Posso namorar um não cristão?

Por Renato Vargens


Qual é o problema? Não tem nada demais. Eu posso evangelizá-lo e levá-lo para a igreja. Vai ver que essa é forma dele conhecer a Cristo! Ah! Que caretice! Isso é palhaçada! Esse tempo já passou!

Pois é, é comum ouvirmos de nossos adolescentes e jovens frases como estas. Para muitos deles não existe o menor problema em namorar um não cristão. Entretanto, o que talvez eles desconheçam é o ensino bíblico de que não devemos nos colocar em jugo desigual com os incrédulos (II Co 6.14).

"Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas?"

Para Calvino, o jugo desigual era nada menos que manter comunhão com as obras infrutíferas das trevas e estender-lhes a destra de companhia. Em outras palavras isto significa estar ligado ao mesmo tempo, lado a lado na mesma canga. É a metáfora dos bois ou cavalos que têm de andar juntos, desfrutando das mesmas práticas, porque estão presos na mesma canga.

Caro leitor, escolher uma pessoa que compartilha da mesma fé e sonhos é fundamental a construção de um namoro equilibrado e saudável. Como escrevi no meu livro "Namoro.com", o namoro deve ocorrer entre pessoas que estejam em igualdade de situações. O fato de existir discrepâncias espirituais pode proporcionar um seriíssimo problema relacional entre aqueles que se gostam.

Do ponto de visto bíblico o namoro entre não cristãos e cristãos é absolutamente desaconselhável. Paulo, ao escrever aos coríntios ordena que um cristão ao se casar, deve fazê-lo “somente no Senhor”. Obviamente isso proíbe o casamento com incrédulos e, portanto, namorá-los.

Vale a pena lembrar o que a Confissão de Fé de Westminster diz a respeito do casamento entre cristãos e não cristãos: “A todos os que são capazes de dar um consentimento ajuizado, é lícito casar, mas é dever dos cristãos casar somente no Senhor; portanto, os que professam a verdadeira religião reformada não devem casar-se com infiéis, papistas ou outros idólatras; nem os piedosos prender-se a jugo desigual por meio do casamento com os que são notoriamente ímpios em suas vidas, ou que mantêm heresias perniciosas”

Pense nisso!

Renato Vargens

Quer saber mais sobre o assunto? Leia o livro "Namoro.com"

35 comentários:

Caro Renato, gostei do post.
É fundamental encontrar alguém para compartilhar a mesma fé, idéias, objetivos, sem esquecer da promessa, caso contrário há de se enquadrar na palavra "dois numa cama, um será levado".
Deus abençoe a todos.

4 de setembro de 2011 17:02 comment-delete

Em princípio, concordaria com você!

Mas,não seria também jugo desigual pessoas de denominações com cosmovisões completamente diferentes? Não traria também graves problemas na convivência familiar e na criação dos filhos?

4 de setembro de 2011 18:13 comment-delete

Saudações em Cristo.
Concordo em partes com o irmão. Mas vejamos.Muitas igrejas orientam que não se deve namorar por muito tempo para que ambos não se abrasem. Mas deixo uma lacuna. Será que todos estão em Cristo? Visto que muitos possuem pesados passados com inúmeras enfermidaddes mundanas. Tenho visto muitos jovens se casando com " crentes " ex, isto ou aquilo, que depois de casados suas vidas se tornaram num inferno, culminando com o afastamento definitivo da igreja. Nossos tempos são outros. Existem muitas qualidades que devem ser avaliadas entre os mesmos. Não basta apenas ser " crentes ". Eu sinceramente, não aconselho sem antes avaliar passado, familia, comportamento, atitudes e outras coisas, a união entre casais na igreja, onde exista a possibilidade de " queda " de uma das partes. Quanto a profissão da mesma fé são situações a serem avaliadas, agora o caráter independente da fé, tem que ser irrepreensivel, qualidade de muitas pessoas que não são " crentes ", mas que falta em muitos " crentes ". A bíblia não muda, mas muitas coisas foram escritas, para aqueles tempos, que devem ser avaliadas com sabedoria em nossos tempos. Como: " olho por olho e dente por dente ".

abraços

4 de setembro de 2011 20:24 comment-delete

Acaso andarão dois juntos, se não estiverem de acordo?
Amós, 3:3
A palavra de Deus nos alerta claramente, para que não entremos em jugo desigual com pessoas que não compartilhem da nossa fé, acredito que é mais fácil "desconverter" alguém do que converter.
Devemos estar atentos à palavra de Deus, assim ele nos dará a direção em todas as áreas de nossa vida!
A paz Pastor Renato!

4 de setembro de 2011 23:02 comment-delete

Pastor Joceli Antonio Schossler, saudações.

Quando se adere ao pensamento do evangelicalismo contemporâneo, que relativiza as Escrituras, o pensamento torna-se esse mesmo: “Quanto a profissão da mesma fé são situações a serem avaliadas, agora o caráter independente da fé”. E isso é lastimável! Pois a própria Escritura defende a matéria fundamentada na paridade da fé e não no caráter (caráter, para as escrituras é consequência e não causa: dito de outro modo, é a fé em Cristo que molda nosso caráter e não nosso caráter que faz-nos ter fé em Cristo). E se a Escritura assim se posicional, deveria eu procurar outro ponto de vista?

Também, quando não é feito um estudo acurado das Escrituras, fazendo – por exemplo – uma distinção elementar quanto aos três aspectos da lei, o pensamento vai sempre se estabelecer assim: “A bíblia não muda, mas muitas coisas foram escritas, para aqueles tempos, que devem ser avaliadas com sabedoria em nossos tempos. Como: ‘olho por olho e dente por dente’”. Também é lastimável, porque outorgo à minha “sabedoria” a competência para decidir sobre verdades absolutas.

Um abraço carinhoso,
Marcos Rogério.

5 de setembro de 2011 14:32 comment-delete

TESTEMUNHO


Eu quero deixar aqui meu testemunho não para refutar suas palavras Pastor, mas para que não haja certo exagero por parte de muitos crentes e lideres quando o assunto é namorar alguém que não compartilha da mesma fé que a nossa. Conheci meu namorado (hoje noivo e em dezembro se Deus quiser estamos nos casando), e ele era ateu. Vinha orando a Deus por alguém, pois dentro da igreja já tinha me decepcionado muito com o caráter de alguns que de crente só tem o nome, não querendo desmerecer a todos, pois acredito que exista muita gente séria e compromissada, mas no meu caso, não tive sorte. Então conheci uma pessoa maravilhosa, que me respeitava e que me mostrou que mesmo não querendo Deus, tinha valores que não tinha visto dentro da igreja com alguns rapazes e ex. Falava sempre a ele do amor de Deus, ele refutava, zombava e isso me deixava triste, um pouco confusa, mas sempre sentia que ele era a pessoa que Deus colocou em minha vida, por detalhes que em secreto conversei com Deus. Meu noivo era uma pessoa deprimida, triste e sem expectativas na vida. Então comecei a orar, jejuar e colocar ele diante de Deus. O convidava pra ir à igreja, ele sempre dizia que não queria, então continuei orando e jejuando, não chamava mais. Um dia ele me veio com uma conversa que ia tocar numa banda, eu já fiquei de orelha em pé, porque ele era metido a roqueiro, só que pra minha surpresa era numa igreja, um amigo dele que também era ateu, tinha se convertido e o chamou e ele aceitou para tocar no ministério de louvor, mesmo deixando claro que não aceitaria a Cristo, fiquei na minha porque sabia que Deus estava trabalhando (Mesmo orando e jejuando fiquei surpresa de ele ter aceitado tocar no louvor numa igreja..rsrs). Ele começou a freqüentar a igreja que também é batista como a minha, e tocar no grupo de louvor, chegava me falando que não ia poder mais fazer certas coisas do mundo, por causa da reputação da igreja, que o culto de doutrina do pastor era muito bom, e isso já foi me alegrando (agradeço a Deus pela vida do pastor a qual hoje sou ovelha também, por não restringir sua entrada no louvor por não ser crente). Um dia eu olhei e disse: vamos hoje à minha igreja? Ele disse: vou!!No decorrer do culto ele muito tranqüilo ouvindo, já quebrantado, aceitou a Jesus ali mesmo em minha igreja e muitos ali que tinham até deixado de falar comigo por namorar ele viram que Deus age como quer em nossa vida, quando confiamos Nele e em suas promessas. Eu poderia ter terminado com ele, como muitos me disseram, ouvi muito: ele não é pra você, não é de Deus, é ateu, vai fazer você ir pro mundo, que alguém tinha dito em oração que ele não era pra mim e tals, mas sinceramente quando estamos apaixonados não ligamos mesmo não, mas acima disso sempre confio em Deus e em suas respostas. Ele hoje é salvo, a depressão Jesus curou e Deus tem tratado em sua vida a cada dia e agradeço a Deus por ter colocando em minha vida não só um namorado, mas um amigo, companheiro, alguém que veio somar em minha vida e de minha família e hoje as pessoas que mais criticaram dizem que encontrei alguém de Deus. Não to com isso querendo dizer que é certo namorar descrentes, não, pois a juventude hoje tem sofrido com as facilidades do mundo!!Mas, apenas que nem todos os casos sejam vistos com radicalismo, pois Deus tem seu trabalhar na vida de cada um e muitas vezes os costumes dentro da igreja fazem com que certos irmãos queiram se meter demais em nossas vidas como se a gente não tivesse comunhão e intimidade com Deus a ponto de só seguir o coração, causando muita dor e magoa. Acredito que cada caso é um caso, e que certas coisas devem ser olhadas e passadas de forma mais racional e equilibrada, sem estereótipos e preconceitos.

Na paz daquele que sabe o melhor pra nós!!

5 de setembro de 2011 15:38 comment-delete

Pastor Vargens, vou contar um testemunho meu aki q exemplifica o quão o termo "jugo desigual" é amplíssimo:

Tive por um tempo um relacionamento à distância com uma certa moça, ela dizia-se cristã, mas suas atitudes em relação às verdades bíblicas, até mesmo à própria Bíblia e à igreja do Senhor era de tal forma confusa que começou a me fazer muito mal. Deus começou a me mostrar que se eu continuasse com ela, minha vida espiritual iria junto com ela, e eu iria perder toda minha convicção como cristão se me deixasse levar pela beleza e pela conversa dela. Com isso, primeiramente confrontei ela por tudo q ela fazia de errado. Como ela se recusou a me ouvir, decidi por acabar com o relacionamento, era melhor q eu continuar numa loucura daquelas. Nós jovens devemos até nisso ouvir DEUS acima de nossas emoções tolas e passageiras.

5 de setembro de 2011 23:04 comment-delete

Olá Pastor Renato! Bom dia!
Achei muito pertinete sua colocação! Gosto muito de suas postagens, acho que elas são muito edificantes! Porém no que tange a esse assunto, gostaria de fazer uma ponderação:
Quando conheci minha esposa ela era "crente" e eu católico. Nos conhecemos na faculdade e ambos tivemos a certeza de que Deus destinou um para o outro. Enfrentamos diversas dificuldades devido ao "julgo desigual" nos casamos em fevereiro de 2007 e em março passei pelas águas, passamos por diversas tribulações, somos membros da Pib Itaguaí, cedentos pela palavra de Deus e para nossa surpresa ela disse ao seu pai na ultima sexta-feira que se converteu aos 34 anos!
Esse é nosso testemunho! Cada casa é um caso, afinal, quem somos nós para saber ou determinar quais os planos de Deus?
Um abraço dos irmãos Nei e Alda.

6 de setembro de 2011 09:20 comment-delete

Sei lá viu! Conheço um casal em que os dois são evangélicos, tem conhecimento da Palavra, ajudam as pessoas e etc, mas eles como casal não são felizes, ahhh e a história deles no início é linda, você tem certeza que foram feito um para o outro por Deus.
Então esse negócio é bem mais amplo e complexo.
Às vezes chego a pensar que quem coloca esse jugo desigual somos nós.

6 de setembro de 2011 10:35 comment-delete

Saudações em Cristo.

Ao irmão marcos rogerio.

Em primeiro lugar eu e minha familia não precisariamos ser crentes para ter um carater irrepreensivel, o que nos faltava era ter um encontro com Deus. Ter caráter não é necessariamente ser crente, Mas todos os verdadeiros crentes tem que ter caráter. Sempre possui e minha familia também principios eticos e morais. Mas muitas pessoas que vem para a igreja, não existe nela nenhum principio moral em suas vidas, mas que através da conversão que é o verdadeiro nascer de novo, passam a tê-lo. Mas muitas pessoas não sabem o que é isto. Ou seja, continuam praticando os mesmo erros que praticavam no mundo. Não deixaram Deus operar e nem lapidar o seu caráter Não precisei ser crente para saber que é errado, roubar, furtar, enganar, mentir, usar drogas, beber, ser corrupto e outras coisas a mais. Quanto ao olho por olho, dente por dente fiz um comparativo chulo, onde diferentemente Jesus nos manda dar a outra face. Outra coisa. continuo pregando na igreja que fornicar é pecado, adulterar é pecado, prostituir é pecado, mentir é pecado, enganar é pecado, corrupção é pecado, negócio excussos é pecado, agiotagem é pecado, exploração do evangelho é pecado, limpar os bolsos do crente é pecado e outras coisas mais que muitos que se dizem crentes não praticam. Meus filhos são adultos, mas mesmo quando não eram crentes, não bebiam, não fumavam, não usavam drogas, não se prostituiam, sempre foram honestos e trabalhadores. Meu filho se casou com uma moça não "crente " mas de carater,pois era integra, honesta, pura, trabalhadora, sem vicios, mas que não conhecia a Jesus, e que hoje é uma excelente crente pois faz parte de uma familia de crentes. Nunca, jamais tiraria um tíl da Palavra de Deus, mas Deus nos deu a capacidade e a sabedoria de distiguirmos o que esta certo e o que esta errado, o que me convém e o que não me convém, pois eu tenho livre arbitrio de escolha. Prezarei sempre pela estabilidade da familia, pois este é o desejo de Deus. Sou homem de uma mulher só, a 32 anos e apto a aconselhar casais em crise, onde muitos pastores já se casaram duas ou tres vezes e acham normal. " Não deu certo, troca-se ", deixando de observar a biblia sagrada quanto ao casamento. A bíblia nos manda vigiar e sermos espertos. Amém

Abraços.

Jesus Cristo o amor maior

6 de setembro de 2011 12:43 comment-delete

Prezado Renato Vargens, saudações! Apreciei muito o post, sobretudo porque trata-se da doutrina. Devemos sempre nos lembrar "quem é de Deus dá ouvidos à palavra de Deus!" Caso alguém tenha feito diferente do que foi ensinado à Igreja, e Deus em Sua infinita graça e misericórdia ainda assim o abençoou, sede agradecidos, todavia isto não invalida o ensino que é segundo a verdade. Não seja a experiencia do homem que regule nossas consciências e atitudes, e sim a Sua santa palavra.

6 de setembro de 2011 22:17 comment-delete

Olá Pastor Joceli Antonio Schossler.
Saudações novamente.

Em conexão com o tema em pauta (o jugo desigual), o ponto de partida das Escrituras é fé em Cristo, é ser nascido de novo e não “caráter irrepreensível” (poderíamos discutir esse tema numa outra oportunidade pensando, por exemplo, como Deus vê o caráter daquele que está em rebelião contra ele, mesmo sendo moralista).

Diante as Escrituras, só há dois caminhos para o homem: um império das trevas e um reino do Filho, conforme Cl 1.13. Ainda, quanto ao status quo do não-crente, Paulo, tratando da conversão, diz que “Ele [Cristo] vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados, nos quais andastes outrora, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência; entre os quais também todos nós andamos outrora, segundo as inclinações da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos, por natureza, filhos da ira, como também os demais”. Ef 2.1-3).

Conheço ateus, místicos, religiosos, humanistas, etc., que tem um esse certo nível de moralidade citado pelo senhor. Mas estes andam conforme o curso desse século, são filhos da ira, são inimigos de Deus e, portanto, não escaparão do juízo (essa não é minha posição particular, é a posição das Escrituras!).

Aliás, as tuas palavras quanto à moralidade lembram-me bem o jovem rico (Mt 19.16ss)...

Quanto aos itens supracitados que prega contra em sua igreja (fornicar, adulterar, mentir etc), acrescente o jugo desigual, pois esse é o posicionamento de Deus revelado nas Escrituras (tanto no Novo quanto no Velho Testamento).

Agora, quanto ao exemplo de seu filho. Esse é o mais básico do experiencialismo, do pragmatismo e seu slogan “aquilo que dá certo pode”. Sugiro que pense na bondade de Deus que agiu graciosamente convertendo essa jovem. O ponto dessa experiência é a misericórdia de Deus apenas.

E já que não intenciona tirar um til das Escrituras, não tire também o posicionamento dela quanto ao jugo desigual.

Deus abençoe o trabalho do senhor. E lembre-se que a aptidão para o aconselhamento pastoral não está alicerçada na experiência do aconselhador (embora acrescente maturidade), mas em conhecer as Escrituras que é nossa regra de fé e prática dada por Deus.

Que o diálogo produza maturidade em nós.

Um abraço carinhoso.

8 de setembro de 2011 00:35 comment-delete

Saudações em Cristo
ao irmão Marcos Rogério.
As decisões de um homem não partem somente em conhecer as Escrituras mas também o autor dela. A falta de amor O radicalismo, extremismo,e falta de hermeneutica, destroi vidas e familias. E você tem tomado ou ajudado alguém a tomar decisões importantes na vida? Acho que não, pois pelo que percebo o teu "Eu " está acima de qualquer coisa. Você acha que conhece as escrituras? Voce então deveria ser mais humilde. E saber que a arrogancia e soberba desagrada a Deus.
Outra coisa. Moral é qualidade de poucos, e quem não as tem ou não tinha não a valoriza. Estamos viverndo num mundo em que ser honesto é sinonimo de otário. É bom olharmos para trás e ver que não há nada que possamos nos envergonhar de nosso passado. Que andamos com boa consciencia diante de Deus e que tivemos o privilégio de termos aceito Jesus por amor.
Jugo desigual é voce permitir que lobos vestidos de ovelhas venham para igreja destruir as ovelhas verdadeiras. Voce permitiria que um "ex drogado, aidetico, bandido etc, casasse com sua filha ou filho porque "aceitou Jesus " Quem te garante que ele nasceu de novo realmente. Isto se chama prudência, é orientação biblica.Este tipo de gente é o que não falta na igreja. Há muitos com fé em Cristo sem carater.
"aquilo que dá certo pode". Nem tudo meu amigo. Isto não é regra de fé. Isto é prá quem precisa de hermeneutica, o que não é o meu caso.
Até agora voce não deu a sua opinião sobre o assunto abordado pelo pastor vargens? Para você o que é jugo desigual? Gostariamos de saber a sua opinião.
Ia me esquecendo, Evangelizar e entregar folhetinho de casa em casa além de ser gratificante salva almas. Gostaria imensamente que conhecesse meu trabalho e o que escrevo, inclusive fazendo comentários.

atenciosamente,

Jesus Cristo o amor maior

Verdades Cristãs
www.macprjoceli.blogspot.com

8 de setembro de 2011 19:30 comment-delete

Saudações em Cristo

Ao Pr Vargens

Sobre o assunto em questão, quando falei que concordava em partes, expressei um comentário superficial, pois visei apenas um lado e talvez não me fiz entender. Que após este comentário passei a me defender de criticas a minha pessoa como homem e como servo do Deus Vivo. Até acusado de estar em rebelião contra Deus fui. Diante deste fato tentarei expressar o meu entendimento teológico a respeito deste texto bíblico contido em 2º Co 6.14.

O que Paulo queria dizer quando falou em jugo desigual que é o texto aqui exposto.
Paulo em momento algum quando fez esta citação, quis se referir a união estável entre casais, de fé diferente. O uso que fez do termo jugo é retirado de Dt 22.10, onde os israelitas são instruídos a não colocar bois e jumentos juntos no arado, tendo em vista que o boi era considerado puro e jumento não. Além disto, num ponto de vista prático, os dois animais tinham tamanho, natureza e estilos de trabalhos diferentes. O que também não quer dizer que seja necessariamente como alguns interpretam “ crentes e não crentes “
Com relação a cidade de corinto, a história revela que os habitantes eram notáveis pelas associações que tinham, Eles possuíam sindicatos, sociedades e grupos organizados para praticarem de tudo. Cada organização tinha seu próprio ídolo ou divindade protetora. O fracasso em obedecer a um ídolo fomentava a ira da divindade e trazia conseqüências negativas sobre os membros. Portanto, ao formarem grupos ou facções dentro da igreja, que só podia ter um Deus, o Verdadeiro , os corintos adotavam aquele costume idólatra, mesmo afirmando não acreditar mais nas doutrinas pagãs. Evidentemente, os corintos estavam expulsando Paulo de seus corações e desenvolvendo uma afeição perigosa pelos falsos apóstolos. Ou seja, trocando o santo ( Deus ) pelo impuro ( deuses ).
O objetivo de Paulo era combater os falsos mestres que haviam se infiltrados na igreja de corinto, e não a união conjugal de pessoas de fé diferente. A integridade moral de Paulo estava sendo questionada quanto ao destino das coletas de ofertas realizadas.
Em momento algum eu disse ser desfavor a união entre pessoas com a mesma fé. Pelo contrário, é bíblico, é bom, agradável a Deus que os casais professem da mesma fé. Mas quando por motivo alheio a nossa vontade, pessoas com diferentes profissões de fé quererem se unirem inclusive a infiéis da igreja, ao aconselharmos temos que avaliar no mínimo o caráter desta pessoa. Caráter não é base de fé, mas de honra, dignidade, moralidade; qualidades que poucas pessoas tem neste mundo pecador; mas imprescindíveis ao verdadeiro cristão. A minha preocupação é com a família, com o seu bem estar, alicerçada na Palavra, e a fé em Cristo. Quando julgamos as pessoas que estão no mundo estamos sendo juízes, quando julgamos pessoas de profissão de fé diferentes, estamos radicalizando, e por esta medida seremos julgados; mas a bíblia me dá o direito de julgar os irmãos infiéis que estão em nosso meio ( joio) e inclusive nos afastarmos destes ( 1º Co 5 ). É neste sentido que me baseio para aconselhar a quem me solicita, é aos infiéis que me refiro. Espero ter me feito entender.

Pr Vargens, meu respeito, carinho.

Jesus Cristo o amor maior.

10 de setembro de 2011 14:37 comment-delete

Graças a Deus minha esposa não leu esse seu post antes de me conhecer. rsss
Quando ela me conheceu e começamos a namorar, eu não era cristão. Só vim a me entregar a Cristo porque ela me levou a Igreja. Quando casamos eu já era convertido.
Acredito que Deus tinha um propósito quando nos conhecemos e nos colocou um no caminho do outro.
Temos que ter cuidado ao proibir namoro com não-cristãos. E se essa for a vontade de Deus?
Mesmo assim acredito que o aconselhamento aos jovens é ótimo, não discordo do Pr nisso, só que as vezes Deus tem propósitos que não conhecemos.

13 de setembro de 2011 14:32 comment-delete

Eu já não sei de mais nada mesmo!!! Eu vou é acabar ficando sozinho namorar do jeito que Deus quer vai ser quase impossível. Onde vou arrumar uma mulher crente, fiel, sábia com mais de 25 anos, bonita e Virgem!!??? Isso não existe mais, já entrou em extinção!!!! Não sei o que fazer.. Que Deus tenha misericórdia de mim por Cristo!!!!!!!!!!!!

15 de setembro de 2011 00:59 comment-delete

Concordo plenamente com as palavras do pastor Joceli Antonio (li apenas o 1º post dele). O caráter de uma pessoa independe de sua fé, claro que isso não é parâmetro para eu medir o bom desempenho cristão ou não. Afirmo que dentro da igreja não está escrito quem de fato é crente em Cristo Jesus ou não. O homem costuma viver de fora para dentro, causando assim reflexos externos, apenas. Não vejo mais jugo desigual naquele que está fora dos arraiais evangélicos. Cada caso é um caso. Somente o Espírito Santo para nos fazer discernir o certo do errado. Já vi os dois lados, crente e ímpios, onde o "ímpio" tinha atitude e característica de vida cristã reta, enquanto o "crente", era demasiadamente corrupto. E agora? Que Deus nos guarde do engano, esta é minha eterna oração. Um abraço à todos.

2 de outubro de 2011 17:25 comment-delete

Parabéns por esse assunto , até pq nas igrejas , não vemos pessoas preocupadas com o julgo desigual e isso pode causar muitos danos , pq uma pessoa casa com uma não cristã ela da legalidade à abominações entrarem na casa dela por causa do não entendimento da outra .
Abraços e DEUS lhe abençoe

28 de dezembro de 2011 23:02 comment-delete

Analisando o texto e também os comentários, deixo minha opinião (opinião, sem embasamento teológico e/ou bíblico).

1º) Simpatizo com a ideologia do Pr. Joceli. O porquê é simples: não tem como você avaliar alguém pelo simples fato dessa pessoa professar a mesma fé que você.

Professar uma fé é fácil.
Vivê-la, por outro lado...

E nesse ponto é que reside os espinhos: nossas igrejas estão cheias de jovens, partícipes, mas poucos com um verdadeiro "novo nascimento", agregando fé + obras.

2º) Isso deixa ao jovem cristão duas opções:
a) namora alguém não-cristão; e
b) espera em Deus pela pessoa certa (como saber que é a pessoa certa? Não custa perguntar).

Entre essas duas opções, todos sabemos que a B é a correta mas 99% escolhem a A. Ninguém tem paciência de esperar, seja por necessidade sentimental (carência), falta de fé ou outras mais.

Escolhendo a opção A, acabam participando de uma loteria. P
or que loteria? Os testemunhos acima do meu comentário explicam por si.

Vocês manifestaram suas opiniões, dizendo que foram ao encontro da igreja através dos seus respectivos cônjuges. Mas e os demais? Para cada 10 cristãos que namoram alguém que não professa a mesma fé, 9 terminam por se afastar da comunhão da igreja e 1 consegue 'converter' a pessoa amada.

Tá, mas lá em cima você disse que era simpático com a opinião do Pr. Joceli... está sendo incoerente!
Não. Eu sou simpático. Só que contra fatos não há argumentos.

Entre um cristão namorar outro cristão, que professa a mesma fé, mas sem obras, que namore alguém não cristão.

Um cristão sem obras, e vale a pena esclarecer o que eu quero dizer com isso, é aquele que está sempre na igreja, participa de tudo, mas nunca teve um novo nascimento. Da sua boca são proferidas as piores palavras, suas ações são incondizentes com a conduta Cristã, enfim, um lobo trajado de ovelha.

Para mim, mais vale um não cristão com caráter (matéria em extinção hoje em dia) do que um não cristão sem obras. Este é hipócrita. Aquele é autêntico na sua não conversão com uma possibilidade para mudança.

Parafraseando Ap 3:15-16, 'antes fosse frio ou quente'.

25 de janeiro de 2012 03:25 comment-delete

Quando quiserem argumentar façam com a Bíblia e não com experiências pessoais. A Bíblia condena o casamento misto e ponto. Se Deus usou de misericórdia e converteu o incrédulo isso não invalida o pecado cometido.

3 de fevereiro de 2014 21:34 comment-delete

Quando conheci minha Noiva eu não era Cristão... Era do mundo...Nunca tive vícios, nunca me envolvi com drogas.. Eu era um músico, tocava músicas seculares... Ela aceitou namorar comigo mesmo eu sendo "mundano"... Creio que Deus já falava no Coração dela os Planos que ele tinha pra gente... Aos 2 meses de namoro ela terminou comigo... Pois uma Pastora que nem era Pastora dela não acreditava no Plano que Deus tinha na minha vida, Essa Pastora fez ela terminar comigo colocando certas coisas na cabeça dela... Mais a Pastora dela, Pessoa abençoada, Serva de Deus já via em mim um Homem de Deus, ela teve Visão do que Deus estaria pra fazer em minha vida.. Aconselhou minha Noiva que reatasse o namoro comigo.. Daí em Diante fui conhecendo os caminhos de Deus... Buscava ela na porta da Igreja, peguei amizade com seus pastores, sentei no banco e comecei a ouvir sobre Jesus... Hoje Sou um Adorador do Senhor e sempre quero viver para adorá-lo, Graças a confiança e visão que pessoas de Deus tiveram de mim... Davi arriscou sua Vida por suas Ovelhas salvando-as do Leão e do Urso, as vezes temos que arriscar mesmo que as Chances pareçam poucas.. Mais pra Deus nada é impossível...
Hoje estamos juntos a 4 anos... Noivos a um ano e meio... e iremos nos casar daqui a 3 semanas...
Porém fica a dica: Temos que conhecer muito bem antes de se relacionar com uma pessoa...
Conheço muitas pessoas "CRISTÃS" que não merecem uma pessoa do mundo, da mesma forma que em certo ponto de vista uma pessoa do mundo não mereça uma pessoa CRISTÃ...

3 de fevereiro de 2014 21:43 comment-delete

Eu concordo, porém até dentro da igreja há pessoas piores para se namorar. Temos que ter discernimento, Deus me apontou uma pessoa que não era da minha denominação, não era evangélica, mas temente a Deus, com um bom coração, amada pelas pessoas. E muitas de dentro da minha igreja hoje estão em pecado, namorando escondido fora da igreja. Então o cristão tem que estar preparado para o projeto de Deus em sua vida. Não deixe ninguém apontar com quem você deva namorar. Deixa Deus escolher e ele pode escolher você para através de um namoro, salvar uma vida. Mas a pessoa não pode jamais aceitar Jesus por sua causa, é o pior motivo. e sim por que encontrou o amor de Cristo.

4 de fevereiro de 2014 14:21 comment-delete

Exatamente isso minha irmã!

4 de fevereiro de 2014 14:25 comment-delete

Os pensamentos de Deus nem sempre são os nossos pensamentos.
O projeto de Deus em nossas vidas ninguém sabe.
Se Deus uniu duas vidas pela vontade dele de que as mesmas fiquem juntas,
não vai imputar pecado a ninguém. Me refiro a pessoas tementes a Deus, no caso de um ser ímpio eu concordo.

4 de fevereiro de 2014 14:28 comment-delete

Estou passando a mesma situação que passou Teresa... Só que ao inverso, sou cristão e ela é ateia, e curte um rock tbm rsrs...
Passei 6 anos solteiro, e nesses 6 anos sempre orei pedindo à Deus uma mulher de honra e nobreza. Visitei várias igrejas e nada, nunca aparecia, nem dentro nem fora.
Resumindo, sou de SP e fui morar por 1 ano no RS, um pouco antes de vir embora conheci essa guria, ateia, mas com boas qualidades, consciente, respeitosa, descente... Me chamou atenção. Após alguns dias de conversas, (e nessas conversas falei sobre minha caminhada espiritual) pedi ela em namoro, e mesmo em uma época em que as pessoas ficam, ela aceitou de cara o namoro e me aceitou sabendo da minha fé.
Estou namorando com ela vai fazer 2 meses, voltei pra SP e ela ficou no RS, visitarei ela no minimo 1 vez por mes e ela virá pra cá em média 1 vez ao mes tbm...
Fiquei feliz, esperançoso quando li seu testemunho. Muito forte, me trouxe bom animo e mais força pra orar e acreditar que pode sim ter um mistério, um propósito de Deus em nossas vidas... Pois vejo qualidades nela, humildade, que muitas vezes não encontrava em pessoas dentro das igrejas.
Penso no exemplo de Paulo que perseguia cristão, e onde abundou o pecado abundou a graça, se converteu e foi muito usado por Deus.
O testemunho de vcs é forte, pelo menos pra mim, pois partilho da mesma realidade que tu passou. Pode ter certeza que esse testemunho serviu muito pra mim e espero ter a mesma sorte que vc, que ela aceite a palavra divina e ao Messias.
Fico na fé, na esperança e na paz que Jeová pode sim ter um mistério e um propósito nas nossas vidas, assim como foi na de vcs!
Que nosso Eterno Criador vos preencham de sabedoria e paz, sempre!
Leve adiante esse testemunho, pois assim como eu, alguém pode estar precisando de um estimulo, uma positiva, um bom exemplo!
Abraço à voces.

7 de março de 2014 23:45 comment-delete

Post abençoador. Queria saber se Pode haver jugo desigual entre cristãos causado por diferenças gritantes de incompatibilidade pr Renato?

19 de dezembro de 2014 02:20 comment-delete

Sim Pode sim.

Abraços,

Renato Vargens

19 de dezembro de 2014 07:12 comment-delete

Cristão pode namorar ateu , e ateu pode namorar cristão sim
O casamento para dar certo tem que ter uma base de respeito , meu marido é cristão , frequenta igreja , toca no louvor , e eu sou ateista, por muito tempo o acompanhei na igreja ,e ele sempre soube a verdade que eu vivia , não sou uma ateista que quer impor oque eu penso e nem ele um cristão chato que ofende e seleta as pessoas , ele me respeita assim como eu o respeito , somos muito felizes , o impeço de viver sua vida na igreja e nem ele me impede de pensar , e realizar minhas atividades , para mim um julgo desigual seria uma pessoa boa ter um relacionamento com uma pessoa nem tão boa ou com genios fortes que não aceitam outras opiniões , nem é sempre que voce vai achar na sua igreja o amor da sua vida , e nem sempre ele vai ter os mesmos pensamentos que vc , conheço infinitos casais cristãos que são completamentes infelizes um com o outro.... gente a base é respeito , a base e o amor , é saber dividir as coisas , e dar espaço para o outro ... sejam felizes

13 de julho de 2016 14:20 comment-delete

Olha quando se trata de vida cristã não existe caminho fácil, qualquer decisão tomada e o caminho das pedras, sou batizada ha alguns anos, e namoro com um não cristão, so que esse ano decidi me firmar de verdade, ele tem bastante qualidades, mais tem essa incompatibilidade,até vai em alguns cultos comigo, mais não demostra um real interesse, já conversamos sobre o assunto e ele disse que não pode batizar sem entender direito como funciona, por um lado tem razão, eu já estive do lado que ele está, mais por outro sei que e bem difícil que se converta, ele acha que dizer que crer em Deus suficiente, que ele ser bonzinho adianta, não quero pressiona-lo, mais me entristece saber que ele talvez nunca siga o meu caminho, já me falaram varias vezes pra terminar, no fundo sei que e o certo, mais por outro lado tenho ciência de que não estou pronta pra passar a vida inteira sozinha, só consegue passar a vida inteira sozinho, quem tem um real encontro com Deus, coisa que ainda não tive, na minha igreja não tem rapazes, eles insistem em pregar que Deus envia a pessoa de Deus, tenho duvidas em relação a isso, pois conheço algumas mulheres ficando pra titia, não quero terminar pra daqui uns tempos está ficando com alguém, ate mesmo pior, que não preste, ou cair no julgo desigual de novo, e nem virar uma solteirona frustada, mais se eu casar com esse rapaz devo casar ciente de que ele possivelmente não se convertera, quero casar justamente pra não viver no pecado, a minha colega obreira me disse fulana tem mais de 40 anos está solteira e nem liga, affs cada um e cada um, meu conselho e se você consegue e quer esperar então espere, mais consciente de que pode ser que o rapaz que você tanto espera da mesma denominação, nunca apareça! pois o numero de mulheres na igreja e maior, meus pastores entram solteiros e não demoram tanto pra arrumar uma namorada, esteja pronta pra encarar uma vida de cristão sozinha, a alguns meses não vivo no pecado, meu namorado so aceitou porque estava acostumado a ficar sem relações sexuais, pois quase não arrumava ninguém, estou ciente que pode chegar o momento que ele vai cansar, mais so peço a Deus que eu viva um dia de cada vez e me de forças pra resistir...

10 de agosto de 2016 14:14 comment-delete

Pr Marcos Rogério

Nossa, estou conhecendo esse post hj mas tô vendo há quanto tempo foi escrito e ainda é contemporâneo.
Li quase todos os comentários.
Sou cristã nova (ainda não me batizei) mas o post do pastor e verdadeiro.
O motivo de minha busca por ele foi o fato justamente de estar namorando um ateu.
Sou separada e já vivi um casamento em.que recebia críticas por ser cristã e olhe que meu ex marido ainda chegou a aceitar Jesus e ir a igreja etc...hj se denonimina ateu novamente.
Meu namoro e recente e tb parti da premissa que importa o caráter, não ser radical etc etc.
Entendo que o pastor disso e a mais pura verdade, relacionamentos entre casais de fé diferente que deram certo, está unicamente a misericórdia de Deus.
Dizer q "aceitar sua filha se relacionar com.um ex detento" como exemplo é dizer q vc não tem certeza q ele está de fato convertido, e um erro. Hora se não acreditamos na conversão como podemos acreditar na ressurreição???
Bom o fato eh que já estou enfrentando dificuldades.
Temos mesmo o livre arbítrio, tb acredito que em oração posso levar meu namorado a Cristo. Mas com isso estou assumindo os riscos. O que muitos casais nem sempre querem assumir ou simplesmente choram o leite derramado depois.
Há aí o testemunho da pastora eihsyla, hj seu esposo e pastor mas ela sabe o alto preço que pagou por isso.
Deus abençoe sua postage e tb aos irmãos que compartilharam seu testemunho, e encorajador.
Porém não sei se estou disposta a pagar o preço ou pra ver novamente. Nao sei se estou de fato preparada. Mas confesso que eh uma decisão muito difícil. Escolher Jesus não eh dificil, eu o amo e o quero em minha vida e não quero que nada nos separe, mas o difícil msmo e caminhar com ele.

Deus abençoe a todos

21 de agosto de 2016 20:42 comment-delete

Errata: meu comentário destina-se ao irmão Marcos Rogério.

22 de agosto de 2016 17:48 comment-delete

Na minha igreja é uma pastora....ela ficou viuva de um ímpio e agora se casou de novo com outro ímpio ,gostaria de saber se posso continuar congregando nesta igreja (tenho receio de estar em uma igreja que está em pecado) por favor me ajudem.....

6 de maio de 2017 09:40 comment-delete

A palavra diz julgará a árvore pelos frutos. Espero qbDeus revele ao seu coração a decisão correta a tomar.

13 de maio de 2017 21:34 comment-delete

Com toda certeza irmão, eu estou precisando muito de Testemunhos assim...namorei um rapaz não cristão, que apesar de não servir a Deus da mesma forma que eu sirvo, me respeitou até mais do que rapazes "crentes" que namorei. Terminamos por questão de distancia e conflitos religiosos...estávamos quase 2 anos sem nos encontrar pessoalmente...mas continuamos amigos mesmo depois do término. Depois dele eu ainda namorei um rapaz da igreja, mas não demos certo. Porém, ele...desde que terminamos nunca namorou ninguém depois de mim. Semana passada resolvi visitá-lo e pra minha surpresa, fiquei muito nervosa ao vê-lo e ele tbm...ele me falou que nesse tempo que nos deixamos nunca deixou de gostar de mim, mas como tomamos rumos diferentes ele preferiu ficar "na dele". E o mais interessante é que para ter sido um namoro de curto periodo e que nunca houve nada carnal entre nós tanto eu quanto ele nunca deixamos de nos gostar...por isso penso "Será que é de Deus?" Mas tenho medo de arriscar porque na época foi muito dificil pra mim, fui muito julgada por alguns irmãos, e o pior de tudo era quando me falavam que eu iria para o inferno por namorá-lo. Estou tentando tomar uma decisão, estou orando mas ainda não sei o que fazer, gosto dele mas tenho medo de estar agindo errado...o testemunho de vcs me ajuda muito. Obrigada ! Que a graça e a paz do Senhor esteja contigo e que Ele lhe conceda o melhor para ti. 😊

22 de maio de 2017 17:28 comment-delete

Boa noite!Entendo o que o pastor Renato Vargens escreveu mas quero dar o meu testemunho.
Sempre acreditei em Deus mas não era algo que me dedica-se nem um pouco.
Então comecei namorado com a minha atual namorada, fui na igreja para conhecer os amigos hoje sou amigo de todos eles mas arranjei um amigo para a eternidade e o nome dele e JESUS.
Sei que se por acaso a minha namorada (cristã) não tivesse começado a namorar comigo (na altura não cristão) hoje provavelmente não conheceria Jesus e talvez não estaria batizado.
Não estou a dizer que o pastor Renato Vargens está errado pois agora que estou na igreja tenho a mesma opinião. Por isso vim dar o meu testemunho. Que Deus vos abençoe!

24 de junho de 2017 21:58 comment-delete