A Tragédia da Região Serrana do Rio de Janeiro

Por Renato Vargens

A tragédia da Região Serrana do Rio de Janeiro  é maior catástrofe natural da história do Brasil.

As fortes chuvas que cairam  já  mataram no total 748 pessoas desde terça-feira (11).

 As enchentes na região serrana do Rio de Janeiro já são o quarto maior desastre relacionado a chuvas nos últimos 12 meses no mundo, segundo um levantamento feito pelo Centro de Pesquisas de Epidemiologia dos Desastres (Cred). O Cred, localizado em Bruxelas, na Bélgica, vem compilando dados sobre desastres em todo o mundo há mais de 30 anos.

Caro leitor, diante disto resta-nos clamar ao Senhor Todo-poderoso, rogando a Ele misericórdia, mesmo porque, a previsão para as próximas 48 horas é de muita chuva. Além disso, quero incentivar as igrejas evangélicas a se mobilizarem  juntamente com a sociedade civil e poder público a auxiliarem aos moradores do região serrana do Rio de Janeiro.

Vale a pena ressaltar que a CRUZ VERMELHA está recebendo doações de água potável, roupas, colchões, material de higiene e alimentos não perecíveis.

Clique aqui e veja  outras maneiras de contribuição.

PS: Inúmeras pessoas estão escrevendo (aqui) querendo saber notícias de seus amigos e familiares. Os que puderem divulgar, o façam por favor, os que tiverem informações, escrevam para o BLOG.

Pr. Renato Vargens





32 comentários

  1. Enquanto isso rede globo passando filminho de bruxa, e o povo do rio morrendo e o flamengo comemorando, globo=flamengo, não se importam!

    ResponderExcluir
  2. Onde há problemas sociais,há também ausência de autoridades.

    ResponderExcluir
  3. Olá

    Gostaria de saber se tem notícias da Mary Schultze, se está bem pois ela mora em Teresópolis.

    Abraços

    Marcelo

    ResponderExcluir
  4. amo o rio mais nunca mais saio da mim querida paraiba aqui não tem issso ñ viu.

    ResponderExcluir
  5. estou muito triste com tudo isto q ta acontecendo nessas cidades,aqui a onde moro(ES)tb aconteceu enchente mas ai ta muito mais grave,perde bens é uma coisa mas vida,nao tem nem o que dizer.Estou me perguntando a onde ta o exercito q nao ta ajudando este povo.que o Senhor possa te misericordia e conforte todas essas pessoas.FIQUEM NA PAZ

    ResponderExcluir
  6. estou triste demais com tudo isso que está acontecendo,penso nestas familias q perderam tudo mas DEUS dará força para elas recomeçarem e superar a perda de pessoas amadas,moro em angra dos reis e minha cidade passou por isso tbm,com menos intensidade mas nunca vamos esquecer.
    vamos rezar por todas estas pessoas. aproveitando a oportunidade gostaria de saber se consegue alguma noticia de um amigo muito querido que mora em nova friburgo e sua familia, o nome dele é luiz henrique mendonça, ele é treinador de futebol em um clube de nova friburgo..desde já agradeço.

    susana

    ResponderExcluir
  7. Não há como ver estas imagens e não se emocionar. A gente luta anos e anos para construir alguma coisa e em horas td é destruido.Vemos o abandono por parte das autoridades, politicos que não se preocupam com o amnhã, só se preocupam em hj encher seus bolsos. Não ha preocupação por parte deles proteger as pessoas, preservar o que elas tem. É muito triste, me solidarizo com as familias que perderam seus entes queridos, só o Espirito Santo para consola-los.Um gde abraço a todos.

    ResponderExcluir
  8. o que importa ñ é o que vc tem na vida,mais quem vc tem na vida....

    ResponderExcluir
  9. MARJORY - CURITIBA13 de janeiro de 2011 15:19

    Por gentileza, como faço para ter notícias de pessoas conhecidas que moram em Teresópolis. Não conheço a cidade, só tenho o endereço:
    Av. Melvyn Jones, 800, Obr.

    ResponderExcluir
  10. Nessa hora não esiste palavras mais vim deixar uma palavra de conforta.
    Não percão a fé pois sem fé é impossivel vencer.
    Tenha fé em Jesus só ele pra nos ajudar.
    Deus dará força a todos pois ele é o Deus do impossivel.
    Que Deus abençoe vcs todos que forão vitimas dessa grande tragedia em nome de JESUS CRISTO!
    AMÉM!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  11. É algo sem explicação e que comove todo ser humano...Nesse momento unamos nossas orações em favor daqueles que perderam seus entes queridos.E peçamos a Deus também que todos os habitantes das três cidades sejam fortalecidos nesse momento de desolação.Quem puder ajudar materialmente o faça! Abraço Fraterno.

    ResponderExcluir
  12. Gostaria de informações sobre o condominio 'Retiro da Serra" em Teresopolis.
    att,
    Andréia

    ResponderExcluir
  13. Moro em Nova Friburgo A luz volta aqui na vila amélia no msm dia do desastre ondi moro acho que estou seguro pq aqui é longe de barreiras a agua nãoo chega aqui ensima,mais hoje fui na rua e ta um desastre total fui no hospital e ta igual as guerras gente entra todo ferido sai na chuva gente sendo carrgada na escosta etc ta mt ruim msm quando vc pisa no chão seu pé afunda,muitas pessoas pedindo ajuda um carro intorto e abraço o poste de luz ta muito ruim parece até o filme arrebatamento no transito cidadõs pedindo ajuda para controlar o transito a terra afundo carros no ienf tem muitos corpos conselheiro a agua ta em uns 1 metro e60,até agora pessoas mortas encontradas 168 e no meu palpite chegara a mil pessoas no minimo.

    ResponderExcluir
  14. Moro em Nova Friburgo A luz volta aqui na vila amélia no msm dia do desastre ondi moro acho que estou seguro pq aqui é longe de barreiras a agua nãoo chega aqui ensima,mais hoje fui na rua e ta um desastre total fui no hospital e ta igual as guerras gente entra todo ferido sai na chuva gente sendo carrgada na escosta etc ta mt ruim msm quando vc pisa no chão seu pé afunda,muitas pessoas pedindo ajuda um carro intorto e abraço o poste de luz ta muito ruim parece até o filme arrebatamento no transito cidadõs pedindo ajuda para controlar o transito a terra afundo carros no ienf tem muitos corpos conselheiro a agua ta em uns 1 metro e60,até agora pessoas mortas encontradas 168 e no meu palpite chegara a mil pessoas no minimo.

    ResponderExcluir
  15. Marcelo,

    Segue abaixo noticias da Mry Schltze.

    Abraços,

    Pr. Renato Vargens

    Terê destroçada

    No dia 11 deste, fui dormir, como sempre, às 22,30 horas. Ajoelhei-me, fiz as orações diárias, escutei meia hora de Romanos, na voz do Cid Moreira, e logo adormeci. A filha Rose havia ido para a sua casa, poucos minutos antes. Ela está de férias na FESO e vem me ver em dias alternados, pois sabe que eu me viro perfeitamente sozinha, com os livros e meu “marido” (o computador).
    O prédio onde moro é tranquilo, bem no centro da cidade, a uma quadra da prefeitura. Meu apê fica no segundo andar de um prédio antigo; as janelas estão sempre fechadas, para evitar poluição, e só tomo conhecimento dos acontecimentos trágicos pela TV.
    Infelizmente, Terê quase foi destroçada pelo temporal da noite de 11 deste. Casas de comércio foram alagadas, com muita lama nas ruas e muitos pobres desabrigados. Muitos mortos e feridos, ultrapassando uma centena de vítimas.
    Moro há 16 anos nesta cidade e nunca havia testemunhado uma calamidade assim. Os pobres são os que mais sofrem por causa dos políticos relapsos, que não conseguem impedir as construções nas encostas, muitas vezes recebendo dinheiro para fechar os olhos, segundo denúncias na mídia.
    Graças a Deus, nada aconteceu comigo nem com a família... Só vim saber da tragédia quando saí às 10 horas da manhã de ontem, para ir ao dentista e vi a devastação nas lojas do centro. Depois, a filha Rose me ligou, para contar os horrores, no bairro onde mora.
    A cidade ficou com o comércio e a indústria totalmente paralisados, com os trabalhadores tentando retirar a lama que se acumulava em toda parte. Nunca vi minha cidade adotiva tão massacrada pela natureza e, quando liguei a TV e vi as notícias, fiquei triste e desanimada.
    Recebi e-mails do mundo inteiro (até da África, onde tenho um filho virtual). A filha ligou da Alemanha e outras pessoas ligaram e enviaram e-mails, para saber como eu estava.
    Ontem à tarde, PP trouxe um casal de irmãos na fé e Mario (meu “neto” que mora nos States) também veio. Fizemos uma pequena reunião bíblica, tomamos um lanche e depois oramos. PP é o fundador e diretor do Centro de Pesquisas Religiosas de Teresópolis e Mario é locutor da BBN, na Carolina do Norte. O casal é muito culto na Palavra: o marido, é
    psicólogo e professor da EBD, numa igreja batista da baixada fluminense; a esposa é professora secundária.
    Discutimos religião, psicologia, um pouco de política e, sobretudo, assuntos apologéticos. Assim, durante quase quatro horas esquecemos a tragédia e nos consolamos pela imensa graça e misericórdia de Deus, que nos livrou dessa tribulação.

    Mary Schultze, 13/01/2011 - www.maryschultze.com

    ResponderExcluir
  16. éuma vergonha, Nova Friburgo sofre com o descaso de autoridades a mais de 30 anos sem nenhum investimento em infra-estrutura, em momentos assim a população maispobre é que sofre mais , com perdas de parentes e também para voltar a conseguir o que foi destruido e com conseguido com tanto trabalho. onde estão os responsaveis?
    agora vao dizer que os pobres moravam em encontas, em lugares improprios, sempre a mesma historia e o povo pagando cada vez mais,
    O MUNDO TA DESMORANANDO PELA IGNORANCIA E EGOISMO DO HOMEM.

    FRIBURGO QUE AMO TANTO ACABOU!!!
    MUITAS PERDAS IRREPARÁVEIS

    ResponderExcluir
  17. e muito triste sao muitos os mortos que o Senhor tenha misericordia e conforte as familias que perderam seus entes querido meu DEUS mais uma tragedia precisa acontece para alquem toma alguma providencia lamentavel!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  18. "Anônimo 13 de janeiro de 2011 10:15
    amo o rio mais nunca mais saio da mim querida paraiba aqui não tem issso ñ viu."

    Olha, aqui também não tinha não... mas aconteceu em lugares considerados seguros... nem você aí na Paraíba está seguro, viu?

    ResponderExcluir
  19. ONDE O MUNDO VAI PARAR???

    ResponderExcluir
  20. sou de londrina mas tenho parentes em guapimirim e teresopolis na area atingida graças a deus estao todos salvos estou fazendo oraçoes a deus por todas as faminhas atingidas

    ResponderExcluir
  21. maria luciana putka13 de janeiro de 2011 21:12

    não existe palavras pra falar sobre essa desgraça mais existe fé e é nele que devemos se apegar em deus,so deus pode aliviar a dor dessas familha que perdeu seus enti queridos com amor e solidariedade que nóis devemos ajudar e pedir a deus conforto e amenisar a dor dessas pessoas e com grande dor no meu coraçaõ que escrevo essas pequenas palavras força fé amor no seus coraçoes maria luciana putka navegantes sc

    ResponderExcluir
  22. sou rodrigo passos viana estou preocupado como esta o fischer em teresopolis?

    ResponderExcluir
  23. eu,rodrigo viana, moro na ilha do governador queria saber como estão as pessoas do fischer fiquei sabendo que caiu barreiras sobre casas talvez tenha vitimas que deus abençoe todos.

    ResponderExcluir
  24. "amo o rio mais nunca mais saio da mim querida paraiba aqui não tem issso ñ viu."


    Se fosse você ficava caladinha aí.. Pq. agente não escolhe lugar nem ah hora pra sofre uma tragédia.. Aqui também nunca teve isso..Sua obrigação era posta algo de conforto,não de um suposto deboche..reconheça seu lugar, e respeite as pessoas (y)

    ResponderExcluir
  25. e dificil ve tanto sofrimentos , pois nem tenho palavras pra falar ,so que deus o ilume e der muitas forças ,para cada um ,e que sempre ha uma esperança e um grande deus

    ResponderExcluir
  26. Meu nome é Leandro, moro no interior de Minas Gerais. Vou orar por essas pessoas que estao sofrendo , mas meu amigo, o que tá acontecendo é a palavra de Deus se cumprindo, a Terra está vivendo o que o Senhor falou que em breve iria acontecer , filho contra pai, nação contra nação, a guerra , a fome , e a sede, o mundo em confusão, terremos em vários lugares, Jesus está voltando !!!! AMÉM

    ResponderExcluir
  27. alguem sabe Pedro Muniz ele mora em Nova Friburgo souber de algo estu preucupado

    ResponderExcluir
  28. meu deus abençoa todos q estão em friburgo,e força aqueles que perderam seus familiares,pois deus ñ tem culpa.....

    ResponderExcluir
  29. estou muito triste com tudo isto peço a DEUS que de forças a estas pessoas que estão sofrendo,mas tambem vejo que a uma emisora detelivisão mostrando vinhetas de carnaval( não é hora para se preoculpar com carnaval sim com pessoas que estão sofrendo em teresópolis senhora emisora de telivisão)E que DEUS proteja a todos

    ResponderExcluir
  30. Rodrigo O.C.Barros14 de janeiro de 2011 14:44

    Difìcil é ter pessoa como o rapaz lá da paraíba que aproveita para enaltecer sua região pelo fato de lá não sofrerem com enchentes... em uma hora como esta não existe bairrismo mas, somente o espírito de um único povo que tem como objetivo ajudarem-se nas catástrofes sejam elas vindas em forma de enchentes ou SECAS.

    ResponderExcluir
  31. A todos que ainda se emocionam ,minha solidariedade e pensamentos bons!
    Porémao demagogo governador fluminense e a baratinada presidente da republica,meu cocô e meus vômitos!
    Minha prima,Elizabtete Chimitt Bruns(é casada com um alemão que mora e trabalha numa fábrica de la´),recebeu uma carta,pelo correio_alguns recebm e-mails e /ou mensagens de celular-do governo local australiano,dias antes das enchentes.Saiu de casa,trancou,teve tempo d retirar os pertences ou abriga-los....o PIB do Brasil é de em torno de 3 trilhões,o da Australia,é de menos de 1 trilhão!
    Entenda-se um barulho desses!

    ResponderExcluir
  32. Para q tanta tecnologia se ñ sabemos usar p/ defender o povo.
    A natureza faz sua parte e nós o q deveriamos fazer....

    ResponderExcluir

Caro leitor,

(1)Reservo o direito de não públicar criticas negativas de "anônimos". Quer criticar e ter a sua opinião publicada? Identifique-se. (2) Discordar não é problema. É solução, pois redunda em aprendizado! Contudo, com educação. Sem palavrão! (3) Ofereça o seu ponto de vista, contudo, a única coisa que não aceitarei é esta doutrina barata do “não toque no ungido” do Senhor. Querendo aprender sobre o direito de julgar, leia estes artigos:

Não julgueis para que não sejais julgados. Como é isso?

Julgando os críticos ou criticando os juízes?

O conselho de Gamaliel e o pensamento Cristão

Nele,

Renato Vargens