terça-feira, outubro 13, 2009

Crentes que preferem a escravidão!

Por Renato Vargens
Às vezes sou levado a acreditar que parte dos evangélicos preferem viver debaixo do chicote da teologia do medo. Isto afirmo pelo fato de que alguns dos denominados cristãos não conseguem lidar com a liberdade adquirida em Cristo Jesus. Para estes o que o vale é o estalar do azorrague do pavor.

Há pouco eu revi a trilogia do filme Matrix. O filme é repleto de mensagens sutis, dentre as quais da existência de pessoas que preferem viver no mundo irreal a libertar-se da Matrix. Isto me faz lembrar inúmeros crentes em Cristo Jesus que optaram por viver a vida cristã em casulos ilusionários. Para estes, não vale a pena livrar-se dos habitáculos escravocratas, até porque, o mundo real vai de encontro a tudo aquilo que sempre combateram. Os crentes “matrixados” preferem a prisão de doutrinas opressoras a liberdade em Cristo Jesus.

Infelizmente alguns cristãos preferem sentir-se ameaçados pelo diabo do que desenvolver uma fé cristã saudável. No que tange a generosidade, boa parte dos cristãos não conseguem lidar com a liberdade de contribuir financeiramente com a causa do reino. Para estes, ofertar e dizimar sem o chicote do medo estalando em suas almas não faz o menor sentido. Em outras palavras por não se sentirem cobrados ou amaldiçoados por não serem dizimistas, tais pessoas se eximem da responsabilidade de contribuir com o Reino de Deus, proporcionando, por conseguinte inúmeros problemas a comunidade da fé.

Aliáis, você já se deu conta da existência de cristãos que não conseguem lidar com a liberdade? Pois é, para estes a liberdade é a antitese de uma vida livre. Em contra partida a escravidão é o berço esplêndido de uma vida plena. Em outras palavras, os crentes em questão preferem viver sob as ameaças de Macedo, Soares, Hernandes, Malafaia e Cerullo e outros profetas da prosperidade do que a liberdade em Cristo Jesus.

Prezado amigo, infelizmente um número significativo de cristãos, salvos em por Deus, ao ouvirem a mensagem libertadora do evangelho de Cristo, recusam o mundo real preferindo o “lerê, lerê” da Matrix.

Pense nisso!

Renato vargens
GILBERT RAPOSO disse...

Também acho que muitos dizimam não por amor a obra, e sim por medo e pensando na colheita, sejamos livres em Cristo Jesus, leiamos o livro irmãos.
Gilbert Raposo, um aprendiz em Cristo Jesus.

Marcos disse...

Paz Pastor Renato Vargens,

Como sempre ótimo texto!

Que Deus continue abençoando a sua vida!

Tenho acompanhado o seu blog, e gostaria de tê-lo como um dos meus blogs parceiros na proclamação da mensagem de Deus e os pressupostos da teologia reformada de vida cristã.

Esperando sua consideração,

Marcos.

augusto elias disse...

De uma coisa tenho certeza,feliz são aqueles que vão para a casa do Senhor levar os seu dizimos e ofertas com alegria porque Deus irá os compensar pelo amor de cada um para com o Reino.Não que tenha que fazer por obrigação,pois o Senhor Deus não é objeto de barganha,escambo coisa desse gênero,até porque Ele nos conhece e sabe tudo sobre o nosso coração,mas a grande verdade nisso tudo é que estamos devolvendo parte daquilo que Ele nos dá.

Anônimo disse...

Prezado Pr. Renato, conquanto concorde plenamente com o exposto acima, gostaria de acrescentar - à título de equilíbrio e esclarecimento aos que nos lêem, pois sei que o irmão concordará - que "a Lei é santa e o mandamento é santo, justo e bom...eu todavia sou carnal, vendido à escravidão do pecado." Além disso, a Lei nos serve de tutor para conduzir à Cristo. Desta forma, muitos crentes que estão achegando-se à Graça em Cristo somente o fazem por causa da "lei", que os traz a ela.
Isso posto, não justifica que homens manipulem seus rebanhos com "leis que são apenas preceitos de homens", nem tampouco que os reduzam a escravidão novamente - para a liberdade foi que Cristo os libertou. Porém não somos nós, combatendo homens quem os libertaremos, mas o Espírito que trabalha por eles com um amor que nossos corações desconhecem ou não entendem.
Por fim, pergunto: "por que a questão do dízimo e oferta não serem dados por aqueles que já se libertaram do jugo do medo deveria incomodar ?" São livres em Cristo. Devem agir conforme suas consciências renovadas os guiarem. Não será que nós, pastores, tememos por falta de salário e manutenção para a igreja caso todos abandonem esta prática ?
No amor de Cristo, seu conservo

Walter

Anônimo disse...

Aliáis ?!? Lerê Lerê ?!? Não seria lê lê lê lê da escrava Izaura?!?
Tudo bem está com crédito...
...afinal também tenho minhas complicações nessa área.
- Que o Senhor o abençoe em nome de Jesus, amém.

Eduardo Ávila

Anônimo disse...

Pastor ,

O Senhor é um otimo pastor, mais procura nao colocar nomes de pessoas nem instiuições ao externar sua visão do evangelho pode minar seu ministério, O Senhor Jesus teve 12 discipulos mais um diferente do outro, Gosto muito de suas mensagens e nao gostaria de parar de ler por causa desse pequeno detalhe, Que o Espirito Santo continue te usando.

favourite category

...
test section describtion

Whatsapp Button works on Mobile Device only