sexta-feira, abril 06, 2012

Urgente! Um grave motivo de oração

Por Renato Vargens

O meu amigo, Mário de Freitas, encontra-se desde  3 de abril no Sudão do Norte. Mário preside a MAIS que é uma organização que apoia a Igreja sofredora.

Bom, Mário me informou que há poucos dias o presidente  sudanês determinou um prazo para que os cristãos deixassem o país. A data estipulada foi 08 de Abril . 

Mário também me disse que  os pastores sudaneses tem tentado nos últimos dias encontrar a linha emocional correta entre a fé e o desespero. Na verdade, ninguém sabe como serão os próximos dias. Não sabem se os filhos poderão seguir normalmente na escola. Não sabe se as esposas estarão em segurança nas ruas e nos mercados. Não sabem como e onde estarão os irmãos de fé.

Alguém chegou a questionar por que eles não iriam para o Sudão do Sul, se lá gozariam de maior segurança. As razões são três. Primeiro, todo processo migratório coletivo é extremamente difícil. Os preços no sul aumentaram absurdamente, após a emancipação do país. Há muitos estrangeiros, funcionários de organizações humanitárias, diplomatas e negociantes, o que também inflaciona. Se todos vão para o mesmo lugar, é natural que se gere concorrência naquele destino.

Segundo, a questão do vínculo afetivo é importante. Muitos cristãos pertencem etnicamente ao Sul, por serem filhos de tribos daquela região, mas nasceram e cresceram no norte. Têm uma vida aqui em Khartoum. É aqui que seus sonhos foram gestados, aqui estudaram, aqui conheceram seus cônjuges. Não querem sair de casa porque estão em casa.

Por último, o motivo que poucos entendem: há toda uma questão étnica em jogo. Muitos cristãos do norte são árabes – não são originários de raças tribais negras, do sul do Sudão. Eles são ex-muçulmanos convertidos ao cristianismo, o que constitui, por si só, um crime mortal. Esses irmãos não podem se identificar no norte, mas não teriam espaço no sul, pois são naturais do norte, do país que tem sido historicamente o opressor.

Caro leitor, diante destas informações resta-nos orar pelos nossos irmão sudaneses, rogando ao SENHOR  da Glória que os livre do mal.  Além disso, está rolando também uma campanha no twitter pedindo liberdade no Sudão. Vamos levar a a TAG  #sudaolivre  ao top 10 mundial e com isso pressionar o governo sudanês a não promover uma chacina aos cristãos.

Renato Vargens
António Jesus Batalha disse...

Passei e vi seu blog e gostei, quero deixar um convite: Isto é, se o desejar, gostava que fizesse parte dos meus amigos virtuais no meu blog Peregrino e Servo, mas não se sinta coagiado a seguir, faça-o porque quer fazê-lo. É um blog evangélico, falamos de várias coisas, e é a intenção ajudar a cada pessoa a ser mais feliz, este blog foi feito a pensar na sua felicidade, pretende também aproximar mais a criatura do seu Criador.Decerto vou retribuir. Obrigado.

Luiz Felipe disse...

E, havendo aberto o quinto selo, vi debaixo do altar as almas dos que foram mortos por amor da palavra de Deus e por amor do testemunho que deram. Ap, 6:9.

Que estes irmãos não encontrem o mesmo destino de tantos outros que na história deram a sua vida pela causa da fé.
.
Minha oração é que estes e suas famílias sejam encontrados em paz e segurança, que o Senhor toque no coração destas autoridades pois toda a autoridade vem do Senhor e que a Palavra de Deus cresca cada dia mais neste país.
.
A paz.
.
Luiz Felipe

Carla Flávia disse...

Querido pastor Renato, eu quero a autorização para publicar este artigo em nosso Blog. Já solicitei ao Pr Leandro (proprietário) a autorização, só preciso da sua.

Parabéns pela iniciativa

Renato Vargens disse...

Carla Flávia,

Pode publicar.

Renato Vargens

Carla Flávia disse...

Obrigada, já postamos.
Deus continue te abençoando.

Marcos Antonio disse...

Compartilhei o texto no grupo Facebook "Stop the Execution of Pastor Nadarkhani in Iran" (http://www.facebook.com/groups/nadarkhani/). Uma outra membro do grupo fez a gentileza de verter o texto para o Inglês.

favourite category

...
test section describtion

Whatsapp Button works on Mobile Device only