Caiu a máscara: Dilma Rousseff defende o aborto em entrevista a Folha de São Paulo.

Caro leitor,

Lamentavelmente os politicos agem de acordo com as suas conviniências.

Pois é, acabei de assistir no youtube um video onde a candidata a Presidência da República, pelo Partido do Trabalhadores, a sra. Dilma Rousseff, defende descaradamente a descriminilização do aborto.  O que me assusta, é que essa senhora veio a público durante esta semana afirmando que nunca foi favorável ao aborto.
Pois é contra fatos, não há argumentos!

Que Deus tenha misericórdia de cada um de nós!

Renato Vargens


11 comentários:

Meu Deus !

E ainda querem ela como presidente.

Sim, que Deus tenha piedade de nós.

Solus Crsithus
Matheus Bastos

2 de outubro de 2010 21:49 comment-delete

O problema aqui eh a definicao do termo descriminalizacao. Aborto eh um assunto moral, logo depende fundamentalmente das opinioes religiosas. Porem, existe a separacao de Igreja-Estado, ou viveriamos uma teocracia. Por isso descriminalizacao, evitando a banalizacao por lei.

Anônimo
2 de outubro de 2010 23:21 comment-delete

O que mais me assusta não é a defesa do aborto em si; algo que já está mais do que comum em muitos políticos. O que me assusta é o tamanho da falsidade e dissimulação dessa mulher. Entrevista após entrevista, debate após debate, eu nunca vi uma pessoa se esquivar tanto de argumentos, mentir tanto, se contradizer tanto, e se comportar de forma tão pouco profissional.

Vamos confiar em Deus e entender que Ele está no controle por pior que sejam as situações onde o povo brasileiro se encontrar...

Abraços
Fernando Pasquini

2 de outubro de 2010 23:22 comment-delete

Meus caros Roberto Vargens e Matheus de Medeiros,

Permitam-me apresentar os seguintes esclarecimentos:

a) Quem vota as leis em nosso país é o Congresso Nacional, representado pela Câmara dos Deputados e pelo Senado Federal;

b) Presidente da República não vota leis;

c) A Câmara dos Deputados possui 513 representantes do povo... Desses, no máximo temos 85 evangélicos;

d) O Senado Federal tem 03 senadores por estado brasileiro, sendo que no máximo teremos 10 evangélicos;

e) Qualquer Presidente da República não vai se indispor com o Congresso quando de uma possível aprovação dessas leis ou emendas constitucionais, inclusive estas acerca de aborto e união civil de homossexuais etc...

f) O veto presidencial não é lá muito definitivo não... Pois quando a lei sofre veto, a mesma volta ao Congresso para nova votação e aí, se aprovada novamente, NÃO CABE MAIS QUALQUER INTERFERÊNCIA PRESIDENCIAL, SOU SEJA: NÃO PRECISA MAIS SER SANCIONADA PELO PRESIDENTE PARA PASSAR A VALER. ok? Pois a mesma JÁ VEM VALENDO DO CONGRESSO NACIONAL;

g) Considerando esta REALIDADE, não tem Marina, não tem Zé Serra e não tem Dilma, pois se o Congresso aprovar, tá aprovado e eu duvido que qualquer um deles se disponha a BRIGAR com o Congresso por causa disto, ok? Vocês viram a conversa da Marina: Se houver presbicito para o aborto.... Tudo bem! Mesmo porque ela não vai poder fazer nada, certo?
E quanto à UNIÃO CIVIL DE HOMOSSEXUAIS sabe o que a Marina disse: QUE É A FAVOR... Pois se for aprovada a união civil TODAS AS IGREJAS NÃO PODERÃO MAIS FAZER CASAMENTOS COM EFEITOS CIVIS DE QUEM QUER SEJA, ISTO PORQUE SE FIZEREM SÓ DE HOMEM E MULHERE SERÃO ACUSADO DE PRECONCEITO HOMOFÓBICO CONTRA OS HOMOSSEXUAIS... Entenderam?

h) Para aprovação de emenda constitucionais e ou leis é necessário um número muito superior de votos do que dispõe QUALQUER PARTIDO, assim para passar uma lei dessas ou uma emenda constitucional é necessário MAIORIA SIMPLES OU MAIORIA QUALIFICADA do Congresso Nacional... Em função disto, TODOS OS PARTIDOS VÃO VOTAR e no cômputo geral o total geral de votos virá de deputados e senadores de todos os partidos... Assim DESMASCARADA está a alegação: Não vote no partido tal porque ele vai aprovar essa ou aquela lei ou aquela emenda constitucional. Na realidade esta alegação é uma farsa pois esconde por trás dela UMA PROPAGANDA VELADA para outro candidato e para outro partido.

Portanto, por favor, parem de FAZER PROPAGANDA PARA O CANDIDATO DE SUAS PREFERÊNCIAS, travestida de alertas para não se votar a favor daquele ou daquela candidata...

Duvido muito que no ambiente interno de suas igrejas vocês não estejam a repetir todo essa PROPAGANDA INDIRETA PARA O CANDIDATO DE SUAS PREFERÊNCIAS.... E o pior é que alguns ainda afirmam que não fazem isto!

Roberto Vargens, tenho certeza que você está com boas intenções, mas informo que você está dando crédito à vídeos EDITADOS contra a candidata Dilma e publicando-os como verdadeiros em seu site. Seu site tem um ótimo conceito, nós gostamos dele. Assim, me permita dizer: deve evitar publicação sem comprovação e ao reles sabor da campanha eleitoral.

Minha intenção é só esclarecer de forma que venha a proporcionar posicionamento mais compatível com a verdade.

Por fim, agradeço a atenção dispensada na leitura e publicação de meus comentários.

Atenciosamente,

Almeida
Belém - Pará

Almeida (Belém - Pará)
2 de outubro de 2010 23:33 comment-delete

Ela é muito dissimulada!
Socialista? Desde quando?

Layssa

Anônimo
3 de outubro de 2010 12:10 comment-delete

Caros colegas comentaristas e articulistas deste blog,

Só para lembrar, informo que existem centenas de pastores simpatizantes do voto a favor da Dilma, centenas a favor do voto em Zé Serra e outras centenas a favor do voto em Marina...

Assim e considerando o direito sagrado de liberdade de voto e escolha, sugiro que devemos escolher e votar em candidatos de nossas preferências pessoais absolutamente sem nenhuma interfeência de quem quer que seja... mesmo que sejam nossos patrões, nossos familiares ou mesmo nossos pastores e líderes religiosos...

Por outro lado, como já comentei em texto anterior, postado em 02.20.10, às 23:33h. as leis são aprovadas não pelo Presidente da República e sim pelo Congresso Nacional, que tem seus próprios regimentos internos e constitucionalmente não se submete ao chefe do executivo.

A Marina já declarou que respeita a lei atual e irá respeitar a lei futura nos casos de aborto... Sugere para tanto um PLEBISCITO.

Acerca do homossexualismo, DECLAROU em alto e bom som que apoia A UNIÃO CIVIL DE HOMOSSEXUAIS... Assim, para melhor apresentar minha opinião a respeito, melhor explico o ítem "G" de meu comentário postado em 02.10.10, às 23:33h. dizendo que considerando esta REALIDADE, não tem Marina, não tem Zé Serra e não tem Dilma, pois se o Congresso aprovar, está aprovado e eu duvido que qualquer um deles se disponha a BRIGAR e se INDISPOR com o Congresso por causa disto, ok? Vocês viram a conversa da Marina: SE HOUVER PLEBISCITO PARA O ABORTO... TUDO BEM! Mesmo porque Marina não vai poder fazer nada, certo?

E quanto à UNIÃO CIVIL DE HOMOSSEXUAIS a Marina disse QUE É A FAVOR...

Esclareço que se for aprovada a união civil, AS IGREJAS NÃO PODERÃO MAIS FAZER CASAMENTOS COM EFEITOS CIVIS... POIS TERÃO DIFICULDADES DE O FAZEREM DE FORMA SELETIVA SÓ DE HOMEM E MULHER... Há possibilidadaes de consequências!

Assim, de forma soberana e livre, eu e minha família votaremos sempre sem qualquer ingerência ou atenção a qualquer direcionamentos que não os nossos próprios, resultantes de nossas próprias análises.

Declarando ser sempre um prazer participar com nossas opiniões, desde já agradeço a atenção dos todos.

Atenciosamente,

Almeida
Belém - Pará

Almeida (Belém - Pará)
3 de outubro de 2010 17:48 comment-delete

A flexibilização do Aborto (que o permite em casos de estupro e risco de vida) foi aprovada no governo FHC, com Serra ministro da Saúde.
No governo Lula, nada foi feito sobre isso....

Além do mais, concordo com o Roberto (Belém-Pará) acima, tanto nos seus argumentos, quanto na avaliação de que o senhor, Pr. Vargens, está dando voz a vídeos editados, o que, segundo já expus em comentário anterior,em se tratando de um blog com proeminência quanto o seu, se torna uma arma neste momento de acirramento dos debates.

Este blog está infelizmente se assemelhando muito a outros veículos da mídia "evangélica" que utilizam de uma suposta apologética para difundir um apoliticismo, um debate parcial das questões importantes para TODO o país... e não somente para uma parcela dita "evangélica", que sente predestinada a "tomar posse" do poder...

O Estado é laico.... quem tem que defender valores cristãos não é o presidente, é a Igreja!!

Na comunhão,

Filipe Degani

4 de outubro de 2010 11:40 comment-delete

Antes de mais nada gostaria de deixar claro que sou terminantemente contra a prática do aborto, e já era antes de ser Cristão, após a minha conversão então...

Mas agora pensemos na questão do estado e do aborto:

1º - O Estado é LAICO, que é aquele que não possui uma religião oficial, mantendo-se neutro e imparcial no que se refere aos temas religiosos. Geralmente, o Estado laico favorece, através de leis e ações, a boa convivência entre os credos e religiões, combatendo o preconceito e a discriminação religiosa. Ele está aí para satisfazer a todo o povo e não só um segmento deste.

2º - A proibição do aborto não impede a prática do mesmo, sendo que são praticados em verdadeiros açougues e muitas mulheres já ficaram com sequelas irreversíveis e outras tantas já perderam a vida por causa deste maldito procedimento.

Então eu penso o que seria melhor para o País:
Continuar com a hipocrisia de que proibindo o aborto ele não será praticado, ou descriminaliza-lo e tentar fazer com que a mulher grávida passe por pessoas antes de fazer o aborto que tentem reverter o caso (Religiosos, Psicologos ou assistentes sociais)?

Por isso não vou basear meu voto neste tipo de declaração a minha dúvida agora é:

Votar na Dilma e ter o continuismo do governo Lula com os mesmos políticos de sempre, trazendo alguns corruptos com ela, ou votar no Serra e regredir a uma política do FHC onde, sabemos que tinha tanta corrupção quanto existe hoje, mas que era abafada (Não podemos esquecer que ele abafaou uma CPI no Supremo Tribunal para que não se descobrissem falcatruas na privatização das TELES)

Alguem se lembra da máfias das ambulâncias quando o Serra era ministro? e pesquisem de quem era o primeiro laboratório a produzir os GENÉRICOS assim que foi aprovado.

Por isso eu acho que estamos entre a Cruz e a Espada, ou entramos no fogo ou pulamos para a frigideira.

4 de outubro de 2010 12:00 comment-delete

se um presidente não tem PODER DE BRIGAR, então o que faz lá?
se os candidatos a deputados e senadores que votamos tambem não fazem
valer a vontade do povo, o que estão fazendo lá?
NAO QUERO ELA COMO MINHA REPRESENTANTE, E NAO VOTAREI NELA.
Assim como votei em quem achava que iria me representar bem.
alguem fica defendendo ela por causa do partido e nao fala sobre o ABORTO em si.
é CRIME, é HOMICIDIO.
farei o que me for possível pra nao ver essa MULHER no poder!
Isaac Junior - Mãe do Rio - PA

4 de outubro de 2010 18:57 comment-delete

Aham...
Se Dilma muda de opinião por causa da eleição, o que ela mudará se for Presidente do Brasil?
Não voto em quem não sabe o que pensa ou o que quer.

Leia a entrevista que ela deu à revista Marie Claire:
http://blogdaleilahh.blogspot.com/2010/10/entrevista-dilma-e-favor-do-aborto.html

5 de outubro de 2010 20:06 comment-delete

Pastor,
a bem da justiça no debate de idéias, julgo que seria interessante aos leitores de seu blog que o senhor criasse um tópico acerca do tema do aborto, com o seguinte contraponto:

Deixo este link para o pastor e leitores:

Ministro Serra autorizou aborto pelo SUS e fez campanhas maciças de distribuição de camisinhas no Carnaval.
http://www.conversaafiada.com.br/politica/2010/10/05/e-para-usar-o-aborto-na-campanha-ministro-serra-autorizou-muito-aborto/

Não nos iludamos com boatos!!!
Na comunhão.

9 de outubro de 2010 20:25 comment-delete