domingo, dezembro 28, 2008

Do jeito que a coisa anda, vai ter gente preferindo ser tratado como cão.

Renato Vargens

"São Gonçalo, município do Grande Rio, possui 106,9 mil cidadãos em situação de miséria, de acordo com dados do IBGE. São pessoas que chegam a ganhar menos de um quarto de salário mínimo por mês. O número de indigentes em São Gonçalo, bem como os que vivem abaixo da linha da pobreza segundo estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV), chega a 130 mil”. Jornal O Fluminense em 27/06/2005

“O segmento de artigos sofisticados para animais de estimação movimenta cerca de R$ 4,2 bilhões a cada 12 meses e cresce até 15% ao ano. Jóias exclusivas, guarda-roupa de dar inveja à mais consumista das mulheres e tratamento estético capaz de transformar feras em belas não são mais privilégios de consumidores abastados. Toda essa mordomia está disponível no chamado mercado pet, que só na Grande São Paulo atende 3 milhões de cães e 1 milhão de gatos. Pequena Empresas, Grandes Negócios. 2005.
____________________________________________________________________
Os dois textos reproduzidos acima demonstram um enorme contraste social que vive o nosso país. Na verdade, não se precisa ter uma mente privilegiada para perceber que a sociedade brasileira precisa URGENTEMENTE rever seus conceitos.

Em nossas terras tupiniquins se gasta milhões de reais com os fru-frus e balangandãs dos animais de estimação. Se não bastasse isso, a cada novo dia, novas modalidades são inventadas no desejo único de satisfazer as necessidades de sua majestade, o Pet. Interessante também que neste país de milhares de pet shops, de hotelaria pra cachorros, de xampus especiais, de psicólogos caninos, bem como alimentação de fazer inveja a muita gente boa neste país, milhões de pessoas, passam fome, vivendo abaixo da linha da pobreza, experimentando o caos, a vergonha e até mesmo a morte. A reportagem do Jornal O Fluminense é de deixar qualquer um aterrorizado. A mesma pesquisa, afirma categoricamente que 130 mil pessoas, incluindo crianças, se alimentam somente duas vezes por semana.

Será que você não fica chocado com isso? Pois é, eu fico! Antes que os defensores dos animais se levantem e me execrem, condenando-me dizendo que os seus bichinhos tem todo o direito de serem tratados com “singular humanidade”, aliais, segundos alguns, os animais são “seres humanos” como outro qualquer; é importante afirmar que não possuo absolutamente nada contra estes. Claro que animais, precisam ser tratados com carinho, atenção e respeito, além obviamente de serem bem tratados por seus donos. Contudo, confesso que fico estarrecido em saber que cães e gatos levam vidas de príncipes enquanto o homem criado a imagem e semelhança de Deus morre de fome e frio.

Que pais é este? Já perguntava Renato Russo ná de cada de 90. Que sociedade é essa? Como dizia o poeta: A burguesia fede!

É! meus amigos, parece que o amor de muitos está se esfriando!

Que Deus tenha misericórdia dessa geração!

Renato Vargens
cleber disse...

Pr., o bicho já pegou!
No rítimo que estão as coisas não vai demorar muito pra alguém ter a brilhante idéia de legalizar e ofializar a união entre os bichinhos, ops bichinhos não, são "gente como a gente". No maximo algo paralelo aos humanos.
E mais pr., o sr. sendo obrigado a realizar a cerimônia.
Dizem que as melhores piadas tem como protagonistas personagens portugueses por suas características. Será!?

Anônimo disse...

É verdade, Pr. Vargens!
Os cachorrinhos comiam antes, as migalhas das mesas de seus senhores, e não os manjares com seus senhores. Espero que nós cristãos vejamos como o Senhor que nos dá o valor superior ao de muitos passarinhos.
Um ósculo santo aos irmãos, e cuidado com os cães, segundo as Escrituras.

GILBERT RAPOSO disse...

Já dizia uma música dos anos 70
" troque seu cachorro por uma criança pobre ".

CLEBER disse...

CORREÇÃO: "OFICIALIZAR"

favourite category

...
test section describtion

Whatsapp Button works on Mobile Device only