Quando a esposa do pastor é tratada como pestinha e piolho.

Renato Vargens

O bispo da Igreja Universal Edir Macedo afirmou em uma palestra que algumas esposas de pastores são como umas pestes ou piolhos. Segundo Macedo uma das razões do fracasso do pastor é a esposa com que casou, e que algumas delas só servem para serem mulheres.

Caro leitor, na minha opinião o conceito que este senhor tem da esposa do pastor é um dos mais absurdos que já ouvi em toda a minha vida.

Pois é, na minha caminhada cristã, tenho visto um número significativo de esposas de pastores, marcadas negativamente pela igreja. Na verdade, basta olharmos para os nossos arraiais evangélicos que perceberemos uma quantidade de mulheres de Deus, feridas e adoecidas emocionalmente em virtude da pressão do ministério pastoral do marido.

É muito comum em nossas comunidades cobrarmos das esposas de nossos pastores, atitudes e comportamentos perfeitos. Na verdade, para muitos é absolutamente natural, exigir de nossas irmãs, aquilo que comumente exigimos de nossos pastores. E é pensando assim, que boa parte do povo de Deus estabeleceu em nome da pseudo-espiritualidade, que as esposas de pastores, devam estar presentes no maior número de reuniões possíveis. Para tais pessoas, a mulher do pastor tem que ser apta a coordenar ao mesmo tempo crianças, ministério de louvor, além obviamente de sociedades femininas. Isto sem falar, que a educação dada aos filhos deve ser perfeita, ilibada; e que a sua postura e comportamento devem ser irrepreensíveis, culminando assim com o sorriso constante de alguém que não experimenta crises e problemas. Para piorar a situação, muitas igrejas têm vivido debaixo da tirania da imposição, onde todas as mulheres de pastores eminentemente devem ser ordenadas pastoras.

Queridos, cobrar das nossas irmãs, esposas de pastores, aquilo que Deus não lhes chamou para fazerem ou executarem é no mínimo perverso. É importante que entendamos que muitas delas foram chamadas por Deus, para exercerem um ministério cristão, no entanto, torna-se imprescindível que também entendamos que as mulheres, não foram por Deus chamadas para exercerem o ministério pastoral. Ora, o simples fato de exigirmos com que tais irmãs exerçam aquilo pelo qual não foram chamadas contribui significativamente para o seu adoecimento.

É de fundamental importância que compreendamos que a missão de ser auxiliadora do marido por si só já é dificílima. Isto sem contar o fato de que a esposa do pastor ainda carrega no bojo da vida a sublime missão de ser mulher, profissional, mãe e esposa!

Porque então colocar sobre nossas irmãs um peso que o Senhor não colocou?Minha oração é que o nosso Deus nos ensine a sermos equilibrados, bem como possuirmos bom senso, até porque, tais atributos tornam-se indispensáveis a uma comunidade rica e saudável.

Pense nisso!

Renato Vargens

13 comentários:

A paz,

O senhor Edir Macedo, deve sofrer de uma sociopatia e o pior que está deixando muitos doentes, outro dia uma ovelha de nossa igreja me perguntou? "Pastor eu não entendo, sou um servo de Deus, busca andar segundo a vontade Dele e tudo para mim é difícil. Meu vizinho que tem uma vida toda torta entrou para a Igreja Universal do Reino de Deus e agora tem carro novo, uma boa vida, contudo continua levando a mesma vida torta, como o senhor me explica isso?" Respondi aquele jovem o que o Senhor Jesus nos ensina em 4 (Mateus 24:24) - Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas, e farão tão grandes sinais e prodígios que, se possível fora, enganariam até os escolhidos. e ainda citei aquele jovem o que propôs Senhor na parábola narrada em Lucas 12,15-21. O pastor Renato foi muito felizem sua prontidão e avidez e usado pelo Senhor de uma maneira inteligente, rechaçou o infame Edir Macedo, na sua pavorosa reunião com pastores, que pode ser vista no youtube no endereço http://www.youtube.com/watch?v=rtkhS8nl3Vs. Creio que cada um de nós possamos estar sempre prontos a falar da razão da nossa fé, como o amado Pr. Renato o fez. E lembre-mo-nos o que o Senhor nos ensina a fazermos uma apologética cristã pois "o mal só triunfa quando o bem se cala" através de Tiago 4:17 - Aquele, pois, que sabe fazer o bem e não o faz, comete pecado. Omissão também é pecado. Que o Senhor continue iluminado o pastor Renato e sempre nos traga a uma reflexão.
Pr. Celmir Guilherme Moreira Ribeiro- Pastor da Primeira Igreja Batista em Fragoso - Magé- TJ

16 de junho de 2009 15:10 comment-delete

Ainda bem que eu não sou esposa de pastor, e sim a pastora, esposa do pastor e juntamente com o meu esposo, cuido das ovelhas e apascento o rebanho.

16 de junho de 2009 17:32 comment-delete

Concordo plenamente com tudo que foi colocado no texto.Tenho percebido e acompanhado bem de perto a árdua tarefa de conduzir um ministério muito sério,consequentemente por parte disso,o trabalho intenso de uma mulher esposa de pastor.Como foi dito, é bem diferente o exercício de um determindao ministério chamdo por Deus,do que um ministério pastoral,isso em relação ao que o senhor Macedo disse,pois não estou julgando ninguém,mas oro ao Senhor Jesus que entre na vida desse homem.

Augusto Elias
16 de junho de 2009 17:36 comment-delete

Pr Renato,
Essa pregacao e muito triste.. Ele nao entende mesmo de Igrejas Brasileiras no exterior.. Igreja aqui nao crescem na mesma proporcao que cresce ai no Brasil, pois nao existem tantos Brasileiros como no Brasil... esse homem nao tem escrupulo, ele e o proprio Megaempresario, de pastor ele nao tem nada...Ele fala de sustento espiritual na Igreja Universal?? nao tem nada, o povo so vai passar por la e encher as outras Igrejas que mantem a doutrina sa.. MEU JESUS.. Na seu blog eu gostei do assunto, pois a esposa do meu pastor era julgada pelas pessoas porcausa da "nao" participacao dela nas reunioes e etc.. Porque ninguem entendia o papel dela..E realmente muito triste a pressao que as pessoas colocam na vida das irmas..

Anônimo
16 de junho de 2009 17:45 comment-delete

SENHOR, tenha misericórdia de nós, o povo perdido na ignorancia da falta do ler, é conduzido e escravizado para o seu bem estar pessoal, oremos por esse lider, pois o DEUS que nos conduz pode tudo, porém se não houver correção o cajado vai pesar, quero também parabenizar as esposas de pastores que são ajudadoras positivamente de seus esposos.

Gilbert Raposo
16 de junho de 2009 20:30 comment-delete

ele nada mais e do que um anti-cristo !!!!

17 de junho de 2009 15:31 comment-delete

gostei muito da postagem ainda bem que nao9 sou da igreja desse cara pois sou noiva de um missionario que inclusive esta na argentina no momento e eu nao estou la com ele estou aqui no brasil que catastrofe para ele né(na cabeça do Macedo pois não faço a parte de esposa ou melhor de futura esposa de pastor e na nossa igreja mulheres são pastoras e sempre fazem a parte que o senhor ordena

26 de julho de 2009 22:01 comment-delete

Esse comentario sobre esposa de pastor é simplismente fantastico.
SOu esposa de pastor AFFF
Engraçado que a primeira coisa que nós perdemos é o nome, nao nos chamam ou nos paresentam as irmas da igreja como a fulana,mais sim essa é a esposa do pastor.
O interessante é que se somos mais introvertidas , é porque nao fazemos nada, se gostamos de trabalhar a frente dos ministerios, é porque a mulhar do pastor gosta é de mandar na igreja .
A unica coisa que nos resta é servir a Deus sem olhar para as pessoas que exigem de nóis coisas que nao somos e nem fomos chamadas pra exercer .
Estou escrevendo um livro sobre isso .

23 de setembro de 2009 13:27 comment-delete

Só uma pequena correção aí pastor.
Sei que é errp de digitação, mas muda o sentido do texto e pode ter passado despercebido...
No começo do texto diz

"Terça-feira, Junho 16, 2009
Quando a esposa do pastor é tratada como pestinha e piolho.
Renato Vargens

O bispo da Igreja Universal Edir Macedo afirmou em uma palestra que algumas esposas de pastoras são como umas pestes ou piolhos."

Esposas de... pastoras!! Ele está falando então das pastoras lésbicas... kkkkk

Sei que não foi por mal, mas não podemos dar trágua para os caras falarem mal de nós...

O texto está excelente!
Até mais

Renato A. O. de Andrade
renatim.wordpress.com

21 de outubro de 2009 09:34 comment-delete

Renato,

Obrigado. Já corrigi o erro.

abraços,

21 de outubro de 2009 09:46 comment-delete

Meu Deus!! que absurdo!
Já li a bíblia várias vez, eu nunca vi Deus falar mal de nenhuma mulher pelo contrário Ele sempre tem uma palavra para valorizar, animar, sustentar, fortalecer, repreender, abençoar, edificar, restaurar, limpar, perdoar,enfim eu nunca vir Deus ridicularizar as mulheres, este pastor esta precisando e ler e estudar mais a palavra de Deus.A esposa de pastor e realmente mal entendida muitas das vezes na igreja, mas ninguém quer carregar a sua cruz os fardos, as angústias, as lutas, as cobrança de um ministério perfeito, isso ninguém que fazer, precisamos e ver as esposas dos pastores com olhos de amor e compaixão, isso sim e uma atitude cristã.

Nivany
21 de outubro de 2009 11:47 comment-delete

Ele está certíssimo. Parabéns ao Edir Macedo. Obviamente, não podemos generalizar. Entretanto, algumas esposas de pastor são fofoqueiras, maliciosas, ególatras, maldosas, arrogantes e muito mais. Digo isso por experiência própria. Já cheguei a admirar a Igreja Católica, cujos sacerdotes fazem voto de castidade. Sofri muuuuito por causa de esposas de pastor ciumentas, invejosas e maledicentes. Já contei segredos a pastores que, depois de terem confidenciado o conteúdo a suas esposas, me deixaram em má situação diante de toda igreja.

Concordo em gênero, número e grau com Edir Macedo. De vez em quando ele acerta. O texto do pr. Vargens, aliás, cai no "coitadismo". "Coitadinhas dessas abnegadas esposas de pastores!" Coitadinhas nada, a maioria delas são umas cobrinhas criadas. E tenho dito.

Maya Felix

11 de junho de 2010 18:50 comment-delete

E eu me esqueci de falar daquelas que nunca pisaram em um seminário teológico, mas acabam querendo ocupar o lugar do marido e se autodenominam "pastoras", achando-se no direito de fazer tudo o que o pastor faz. Essas são de lascar. Ninguém merece. É por essas e outras que eu confio pouco, muito pouco, quase nada, em pastor, não importa a denominação. Quando converso com um, já meço minhas palavras, imaginando o que posso dizer cujo conteúdo eu não me importe que seja "compartilhado" com toda a igreja.

12 de junho de 2010 02:33 comment-delete