Pastores que passam necessidades

Por Renato Vargens

Considerar todos os pastores como farinha do mesmo saco além de injustiça é pecar contra o Senhor. Ora, bem sei que existem alguns que vivem nababescamente, contudo, a grande maioria dos ministros do evangelho lutam com sacrifício.  Há pouco conheci dois irmãos em Cristo, pastores de igrejas pobres numa favela de São Paulo que servem ao Senhor com muitas privações. Como eles milhares de pastores nesse enorme país passam necessidades financeiras tendo que trabalhar arduamente em três empregos para sustentar suas famílias.

Hoje, soube de uma história que me cortou o coração e que em muito me deprimiu. Uma adolescente, filha de um pastor, queria uma bicicleta, contudo, seu pai não possuía condições financeiras de lhe presentear. Diante disso, a menina não tendo alternativa cortou o seu cabelo vendendo-o para adquirir assim a bicicleta sonhada!

Caro leitor, triste isso não? Confesso que quando soube da história chorei! Imagino a dor que esse pai sentiu por não poder presentear sua filha com algo simples como uma bicicleta!

Pois é, lamentavelmente existem inúmeras igrejas que em nada ajudam seus pastores. Se não bastasse isso, existem outras tantas que tratam dos seus líderes espirituais  com desdém pagando-lhes baixos salários, tratando-os como escravos. 

Ora, fico a imaginar a cabeça de uma adolescente, filha de pastor, que pede ao pai uma bicicleta recebendo  um não como resposta simplesmente pelo fato de que este não tem condições financeiras para lhe presentear. Duro isso, não é verdade?

Prezado amigo a igreja precisa entender que assim como qualquer cidadão o pastor precisa pagar suas dividas, saldar seus impostos, vestir seus filhos, pagar escola, comprar material escolar, e tantas outras coisas mais. No entanto, parece que parte da igreja de Cristo encontra-se anestesiada quanto as necessidades de seus líderes espirituais, mesmo porque, para alguns o pastor não deveria nem mesmo receber salário.

Ora, a Bíblia ensina que quem ministra do altar deve viver do altar. "Não sabeis vós que os que administram o que é sagrado comem do que é do templo? E que os que de contínuo estão junto ao altar participam do altar? Assim ordenou também o Senhor aos que anunciam o evangelho, que vivam do evangelho."

Caro leitor, a orientação do Senhor é clara em afirmar que os que anunciam o evangelho que vivam dele. Além disso, as Escrituras afirmam que os “Os anciãos que governam bem sejam tidos por dignos de duplicada honra, especialmente os que labutam na pregação e no ensino. Porque diz a Escritura: Não atarás a boca ao boi quando debulha. E: Digno é o trabalhador do seu salário” ( Timóteo 5:17-18)

Diante do exposto, acredito que a Igreja de Cristo deva tratar com amor, respeito e consideração àqueles que no Senhor os tem presidido. Lidar com desdém  e desprezo o salário de homens de Deus que dedicam suas vidas a oração, ensino e pastoreio de vidas é opor-se aos ensinamentos dos apóstolos.

Pense nisso!

Renato Vargens

2 comentários:

Aqui onde eu moro,pastor,são todas as pessoas que vivem assim.A iscasses de trabalho prejudica e muito o nosso povo. Infelizmente essa é a realidade do nosso querido estado do Ceará.

5 de junho de 2013 18:59 comment-delete

A Paz Pastor. Compactuo com vosso pensamento, mas nos dias atuais é mais que complicado colocar na cabeça dos irmãos essas coisas. Ate porque muito dos pastores nao vivem exclusivamente do dedicar se ao evangelho, deixando a igreja aos cuidados de segundos e so ministrando aos domingos. Infelizmente sao poucos os que vivem uma vida de oração e de visita as ovelhas. Talvez por isso e, pelos escandalos ja anunciado pela mídia (e isso ela faz com destreza) os irmaos acham desnecessario tal contribuição. Tambem existe o fato de que tudo que se arrecada é levado a uma igreja sede e cabe a esta fazer uma justa divisão de salarios compativeis a necessidade individuais de cada membro responsavel por determinado campo. Esta é minha opinião. A Paz

10 de junho de 2013 16:36 comment-delete