O fenômeno voltou. Que se dane o resto!

Renato Vargens

Nesta ultima semana só se tem falado uma coisa. Ronaldo voltou! Membros da fiel torcida corintiana, além de milhares de torcedores apaixonados pelo futebol, celebram entusiasticamente o regresso aos campos de futebol do fenômeno. A copa do mundo se aproxima e com ela o ressurgimento do patriotismo a La tupiniquim, cujo principal hit a ser cantado nas ruas será “orgulho de ser brasileiro.” Aliás, orgulho de que? Como bem afirmou Affonso Romano de Sant'Anna, eu tenho vergonha de ser brasileiro.

Tenho vergonha deste país promiscuo, onde o jeitinho é quem dita às regras. Tenho vergonha dos políticos safados que se locupletam do poder publico, enriquecendo suas contas bancárias lixando-se para as dores dos pobres e miseráveis. Tenho vergonha dos contrabandistas, dos cafetões e cafetinas de colarinho branco, dos que traficam influência, de assassinos, terroristas, corruptos de todos os tipos que transformaram esta nação em covil de salteadores.

Tenho vergonha de viver num país onde secretários municipais agridem pessoas. Tenho vergonha dos legisladores que cerceiam a liberdade de imprensa. Tenho vergonha de habitar na nação cuja taxa tributária é uma das mais altas do mundo. Tenho vergonha dos nossos deputados e senadores que continuam locupletando-se do dinheiro público enchendo a burra de um dinheiro que não lhes pertence.

O escritor Português Eça de Queiros já dizia em 1871 “Estamos perdidos há muito tempo... O país perdeu a inteligência e a consciência moral. Os costumes estão dissolvidos, as consciências em debandada. Os caracteres corrompidos. A prática da vida tem por única direção a conveniência. Não há princípio que não seja desmentido. Não há instituição que não seja escarnecida. Ninguém se respeita. Não há nenhuma solidariedade entre os cidadãos. Ninguém crê na honestidade dos homens públicos. Alguns agiotas felizes exploram. A classe média abate-se progressivamente na imbecilidade e na inércia. O povo está na miséria. Os serviços públicos são abandonados a uma rotina dormente. O Estado é considerado na sua ação fiscal como um ladrão e tratado como um inimigo..."

Bom, que bobagem isso não é verdade? Deixa isso para lá, o fenômeno voltou, que se dane o resto!

Renato Vargens

6 comentários:

Faço coro com o irmão: eu também tenho vergonha de ser brasileiro! :(

Abs,
Juan

12 de março de 2009 18:37 comment-delete

O que achei interessantíssimo é o fato de Eça de Queiroz ter dito isso em 1871...

E Salomão já tinha falado sobre isso láaaa muito antes que isso. E, pasmem... Jesus Cristo também falou.... e mais uma dúzia inteira de apóstolos do Novo Testamento...

Pra que se importar com isso né? Afinal o que importa neste país é justamente o futebol e o carnaval..

Shalom

Robert

12 de março de 2009 18:43 comment-delete

Concordo com cada comentário acima... Morro de vergonha de ser brasileira...

Shalom adonai

12 de março de 2009 19:01 comment-delete

O ser humano é o mesmo sempre, agora está no SENADO FEDERAL um projeto que acaba com a prisão especial para o condenado que tem curso superior, padre, pastores, pai de santo, acho ótimo isso pois
quem mais teve acesso a informações mais deve ser penalizado, porém este projeto mantém o previlégio para os políticos, meus queridos os delitos que causam maior prejuizo
a Nação é cometido por deputados,senadores, governadores,prefeitos, vereadores, diga-me lá o povo merece respeito.
Gilbert Raposo, um aprendiz em Cristo Jesus.

Gilbert Raposo
12 de março de 2009 19:12 comment-delete

Acredito que o homem cada vez mais esta distante de Deus, e acaba fazendo estas coisas absurdas, se o país esta nesta situação é porque famílias estão desestruturadas, este reflexo vejo na escola, e não há como conserta-la pois é mais fácil culpar o professor do que adimitirmos que o sistema esta falido, que as famílias já não tem nenhum papel educador, as crianças, adolescentes não são responsáveis, mas como cobrar delas se o péssimo exemplo vem de cima, de politicos, de lideres que não fazem o que é certo. Que Deus tenha misericórdia desta nação.

Nemias Rosa Eduardo
13 de março de 2009 11:27 comment-delete

A paz do Senhor...

Referente a sua matéria, gostaria de fazer um comentário.

"A política brasileira é o espelho do povo."

Muitos falam mal dos que estão no poder. Mais encontramos pobres que tem o mesmo sentimento deles... roubar! Deixa sua carteira cair na rua e observe o comportamento do povo... se vc continuar a observar vc vai ficar sem ela.

Um abrço em Cristo Jesus

Edson Dorna

13 de março de 2009 14:37 comment-delete