deus morreu a mingua.

Pois é, pobre Paulo, miserável Paulo, não pode ser comparado aos apóstolos de hoje que são homens "ungidos" além de proprietários de jatinhos e mansões e milhões.

Pobre que nem Paulo, só um tal de Jesus de Nazaré.

Pense nisso,

Renato Vargens

8 comentários:

Impactado por esse texto. parabéns.
esses são os dias em que nós vivemos, estamos cercados
pelos ''apostolos'' do século 21 e de suas mensagens fartas de Materialismo.

18 de junho de 2010 00:13 comment-delete

Excelente artigo, Pr. Renato. Atualmente com essa distorção teológica há crentes que ficam angustiados procurando erros e culpas inexistentes, desesperados, pois trabalham arduamente e não conseguem a tão falada "prosperidade" alardeada por esses falsos profetas, os quais incutem nas mentes mais humildes e que não tem uma condição maior de confrontação pela Palavra que aquele que não obtiver muitos bens e riquezas não é abençoado e deve ter cometido algum erro grave. E fazem afirmações ousadas, inclusive na mídia, apontando pastores que vivem com pouco e felizes na pregação do Evangelho, como se estes é que estivessem errados. Há momentos que fico impaciente com tanta bobagem dita levianamente e que afastam tantos da Graça. Sei que os que acreditam apenas na predestinação não se ocupam com tais almas, preferem as dar como não escolhidas. Não penso assim. Eu não nasci em lar cristão e durante anos fugia de Igrejas evangélicas em razão de mensagens equivocadas que me apresentavam não o Salvador que morreu na cruz por nós, mas teologias de terror e medo. Mas Deus, na sua soberana Graça alcançou-me através de um trabalho simples de irmãs em reuniões de oração e pregação nos lares, isso em 1982. Gosto muito de seus escritos. Uma boa obra e um ministério profícuo!
Um abraço, Dolores Fernández

18 de junho de 2010 03:16 comment-delete

Adorei esta exposição, porque só se fala em acúmulos materiais terrenos, ninguém que está nessa perspectiva quer a volta de JESUS, porque digo e afirmo que o apêgo as coisas terrenas nos separam de DEUS, o mestre não disse que ficariamos milionários ao tê-lo em nossas vidas, somos de CRISTO ? então vivamos a palavra que ele deixou, esses teólogos usam chavões do antigo testamento para suas pregações e objetivos pessoais,somos cristãos e não judeus portanto também não entendo que expoem certas leis à cumprir do antigo testamento e outras não, estou para CRISTO, então obedeço aos seus ensinamentos, Maranata SENHOR.


Gilbert Raposo, um aprendiz em Cristo Jesus.

18 de junho de 2010 06:56 comment-delete

Parabéns!!!
Dorival

Anônimo
18 de junho de 2010 08:08 comment-delete

Paz do Senhor Jesus.
Como está faltando obreiros com o currículo igual ao de Paulo.
Deixando dos prazeres daqui, e dedicando-se inteiramente a causa do Mestre.

Em Cristo Jesus.

Diógenes Spartalis

18 de junho de 2010 08:32 comment-delete

Segundo os teólogos da prosperidade "Se Paulo tivesse determinado a ação de Deus na vida dele, não teria passado por tudo o que passou"

18 de junho de 2010 08:43 comment-delete

Excelente texto. Infelizmente, essas doutrinas neopentecostais esquecem de olhar para esses ministérios que impactaram o mundo com uma mensagem simples do evangelho e realizadas por pessoas que tinham o único desejo de engrandecer a Deus.

Parabéns!!!

18 de junho de 2010 09:17 comment-delete

Sou católico, mas acompanho os seus ensinamentos e alertas. Vejo como o Sr. coloca sabiamente as palavra e como o Sr. Deus o inspira na verdade. Louvado seja o Sr. Deus Pai, Filho e Espirito Santo que sopra aonde quer e por onde quer.

Anônimo
19 de junho de 2010 18:17 comment-delete