Funk gospel, o fundo do poço!

Por Renato Vargens

A denominada música gospel me causa arrepios. Confesso que não suporto mais ouvir tanto bobagem. Se não bastasse isso, eis que surge retumbante neste país tupiniquim o funk gospel. Infelizmente esse ritmo  tem sido incentivador da promiscuidade e violência nas grandes cidades, agora é evangélico. Para piorar a situação as músicas tocadas além de antropocêntricas, afrontam o bom senso, disseminando no povo de Deus conceitos antibíblicos e anticristãos. Além disso, as letras são extremamente burrificadas, além obviamente de afrontar o vernáculo.

Veja por exemplo essa “pérola  cultural:"


“Pras irmã e pros irmão
Que curte o som pancadão
Eu mando assim ó:
Vem pro gospel funk

Pra se divertir Com Jesus no coração
Você vai ser feliz
então,
vem pro gospel funk

Pra se divertir Com Jesus no coração
Você vai ser feliz então pula e agora dança
A juventude, os adultos, os coroa e as crianças,
então pula e agora dança

A juventude, os adultos,
os coroa e as crianças,
então pula e agora dança

A juventude, os adultos, os coroa e as crianças,
Ajuventude, os adultos,
os coroa e as crianças,
Vem pro gospel funk pra se divertir...”

Pois é, confesso que ao ouvir essa canção tomado por um pavoroso sentimento de desespero. Francamente, pare, pense e responda: Isto é música? Por favor, seja sincero e responda: Isso significa louvar a Deus? Ah que saudade da boa música, ministrada, cantada, com unção, cuja melodia e letra eram inspiradas pelo Espírito do Senhor.

Definitivamente parece que nos últimos anos, a igreja de Cristo se perdeu no caminho em direção ao trono do Altíssimo. Sem sombra de dúvidas a coisa está feia!

Que o Senhor nosso Deus tenha misericórdia do seu povo e nos reconduza a sala do trono e que lá possamos adorá-lo integralmente entendendo assim, que a glória, o louvor, a soberania pertence exclusivamente a Ele.

Pense nisso!

Renato Vargens

42 comentários

  1. Paz do Senhor Pastor Renato Vargens! Muito bem colocado seu artigo, pertinente e bastante relevante para os dias atuais! Verdadeiramente devemos seguir a admoestação do salmista que, debaixo da autoridade do Espírito, afirmou categoricamente: Tudo quanto tem fôlego louve ao SENHOR. Louvai ao SENHOR (Salmo 150:6). Os cristãos deveriam ler mais a Bíblia pois veriam o apóstolo Paulo enfatizar: Que farei, pois? Cantarei com o espírito, mas também cantarei com o entendimento. (I Co 14:15). Espero que os tais propagadores de heresias através dessas músicas que para nada aproveitam e são para perversão dos ouvintes. (II Tim 2:14).
    Espero que eles se lembrem de que o galo cantou e (nesse dia) seu canto produziu escândalo.

    Soli Deo Gloria

    Evangelista Eduardo França (Pentecostal, Fundamentalista e Apologista-Polemista)

    ResponderExcluir
  2. Eu sinto nojo destas porcarias e tem gente que ainda diz GLORIA A DEEEEUUUUUSS.
    O que se passa na cabeça destas pessoas, será que eles sabem o que e ser um crente.
    Eu acho que são crentes sómente com a intenção de ganhar dinheiro e os fracos de mente e espiritos aceitam a creditam.

    POBRES COITADOS.
    Stefan Zakowski
    szakowski@bol.com.br

    ResponderExcluir
  3. Bem, esse é o resultado de se usar armas do Diabo, para ganhar as pessoas. O resultado é: Em vez da igreja tomar o mundo, o mundo é que está tomando a igreja.
    Como podemos convencer a pessoa que a arma que usamos para lhe conquistar é diabolica??? O mais que possa acontecer é que vamos perpetuando as palhaçadas.

    ResponderExcluir
  4. oi as vesez eu nao concordo com oque vc escreve mas sobre esse fank gospel muito bom mesmo

    ResponderExcluir
  5. Pazzzzzzzzzzzzzz

    Que beeeeeeeeeeeeeeeeeeeenção!
    Já estou seguindo e se não se importa, estou indo correndo colocar seu blog nas recomendaçoes do meu... Ok?

    Ótimo mesmo! Poucos trabalhos são tãããão bons.

    Com amor em Cristo, Bárbara Matias

    ResponderExcluir
  6. Pr. Renato, antes de mais nada quero deixar bem claro que não sou simpatizante desse rítimo, mas não concordo com o senhor. Desde os meus tempos de criança eu ouço músicas evangélicas em rítimo de forró e outros, o rock "era do diabo", hoje ja nem tanto é toleravel. E aí?

    Na minha modesta opinião o rítimo não quer dizer absolutamente nada o que importa é a letra da música, é claro que uma letra como essa citada passa a ser uma afronta. E a culpa não é de quem faz a música, é de quem põe pra tocar e de quem compra.

    Eu acho que se chegar um grupo de música evangélica africano com todas as suas vestes tradicionais, instrumentos e danças louvando a Deus de verdade, vai ter gente dizendo que é coisa do diabo sem parar pra dar importância para o que a letra diz.

    Graça e paz!!!

    ResponderExcluir
  7. Não quero ser crente do terceiro milenio, quero somente fazer de tudo para seguir os ensinamentos de JESUS, temos aqui em Pendotiba um grupo que pratica o tal de Night Gospel, funk gospel esse é do diabo ?, andaram debatendo neste blog se o rock é do diabo, então e agora ? o que dizer com esse texto apresentado pelo pastor ?, estão se preocupando com a diversão carnal e se esquecendo de divulgar o evangelho na integra, até o se vestir nas igrejas virou bagunça, passei um dia por um centro espirita e lá tinha uma placa que dizia: "Não é permitido entrar de saia curta, nem blusa decotada ", vejo moças com calças tão baixas que quando sentam chega aparecer o chamado cofrinho, rapazes de short e chinelo, gostaria de saber se fossem por ex: na camara de vereadores a um dos gabinetes se entrariam, claro que não, a coisa está muito frouxa, o SENHOR merece respeito.
    Gilbert Raposo, um aprendiz em Cristo Jesus.

    ResponderExcluir
  8. Pr. Renato, além de termos amigos em comum, sou um admirador do seu trabalho na blogosfera. Por isso, gostaria de propor uma troca de banners entre nossos blogs.
    Seria um prazer divulgar este abençoado blog, e ficaria imensamente feliz se pudesse divulgar o meu.

    www.hermesfernandes.blogspot.com

    Forte abraço.

    ResponderExcluir
  9. A letra de uma música combinada com os sons melodiosos é o resultado da arte e da ciência de combinar os sons de modo que agradam os ouvidos,ou seja ,a música própiamente dita,que no tocante digo porcaria o então funk comentado no texto,ou seja, dizem que melodia é melodia e letra é letra,é verdade,mas na realidade, uma coisa vai estragar a outra.Partindo do princípio de que música é a arte de combinar os sons melodiosos,é notório a combinação das essências letras e sons melodiosos,por isso concordo com o senhor.Sou realista e tento ir pelo caminho certo,pois como vou dizer se um ritimo ,por exemplo,que tem em seu conteúdo palavras que vão fazer apologia a todo tipo de porcaria e que a batida é perfeita se ele é bom para os meus ouvidos,para mim,o som torna-se ruím em todos os sentidos e não venham dizer que uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa.Por exemplo:Tira a vóz e deixa só o som de uma música evangélica ou que se diz evangélica,seja qual for o rítimo,mas que está distorcendo os princípios bíblicos .Então, quando for tocada,com certeza você estará cantando a mesma no pensamento.Leia a letra desse funk orrível!!! Se a batida do funk,forró,samba,rock falarem de coisas que edificarão as pessoas e com conteúdo bíblico certo,como manda Jesus,aí é outra coisa!A questão em foco é o compositor que é culpado,quem vende e quem compra também.Um outra coisa é que as pessoas gostam muito de andar na moda,querem certos compromissos sem o coração está ligado no Reino e estão vendo cantores evangélicos ficarem ricos,onde isso é uma outra discussão que já comentamos em seu blog e querem vender seus produtos,que neste caso como exemplo esse funk,sem embasamento bíblico nenhum o irmão aí ,fulano de tal gospel,ah! esqueci o nome dele!

    ResponderExcluir
  10. Meu Deus...eu prefiro nem falar já foi dito tudo.Que Deus nos livre. Amém!

    ResponderExcluir
  11. O discurso de fazer-se de louco para ganhar os loucos que se costuma usar para se praticar essas abominações em nome de Jesus é o mais incosistente possível.
    O que me surpreende é que a maioria das igrejas de hoje é que se faz festa de carnaval, festa junina e dança-se de tudo, EM NOME DE DEUS, para evangelizar.
    Não me lembro de ter lido que Jesus ou os discipulos tenham feito baladas gospel nem dançado funk ou qualquer bobagem dessas para salvar as vidas. Interessante! Será que a Bíblia está errada?
    Creio que não.

    ResponderExcluir
  12. É brincadeira né pastor?
    Uma letra realmente edificante. Você sabe, eu gosto de vários estilos. Eu fui dj profissional. Quando descobriram nas igrejas, foi aquele auê. Tem de fazer festas e tal. E eu movido por ignorância e tb qierendo me mostrar, aceitei, e toquei em algumas festas. Hoje, eu creio que há tempo para tudo, e durante o culto, não é momento para o rap, funk, forró, eletrônico...
    Não por moralismo ou religiosidade com a "casa do Senhor" ou o "culto". Mas sim porque para muitos é o único contato semanal com as Escrituras. E sou puritano na veia, neste sentido - a pregação (quando pode-se assim chamar, como diz o Lloyd-Jones) é o momento máximo de um verdadeiro culto.
    Quer ouvir diversos estilos musicais? Ouça! Há tempo para isso, em sua casa, em seu carro. Se for até música secular, não tem problema. Infelizmente a maioria das "canções" ministradas nos cultos são mais profanas que qualquer Iron Maiden. Um é por ignorância do autor, outro por prostituir os ensinos bíblicos. Quem é pior?
    Em tempo, eu gosto de rap. Mas achar algo de bom no meio gospel é tarefa penosa. Muito se "travestem" de cristãos, mas as letras são chavões de periferia aglutinados com chavão gospel.
    Postei em meu blog, uma recente descoberta. Um rapper americano, reformado, com um conteúdo evangelístico e doutrinário que mingua as novas "canções gospel". Muito melhor que querer ser um Zaqueu. Dá uma olhada:

    http://ecclesiareformanda.blogspot.com/2009/08/em-adao-todos-morreram-shai-linne-john.html

    http://ecclesiareformanda.blogspot.com/2009/08/jesus-esta-vivo-shai-linne-tres.html

    http://ecclesiareformanda.blogspot.com/2009/08/acorda-voce-esta-vivo-shai-linne-tres.html

    Um abração pr. Parabéns pois seu blog está cada vez melhor E perdão pelo tamanho do comentário.
    Alberto M de Oliveira

    ResponderExcluir
  13. Beto,

    Concordo plenamente com vc.
    Obrigado pelo comentário.

    Abraços,

    ResponderExcluir
  14. Muito bom Alberto, você acaba de afirmar que é possível encontrar uma boa música com essas "batidas", o que eu percebí em alguns comentarios é que pregamos que não devemos ser mas somos sim "preconceituósos", olhamos para a casca e esquecemos de observar o que tem por dentro.

    Concordo também que devemos separar tempo e lugar para cada coisa.

    ResponderExcluir
  15. Cleber,

    O funk não possui nada de bom! Funk não é música, nem tampouco arte. O funk é nada mais, nda menos do que reverberação da podridão de uma sociedade adoecida. Se não bastasse isso, ele promove apologia ao crime e promiscuidade.

    Quanto ao funk gospel é puro sincretismo.

    abraços,

    ResponderExcluir
  16. Também concordo que o funk carioca é um ritimo sensual e de apologia ao crime, diferente do funk do James Brown, já pensou no ritimo do pancadão carioca, fala-se DEUS e os quadris remexendo para lá e prá cá ?, tenhamos ética, o SENHOR merece respeito.
    Gilbert Raposo, um aprendiz em Cristo Jesus.

    ResponderExcluir
  17. Concordo com o Cléber. Vou à Gospel Nigth e vejo o trabalho sério que é feito. Não podemos criticar sem antes conhecer. Conheco inclusive a Igreja do Adriano Gospel Funk que é perto da minha casa. O Funk tem sido usado como instrumento de evangelismo. Muito jovens de comunidade carente só ouvem funck e como falar de Jesus para eles? Porque não através do funk gospel? Acho dificil um evangelista chegar de calça cumprida, no melhor estilo crentão cantando Cassiane ou Shirley Carvalhes conseguir evangelizar um jovem que ouve funk e fuma maconha. Temos que nos fazer de loucos. Devemo usar todos os meios lícitos e legais para ganhar almas. Se há vidas vindo pra cristo através do funk gospel, como posso falar que tal rítmo é do diabo. Nada é do diabo. Tudo é de Deus! Tudo deve ser usado para Ele e por Ele. Agora pergunto, o senhor pastor, já foi em uma Gospel Nigth e viu como esse rítmo tem sido usado na evangelização? É incrível como as pessoas julgam e são cheias de preconceitos dentro da igreja. Muitos desses que perdem tempo julgando verão naquele grande dia, muitos Adrianos Gospel funk chegando nos céus cheio de galardão por ter levado muitas almas e ai sim ficarão chocados, pois perderam tempo falando mal e não levaram ninguém para Cristo.

    ResponderExcluir
  18. Digam-me onde está a cultura de uma coisa que faz apologia ao crime?Achei o maior afronto terem enviado a Tati Quebra Barraco como representante da cultura músical do nosso país lá na Alemanha,há 6 anos aproximadamente.Tudo bem, não estou querendo sair do tema central do texto,mas acontece que fiquei indignado até pelo fato de que o funk está ligado também a criminalidade .Para mim,as coisas precisam ser pura e com seguimento lícito,ou seja,cultura são costumes e valores.O que não admito é o surgimento de uma coisa no meio do ilícito .O funk nasceu no mei do mal,lembra o mal,então irmão,a batida dessa música não pode trazer boas coisas combinada com letras infundáveis como a do funk gospel citado no texto.O samba,por exemplo nasceu em uma outra estrutura social.Aí você me pergunta: Qual foi a estrutura?No surgimento desse rítimo não se fazia nehum tipo de incentivo á criminalidade.Repito,o funk nasceu no meio da podridão!
    Vamos concordar ou discoradar,mas com fudamento, para que possamos discutir,analizar os fatos etc.Fui presidente de uma escola de samba e patrocinei vários bailes aos sábados e algumas vezes o funk gospel era tocado dentro do então clube com todos os perigos possíveis para as pessoas que iam aquele local,de certa forma eu pactuava com esse mal,antes,lógico da minha conversão.E aí???? A batida faz mal,e me lembra o quanto eu perdi amigos para o mal.Em se tratando de coisas de Deus,letras verdadeiramente com fundamento bíblico e combinado com sons verdadeiramente melodiosos faço gosto.

    ResponderExcluir
  19. HUahuahauhua... O sr. esqueceu do "chuta que é laço", um dos primeiros "su-su-sucessos" do funk gospel...

    http://letras.terra.com.br/adriano-gospel-funk/388166/

    Isso é um exemplo do que é a igreja evangélica de hoje no Brasil... Terrível.

    P.S. Nem vou comentar nada pros otários anônimos que ainda defendem essa porcaria.

    ResponderExcluir
  20. Uma coisa é verdade, não dá para comparar o surgimento do samba com o surgimento do funk carioca. Os tempos eram outros, a sociedade era absolutamente diferente. A transgressão pedida pelo samba era jocosa, inteligente e social, já a do funk carioca é imoral, pervertida e comprometida com as drogas.

    ResponderExcluir
  21. Marcelo,

    Não é o estilo da música que converte alguém, e sim o Espírito Santo. O discurso de fazer-se de louco para ganhar os loucos que se costuma usar para se praticar esse tipo de evangelização em nome de Jesus é o mais inconsistente possível.

    O que vc chama de "Night Gospel" não pode em hipótese alguma servir de estrutura de evangelização. Em tais eventos o que mais rola é a chamada "pegação" gospel.

    Abraços,

    ResponderExcluir
  22. Pois é irmão Renato... e quem são os culpados? Sera que é a rapazeada (corja) como dizem, Penso que não! A culpa é da elite da da frente das congregações, não fosse aceitarem a parafernalha dos instrumentos eletrônicos de dentro da casa de oração, duvido muito se que eles continuassem fazendo este banzé,se tirarem os intrumentos mecanicos estes perversos saem juntos, e deixam os verdadeiros adoradores glorifacarem ao Senhor em espírito e em verdade.
    Não quero alongar muito este comentário, pois sei que logo aparecerá os levitas modernos, os mercadores do templo e os aportunistas que sobrevivem de vendas destes aparelhos às igrejolas que por ignorancia do lider aceitam estas heresias no meio cristão e que sempre ficam de espreita para se defenderem das suas loucuras quanto são confrontados com a verdade.
    O que o pavão não entende é que na Igreja de Deus não era para existir mais instrumentos musicais, pois aos cristãos é ensinado a louvar a Deus com a mente, coração e boca.
    Que os lideres revejam as Escrituras e tomem providencias na Guia do Espírito Santo.
    (Hebreus 13:15) - Portanto, ofereçamos sempre por Ele a Deus sacrifício de LOUVOR, isto é, o fruto dos lábios que confessam o seu nome.

    ResponderExcluir
  23. Pastor, nunca vi em uma Gospel Night nenhuma "pegação". Quando há a suspeita de algum casal mais acalorado, ou alguém fazendo uma dança mais empolgada, na hora a música pára e as luzes são ligadas. O dirigente chama a atenção na ora. Os próprios jovens ajudam na fiscalização. Como o evento é aberto, há o risco de acontecer isso, mas há "fiscalização".

    Agora lamentável o irmão que comentou acima chamando os demais de otários. Funck não, mas chamar os outros de otário está certo. Nossa, que exemplo!

    ResponderExcluir
  24. Marcelinho, não precisa se "escandalizar" por eu ter chamado quem defende funk gospel de "otário": eu não sou crente, portanto não estou sujeito às mesmas "regras" que você. Mas sinceramente, acho que os defensores do funk gospel são otários sim. Se gostam de baixaria, eles são livres pra praticá-la num baile funk de verdade. Porque seria mais digno: pelo menos eles estariam assumindo, pra si e pra sociedade, que são imorais e baixos. Agora, querer botar a baixaria dentro da igreja e "pôr na conta de Jesus", na minha opinião (como não-crente) é muito mais baixo, anti-cristão (porque mancha a imagem do Jesus que vocês pregam) e falso. Dá a impressão que a baixaria, dentro da igreja de vocês, é aceitável, só precisa do "rótulo" de gospel que tá tudo certo. Então meu "irmão", sinceramente, é por isso que eu e outras pessoas sinceras não nos deixamos envolver por essa religião de vocês: porque é tudo uma faxada, uma grande enganação (de vocês consigo mesmos) de que Deus aceita essa baixaria só porque alguém "diz" que ofereceu pra ele. E quem engana a si mesmo, pra mim, é otário, diga o que disser.

    ResponderExcluir
  25. Pr. Renato, o estilo musical utilizado no Brasil não é o Funk, mas o Miami Sound Bass, ou algo similar, pois a qualidade da música no Brasil é pobre e não reflete o estilo do funk norte americano.
    Aliás, o "FUNK" brasileiro é caracterizado pela vulgaridade e pobreza de conteúdo e excitamento de comportamentos inadequados.
    A própria música postada não edifica em coisa alguma. Puro besteirol.
    Ainda prefiro músicas seculares a ouvir lixos desse naipe.

    ResponderExcluir
  26. O funk carioca é repleto de vulagaridade sim!Não tenho nenhum conceito antecipado em relação as batidas desse tipo de "música", se é que posso chamar assim,mas seja qual for o nome que essa batida recebe aqui no brasil,lamentávelamente não posso aceitar uma coisa que é copiada,onde nasceu no meio do mal ,como eu disse anteriormente. Quererem trazer para uma celebração para Aquele que é puro e rei de todas as nações esse tipo de som,não concordo!.Fico muito preocupado com certos desejos de alguns que querem estar lá fora no funkão e usar de subterfúgio o FUNK GOSPEL para uma noite de "azaração",pois se forem azarar alguém,essa meninada é esperta suficiente para enganar os "fiscais" e se deliciarem no prazer da carne a noite toda enganando o homem,mas não enganam o Senhor.

    ResponderExcluir
  27. O pior é que me vejo "obrigado" a concordar com o Cristiano Souza, pois é a mais pura verdade. Valeu Cristiano!!!
    Nós temos que tomar vergonha na cara e combater esse tipo de atitude que mancha a nossa imagem perante a sociedade. Espero que muitos revejam suas posições diante do que foi exposto por alguém de fora dos nossos arraiais.
    A verdade é que falta conteúdo às nossas músicas, quer seja funk gospel, forró gospel, rock gospel ou outro estilo gospel qualquer. Dói os ouvidos quando me vejo obrigado a ter que deixar tocar uma FM gospel...
    E, sinceramente, porque esse pessoal que adora uma night gospel D-E-T-E-S-T-A uma EBD? Será que é só por causa do sono?
    Vida cristã é compromisso!!! Não é farra com sobrenome gospel.

    ResponderExcluir
  28. Jonis, me vejo na obrigação de explicar algumas coisas: primeiro, eu não odeio os evangélicos, eu odeio a falsidade e mentira. Existem muitos evangélicos sinceros e honestos, e eu os admiro - como por exemplo o próprio Renato Vargens - por serem capazes, primeiramente, de se auto-analisarem e, em segundo lugar, de analisarem e assumirem responsabilidade pelas falhas em sua própria instituição, e trabalhar para corrigi-las.
    Se você é um evangélico, saiba que tem minha admiração e respeito. E espero que um dia todos os religiosos, seja de qual religião forem, aprendam a respeitar a opção religiosa dos outros e também aplicar os pontos positivos de sua religião em sua própria via, para o bem da sociedade.
    Abração!

    ResponderExcluir
  29. Fique tranquilo Cristiano, pois eu entendi e concordo contigo. Na verdade, fico até feliz quando alguém "de fora" expõe da forma como você fez, pois aí os "gospéis" ficam em situação complicada: Não podem clamar pela razão, pois você a utilizará de forma mais coerente que eles, e nem podem usar a Bíblia, porque não a sabem usar.
    Mesmo assim, fico mais feliz ainda em perceber que você está lendo o blog do Pr. Renato e que não tira o todo por um grupo.
    Forte abraço.

    ResponderExcluir
  30. Caro Renato, qual a melhor música, a mpb? Acho complicado alguém querer dizer que tipo de música é boa ou não, sonda como autoritarismo. Não posso querer que os outros gostem de jazz contemporâneo, como eu gosto.
    Quanto à música com temática cristã, penso que devemos julgar o conteúdo das letras, não o ritmo.
    Há que se notar que existem músicas para diferentes ocasiões. Existe a música para adorar e engrandecer o Senhor no culto, as músicas cristãs que são para evangelismo, outras, para a diversão mesmo. Qual o erro de um cristão se alegrar com uma música? Desagrada a Deus? Você não se alegra ouvindo uma boa MPB, feita por não-cristãos debaixo da graça comum (que acredito)?
    Porque então é errado a pessoa gostar de algum estilo musical, e que ainda fala do Senhor?

    Isso é difícil entrar na minha cabeça, você ouvir música mundana ( eu ouço alguns artistas também), o que é algo polêmico no "meio evangélico", e critica quem ouve ou faz música com temática cristã em ritmos variados.

    Ouvir uma música falando de abandono da esposa, de traição, de falsos deuses, de bebedice - como abunda na música popular brasileira - não desagrada a Deus, agora, ouvir um funk, ou samba, ou reggae, ou baião, que traz no seu bojo referências claras a Jesus Cristo, sem ironias, desagrada a Ele?

    Penso que não.

    Mas uma coisa é certa, tirando as questões de gosto, relacionadas à música, tipo de cabelo, roupa, todos os cristãos devem ler a Bíblia e seguí-la, andando em santidade, orando, jejuando e amando a Deus e ao próximo!

    Grande abraço, na fé, Broder James

    ResponderExcluir
  31. Acho o funk um ritmo agressivo e insuportavel. Não gosto.

    ResponderExcluir
  32. Nossos preconceitos nos tornam cegos.
    Somos só pessoas cheias de ódio.
    Procurei na letra algo que levasse a violência e ao sexo e não achei.
    Ah, a origem é essa...
    Vamos evangelizar pessoas eruditas, que gostam de música de verdade. Quanto aos que gostam de funk, vamos esperar eles abandonarem este estilo, então poderão entrar na nossa igreja.


    É isso ai Marcelinho. Vamos onde os religiosos nao vão. (se isso for publicado talvez venha com uma rsposta de cólera gigantesca)

    ResponderExcluir
  33. Concordo plenamento com o Renato Vargens. O Funk gospel é o fundo do poço. Eu como músico não gosto do ritmo (esse é gosto), agora quando vejo letras que não acrescenta em nada na vida de ninguém como o exemplo citado no artigo é pra ficar perplexo em saber que alguém em sã consciência consiga gostar daquilo, mesmo que goste do ritmo.
    Caros, cada um tem o direito de gostar do ritmo que melhor lhe convier, mas por favor vamos ser inteligentes, e vamos ter bom senso.

    ResponderExcluir
  34. Pastor a paz do Senhor!!!
    Gostei muito do teu blog, e da materia sobre o gospel funk!
    Postei essa matéria no meu multiply!
    Tentei te add no orkut, mas não consegui!
    fique na paz do Senhor!

    ResponderExcluir
  35. pra mim funk eh aquele estilo norte americano, do James Brown, o baixo bem acentuado... aquilo ali é funk de verdade, não essa porcaria carioca, eh só um liquidificador de batidas sem fundamento...

    ResponderExcluir
  36. Alexandre, porque você acha que a resposta viria com cólera? Essa atitude é incompatível com o cristão. Mas, no mundo gospel, é uma atitude normal e entendo a sua preocupação. Mas, não tire o cristão pelo gospel, por favor. Aqui é um espaço aberto ao debate respeitoso e edificante. Você postou sua opinião e ela deve ser respeitada - coisa de cristão - mesmo que em outros ambientes parecidos com o ambientes cristãos a liberdade de opinião seja censurada pelo dono do lugar.
    Olha, o funk gospel pode até não vir com mensagens de violência ou sexo - até porque, o gospel tenta parecer com o cristão - mas não vem com mensagem alguma. Mas, como alguém será convertido recebendo um convite "Pra se divertir Com Jesus no coração"?
    Talvez você já tenha ouvido falar do Pr Luiz de Carvalho. As músicas cantadas por ele durante a pregação da Palavra criavam o ambiente propício para que o Espírito Santo agisse de forma intensa na vida dos convertidos e daqueles que seriam convertidos. Através de suas músicas com altíssimo teor cristão/bíblico, muitas pessoas se sentiram movidas em direção a Deus. Tenho para mim que Deus inspirou os compositores das músicas cantadas pelo Pr Luiz de Carvalho. Mas, gostaria de frisar que estas músicas eram cantadas como parte da pregação da Palavra. Não como show gospel de hoje. Músicas edificantes que levavam qualquer pessoa a repensar sua vida.
    Mas, para fechar, já que temos que "nos fazer de loucos para ganhar os loucos", pergunto porque bandas como o Mortification são tão criticadas? Só porque tocam Heavy Metal? O interessante é que suas músicas tem conteúdo cristão bem embasado e eles pregam num meio extremamente resistente ao cristianismo - se fazem de loucos para conquistar os loucos - e mesmo assim são criticados pelos góspeis. Penso eu que o motivo deve ser a letra das músicas: Tem muita Bíblia e pouca diversão...

    ResponderExcluir
  37. Pr.sou uma grande admiradora do seu trabalho,do seu ministério,e de sua pessoa e mediante ao texto lido concordo plenamente que esse tipo de música deveria ser inaceitável na comunidade cristã,o que me deixou um pouco em dúvida é que em outras postagens o sr. é a favor de ouvir músicas mundanas (umas são realmente belas,mas outras citadas são totalmente fora de um conceito cristão)infelizmente não cocordei com a postura de aceitar umas musicas "não cristãs" e banalizar as "cristãs" de rítmos não muito aceitável,acho uma coisa meio incoerente...mas continuarei sendo sua admiradora elendo o seu blog com toda certeza...abraços

    Tattiany

    ResponderExcluir
  38. A Paz do Senhor,

    Tattiany, leia a música abaixo e comente depois sobre ela:

    Você já pensou sobre sua alma / Será que ela pode ser salva? / Ou talvez você pense que quando estiver morto / Você vai simplesmente ficar no túmulo / Deus é só um pensamento na sua cabeça / Ou ele é uma parte de você? / Cristo é só um nome que você leu em um livro / Quando você estava na escola? / Quando você pensa na morte, você perde o fôlego / Ou fica tranqüilo? / Você gostaria de ver o papa enforcado? / Você acha que ele é bobo? / Bem, eu vi a verdade, sim, eu vi a luz / E mudei o meu caminho / E estarei preparado quando você estiver sozinho e assustado / No fim de nossos dias / Será que você ficaria com medo do que seus amigos poderiam dizer / Se eles soubessem que você crê no Deus Altíssimo? / Eles compreenderiam antes de criticar / Que Jesus é o único caminho para o amor / Sua mente é tão pequena que você tem que desabar / Com a sua turma por onde quer que você corra? / Você ainda zomba quando a morte se aproxima / E diz que eles podem muito bem adorar o sol? / Acho que é verdade que foi gente como você / Que crucificou a Cristo / Acho triste que a sua opinião / Tenha sido a única levada em consideração / Você estará tão certo quando o seu dia chegar / Ao dizer que não crê? / Você teve a chance, mas você a jogou fora / Agora você não pode reavê-la / Talvez você pense antes de dizer que / Deus está morto e enterrado / Abra seus olhos e entenda que Ele é o Único / O Único que pode salvar você de todo este pecado e ódio / Ou você ainda zomba de tudo o que ouve? / Sim, acho que é tarde demais.

    ResponderExcluir
  39. Pseudo-funk não é música!!!! É só uma colagem nojenta, de barulhinhos feitos por máquinas, estas operadas por B.I.O.S. (Bicho Ignorante Operando o Sistema), misturadas com um tamborzão de macumba (já foi apontada a semelhança da batida, perdão, "pancadão" - da idéia - do pseudo-funk, com uma macumba sampleada...), e, geralmente, "coroada" por letras pífias. Funk de verdade é o de James Brown, Earth Wind and Fire, Sly and the Family Stone, e similares. Pseudo-funk não é música!!!! Pseudo-funk-gospel não é adoração!!!! É querer fazer DEUS de idiota.

    ResponderExcluir

Caro leitor,

(1)Reservo o direito de não públicar criticas negativas de "anônimos". Quer criticar e ter a sua opinião publicada? Identifique-se. (2) Discordar não é problema. É solução, pois redunda em aprendizado! Contudo, com educação. Sem palavrão! (3) Ofereça o seu ponto de vista, contudo, a única coisa que não aceitarei é esta doutrina barata do “não toque no ungido” do Senhor. Querendo aprender sobre o direito de julgar, leia estes artigos:

Não julgueis para que não sejais julgados. Como é isso?

Julgando os críticos ou criticando os juízes?

O conselho de Gamaliel e o pensamento Cristão

Nele,

Renato Vargens