sábado, setembro 18, 2010

Nem o pajé pediu tanta chuva assim.

Por Renato Vargens


“Quando a chuva descer e o deserto florescer (Toque no altar); Uma chuva diferente está se formando no céu (Cassiane); Faz chover (Fernandinho); Chuva de avivamento (Alda Célia); Som da chuva (Soraya Moraes); Quero ver chuva de poder, eu quero ver chuva de unção (Pâmela); Chove, chove chuva, chuva de poder (Eyshila); to na benção é chuva de amor (Unção Ágape).

Ufa, nem mesmo o pajé pediu tanta chuva assim! 

Aliás o que se tem pedido de chuva em nossos cultos não está no gibi. Cantores diferentes, com ritmos distintos e variados, mediante intermináveis repetições imploram ao Senhor dos Céus que derrame um enorme aguaceiro sobre essa terra tupiniquim. 

Como bem afirmou João Alexandre em sua canção “É proibido pensar”, essa geração procura alguém que possa resolver seus problemas entoando canções do mesmo tema, meras repetições...

Reflitamos irmãos com sinceridade, será que como dizem as nossas canções estamos vivendo a plenitude de um grande avivamento? Será que a tão profetizada chuva de bençãos e poder tem caído sobre a igreja brasileira?

Assim como o compositor Paulo Cezar do grupo Logos, eu também nestes dias sinto um verdadeiro espanto em meu coração, em constatar que o evangelho já mudou. Quem ontem era servo agora acha-se Senhor e diz a Deus como Ele tem que ser ...

Pois é, parece que nos últimos anos, a igreja brasileira se perdeu no caminho em direção ao trono da graça. Isto porque, as letras de algumas de muitas de nossas composições, além de empobrecidas teologicamente, são simplistas, repetitivas e sem óleo.

Faço coro as palavras de Paulo Cesar, eu quero de volta o verdadeiro evangelho que exalta a Deus. O evangelho que desvenda os nossos olhos, que desamarra todo nó que já se fez. Eu quero o evangelho que mostra o homem morto em seu pecar sem condições de levantar-se por si só, a menos que, Jesus que é justo, o arranque de onde está. Eu quero o evangelho que o servo não diz ao seu Senhor o que fazer, determinando ou marcando hora para acontecer.

Soli Deo Gloria

Renato Vargens
porele disse...

É verdade pastor, é chuva demais... As musicas são um mero reflexo do que está sendo pregado em muitos púlpitos: Um evangelho aguado, diluído...

Estou com o senhor pastor... Que Deus o abençoe e continue te concedendo discernimento e a lucidez que sempre tem demonstrado em seus textos.

nEle

L. Cavalcante disse...

Não sei se concordo. Não sei o plano de Deus. Vai saber se Ele quer que a gente busque essa chuva. Deus usou os cantores pra mostrar isso. Agora é com a gente né. Nós temos que buscar verdadeiramente essa chuva, pedir de coração essa chuva de benção, essa chuva de unção de Deus. Mas não sei.. vamos orar..

Em Cristo,

Luiza Cavalcante.

OH ! GLÓRIA. disse...

É, realmente não falta cantor, uma chuva de cantores, mercantilizou-se falar de JESUS, a cada dia poe-se na mídia gospel mais cantores, filhos de pastores, noras, etc; muita gente enriquecendo no plano terreno, será que existe adoração e louvor direcionado para o SENHOR?; sinceramente acho que não.

Analú disse...

Eu estava pensando nessa coisa de músicas com chuva justamente HOJE, pastor.

Quem está disponível, está sendo acordado, mas quem só quer benção e vitória, fica pedindo chuva de tudo que é coisa.
Deus tenha misericórdia desse bando de crentes almáticos que tem aparecido por ai.

Paz

Marcos Sampaio disse...

Caro Renato Vargens,

Quero fazer minhas as palavras de Martyn Lloyd-Jones que certa vez escreveu que ao ver as questões não estava seguro de nada "exceto de que a maior lição que a Reforma Protestante tem para ensinar-nos é justamente esta, que o segredo do sucesso na esfera da Igreja e das coisas do Espírito é olhar para trás". Diante do exposto, quero sugerir igualmente a leitura dos seguintes artigos:

*As tendências do cristianismo popular brasileiro

http://ideiasprotestantes.blogspot.com/2010/09/as-tendencias-do-cristianismo-popular.html

*Um apelo ao redescobrimento do genuíno evangelho das Escrituras

http://ideiasprotestantes.blogspot.com/2010/09/um-apelo-ao-redescobrimento-do-genuino.html

Um forte abraço.
Marcos Sampaio
[Idéias Protestantes]

Rogers disse...

A paz de Cristo Irmão! Eu li a grande maioria dos seus textos sobre louvor e achei muitas coisas produtivas e que a grande maioria realmente são realidades, entretanto outras muitas achei desnecessárias (Para mim e claro).Se ouve-se menos criticas e opiniões próprias e mais ensinamentos sobre os assuntos seus textos seriam mais proveitosos.
sou apenas um jovem ministro de louvor de uma pequena igreja apenas dando pequena uma opinião!

favourite category

...
test section describtion

Whatsapp Button works on Mobile Device only