terça-feira, junho 14, 2011

Uma resposta àqueles que defendem o amor acima da verdade.

Por Renato Vargens

Nos últimos meses tenho combatido algumas práticas doutrinarias equivocadas. Em virtude disto, muitas pessoas me escrevem concordando com o conteúdo dos textos, como também outras me criticando severamente pela falta de amor com que denuncio suas heresias. Para estas eu deveria me calar não expondo publicamente as mazelas dos hereges, até porque, o ensinamento bíblico é que devemos amar o próximo.

Pois bem, não foi o Senhor Jesus quem disse que “O AMOR une, mas a VERDADE divide! Por favor, pare, pense e reflita: JESUS CRISTO, a expressão máxima do AMOR, é, antes de tudo, A VERDADE (João 14:6). Ele mesmo disse: “Não cuideis que vim trazer a paz à terra; não vim trazer paz, mas espada”. (Mt 10:34). “Cuidais vós que vim trazer paz à terra? Não, vos digo, mas antes dissensão”. (Lc 12:51).“Assim entre o povo havia dissensão por causa dele” [Jesus Cristo]. (Jo 7:43)

Como bem afirma Humberto Fontes ao contrário do nefasto ecumenismo (que sacrifica a VERDADE, em prol da UNIDADE, custe o que custar), a Bíblia nos diz que a UNIDADE só é possível entre os crentes que professam a VERDADE bíblica! Se isso não ocorrer, teremos uma "falsa unidade", um falso amor, uma verdadeira torre de Babel.

Como já escrevi anteriormente creio na unidade da Igreja Evangélica, porém, nem toda igreja que se diz evangélica de fato é evangélica. Recuso-me a acreditar que igrejas que comercializam a fé, vendendo indulgências, além de criar doutrinas que afrontam as Escrituras Sagradas podem ser consideradas agências cristãs.

Caro leitor, a unidade da Igreja é bíblica, e deve ser vivida contudo, o ecumenismo gospel é repulsivo e incoerente. Infelizmente não é possível acreditarmos na unidade entre igrejas sérias com igrejas falsas, cujo ensino é ensismemado, aproveitador e antropocêntrico. Ora, os cristãos verdadeiros não negociam a fé, não comercializam Deus, não vendem produtos mágicos, não servem a Maria, nem tampouco adoram a santos. Os verdadeiros cristãos não inventam esquisitices e aberrações teológicas como decretos e determinações espirituais. Os verdadeiros cristãos são éticos, honestos em suas posturas e comprometidos com a verdade e o evangelho de Cristo. Os verdadeiros cristãos zelam pela sã doutrina e repudiam as novas teologias. Os verdadeiros cristãos não relativizaram a Palavra de Deus, antes pelo contrário, pregam e vivem as Escrituras Sagradas em todo o tempo e momento.

Vale a pena ressaltar que o Senhor ao nos desafiar a amar não o faz no desejo de que em nome do amor tapemos os olhos ao pecado bem como as heresias que destroem a comunidade da fé, mesmo porque, amar, antes de tudo, significa não abrir mão da verdade, não negociá-la, nem tampouco relativizá-la em detrimento à uma visão pessoal.

Isto posto afirmo que a verdade arranca as máscaras da religiosidade e hipocrisia, levando ao crente em Jesus a viver uma vida, santa, reta e transparente.

Nele que é a única e abslouta verdade!

Renato Vargens
Joao disse...

Bem, como costumo dizer, em nome da verdade, nunca devemos defender os erros e transgressoes denominacionais. Infelizmente, muitos andam comprometidos com a cor da "camisola" e nåo com a verdade, por isso, acabam imitando e perpetuando os erros cometidos pelos seus lideres denominacionais.Mas, a determinaçåo de cada crente e o compromisso com a verdade, superam as "máfias" que våo sendo montadas em nome do chamado cristianismo moderado,pois, o compromisso com a verdade, faz com que saibamos filtrar o bem, do mal.

Poemia disse...

Pastor Renato,

O amor caminha com a verdade.Deus ama o pecador, mas jamais o pecado que ele pratica. Em detrimento do amor não podemos deixar de dizer a verdade. O amor inclusive engloba tudo isso. O preço desta confusão é por conta da fragi~lidade de muitos púpitos cristãos, que não incentivam a análise e a reflexão dos seus membros. As pessoas estão cada vez mais ativistas e perdendo o foco do verdadeiro olhar cristão. Deus o abençoe pela coragem !!!!
Marilene - Poemia

Paulo disse...

Certa vez, e isso foi registrado em joão 6, Jesus escandalizou muita gente com a sua pregação. Muitos o abandonaram. Nesse momento, Jesus olha para os 12 e diz: "Porventura, quereis vós outros, retira-vos?? Não há base nas Escrituras para o verdadeiro homem de Deus se calar diante de tanta "sandice gospel". Nenhum profeta, seja ele maior ou menor, se calou diante dos absurdos da religião da sua época. Hoje em dia, em nome de um pseudo ecumenismo "gospel", muitos sucubem à tentação de firmarem alianças com quem não deve.
abço a todos
Paulo

Descanso da Alma disse...

Há um equívoco no que se refere ao amor, quando devemos amar ao próximo, na verdade a Bíblia fala em solidariedade, não em compactuar com a injustiça ou a mentira.

Tanto que os que deram mais trabalho para Jesus foram os religiosos, basta ler o Ais em Mateus, Jesus pega pesado com eles, mas mesmo assim, seu nome é amor.

Para aprender sobre amor, basta ler as bem-aventuranças e ver o que significa amar o próximo, não tem nada haver com doutrina, mas com misericórdia e solidariedade.

Devemos sim denunciar os equívocos do neopentecostalismo, agora devemos fazer isso com amor.

Segundo I Co 13, a verdade deve andar lado a lado com o amor.

Paz e bem

Renato Gama disse...

Prezado Pastor Renato,

Entendo sua agonia pela preservação da verdade. Concordo que todos devem lutar pelo que sentem ser a verdade. Pessoalmente compartilho de suas restrições às práticas neopentecostais, mas confesso que não me sinto portador, nem defensor de "A Verdade".
O que é a verdade? Existe uma única verdade? Se somos todos diferentes uns dos outros e existe uma única verdade, possivelmente só existiu um detentor da verdade no planeta, e todos os demais estão equivocados.
Os fundamentalistas islâmicos crêem estar defendendo a verdade. Os cristãos das cruzadas acreditavam estar lutando pela verdade. A Hitler e a KKK acreditavam estar zelando pela verdade. Os pentecostais lamentam nossa cegueira sobre a verdade. Nós tradicionais achamos espantoso como é possivel que os pentecostais estejam tão distantes da verdade.
Sim, Cristo é a verdade, mas nossas limitações humanas só nos permitem fazer uma leitura da verdadeira verdade, e essa leitura pode ser diferente, como diferentes somos cada um de nós.
Mas existem algumas coisas sobre a verdade que é consenso. Uma delas é que a maior de todas as virtudes é o amor. Se o amor é a verdade, a verdade não pode massacrar o amor.
Respeito e admiro sua luta pela preservação do que o Sr. crê ser a verdade.
Sejamos cada um de nós, convictos do que cremos, mas não permitamos que nossa verdade ofenda ou mesmo destrua a consciência de outros que creiam em outras verdades.

Renato Gama.

Regina Farias disse...

Pastor

Andei lendo esse texto (e os comentários) e percebo que as pessoas dissociam verdade de amor quando são UM só.
Esse "amor" que alguns pretendem é um amor falsificado. Por isso a história tem nos mostrado quantos portadores de "verdades" levantando suas bandeiras e cometendo sandices em nome do amor. Assim caminha a humanidade...
Ora, "o amor não se conduz inconvenientemente".
O amor que rompe barreiras é a compaixão na sua acepção da palavra, por meio da AÇÃO, sem qualquer tipo de julgamento e que UNE as pessoas neutralizando os credos sem qualquer hipocrisia. Até já ouvi por aí que o amor é o substantivo mais verbo que existe...
Esse é o Amor que abre-nos os olhos para a Verdade.
A Verdade que nada tem a ver com diferentes credos e muito menos com "o sentir ser verdade".
Lembro-me das palavras de um pregador em um de seus textos que diz assim:
"Sem a Rocha da Realidade que é a Palavra Revelada, todos nós de um modo ou outro vivemos em “viagens”."
Daí não existirem muitas verdades, meias verdades, minhas verdades.
Pilatos estava diante da Verdade e perguntava-LHE:
-Que é a verdade? (Jo18.38)

Ricardo Mamedes disse...

Caro Pastor,

O seu texto foi extremamente válido para mim neste momento, pois estou às voltas com os modismos e heresias na minha igreja - mesmo sendo ela Batista e histórica - contra os quais luto sem cessar.
Por lutar contra essas coisas que anulam a graça e a redenção em Cristo, fui implicitamente acusado de detrator, faccioso. Escrevi um post exatamente refutando essas acusações, em defesa da Verdade. A minha assertiva também foi essa: a verdade está acima de tudo, inclusive de uma suposta lealdade a líderes.
Profetas, unções, cair na unção, quebras de maldições - é contra toda essa baboseira que luto, embora pertencendo, repito, a uma igreja "Batista histórica".
Por isso o seu texto foi tão salutar para mim, motivo pelo qual agradeço a oportunidade de lê-lo.

Em Cristo, o nosso Redentor!

Ricardo

Alexandre disse...

Boa tarde querido Pastor Renato Vargens.
Sou morador da Cidade de São Vicente, Litoral de SP e acompanho com carinho suas postagens.
Sou Cristão há 10 anos e durante esse tempo tenho visto o crescimento das coisas mais bizarras dentro da "adoecida" igreja evangélica. Está cada vez mais difícil, encontrar uma igreja seria, disposta a pregar a Sã Doutrina. E muitas comunidades sérias, estão pouco a pouco se contaminando com rituais que vem do homem e não de Deus.
Acredito e estou contigo, que devemos defender a verdade e a verdade é a Palavra de Deus, interpretada em TODO o seu contexto e não fora do contexto como fazem os "novos" teólogos. Doa a quem doer, não podemos é ficar calados.
Parabéns Pastor. Saiba que tem alguém aqui em oração pelo Sr. para que continue firme, promovendo a verdade, doa a quem doer.
Fique na PAZ do Senhor Jesus, a Paz que excede TODO o entendimento.

Rogério Bolanho - www.vaiarrebentar.com.br disse...

Vejo todos os dias irmãos, de várias denominações, inclusive pertencentes à minha que consomem seu tempo em intermináveis discussões “Bíblicas” e não se preocupam sequer com sua própria salvação, quanto mais à salvação alheia. muito pelo contrário: Acabam por perder sua salvação ao criarem contendas em nome do que creem e por não aceitarem um posicionamento diferente por parte dos outros. Paulo diz: "Nem se dêem a fábulas ou a genealogias intermináveis, que mais produzem questões do que edificação de Deus, que consiste na fé; assim o faço agora. Ora, o fim do mandamento é o amor de um coração puro, e de uma boa consciência, e de uma fé não fingida. Do que, desviando-se alguns, se entregaram a vãs contendas; Querendo ser mestres da lei, e não entendendo nem o que dizem nem o que afirmam." (1ª Timóteo 4-7).

Tenho visto por aí alguns servos do Senhor tão desligados do labor… tão surdos para a ordem que foi dada em Marcos 16:15 “Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.” é uma ordem clara a todo aquele que reconhece o Senhor Jesus como nosso Senhor. “se eu sou senhor, onde está o respeito para comigo?” (Malaquias 1:6). Há “Crentes” demais e servos de menos, eu sei, o próprio Senhor Jesus disse isso “Assim, os últimos serão primeiros, e os primeiros serão últimos {porque muitos são chamados, mas poucos escolhidos}” (Matheus 20:16). Sei ainda que “A seara, na verdade, é grande, mas os trabalhadores são poucos.” (Matheus 9:37). Mas, quem quer ser o servo infiel, que guardou seu talento?

Tenho visto denominações inteiras que dizem “a pessoa sentirá o chamado e virá!”. Se fosse assim, porque o Senhor Jesus deixaria a ordem? Onde se encaixa o "Ide" em sua vida? Sejamos servos bons e fieis. É simples… basta ir e pregar a palavra…

Quem pode se dizer supremo doutor na lei? Eu? Obviamente que não. Me concentro em manter-me a salvo e assim poder salvar aos outros.

Rogério Bolanho
http://www.vaiarrebentar.com.br

Renato Vargens disse...

Rogério,

Um pequeno detalhe: O crente eleito e salvo por JESUS, jamais perderá a sua salvação. Ninguém pode nos arrebatar de suas mãos.

Abraços,

Pr. Renato Vargens

Antonio Mano disse...

Penso que este post, apesar de possuir bons argumentos e sinceridade, derrapou em alguns equívocos. A começar do título. Em geral, as críticas feitas aos textos exegéticos-apologéticos, tem origem sentimental. Diferentemente do tom deste post, quando se crítica os desvaneios evangélicos atuais, se faz carregado de acidez, ironia e deboche. Observando isso, os que se encontram do outro lado da trincheira, de imediato se ofendem e por mais que argumentem de forma educada, estão apenas reagindo a uma emoção. Dessa forma, a falta de amor não está em falar ou denunciar as mazelas da igreja, mas sim, na forma como tais críticas são conduzidas e expostas. Conforme a condução e exposição, o texto se torna meramente ofensivo e desrespeitoso, e em nada serve como exortação e ou edificação. Mais uma vez, digo que não é o caso deste post, especificamente. Mesmo que fosse, o ambiente de liberdade de expressão permitiria tal forma, assim como também a resposta no mesmo nível.
Quanto ao "nefasto ecumenismo", penso que em ordem prática, ele não existe. Sim, posto que supostamente, foi um nome criado para definir tolerância, termo qual(tolerância), em hipótese nenhuma pode ser considerado sinônimo de compactualidade, mas sim de amor (a tolerância).
Gostaria de ser enriquecido com a informação de onde especificamente, o irmão parafrasea a sagrada escritura ao dizer que "a UNIDADE só é possível entre os crentes que professam a VERDADE bíblica!"
Ao que percebo, tal unidade foi exposta mais claramente por Jesus, quando Ele exemplificou o amor ao próximo, e quem seria o próximo, na parábola do bom samaritano.
Tenho certeza, que os membros das igreja neo-pentecostais, pentecostais e até mesmo históricas, que praticam evangelhos alterados como a teologia da prosperidade, não se fechariam aos argumentos fornecidos pelos críticos, se estes realmente os fizessem com a intenção de levar luz às trevas e não viver no denuncismo banalizado pelo cinismo que costumamos ver na blogosfera.
Contudo, parabenizo pelo blog e pelo post.
Que Deus nos abençoe.

Ricardo Mamedes disse...

Caro pastor,

Algum problema para o meu último comentário não ter sido publicado? Se houve, eu não compreendo, pois agi respeitosamente e com extremo rigor ético. Ademais, ao que sempre imaginei, este é um blog de viés democrático e aberto às discussões de cunho apologético. A menos que haja alguma antipatia gratuita contra este que comenta - o que eu sou forçado a duvidar, pois demonstraria extrema falta de amor cristão.

Em Cristo, o Redentor!

Ricardo

Renato Vargens disse...

Ricardo,

Nenhum comentário seu foi moderado. Todos os que fez foram publicados. Por favor verifique se de fato o fez, caso contrário, pode mandar que eu publico.

abraços,

Marcia de disse...

Prezado irmão Renato Vargens, Muitíssimo obrigada por me lembrar de que não estou sozinha neste mundo tão confuso. Desde de que descobri o verso de Provérbios que diz: "Compra a Verdade e não a vendas", tenho me agarrado a ele para manter minha mente, coração e princípios intactos, não me permitindo tomar a forma deste mundo louco em que vivemos. Hoje de manhã li em um site que defende o homosexualismo entre os evangélicos que, por amor a estes, não podemos reprimí-los, pois estaríamos fazendo acepção de pessoas, algo que Deus condena em Sua Palavra. É incrível como a Santa Palavra vem sendo deturpada e como tantos irmãos estão se deixando levar por estas interpretações errôneas. Este mundo me amedronta a cada dia mais!
Deus continue lhe abençoando e saiba que você não está sozinho nessa!

Marcia de Paula - PIB de Copacabana

Renato Vargens disse...

Márcia,

Nosso Compromisso é com a verdade, exclusivamente a verdade. Doa a quem doer, a verdade deve prevalecer.

Nele,

Grazi disse...

Irmão Renato Vargens,

Amei a exposição do seu texto. Existem pessoas que realmente confundem isso, a verdade com amor. Pregam que em nome do amor tudo pode. Esquecem-se de que o amor também consiste em disciplina, e que AMAR DE VERDADE não significa conconrdar com tudo. Corrompem as verdades de Deus (essa é a pior parte), criando novas heresias. Lástima!
DEUS É AMOR? Simmmm! Mas é também, VERDADE, JUSTIÇA... Deus ama o pecador, mas aborrece o pecado. Sou totalmente aversa a "igrejas" que comercializam o EVANGELHO; que aproveitam-se da debilidades dos pequenos; que escondem-se por trás da Bíblia pondo o PRECIOSO NOME DE JESUS na sarjeta; que apoiam o homossexualismo na igreja e ainda ousam dizer que é em nome do amor, porque não se deve fazer aceção de pessoas (como foi citado acima). Tem coisas que eu não tolero. Deus nos dê a GRAÇA!

Nem todos que amam andam na verdade, mas todo o que anda na verdade, verdadeiramente ama.

Abraços, irmã Grazianne

Leandro Teixeira disse...

Sobre o assunto da verdade e do amor, acho que as palavras de Jesus dizem muito:

"Santifica-os na verdade; e tua palavra é a verdade. (...) Para que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu em ti, Que eles também sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste". - João 17:17;21

Graça e paz!

El Misionero Matsuura Junichiro disse...

Rick Warren é assim. Defende o "amor" acima da verdade. Se isso que eles chamam de "amor" está acima da verdade, então, não é amor, e ponto final!!!!

Jesus falou sobre isso, quando disse que "-Eu não vim trazer paz ao mundo, mas espada". A verdade divide, separa, exclui. Os que estão na verdade, e os que estão fora dela. Simples assim.

Dani Bereana disse...

Renato, esta frase é sua, ""Pois bem, não foi o Senhor Jesus quem disse, que “O AMOR une, mas a VERDADE divide! Por favor, pare, pense e reflita: JESUS CRISTO, a expressão máxima do AMOR, é, antes de tudo, A VERDADE",pois a utilizei em meu blog e gosto sempre de dar créditos certos, obrigado, texto inspirador muito bom mesmo!
Grata Dani Lima
http://berearepreciso.blogspot.com/2012/01/expressao-maxima-do-amor-e-antes-de.html

favourite category

...
ministério pastoral

Whatsapp Button works on Mobile Device only