Aborto é coisa do passado, o que eles querem é o direito de matar uma criança depois de nascida

Por Renato Vargens

Estou chocado com os rumos da sociedade. Uma tendência observada por ativistas pró-vida próximos de estudantes universitários nos EUA, é a crescente aceitação do “aborto pós-nascimento”, ou seja, matar a criança depois que ele ou ela nasceram. Duvida? Acha que é viagem? Por favor leia os textos abaixo:

Aborto é coisa do passado a moda agora é infantícidio. (leia aqui)

More college students support pos-birth abortion ( Leia aqui)

Dupla de especialistas também defendem o direito de assassinar os recém-nascidos (leia aqui

Caro leitor, Ao descobrir que existem quem defende o assassinato de crianças pós nascimento, sou levado a pensar numa frase de Dietrich Bonhoeffer que dizia: "Se conhece a moral de uma sociedade pela maneira com que ela trata suas crianças."

Pois é,  vida humana é um dom de Deus, e não há nada mais criminoso e mais anti-cristão do que o aborto. Afirmo sem a menor sombra de dúvidas que toda e qualquer tentativa de aborto afronta diretamente o Criador  e Senhor de todas as coisas. 

A Bíblia ensina que a vida começa na concepção. Deus nos formou  enquanto estávamos no ventre de nossas mães ("Tu criaste cada parte do meu corpo; tu me formaste na barriga da minha mãe." Sl 139.13). O profeta Jeremias e o apóstolo Paulo foram chamados por Deus antes deles terem nascido ("Antes do seu nascimento, quando você ainda estava na barriga da sua mãe, eu o escolhi e separei para que você fosse um profeta para as nações." (Jr 1.5); "Porém Deus, na sua graça, me escolheu antes mesmo de eu nascer e me chamou para servi-lo." Gl 1.15). 

Textos no BLOG do Pr. Renato Vargens sobre o ABORTO: 

O aborto de anencéfalos é crime e assassinato (aqui)
O aborto e os evangélicos que rasgaram as Escrituras (aqui)
Edir Macedo prega o aborto como forma de planejamento familiar (aqui)
Resposta ao bispo Macedo referente ao seu posicionamento favorável ao aborto (aqui)
No dia das mães diga não ao aborto (aqui)
180, o filme - 33 minutos que mudarão sua opinião sobre o aborto (aqui)

Renato Vargens

0 comentários: