Geração ICE TEEN.

Por Renato Vargens

As festas organizadas por adolescentes têm sido regadas a base de muita bebida alcoólica. Essa geração a qual denomino de Ice teen, consume em seus eventos sociais, dezenas de litros de álcool ingerindo as nada ingênuas bebidas Ice.

As estatísticas apontam para o fato de que os adolescentes que possuem entre 12 e 17 anos, 48,3%, já beberam alguma vez na vida. Desses, 14,8% bebem regularmente e 6,7% são dependentes de álcool.

Pois é, cada vez mais adolescentes consumem álcool desregradamente. Em novembro de 2006, foram divulgados os resultados os resultados do segundo levantamento sobre o uso de drogas psicotrópicas no Brasil, realizado pelo Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas. O Levantamento revela um aumento dos dependentes de álcool no País, de 11,2%, em 2001, para 12,3%, em 2006. Foram focalizadas 107 cidades com mais de 200 mil habitantes e ouvidas 8,5 mil pessoas entre12 e 65 anos. A pesquisa destaca que é particularmente preocupante o uso precoce do álcool, uma vez que quanto mais cedo se inicia o consumo, tanto maior é o risco de tornar-se dependente.

Em janeiro deste ano estava na bela cidade de Porto Seguro na Bahia, quando numa noite eu minha esposa ouvimos o dialogo de algumas adolescentes: - “Hoje estou DNA” Instigados pela curiosidade em saber o que significava DNA no vocabulário adolescente diminuímos o passo e ouvimos outra dizer: -“Isso mesmo. Dia e noite Alcoolizadas. Isso mesmo. Vamos beber muiiiiiiiiiittttto", replicou uma terceira.

Confesso que fiquei chocado com um discurso, até porque, as meninas não tinham mais do que 16 anos, e estavam dispostas a beberem até cair.

Pois é, vivemos dias difíceis em nosso país. Nossa sociedade encontra-se absolutamente deteriorada, nossas famílias perdidas e sem rumo, nossos adolescentes e jovens sem perspectivas e referências. Infelizmente a sociedade brasileira, encontra-se envolvida em um estilo de vida que se contrapõe aos princípios da lei de Deus. Os padrões de moralidade parecem não mais existir, a forma de se medir felicidade e sucesso difere daquela encontrada na Palavra de Deus. O objetivo de vida do ser humano não é a glorificação do nome do Senhor e sim a busca desenfreada pela satisfação pessoal, ainda que para isso seja necessário desconstruir conceitos e valores jogando-os definitivamente na lata do lixo.

Diante disto me pergunto: “Como ouvirão se não há quem pregue?” Nas ruas, nos becos, nos guetos, gente como estas meninas estão clamando desesperadamente por uma mensagem de esperança e salvação. Agora, como crerão se não há quem os envie? A pergunta é: O que temos feito? Temos anunciado o Evangelho de Cristo Jesus ou temos andado preocupados com a nossa satisfação e realização pessoal. Amados, não nos esqueçamos que os campos estão prontos, Deus nosso Senhor nos redimiu e nos comissionou a noticiarmos as boas novas da salvação a todos quanto pudermos!

Pense nisso!

Renato Vargens

2 comentários:

Certa vez ouvi uma psicóloga falar que estamos na era da desconstrução,fiquei meio chocada mas acho que é por ai mesmo. E se não nos prontificarmos para ajudar nesta reconstrução o que será deste mundo? (não somos poucos) se cada um de nós fizer a sua parte creio que teremos grandes resultados. A Paz do Senhor!

15 de setembro de 2009 23:25 comment-delete

Infelizmente essa é uma realizada q eu pude ver de perto. Quando fiz 12 anos os meus "amigos" começaram a sair e pela influencia dos mais velhos começaram tomando os tais dos ICE. Só q nao parou por ai. Doses cada vez maiores e mudando de bebidas. Passando pra vodca e a cachaça pura... Nesse ponto eu fiz 16 anos e vi cada vez mais colegas meus bebendo até cair mesmo...Inclusive 2 colegas minhas q cresceram comigo e por serem mais novas q o grupo acabaram sendo mais precoses ainda. Hoje estou com meus 18 anos e essas mesmas amigas tem 16 anos e são usuarias de diversos tipos de droga... Já conversei sério com elas, mas parece q não adianta. Até levei uma delas pra igreja por algum tempo, mas com pouco tempo ela não quis mais ir... espero q o dia do arrependimento não seja tarde demais. Me perdoe pelo texto longo. Uma verdade inconveniente. Deus o abençoe cada vez mais.

15 de setembro de 2009 23:48 comment-delete