Fantasmas existem? O que a Bíblia tem a dizer a respeito?

Por Renato Vargens


Volta e meia eu ouço alguns evangélicos dizendo que acreditam na existência de fantasmas e que eles mesmos já testemunharam a aparição de alguns. 

Segundo esses irmãos queridos vultos fantasmagóricos, com forma humana de pessoas conhecidas ou não já lhes apareceram lhes causando grande temor.

Bom, antes de tudo torna-se importante afirmar que aqueles que morrem não ficam perambulando por aí. As Escrituras nos ensinam que ao morrer o corpo volta a terra e o espírito volta a Deus que o deu (Eclesiastes 12:07).  A Bíblia também diz que  “aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo, depois disto, o juízo” (Hebreus 9. 27). Portanto, segundo a persepctiva bíblica  os homens morrem e esperam o julgamento de Deus, o que inviabiliza esssa história de que o espirito do falecido fica vagando na terra.

Diante desta afirmação talvez você esteja a perguntar, o que são essas manifestações então?

Primeiro, algumas dessas experiências místicas são frutos da mente de alguém que por motivos diversos acredita que viu um espirito desencarnado. Segundo, influenciado por um misticismo exacerbado e induzido por questões periféricas, o "vidente" acredita que efetivamente aquilo que viu é uma manifestação espiritual. Terceiro, as chamadas visões podem ser fruto de engodo, brincadeiras ou até mesmo golpes de pessoas inescrupulosas cujo desejo é lesar outrem.  Quarto, a visão de espíritos desencarnados podem ser efeito de drogas ou algum tipo de alucinógino. Quinto, 
uma ação exlusiva de demônios.

Prezado amigo as Escrituras nos ensinam que o diabo é o pai da mentira (Jo8:44) e que ele pode tomar a forma de anjos de luz (II Corintios 11:14) ensina tambem que ele é  enganador (I Tm 4:1-2) e principe deste mundo (João 12:31)

Isto posto creio que muitas manifestações dos chamados fantasmas são provinientes de demônios que de modo implacável induzem os homens ao erro.

Termino este post afirmando que fantasmas não existem e que acreditar neles é colocar as crendices populares acima da santa e infalível palavra de Deus.

Pense nisso!

Renato vargens

8 comentários:

Eu já tive o desprazer de ver uma aparição no meu local de trabalho, à noite. Era uma silhueta humana, bastante delineada. Se foi um espírito imundo ou se foi apenas fruto da minha imaginação, eu não sei. Mas com certeza não era um falecido desencarnado.

6 de novembro de 2014 13:03 comment-delete

Interessante observar que nos temos de Jesus já se acreditava em fantasmas. Lembram de quando Jesus veio andando sobre o mar e os discípulos ficaram com medo de ser um fantasma?

6 de novembro de 2014 13:55 comment-delete

Graça e Paz, Pr. Renato.

Tanto na minha família como na do meu marido têm pessoas que acreditam muito em espíritos desencarnados e dizem que veem e falam com eles. Conhecem pelo nome e que esses espíritos são guias, que não fazem mal, só querem o nosso bem e por isso não devemos ter medo e nem reprimir esses contatos. Umas duas semanas atrás, estavam numa roda la em casa falando de suas experiencias com esses espíritos tanto em casa como nos centros que frequentam. Eu calada, só ouvia tudo aquilo, pois como evangélica sabem que não dou crédito no que falam e por isso nem me perguntam o que acho, já pra evitarem algum tipo de descussão ou que pregue a palavra pra eles. As vezes eu e meu marido falamos algo pra eles sobre a palavra e no que acreditamos, mas la vem as palavras de sempre: que acreditam em algo que não fazem mal a ninguém e é melhor do que ta acreditando em pastores ladrões, começam a zombar e ridicularizar. Digo ao senhor, Pr. Renato, que fico extremamente triste com certas palavras muitas vezes agressivas que escuto contra a igreja de Cristo. Vivemos realmente em dias difíceis. “Porque virá o tempo em que não suportarão a sã doutrina, mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências”. Lançar a palavra, lançamos, a colheita é de Deus. Não devemos nos calar ante a essa geração.

6 de novembro de 2014 15:44 comment-delete

Quando minha querida mãe faleceu, há 5 anos atrás, meu irmão foi fazer uma instalação de móveis na casa de uma cliente que ele ainda não havia conhecido e ao se despedir da cliente ela disse que minha mãe estava ali com ela e que estava dizendo para que meu irmão se separar da esposa pois sabia que o casamento dele não ia bem. Realmente meu irmão estava em meio a uma crise conjugal e como servo de Deus apenas ouviu o que a cliente estava dizendo e saiu da casa dela orando e repreendendo aquele espírito imundo. Ora, nem se fosse realmente a minha mãe ali aquela mensagem estaria equivocada. Minha mãe, também serva do Senhor nunca apoiou o divórcio. Cada uma....

28 de setembro de 2015 10:29 comment-delete

Bom dia pr. Renato,
Eu sempre fiquei impressionado com o fato dos discípulos de Jesus terem achado que Ele era um fantasma caminhando sobre as águas, principalmente pelo fato de que, até onde sei, os judeus não acreditam em fantasmas. O senhor sabe responder se os judeus antigos realmente não acreditavam em fantasmas? Deve ter sido um medo momentâneo que fez os discípulos considerarem essa possibilidade?

28 de setembro de 2015 11:29 comment-delete

Não acredito em fantasmas! Morei em um sítio por 15 anos! Saíamos e chegávamos a qualquer hora e nunca vimos nada, sendo que os moradores diziam ter isso ou aquilo, e todos os barulhos estranhos íamos averiguar e tinha um motivo, menos fantasmas!

28 de setembro de 2015 19:33 comment-delete

Muito boa explicação

12 de julho de 2016 17:57 comment-delete

Quando eu tinha 13 anos, vi um homem vagando pela escola que eu estudava. Só eu o conseguia ver, eu estranhava o pq mais ninguém o via, pois o mesmo estava descalço, sujo de terra e com as roupas rasgadas. Ele parecia querer que o seguisse, assim o fiz. Ele me levou até uma parte da quadra da escola, onde era um pequeno terreno, isolado com um portão q sempre ficava trancado. Ele apontou para o chão e ficou parado, olhando pra mim. Tinha duas amigas comigo, e quando disse o q ele estava fazendo, uma delas foi chamar o diretor da escola. Nesse momento o rapaz que eu via virou as costas, saiu andando e desapareceu na minha frente. O diretor veio com uma pá, mostrei o local que o rapaz havia mostrado, e ele começou a remover a terra. Ele nos mandou ir para o pátio da escola e para mandar todos q estavam na sala q dava para ver esse terreno, ir para o pátio. Logo após vimos policiais saindo da escola, carregando o corpo desse rapaz q vi. Estava envolto em um plástico preto. Ainda hoje não sei o que era, mas eu era usada por Deus, o espírito santo falava comigo.

30 de agosto de 2016 14:15 comment-delete