O assustador crescimento do Islamismo!

Por Renato Vargens

Há pouco estive nos Estados Unidos e impressionou-me o fato de ver dezenas de mulheres mulçumanas vestindo  burka nas ruas. Na verdade, tenho visto isso em muitos outros países que tenho visitado. De continentes e contextos sociais diferentes Islamismo tem se multiplicado assustadoramente.

Pois é, o islamismo é a religião que mais cresce no mundo atualmente - e no Brasil não é diferente. O problema é quantificar o fenômeno. O Vaticano anunciou que, pela primeira vez na história, o número de muçulmanos ultrapassou o de católicos no mundo. Islâmicos somam 1,3 bilhão de seguidores ante 1,13 bi de católicos. O crescimento se deve basicamente às taxas de natalidade, mais altas em países islâmicos. Em São Paulo, estima-se em centenas o número de brasileiros convertidos nas periferias nos últimos anos. No país, chegariam aos milhares. O número total de muçulmanos no Brasil é confuso. Pelo censo de 2000, haveria pouco mais de 27 mil adeptos. Pelas entidades islâmicas, o número varia entre 700 mil e três milhões. A diferença é um abismo que torna a presença do islã no Brasil uma incógnita. A verdade é que, até esta década, não havia interesse em estender uma lupa sobre uma religião que despertava mais atenção em novelas como O clone que no noticiário.

A Revista ISTO É em 30/01/2009 publicou uma matéria tratando de especificamente do crescimento do Islã na periferia das cidades brasileiras. A revista conta a história de Carlos, Paulo e Ridson, que se converteram a Alá, e que por conseqüência tiveram seus nomes mudados para Honerê, Malik e Sharif respectivamente. Durante cinco vezes ao dia, os seus olhos ultrapassam o concreto de ruas irregulares, carentes de esgoto e de cidadania, e buscam Meca, no outro lado do mundo. 

Segundo ISTO É,  ao buscar o coração islâmico do mundo com a mente, os jovens acreditam que o Alcorão é a resposta para o que definem como um projeto de extermínio da juventude afro-brasileira: nas mãos da polícia, na guerra do tráfico, na falta de acesso à educação e à saúde. Homens como eles têm divulgado o islã nas periferias do país, especialmente em São Paulo, como instrumento de transformação política. E preparam-se para levar a mensagem do profeta Maomé aos presos nas cadeias. Ao cravar a bandeira do islã no alto da laje, vislumbram um estado muçulmano no horizonte do Brasil. E, ao explicar sua escolha, repetem uma frase com o queixo contraído e o orgulho no olhar: “Um muçulmano só baixa a cabeça para Alá – e para mais ninguém”. 

Caro leitor, há pouco assisti a um vídeo (veja abaixo)  sobre o crescimento dos mulçumanos no mundo, o que se realmente acontecer, proporcionará aos cidadãos deste planeta momentos de extrema dificuldade, visto que, por razões históricas os que professam a fé em Alá são intolerantes com outras práticas religiosas. Isto posto, sou levado a acreditar que o momento que vivemos é emblemático, e que mais do que nunca devemos deixar de lado o triunfalismo ensandecido que domina parte da Igreja Evangélica, arregaçar as mangas, e pregar a toda criatura o Evangelho da Salvação Eterna.

Pense nisso!

Renato Vargens

3 comentários:

Para se pensar no que ocorre aqui e na Europa quando se tira do povo o mínimo de moralidade.

9 de maio de 2011 12:09 comment-delete

Eu só quero entender como um País Democrático de Direito , vê os seus Direitos violados pela intolerância de Nações extremistas como as islâmicas . Por exemplo : Por que o ocidente tem que aceitar o Islamismo , uma vez que o Islamismo não permite o livre acesso à outras Religiões ? Eu afirmo peremptoriamente , que se o Mundo Islâmico abrir ocasião para a propagação de outros Credos religiosos , o Islamismo rui com a mesma rapidez que tem crescido pelo Mundo . O que protege o islamismo é a intolerância , o não aceitar outros Credos religiosos em suas Nações . Eu penso que cada Religião tenha o seu espaço garantido desde que a mesma religião dê o espaço desejado para outros Credos Religiosos . Por que o Ocidente tem que aceitar o Islamismo sendo que as Nações Islâmicas combatem com fúria quaisquer outros Credos ???

O Catolicismo teve um período parecido com o que é o Islamismo hoje . Quantas histórias ouvimos de padres botando pra correr os Missionários Protestantes !!!

Houve uma época na história que o Catolicismo prevalecia pela espada e pela fogueira . O Islamismo adota a mesma prática . Eu duvido alguém pegar uma Bília , entrar num País Islâmico e começar a pregar o Evangelho e alguém ainda voltar a ter notícias deste corajoso !!

Se o Alcorão sofresse os mesmos critérios de legitimidade , como a Bíblia vem sofrendo ao longo dos Séculos , como a Hipótese Documentária , Baixa Crítica , Desmitologização , o Seminário de Jesus , e outras Escolas várias , que a todo tempo tentam colocar em dúvida a Veracidade da Bíblia , acredito eu que o Alcorão a muito tempo teria deixado de ser um Livro sagrado para se encontrar em pé de igualdade com os Livros de Homero ( Ilíada e Odisséia ) .

Esta é tão somente a verdade dos fatos !!!

Carlos Sidnei
9 de maio de 2011 12:13 comment-delete

Carlos,

Muito boa a sua percepção. Concordo com vc!
Abraços,

Renato Vargens

9 de maio de 2011 12:18 comment-delete