Exorcizando a incredulidade

Renato Vargens

“A Incredulidade está na raiz de toda nossa insegurança em relação às promessas de Deus”.
Matthew Henry

Geralmente quando o tempo passa e as promessas de Deus não se cumprem em nossas vidas, é comum sermos acometidos pelo sentimento de incredulidade. São em situações como estas que abrolham na terra do nosso coração algumas ervas daninhas que, sem que a gente perceba, sorrateiramente, vão sufocando os sonhos que o Senhor plantou. É comum sermos acometidos por questionamentos e indagações tais como: será que Deus falou comigo mesmo? Será que isto tudo não é fruto de minha imaginação?

Veja o exemplo de Abraão, 25 anos tinham se passado e, até então, o sonho de um filho não tinha se concretizado. As Escrituras Sagradas nos contam que após este tempo, o Senhor enviou dois anjos a Abraão com o propósito de lhe falar algumas coisas, Dentre elas, de que tinha chegado o tempo do seu sonho tornar-se realidade.

“Então lhe perguntaram: Sara, tua mulher onde está? Ele respondeu: Está aí na tenda. Disse um deles: certamente voltarei a ti daqui a um ano; e Sara tua mulher dará luz a filho. Sara estava escutando, à porta da tenda atrás dele. Abraão e Sara já eram velhos, avançados em idade; e Sara já lhe havia cessado o costume das mulheres. Riu-se pois Sara no seu intimo dizendo consigo mesma: Depois de velha e velho também o meu Senhor terei ainda prazer? (Gênesis 18:9-11)

Ora, Abraão sentiu-se renovado e reanimado mediante as palavras do anjo. Entretanto, Sara, ao ouvir pelas arestas da porta o que anjo dissera, foi acometida pelo sentimento da incredulidade. Na verdade, o tempo tinha produzido no coração da matriarca de Israel um certo marasmo existencial. Talvez ela tivesse pensado: “na nossa juventude não nos foi possível conceber um filho, quanto mais agora que já somos ditosos em dias!”

Preste atenção, Deus tinha semeado no coração de Abraão sonhos! E sem que ele pudesse perceber a erva daninha da incredulidade estava crescendo no chão do seu lar. Quantas pessoas têm sofrido por não extirparem do canteiro da alma as ervas daninhas?

Você já viu uma erva daninha? Quando pequenas parecem inofensivas, contudo, quando crescem desenvolvem o poder de sufocar a planta perto da qual está plantada.

Eu e minha familia, moravamos numa casa onte tínhamos um lindo jardim, com belas plantas. Lembro-me que há alguns anos, nós compramos uma planta chamada Pingo de Ouro. Com o tempo e o cuidado necessário, ela começou a se desenvolver tornando-se então uma planta muito bonita. Mas, sem que percebêssemos, uma destas ervas daninhas alojou-se ao seu lado, começando vagarosamente a sufoca-la. O processo de destruição foi tão forte que a planta quase não resistiu. Na verdade, se o nosso jardineiro não tivesse arrancado a erva daninha e tratado da planta com remédio específico, certamente ela teria morrido. No entanto, agimos rapidamente, na hora certa exterminando a praga.

Sem a erva que a sufocava, a planta pôde crescer com saúde, tornando-se assim uma grande e bonita árvore.

A incredulidade é capaz de sufocar o crescimento de muitas “árvores”. Abraão, mesmo em face do tempo e da idade continuou crendo e isto lhe foi imputado por justiça. (Gl 3:06) Ele esperou contra a esperança (Rm 4:18) e no tempo determinado pelo Senhor (Gn 21:1-2) o sonho de um filho deixou de ser sonho e transformou-se em realidade de sangue, carne, ossos, olhos, boca e emoção.

Assim como a fé pode fazer com que montes sejam transportados de um lado para o outro (Mt 17:20), a incredulidade tem a capacidade de minar nosso interior, fazendo com que experimentemos uma apatia que, conseqüentemente, nos impulsiona a um estado de inércia espiritual.

Pense nisso!

Pr. Renato Vargens

1 comentários:

Concordo pr., porém eu acredito que alguns sonhos são apenas sonhos nossos e não de Deus pra nossas vidas, são nossas vontades, daí tomamos verdades como essa de Abraão como base para nos justificar, nos tornamos imprudentes e tomamos atitudes que nem sempre são as mais acertadas trazendo para nós mesmos algumas seqüelas desagradaveis.

Abraão não teve que fazer nada para ter seu sonho realizado além de ter fé, isso lhe foi imputado como justiça. A nossa imprudência nas tomadas de atitudes são na verdade ajudinhas que tentamos dar a Deus para assim Ele fazer as "nossas" vontades.

Ter fé e descansar, esse é o segredo. Aliás, não é segredo.

Cleber
12 de outubro de 2009 12:00 comment-delete