O PT e a "burrificação" da educação brasileira.

Por Renato Vargens

Paulatinamente o Partido dos Trabalhadores tem desconstruido os principais valores que fazem de uma nação um país desenvolvido. Lamentavelmente  os pensamentos outrora inquestionáveis relacionados a família, educação, ética e moral têm sido relativizado nos últimos anos por aqueles que em nome do desenvolvimento, incentivam a desconstrução de valores indispensáveis a saúde da sociedade.

Pois é, senão bastasse a famigerada promoção pregressiva,  o Ministério da Educação acabou de distribuir aproximadamente meio milhão de livros cujo conteúdo defende o novo "conceito" da lingua portuguêsa que endossa o falar errado por parte dos alunos. Para o MEC, o fato do professor corrigir alguém na forma com que se expressa, poderá contribuir com  o aparecimento daquilo que denominam de preconceito linguistico, o qual segundo eles, pode ser prejuducial ao desenvolvimento do aluno.

Caro leitor,  Este livro é uma das coisas mais estúpidas que o governo do PT já produziu neste país. Sinceramente a impressão que tenho ao ler este tipo de notícia é que essa corja politica sente prazer na "burrificação"do povo. Na verdade, a sensação que me toma a alma, é que o desejo deste bando nada mais é do que  iludir o povo com mimos e presentes "esmoláticos" impedindo assim que o país cresça culturalmente, proporcionando com isso a perpetução da indústria da esmola, onde bolsas das mais variadas são distribuidas segundo o gosto dos coronéis.

Pois é, como bem disse o Zeca Pagodinho, "Deixa a vida me levar, vida leva eu"

Dias dificeis os nossos!

Renato Vargens


12 comentários:

Pois é. Essa semana, a revista VEJA publicou uma matéria muito interessante o aumento no número de jovens leitores no país. Essa matéria aponta para uma eminente esperança para o futuro da educação de nossa gente. Não bastasse a insanidade do acordo ortográfico de 2008, nossos "excelentíssimos" políticos inventaram mais essa de "cartilha contra o preconceito linguístico". É bem verdade que na comunicação o importante é se fazer entender. No entanto, quando um aluno se depara com uma prova de vestibular ou de concurso, esbarra SEMPRE na norma culta da língua. Eis o primeiro indício de hipocrisia cultural. A verdade é que o PT é especialista em criar ganchos eleitorais. Esse é mais um. Essa história de "aceitar que se fale é errado" é um atenta à inteligência do povo. A língua muda, isso é fato. Mas o "bem falar" é (e sempre foi), acima de tudo, uma fascinante fonte de "beleza estética". Amigos do PT: polpem-me de suas alienações!

18 de maio de 2011 10:41 comment-delete

'Bóra' se curvar e fazer reverência a Alexandre Garcia, des-especialista renomado em Linguística e especialista em confundir a massa ignorante com mitos anacrônicos, colonialistas da Lingua Portuguesa, com sua abordagem obsoleta, retrógrada, autoritária e sem embasamento científico algum. "E TODOS APLAUDE...!!"

Regina
18 de maio de 2011 11:08 comment-delete

Será que as pessoas estão mesmo achando que esse livro possa "ensinar alguém a falar errado?". Em apenas uma página, ele explica o que é a variação linguística. O resto das páginas é como qualquer outro livro didático de língua portuguesa. É lamentável que as pessoas que nunca leram algo sobre a linguística sejam levadas por opiniões de "tudólogos" como Garcia que leem a orelha dos livros e saem cuspindo idiotices!

Ele fala de qual Coréia, a do norte onde ele mesmo já falou que morre gente de fome por regime comunista, ou do sul, que é apenas uma propaganda do capitalismo.

E quanto a China, será que ele não sabe que a grande virada econômica lá só foi possível por conta da PIRATARIA!!!

É Esse Alexandre Garcia é uma GRANDE PIADA!!!!

18 de maio de 2011 11:18 comment-delete

"Sinceramente a impressão que tenho ao ler este tipo de notícia é que essa corja politica sente prazer na 'burrificação' do povo."

Pastor, o Sr. tem a impressão e eu tenho certeza. Não é de hoje que os governos neste país fazem questão de negar ao povo a Educação de qualidade. Eles jogam com esta real possibilidade de que, quanto mais analfabeto, mais fácil de manipular as massas.

Este comportamento se tornou cultural. E o povo, é incrível dizer isto, mas é a verdade, "adorou ser gado". Vida de gado, povo marcado, povo feliz. Este governo do PT apenas tratou a questão de uma forma inusitada: para ganrantir ao gado ser um pouco "mais feliz", ele criou as bolsas. E assim tripudia, manipula, escravisa. E repito, é incrível, o povo gosta.

Há uma espécie de submissão, que ao meu modo de ver é resultante de um fanatismo cujo fator de conversão - que funcionou muito bem - foi o projeto de transformação do Lula em um populista. Tudo isto é muito ruim, estamos a caminho do totalitarismo.

18 de maio de 2011 13:43 comment-delete

Caro Renato Vargens,

Texto certeiro! Publiquei um artigo e o seu link foi lembrado.

http://conversaprotestante.blogspot.com/2011/05/que-regresso-na-educacao-brasileira.html

abs.
Marcos Sampaio
http://conversaprotestante.blogspot.com

18 de maio de 2011 15:42 comment-delete

Gostei do comentário do Alexandre Garcia.

Outro dia, ajudei um colega, que está na faculdade, em um teste para renovar a "carta" de habilitação (sei que o certo é carteira, mas, em S Paulo, muitos falam "carta"), porque ele não conseguia entender o enunciado das questões. Conheço uma diretora de escola que foi questionada por uma colega da Bahia sobre o porquê de uma aluna com péssima leitura e escrita, ter passado de ano. Aparentemente, PT e PSDB (de S Paulo) têm visão semelhante sobre esse assunto.

A burrificação não está sendo feita de supetão, mas aos poucos:
- ontem, um sistema escolar que passa aluno com qualquer desempenho;
- hoje, uma página em um livro de português;
- amanhã....

Joab Barros

18 de maio de 2011 19:51 comment-delete

Meu caro,

Devo discordar do texto. Primeiro, tenho muitas críticas ao PT e ao pessoal de esquerda, porém, não concordo nenhum pouco com o pensamento de direita implicito no texto. Acho que a bolsa dada não deveria guardar relação com a família, e sim, com uma renda mínima para cada cidadão. É o que se faz em qualquer país "decente" do mundo. Engraçado, não vejo ninguém protestar quando o dinheiro é dado para o pagamento dos juros abusivos e aumento dos lucros bancários. E esse é o pensamento evangélico em sua maioria, de direita, egoísta que não pensa no próximo e em sua cidadania.
Segundo, o povo brasileiro não fala errado, pode até escrever errado. A diferença que a escrita segue o padrão, para não dizer o patrão, a fala é dinâmica e tem como função a comunicação.
Precisamos pensar!!! Vamos parar de reproduzir o pensamento das elites "culturais" e globais deste país.

Claudio Nossa
18 de maio de 2011 20:58 comment-delete

Claudio Nossa, perdoe-me por "meter o bedelho", mas a língua não é exclusiva das elites. Em nenhum momento da história o ensino da língua portuguesa fez acepção de classes sociais. Aliás, é o que se tenta fazer agora. Lula 'trabalhou' durante oito longos anos para consolidar uma luta de classes no país.

Acredito que seria mais justo pensarmos como o grande Fernando Pessoa: "a língua é a minha pátria". E a minha pátria não é burra, ela é culta!

O que está em jogo, meu caro, é uma tentativa insólita de uso da língua como dividendo eleitoreiro, aliás, no caso do PT, de manutenção do poder. Isto é tão cristalino que tenho que recorrer ao desgastado anexim: o pior cego é aquele que não quer ver.

19 de maio de 2011 14:00 comment-delete

Caro Ery,

A questão da língua sempre foi um diferencial e uma imposição das classes.
Este assunto é melhor abordado na linguistica, ramo do conhecimento que estuda a língua, e te indico um excelente livro que tem como título: A língua de Eulália. Seria bom se todo brasileiro amasse sua língua materna e reconhecesse nela uma identificação com a Nação, aliás foi isso que o Pessoa quis dizer. lamento que eu não ouça gritos de revolta quando a nossa é deixada de lado pelo uso de palavras estrangeiras, são muitos os itens, buyling, fast food e outros. Acho isso uma hipocrisia! Seria bom se a nossa educação fosse de boa qualidade, e que todos os brasileiros tivessem acesso a língua do PATRÃO, assim não seriam discriminados ou reconhecidos pela fala. O que não se pode admitir é que a lingua escrita, gramática, seja igual a língua falada.
Paz e Graça!! E que a gente não seja guiado pelo espírito das Elites, e sim, pelo de DEUS!

Claudio NOssa
23 de maio de 2011 13:34 comment-delete

Concordo plenamente com as suas palavras!

23 de março de 2013 23:33 comment-delete

Concordo plenamente com as suas palavras!

23 de março de 2013 23:33 comment-delete

Concordo plenamente com as suas palavras!

23 de março de 2013 23:35 comment-delete