Quando a morte bate a porta!

Por Renato Vargens

O Brasil hoje acordou com a noticia de que o locutor do SBT, Luiz Lombardi Neto faleceu aos 69 anos.

Lembro-me que quando criança já se ouvia em rede de TV a voz do famoso lucutor dizendo: "É com você Silvio" Pois é, a minha geração creceu ouvindo os bordões "Lombardianos" e a impressão que se tinha é que Lombardi sempre existiu e que jamais deixaria de existir. Receber a noticia de que um dos principais locutores televisivos do Brasil faleceu, aponta-nos para o fato de que a vida é finita e de quando menos esperamos podemos perdê-la.

Amigo leitor a vida é efêmera e passa com uma rapidez enorme. As Sagradas Escrituras nos mostram inúmeros textos que nos advertem a observamos com diligência o nosso tempo. O salmista com muita propriedade escreve: “O homem é como pó, cuja existência na terra passa rapidamente diante de Deus. Os anos vêm e vão diante do Deus eterno... A vida do homem, em média de 70 a 80 anos, é breve. Tiago em seu epistola, nos alerta: "Vós não sabeis o que sucederá amanhã. Que é a vossa vida? Sois apenas como neblina que aparece por instantes e logo se dissipa".

Isto posto lhe pergunto: Se o Criador te chamar hoje, você estará preparado para encontrá-lo?

Pense nisso!

Renato Vargens

4 comentários:

Impressionante! Essa é a primeira e última vez que vejo o Lombardi, ele sempre foi uma figura enigmática, nunca aparecia. A vida passa como uma neblina e muitos não atentam para isso, infelizmente. Cabe a nós, continuar falando, gritando, chamando a atenção para o perigo de pensar apenas nessa vida. O mais infeliz é o que tem essa vida aqui na terra como sua única esperança. Que as pessoas ouçam o clamor de 2 Co. 6:2

2 de dezembro de 2009 18:01 comment-delete

Vivamos o hoje intensamente, amemo-nos hoje intensamente, ajudemo-nos hoje intensamente, o amanhã pertence ao SENHOR !!!!, Glórias a DEUS pelo hoje em nossas vidas.
Gilbert Raposo, um aprendiz em Cristo Jesus.

Gilbert Raposo
2 de dezembro de 2009 18:51 comment-delete

Até mesmo o nosso hoje é um mistério, pois sabemos que saimos de casa para trabalhar, pórem não sabemos se voltamos. Por isso devemos estar com a vida reta.
Que a paz de Cristo seja com todos.
Andrea

3 de dezembro de 2009 14:45 comment-delete

Pr. Renato, com todo o respeito e me colocando no "meu lugar" de não-teólogo (embora tenha feito alguns cursos de teologia), cada vez mais me convenço de que não devo pender nem para um lado nem para o outro (Arminianismo ou Calvinismo). Como e para que devemos nos preparar? (Cristo é quem nos justifica, purifica e santifica), e se a salvação não se perde...
Por essas e por MUITAS outras é que, como já disse antes, não levanto bandeiras.
Por exemplo, se nossas orações não mudam os planos de Deus, para que colocar a igreja em oração?
Vejo alguns paradoxos...
Abraços,
Carlos Gomes

Anônimo
3 de dezembro de 2009 14:49 comment-delete