Bar evangélico, bebida sem álcool, oração e pegação


Ao assistir ao vídeo abaixo imediatamente lembrei-me de Spurgeon que dizia: 

"O diabo raramente criou algo mais perspicaz do que sugerir à igreja que sua missão consiste em prover entretenimento para as pessoas, tendo em vista ganhá-las para Cristo. A igreja abandonou a pregação ousada, como a dos puritanos; em seguida, ela gradualmente amenizou seu testemunho; depois, passou a aceitar e justificar as frivolidades que estavam em voga no mundo, e no passo seguinte, começou a tolerá-las em suas fronteiras; agora, a igreja as adotou sob o pretexto de ganhar as multidões."

Ora, bem sei que muitos dirão:  "que bobagem, isso não tem nada demais, qual o problema do cara ir para balada e unir a ela oração e leitura da Bíblia?"

Spurgeon no século XIX já demonstrava sua preocupação com a igreja de seu tempo. Em um de seus sermões ele contou a história de uma congregação que havia começado uma série de cultos especiais juntamente com encontros sociais. 

Segundo o príncipe dos pregadores, uma dessas noites foi gasta em uma série de inutilidades estúpidas; e dentre outras coisas, Spurgeon dizia que os amigos reunidos brincaram de "dança das cadeiras." 

Demonstrando perplexidade Spurgeon falou: 

"Eu não sei se você entende sobre essa brincadeira, mas pense em ministros do Evangelho e oficiais da igreja brincado disso? "O que será feito em seguida em nossas igrejas? A que nível de absurdo os ministros do Evangelho ainda irão?"

Pois é, se Spurgeon fosse vivo  e soubesse  o que os evangélicos brasileiros em nome de Deus tem feito, ele enlouqueceria. 

O tempora O mores!

Renato Vargens


2 comentários:

Sou um cristão preocupado com a igreja de Cristo e + ou - 23 anos venho acompanhando o declínio de nossa amada igreja. A denominação a qual pertenço é considerada rígida, no entanto, já não há diferença entre o mundo e a igreja. Isso nos aspectos básicos: adoração agora são músicas ruins, reverência agora é selfs durante o culto e isso fora o barulho de conversas paralelas, onde o pregador briga pela atenção dos fiéis, e é normalmente aceito em minha igreja. Por várias vezes pego-me pensando: onde posso adorar Deus de modo respeitoso e reverente, como fazia quando era criança, pois em minha igreja não posso.

11 de abril de 2016 14:19 comment-delete

Mais uma loucura gospel pra entrar na lista das coisas sem noção !!
Abraços aos amigos que estão recebendo palavra reformada, que é Biblica
Forte Abraço Renato Vargens, meu vizinho, sou de Niteroi-Ircarai !! rsrs

13 de abril de 2016 12:42 comment-delete