Carta aberta ao governador Sérgio Cabral sobre a Violência do Rio de Janeiro

Por Renato Vargens
Excelentíssimo governador do Estado do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral.
Apesar de saber que o senhor não se encontra no Rio, visto que pela 26ª vez em 31 meses de governo viajou ao exterior, venho através deste artigo protestar contra o descaso de seu governo para com cidadão carioca e fluminense.

Prezado governador, os homicídios não param de aumentar no Estado do Rio de Janeiro. De janeiro a maio deste ano, ocorreram 302 homicídios a mais do que no mesmo período do ano passado. Segundo o Instituto de Segurança Pública (ISP), órgão do governo do Estado, entre janeiro e maio, foram 2.759 assassinatos, ou seja, 12,3% a mais que nos cinco primeiros meses de 2008, quando foram registradas 2.457 mortes. O boletim de criminalidade divulgado hoje pelo ISP mostra que, neste ano, cresceram os registros dos crimes de latrocínio (roubo seguido de morte), tentativa de homicídio, lesão corporal, estupro e quase todos os tipos de roubo, com exceção do roubo de carga e em coletivos.
Caro Sérgio Cabral, confesso que estou cansado de ouvir tantas noticias ruins. Não agüento mais ler nos jornais ou ver na televisão as histórias trágicas de centenas de pessoas que foram vitimadas por balas perdidas. Até quando famílias inteiras chorarão desesperadas a perda de seus entes queridos? Até quando choraremos a morte de crianças e adolescentes?

Governador, confesso ao senhor que tenho vergonha deste país promiscuo, onde o jeitinho é quem dita as regras. Tenho vergonha dos políticos safados que se locupletam do poder publico, enriquecendo suas contas bancárias lixando-se para as dores dos pobres e miseráveis. Tenho vergonha dos contrabandistas, dos cafetões e cafetinas de colarinho branco, dos que traficam influência, de assassinos, terroristas, corruptos de todos os tipos que transformaram esta nação em covil de salteadores.

Prezado governador, eu quero o meu Rio de volta. Quero um Rio de festa, de alegria, de solidariedade, de harmonia. Quero um Rio de Janeiro a dezembro, quero um Rio seguro, quero um Rio de cores onde o verde, branco, grená, preto, vermelho, se confraternizem nos campos e estádios de futebol. Quero um Rio cujo os moradores independente do lugar que moram, convivam em paz e harmonia. Quero ver um Rio de encantos mil, quero novamente ver o Rio, coração do meu Brasil.

Com dor no coração,

Renato Vargens

6 comentários:

Parabéns, meu irmão. Deus o guarde nesta terra que já foi a "cidade maravilhosa".

Franklin

Anônimo
24 de julho de 2009 23:20 comment-delete

Querido pastor, com um artigo como este é impossível não parabenisa-lo.
Vivemos hoje um período tão difícil no meio evangélico que estamos esquecendo-nos de protestar contra todo tipo de crimes que vem à tempos assolando o nosso povo. E não é só com palavras que devemos protestar não, devemos sim praticar tudo o que falamos. E então, além de gritarmos para que os nossos políticos nos ouçam, estaremos praticando amor e justiça de Deus para com o nosso próximo.
Abraços!!!

25 de julho de 2009 12:39 comment-delete

SOU DO SUL DO BRASIL, DE SANTA CATARINA, MAS QUERO PARABENIZA-LO POR VOCÊ TER CORANGEM DE LANÇAR ESSA CARTA ABERTA AO SR. GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO.
ATÉ QUE FIM QUE APARECEU UM CARIOCA SOFREDOR DE TER A GRANDE SABEDORIA DE PUBLICAR ESSA REVOLTA, PARABENS PASTOR, NÓS EVANGELICOS TEMOS O DIREITO DE NOS MANIFESTAR COMO ESSE PAÍS ESTA TOMADO NA VIOLENCIA.

25 de julho de 2009 22:52 comment-delete

Querido Pastor, seria possivel fazer chegar essa carta aos senhores vereadores do Rio?
Seria possivel fazer uma reunião com eles na Rocinha, ou qualquer outro lugar que mais necessite de seus "representantes"?
Deus o abençoe nessa empreitada. Oramos em nome de Jesus.

Evaristo Lacerda
26 de julho de 2009 17:26 comment-delete

Parabéns, Pr. Renato! Se cada pastor nesta cidade, comprometido realmente com o ministério que o Senhor lhe confiou, enviasse um carta nestes moldes ao nosso governador e, ao mesmo tempo, pusesse o seu rebanho para protestar junto ao Rio de Paz (não sei se todos os seus leitores já conhecem o movimento), creio que muita coisa já teria mudado em nossa cidade e, porque não dizer, no nosso país.
O lugar de medrosos não é o céu! Ap.21:8

Anônimo
26 de julho de 2009 21:24 comment-delete

O Rio que queremos é o Rio que é mostrado para os estrangeiros e para encher os olhos das pessoas importantes.
Porém o Rio que temos é esse lugar Imundo, Violento, desordenado e etc!!!
De que adianta ter belas praias, museus, monumentos e etc, se vc a qualquer momento pode ser assacinado assaltado e várias otras coisasa que esses malditos marginais fazem!!!
O gverno só quer saber de viajar e conhecer pessoas que os promova na sociedade e encha seus bolços de dinheiro, Tem uns que preferem encher até a cueca....
Isso tem que mudar!!
Luiz

26 de julho de 2009 22:54 comment-delete