Os 07 principais erros do louvor neopentecostal

Por Renato Vargens

Assim como fiz no texto anterior, (aqui) ao afirmar que acredito que muitos pastores neopentecostais não agem de má fé em defender seus pressupostos teológicos, julgo importante também afirmar que acredito que boa parte dos líderes de música das igrejas neopentecostais  amam a Cristo e desejam de servi-lo com integridade, honestidade e compromisso. Entretanto, em virtude do desconhecimento das Escrituras, além é claro de não terem sido qualificados biblicamente por seus pastores para o ministério de louvor em suas igrejas, cometem erros crassos, os quais tem contribuído com o adoecimento de parte da igreja, como também com  uma  visão equivocada do Cristianismo.

Ressalto também que o propósito deste texto não é criticar ritmos, estilo e forma de louvor, mesmo porque, creio num louvor multicultural, diferenciado por aspectos culturais distintos, cujo objetivo final seja a glória de Deus.

Isto posto, afirmo que proposta desta reflexão é avaliar à luz da Bíblia e da Teologia os sete erros mais comuns cometidos pelos irmãos neopentecostais na condução do período de louvor com música nas mais variadas igrejas no Brasil.

 1-) A valorização da música em detrimento a pregação da Palavra

Boa parte dos denominados cultos evangélicos dedicam muito mais tempo a música do que qualquer outra coisa. Outro dia fiz uma pesquisa no BLOG tentando descobrir a opinião dos leitores quanto aquilo que seja mais importante num culto. Na ocasião eu ofereci duas opções clássicas, isto é, o louvor e a Palavra. Para minha surpresa mais de 60% dos leitores responderam dizendo que o louvor era mais importante. 

Caro leitor, ao contrário dos adeptos do movimento gospel brasileiro, o reformador francês João Calvino via a pregação do evangelho como o centro da vida e obra da igreja. Ele cria que a pregação era central na igreja porque ela era o modo de Deus salvar o Seu povo, até o ponto dele se considerar também um ouvinte: "Quando eu subo ao púlpito não é para ensinar os outros somente. Eu não me retiro aparte, visto que eu devo ser um estudante, e a Palavra que procede da minha boca deve servir para mim assim como para você, ou ela será o pior para mim. ", dizia ele.

Para Calvino a pregação da Palavra era um meio de graça para o povo de Deus - “Quando nos reunimos em nome de Deus”, ele dizia, “não é para ouvir meros cânticos" (diferentemente da nossa geração que valoriza extravagantemente o momento de louvor). Para Calvino, os que desenvolviam tais práticas se alimentavam exclusivamente de vento. Além disso, Calvino cria que a pregação deveria ser “sem exibição”, para que o povo de Deus pudesse reconhecer nela a Palavra de Deus e para que o próprio Deus, e não o pregador pudesse ser honrado e obedecido.

 2-) Antropocentrismo cúltico

 Infelizmente os louvores cantados em nossas reuniões são extremamente antropocêntricos, o que nitidamente se percebe em nossos encontros congregacionais. Se fizermos uma análise de nossas liturgias chegaremos a conclusão que boa parte das canções que entoamos são feitas na primeira pessoa do singular, cujas letras prioritariamente reivindicam as bênçãos de Deus.

Pois é, numa liturgia preponderantemente hedonista, os evangélicos tem feito da música um instrumento de sensibilização a Deus onde objetivo final são as bênçãos do Senhor.

Caro leitor, sem sombra de dúvidas vivemos dias complicadíssimos onde o Todo-poderoso foi transformado em gênio da lâmpada mágica, cuja missão prioritária é promover satisfação aos crentes. Diante disto, precisamos orar ao Senhor pedindo a Ele que nos livre definitivamente desse louvor, filho bastardo da indústria mercantilista gospel, o qual nos tem nos empurrado goela abaixo, conceitos e valores anticristãos cujo objetivo final não é a glória de Deus, mas satisfação dos homens. Da mesma maneira, necessitamos clamar ao Pai pedindo-o que nos liberte do louvor engessado, feito de cabeças baixas e bocas carrancudas, de letras difíceis, de músicas duras, sejam elas importadas ou brasileiras. 

3) Entretenimento litúrgico 

A Igreja não foi chamada por Cristo para promover entretenimento. Charles Spurgeon, um dos maiores pregadores de todos os tempos, afirmou há quase 150 anos, que o adversário das nossas almas tem agido como o fermento, levedando toda a massa. Segundo o príncipe dos pregadores o diabo criou algo mais perspicaz do que sugerir à Igreja que parte de sua missão é prover entretenimento para as pessoas, com vistas a ganhá-las. Spurgeon afirmou que a igreja de Cristo não tinha por obrigação promover entretenimento àqueles que a igreja visitava. Antes pelo contrário, o Evangelho com todas as suas implicações precisava ser pregado de forma simples e objetiva. Todavia, em nossos dias, boa parte dos nossos jovens se reúnem com o propósito exclusivo de se divertir. Para tanto, usam do nome de Deus, fazendo do Criador um tipo de animador onde o que importa no final é a satisfação pessoal. Diante disto, não tenho a menor dúvida que os que agem desta maneira desobedecem escancaradamente ao sétimo mandamento, que é tomar o nome do Senhor nosso Deus em vão. Isto afirmo pelo fato de que as estruturas criadas para alegria de nossos jovens não visam a glória de Deus e sim a satisfação humana. Na verdade os eventos gospel usam o nome de Deus de forma interesseira e egoísta, fazendo dele o protagonista de nossas diversões pessoais.

4- A "pregação" em meio ao louvor

Boa parte dos louvores neopentecostais são intercalados com curtas palavras e pregações que muitas  vezes visam defender a teologia da prosperidade e a confissão positiva. Nessa perspectiva é comum aos condutores  de período de louvor incentivarem aos irmãos a desenvolverem uma espiritualidade focada na satisfação pessoal. Ora, ao contrário do que temos visto e aprendido, o período de louvor com música não foi criado para a nossa alegria e plenitude. Muito pelo contrário, a adoração na "comnnunion Sanctos" visa exclusivamente a glória de Deus.

5- Músicas com letras desprovidas de boa teologia e fundamentos bíblicos

Essa talvez seja uma da principais características dos louvores neopentecostais. Veja bem, vale a pena ressaltar que boa parte dos cantores neopentecostais não compõem canções equivocadas teologicamente por aqui assim desejam. Não. Não o fazem. Na verdade as composições distorcidas de boa teologia se deve ao fato dos músicos não receberem da parte de seus pastores ensinos centrados nas Escrituras.

6- Músicas cujas letras estão desprovidas de doutrinas fundamentais a fé cristã

Uma dos erros mais comuns do louvor neopentecostal é não cantar a sã doutrina. Nessa perspectiva é comum não encontrarmos em nossas letras, ênfases a doutrinas como salvação pela graça mediante a fé em Cristo Jesus, perdão de pecados, arrependimento, volta de Cristo e vida eterna.

7- Ausência de foco na glória de Deus.

Uma das características do louvor pentecostal é o bem estar do homem e não a glória de Deus. Nessa perspectiva as canções cantadas, os louvores entoados ou até as ministrações variadas são eminentemente focadas no brilhantismo humano esquecendo portanto que tudo aquilo que fazemos deve ser feito para a glória de Deus.

Volta as Escrituras:

Penso que os excelentes músicos neopentecostais se regressarem as Escrituras e permitirem com que a Palavra de Deus norteie suas vidas e ministérios a Igreja evangélica brasileira será ricamente abençoada. Acredito que mais do que nunca necessitamos regressar as Escrituras, cantar as Escrituras, bem como viver as Escrituras.

O reformador João Calvino costumava dizer que o verdadeiro conhecimento de Deus está na Bíblia, e de que ela é o escudo que nos protege do erro. Em tempos difíceis como o nosso, precisamos regressar à Palavra de Deus, fazendo dela nossa única regra de fé, prática e comportamento.

Soli Deo Gloria,

Renato Vargens


14 comentários:

Prefiro ouvir Raul Seichas do que alguns gospel de hoje em dia...
Mas graças a Deus, a igreja que congrego, toca muito os hinos da HC com uma nova roupagem, ficam lindos demais, as letras são maravilhosas. Tem coisa mias bonita do que:
"Deus enviou seu Filho amado
Pra perdoar, pra me salvar.
Na cruz morreu por meu pecado,
Mas ressurgiu e vivo com o Pai está."
É o resumo das Boas Novas em louvor, lindo demais...

15 de outubro de 2013 09:23 comment-delete

Pastor, tem sido de muita relevância seus textos. Principalmente p vejo muito amor em suas palavras. Vc poderia ter simplesmente colocado td mundo no mesmo balaio e julgado todos igualmente, mas não fez, como muitos fazem. Tbm acredito que muitos tem um coração sincero, mas uma visão um tanto equivocada. Que nosso Deus continue a abençoá-lo. Grande abraço!

15 de outubro de 2013 11:42 comment-delete

É Pr. Renato, essa é a realidade em quase todas as Igrejas Brasileiras.
Domingo passado estive pregando em uma igreja em Ceilandia Norte, aqui em Brasília, e pude perceber como sua descrição dos erros do louvor neopentecostal é real e atual.
Pr. Renato, cento e vinte anos atrás o Pr. Charles Spurgeon já havia avisado e confrontado essa prática. É como se ele estivesse antevendo tudo que tem acontecido em nossos dias.
Um abraço.
Ótimo comentário!
Parabéns.

15 de outubro de 2013 14:19 comment-delete

Pastor Renato, gostei muito do seu texto. Mas como os ministros neo pentecostais, poderão ver essas falhas teológicas sendo que, somente visam a satisfação humana?

15 de outubro de 2013 17:41 comment-delete

Filipe,

Nem todos são assim. Entre os neopentecostais existem muitos irmãos que amam a Cristo. Tenha certeza disso!

Renato Vargens

15 de outubro de 2013 19:17 comment-delete

concordo e ponto.

15 de outubro de 2013 19:33 comment-delete

Pr. Renato, se puder veja esse clipe/parodia. E bem engraçado e mostra bem como as musicas as vezes não dizem nada.
http://m.youtube.com/watch?v=vfBMEct6SVY

15 de outubro de 2013 20:49 comment-delete

Também acho que deve haver quem realmente ame a Deus, só falta conhecer a Palavra Dele e sair do erro!!!

15 de outubro de 2013 20:51 comment-delete

Meu ponto de vista sobre cada tópico, respeitando o ponto de vista do colega:

1 - Deus habita em meio aos louvores, não queremos também somente receber, receber e receber, há momentos de dar algo para o nosso Deus, e lembre-se, é o nosso culto para o nosso Deus, porque então não dar liberdade ao espírito, culto é celebração, estudo é estudo!

2 - Concordo até certa parte, mas quando vc faz deste momento de adoração um momento somente seu, tudo vira uma adoração coletiva, é como aquele "á quem enviarei?", a proposta é lançada no coletivo, nós é que chamamos para nos a responsabilidade......!!!

3- Somente quem tem liberdade com o Pai sabe o que é se alegrar na presensa dele, bem melhor do que buscar entretenimento no mundo é se alegrar na presença dele.

4 - Pra quem não sabe, essas pequenas pregações ou palavras são chamadas de "doxologia", em algumas verções mais antigas da bíblia sagrada vc pode encontar em salmos a palavra "selá", este é um momento em que parava os instrumentos musicais e as pessoas ficavam salmodeando espontaneamente, e quando Deus falava, virava uma ministração linda, então dê total liberdade para o Espirito Santo agir, procure não ser tão teórico, ou teológico, pois a "letra mata", mas a palavra de Deus, essa sim vivifica!!!!

5 e 6 - Não vamos misturar as coisas, a salvação já nos alcançou pela graça, a nossa fé precisa ser praticada e não cantada, porque a fé sem obras ela é morta, o perdão fazemos na horação e o arrependimento está no ato público do batismo, a volta de Cristo é eminente, então o que precisamos entender que a adoração ela não pode ser mecânica, ela tem que vir do coração, e não pegar frazes prontas da bíblia montar e criar uma rima para ficar bonitinho e pronto, não mesmo, é algo bem mais profundo que somente quem tem esperiências sobrenaturais com Deus pode descreve-las em cançoes de adoração. A doutrina é missão do pastor passar para a igreja, a adoração é algo espontãneo, que sai do nosso coração para o coração de Deus. È algo tão importante para Deus que ele faz questão que seja espontãneo, que ele não pede para que o homem o faça, mais é para o homem fazer de livre e espontãnea vontade. Não esqueçam, estudo é estudo e adoração é adoração, não confundam isso. Estudo vc recebe, adoração é Deus que recebe de vc, não seja egoísta querendo aprender dotrina na glória que seria dada somente ao Senhor!!! Adore !!!!

7 - Verdade, aí vc se contradiz, pos no item 6 vc quer cantar doutrina da palavra para sua própria edificação, e depois quer engrandecer a Deus, ou o louvor é adoração para o nosso Deus, ou é estudo de doutrina para a igreja. Eu penso que se Deus permitiu adoração com doutrinas de estudos, é porque os pregadores que seriam os repon´saveis por ensinar não estão fazendo, porque então se preocupar com teologia ou doutrina em meio aos louvores, clero que não concordo com muitos movimento neopentecostais atuais, jamais adimitiria heresias introduzidas nas mesmas.


15 de outubro de 2013 21:16 comment-delete

Irmão Deivid,

Se entendi direito suas colocações, o que você colocou, resumindo, foi que devemos ter liberdade no culto, é isso?
se sim, concordo com o irmão a esse respeito, mas acho que a liberdade não pode ser irrestrita. Sendo assim preciso de uma linha traçada para dizer o que é permitido ou não, esta linha deveria ser a Bíblia.
se for a Bíblia, varias coisas que acontecem hoje em varias igrejas estão erradas, ou pelo menos, não são incentivadas.
Dessa forma, para a saúde da igreja, mesmo que tenham boas intenções, devem ser abolidas, ou no mínimo controladas, porque uma heresias pode começar com uma pequena distorção.

17 de outubro de 2013 07:11 comment-delete

PARABÉNS PELO ARTIGO PR. RENATO, MUITO PERTINENTE, PENA QUE ALGUNS CRENTES NÃO SE ATEM A ESSE ENSINO MARAVILHOSO.

4 de agosto de 2014 17:32 comment-delete

Venho por meio deste deixar minha opinião,quando comecei na fé os louvores entoados a Deus era para Ele, porém nos dias atuais isso estar mudando, o irmão(a) começa até bem, depois chega o estrelato e toma conta das letras musicais, que a parti desse momento é administrado por gravadoras não cristã,onde o objetivo da mesma não passa apenas de financeiro, não dando muita importância para o conteúdo da adoração, descaracterizando o real sentido deste maravilhoso momento e santo momento.
A som livre que o diga!.

2 de outubro de 2015 07:23 comment-delete

Parabéns irmão, seu comentário ficou melhor e mais claro do que o post.

30 de março de 2016 08:34 comment-delete

hoje falei sobre esse mermo assunto.a noite liguei por acaso o computador procurando louvores antigos e encontrei o que eu achava que so eu percebia,sou musico e estou passando mal com certos louvores e falta da palavra..mas deus ainda tem seus verdadeiros instrumentos......

17 de janeiro de 2017 20:07 comment-delete