quarta-feira, março 04, 2009

Deus não abençoa pastores preguiçosos

Renato Vargens

Ouvir alguns dos nossos pastores pregando é um verdadeiro desafio. Senão bastasse o constante atentado ao vernáculo, suas mensagens estão repletas de expressões e chavões. É comum em meio às pregações ouvirmos: “Este varão é canela de fogo. Aquela irmãzinha que caiu no rétété. Deus desenrolou o mistério pro vaso? Eita manto, né? Não dá mole não que o chicote queima irmão! Ah! graças a Deus que eu conquistei a minha rebeca! Sim, porque jovem solteiro é treva, irmão! Tá amarrado! A abençoada é uma jovem crente! Consegui fugir dessa Jezabel que era laço! Julgo desigual não vale! É benção. Misericórdia! Oh glória! Somos cabeça, não cauda. Determine a benção! Quando eu era do mundo... Queima! Geração apostólica. Amém ou não amém?"

Pois é, em pregações deste tipo se gasta muito mais tempo usando os jargões evangélicos do que se proclamando a Palavra de Deus. Na verdade, boa parte dos pastores demonstram ao longo da aplicação da mensagem um completo despreparo teológico, optando assim escancaradamente pelo uso invariável de chavões.

Isto posto, é impossível não nos lembrarmos de homens como o Dr. Martin Lloyd-Jones. Nos cultos que pregava, centenas de pessoas eram atraídas pela pregação expositiva da Palavra de Deus. O doutor, como era chamado, levava muitos meses, até mesmo anos, a expor um capítulo da Bíblia, versículo por versículo. Os seus sermões muitas vezes duravam entre cinqüenta minutos e uma hora, atraindo muitos estudantes das universidades e escolas em Londres que encantados ficavam com a pregação do evangelho.

Vale a pena lembrarmos daquilo que o reformador francês João Calvino costumava dizer quanto a Palavra de Deus. “A Escritura é a fonte de toda a sabedoria, e os pastores devem extrair dela tudo aquilo que expõem diante do rebanho” Calvino afirmava que através da exposição da Palavra de Deus, as pessoas são conduzidas a liberdade e a segurança da fé salvadora, dizia também que a verdadeira pregação, tem por objetivo abrir a porta do reino ao ouvinte, isto é, em outras palavras o que ele está a nos dizer, é que as Escrituras Sagradas, devem ser o principal instrumento na condução, consolidação e pastoreamento do povo de Deus.

Infelizmente muitos dos nossos pastores são preguiçosos. Na verdade, um bom número de nossos lideres preferem o uso de jargões ou e entretenimento barato, através de apresentações circenses do que pregar INTEGRALMENTE a palavra de Deus.

Caro leitor, creio veementemente que Deus não se agrada nem tampouco abençoa pastores desleixados com a pregação da Palavra. O fato da platéia ovacionar alguns destes, não implica especificamente de que Deus aprova o conteúdo do sermão, muito pelo contrário, até porque, o que promove vida e fé, como também mudança radical de comportamento é ação do Espírito Santo através da exposição da Palavra de Deus.

Pense nisso!

Renato Vargens
vagner luiz disse...

Pastor Renato, esse é um caso preocupante, porque muitas das vezes pastores sabem do que o senhor está falando, mas, são tão orgulhosos que não dão a mínima ja que o estilo de pregação lhes proporciona muitos "frutos".
Oro por todos, inclusive quem ouve tais pastores e espero que Jesus possa nos perdoar e não nos deixar cair no engano novamente.

Edson Dorna disse...

A paz do Senhor...

Irmão Renato...

Creio que não seja preguiça, mais sim, maldade. digo isso porque se eu posso fazer o bem e não faço, é pq estou fazendo mal. Quantos pastores sabem da verdade fizeram seminários estudaram a palavra. Mas não passa o conhecimento para o povo. Pois observamos que pastores que são professores de seminários normalmente tem dois lábios... um para o seminário e outro para divertimento do povo na igreja.

Em Cristo e acompanhante deste blog
Edson Dorna
www.santodosantos.blogspot.com

Anônimo disse...

Vejo também que em uma parte das igrejas, as pregações expositivas cederam espaço a outra forma de pregação mais adaptada ao mundo pós-moderno: a pregação motivacional, que longe passa da pregação exortativa... Pela forma dá para ver de onde sai esse tipo de pregação e para onde ela vai, seu foco...... ai dos crentes não-bereanos... e ai dos bereanos por profissão....

Anônimo disse...

Querido Pastor Renato, Boa Tarde!!!

Você esqueceu de dizer que o inesquecível Dr. David Martyn Lloyd - Jones, o maior expositor bíblico do século XX, só pregava sermões que eram produzidos entre 6 e 12 horas de meditação. Ma verdade, o "doutor" não acreditava em nada que pudesse ser pregado acerca da Palavra de Deus com menos tempo do que este. Bons Tempos àqueles!!!

Um Abraço!!!

Idauro.

Renato Vargens disse...

Rev. Idauro, sem sombra de dúvidas Martin Lloyd Jones foi um dos maioes expositores das Sagradas Escrituras n século XX. Que bom seria se tivessemos neste país pastores como ele.

Abraços,

Pr. Renato Vargens

Anônimo disse...

Bom dia, Graças e Paz do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo ;Quero antes de enviar este artigo, ressaltar com o que foi dito por este rapaz, uma inteligentíssima frase de um excelente e indispensável pregador da atualidade, ao que ele diz:"Deus não tem compromisso com palavra de pregador. Deus tem compromisso com a Sua Palavra"."A Palavra que não volta vazia, é a Palavra de Deus, e não a palavra de pregador". Bom cada um pode e tem o direito de pensar e agir como quisér, pois não estamos a sós. Deus está a nos observar a todo o momento ( Pv 15.3. Sl 139). Não quero, e não vou julgar ninguém, mas examine-se cada um a si mesmo. E esse comentário, me fez temer ainda mais, na questão de estudar e buscar as insondáveis riquezas de Cristo, no que diz respeito a ser coerente, prudente e fiel no que diz a Palavra do Senhor.Como falei, não julgarei, e também não vou medir, para não ser medido e julgado, mas acho que vale a pena cada um de nós fazer uma análise de como estamos nos portando, diante de Deus primeiramente, e também diante dos homens. Quero orar, ainda que brevemente:"Senhor, em nome de Jesus, tenha misericórdia, e obrigado pela tua maravilhosa e infinita graça. Pai querido, ajuda-nos, a cada dia Senhor, sermos fiéis à Tua Palavra, infalível, inerrante, inabalável. O Senhor é bom, e podemos pedir de coração sincero e aberto na Tua Presença, pois nos ouve. Nesta hora Senhor, peço que nos dê Senhor, mais sede e mais fome da Tua Palavra. Eu te peço, Senhor. Que a nossa busca por Ti Jesus, se torne incansável, indesistível. Ajuda-nos Pai, nessa hora. Em nome de Jesus eu oro, implorando pelas tuas misericórdias, amém !" Uma excelente tarde No amor de Cristo

Anônimo disse...

Quando li o título "Deus não abençoa patores preguiçosos", logo pensei que o comentário abordaria a negligencia de alguns pastores no tempo vigente, que as vezes até pregam muito bem, e possuem um amplo conhecimento teológico, mas que não cuidam das ovelhas, conforme Ezequiel 34. Não descordo que devemos nos preocupar com o despreparo de alguns ministros, mas devemos levar em consideração a especificidade de cada caso, para não generalizarmos e corrermos o risco de entristecermos o Espírito Santo de Deus. Ao julgarmos uma simples atitude de se usar chavões não podemos restringir a ésta toda a obra que Deus tem realizado em uma vida, e a maneira pela qual Deus usa cada filho, cada servo, cada vaso, pela sua infinita e multiforme Graça. Cada filho tem uma maneira especial de se relacionar com o Pai, sua forma de se expressar e seu entendimento, e o Pai se relaciona com ele de maneira que entenda, e seja tocado, e se renda, e seja tranformado pelo poder da Palavra de Deus.
Deixemos o Espírito de Deus trabalhar em nossas vidas porque onde há o Espírito de Deus aí a liberdade.

Alfrêdo Oliveira disse...

Constatação terrível. É triste mais esses pastores preguiçosos, fazem escola e ovelhas...

CLEBER disse...

Pr. Renato eu já vi pregadores falando de Deus com tanto amor e dedicação que algumas vezes ultrapassava o tempo previsto para a pregação, deixando assim mesmo a igreja querendo mais. Falavam de Deus e Seu amor – Isso é amor!
Mas também já vi outros amarrando o diabo, pisando na cabeça dele e, usando “palavras” difíceis de serem entendidas pela igreja.(I cor. 14- 8,9,10) – Isso é amor?
Que Deus tenha misericórdia de nós!

Augusto Elias disse...

Creio com muita intensidade de que o despreparo é um fator que exprime negação na vida de um homem, principalmente no que diz respeito para com a lei máxima da humanidade, que é a palavra de Deus.Pra mim, o desleixo se resume em negligência, ou seja,a falta de aplicação intelectual nas escrituras sagradas vai gerar uma exposição bíblica infundável com lacunas preenchidas pelo então "jargão". Não estou generalizando aqueles que usam coisas assim,mas é importante o estudo como mencionei acima,mas como também, incitar os membros a buscarem.Não tenho a menor dúvida quanto aos pastores prósperos que estudam,trabalham em fim, levando o ministério com seriedae e amor e em caráter de deicação.Tenho convicção que a igreja próspera é aquela que se dedica.Aí está a diferença:ter pastor com aversão ao trabalho e ao estudo traz gravíssimas consequências.A paz do Senhor jesus.

Ana - graça de Deus disse...

Bom dia pastor, há tempo que acompanho suas crônicas e artigos e gosto muito. Gostaria de pedir se possível for que analisasse, meu testemunho e me ajudasse publicar, gostaria de ter seu e-mail para que eu possa enviar.
Mas como não tenho vou enviar por aqui mesmo. Por favor me dê seu parecer ok? E se possível for me ajude! Graça e paz! Ah o livro é meu testemunho!

Segue abaixo:


AGRADECIMENTOS:



Ao Senhor Jesus autor e consumador da minha fé, por ter me escolhido desde o ventre da minha mãe e pelos constantes livramentos, cuidados e por seu infinito amor.
A meus amados pais Custódio e Maura, meus irmãos Silvana e Júnior e a todos meus familiares, especialmente tia Maria, tia Nena, tia Alcemir, tia Adelina, amigos, ex- alunos e professores, aos médicos: Lara Regina de Brasília, Mardônio Parente de Palmas, pois todos contribuíram para o meu crescimento pessoal e espiritual. Que Deus retribua na vida de cada um de vocês!


























DEPRESSÃO E AGORA?


1- Como tudo começou


Sempre fui feliz e em tudo estava satisfeita!
Nasci em um lar católico, sou a mais velha de três filhos, atualmente tenho 31 anos, uma irmã com 28 anos Silvana e um irmão com 19 anos Custódio Júnior. Meu pai Custódio e minha mãe Maura, sempre foram meu modelo. E sempre me apoiaram em tudo, por ser a primogênita tive todo o amor e cuidado necessários a um filho, chego a dizer que sou dengosa, no modo de falar, devido à tanto cuidado, porém todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam à Deus.
Aos 8 anos de idade já era batizada, crismada e tinha feito a 1ª comunhão, tudo isso porque eu sempre quis ter uma comunhão íntima com o Senhor.
Meu pai Custódio tem uma linda voz e sempre antes que eu fosse dormir ia ao nosso quarto, meu e de Silvana para contar uma história ou ler um livro ou mesmo cantar, só lembro-me que imitava meu pai e também a partir daí surgia o gosto pela leitura, mas apesar de toda a paz, harmonia e felicidade em nosso lar eu sempre tive um desejo secreto: queria partir deste mundo, não porque eu fosse infeliz, pelo contrário era muito, muito feliz e não queria alcansar uma idade maior, pois me diziam que quanto maior eu , maiores responsabilidades teria e que a vida era muito difícil. Minha irmã Silvana, nasceu com um problema que até hoje não sabemos a causa, se é por que minha mãe caiu quando estava grávida, ou se foi , meus pais que são primos de 1º grau se casaram, o certo é que minha irmã ao nascer ficou muito tempo hospitalizada e se não tivéssemos nascido em Brasília com certeza, ao menos a olhos humanos, ela não teria sobrevivido, a sua cabecinha foi raspada e procuraram em vários locais do corpo, lugar para colocar soro, colocaram no pescoço e no tornozelo. Na época o atendimento médico era precário, então no Hospital de Base de Brasília, a que ela estava submetida, não fizeram operação de reparo, então até hoje ela tem marca tanto no pescoço, quanto no tornozelo, seu crescimento físico foi normal, porém a mentalidade não acompanhou o idade cronológica. Ela conversa, lê porém sua mentalidade é infantil, entretanto, não existe pessoa no mundo mais doce e afável do que minha irmã Silvana, dou graças à Deus pela vida dela e por nós três eu, ela e meu irmão Júnior cantarmos na igreja.






1.1 – Infância



“Ensina a criança no caminho em que deve andar, e ainda quando for velho não se desviará dele” Prov. 22.6


Como disse anteriormente, nasci e passei minha infância em Brasília DF, nasci no hospital Santa Luzia, moramos até eu completar 3 anos, em Planaltina DF, antigo DVO, e de 3 anos em diante fomos morar no Setor O Ceilândia Oeste DF. Lá morei ao lado da Escola Classe 31 de Ceilândia, comecei a estudar aos 6 anos de idade na pré-escola na 1ª série do ensino fundamental tive como professora Leila; na 2ª série professora Dulcimar; na 3ª série professora Celeste ( que foi a minha melhor e mais querida professora, pois incentivou-me a ler em frente à turma e a não sentir-me inferior aos outros) e na 4ª série professora Neumária. Tive amigos na infância as quais ficaram pra sempre em minha memória: Rosana, seu irmão Cacau, Ceciane, Simone, Geane, Cláudia, Tânia, Armando, e especialmente Josilda e Janete esta última tenho contato até hoje!
Bom, tive uma infância muito feliz, brincava demais e sempre fui muito cuidadosa com minha irmã. Lembro-me que ela demorou muito a andar, e usava botas ortopédicas, então caía muito e num certo dia ela caiu de forma engraçada com os pés e as pernas abertas, e eu não agüentei e sorri muito, minha mãe ao ver aquela cena, chamou-me a atenção e disse que nós devemos sempre ajudar quem cai e ver se podemos ajudar, ainda mais eu sendo a irmã mais velha! Eu senti-me envergonhada, tanto que até hoje não sinto a menor graça quando alguém cai, sei que o cair é do homem mas o levantar é de Deus, mas não nos custa nada ajudar nosso irmão a erguer-se!
Em nosso lar, meus pais não permitiam que xingássemos, ou batêssemos uma na outra, eu me comportava como mãe de Silvana, não permitia, que rissem dela, ou a maltratassem. Em uma ocasião a levei para a escola somente de short e como ela sempre foi gordinha, meus colegas começaram a rir e a dizer que ela estava só de calcinha! Eu voltei pra casa chorando, e estava pronta para retornar para a escola somente para bater em meus colegas pra defender minha irmã, mas minha mãe não deixou e disse que a violência não nos leva a lugar algum, então eu obedeci. “ Mais poder tem o sábio do que o forte e o homem de conhecimento mais do que o robusto. Com medidas de prudência farás a guerra, na multidão de conselheiros está a vitória.” Prov. 24. 5-6.

2 – Conversão


Aos dezessete anos conheci a Jesus de maneira intensa através do pastor Kleber, hoje missionário e pastor em Nampula na África. Conheci a Jesus de maneira intensa, não como na antes em que não era possível ler a bíblia sozinha e o ato de cumprimentar os irmãos era mecânico. Eu juntamente com meu pai Custódio sempre lia-mos a bíblia em casa e quando questionávamos na igreja, não tínhamos resposta que nos convencia ou simplesmente não era nos dada uma resposta, deixando-nos sempre com dúvidas. E eu apesar de tudo isso quase me tornei freira, só não fui para o Rio de Janeiro, pois minha mãe Maura pediu que eu fosse quando completasse maior idade, além de poder conviver com meu pequeno mano Júnior que eu amava como se fosse meu filho. E o amo imensamente pois é o irmão que eu pedi à Deus, maduro, amigo, conselheiro é uma benção em nossas vidas! Então em meio à tanto amor e apego à família, não fui para o convento. Mas neste mesmo ano conheci a Jesus. Um Jesus amigo, companheiro, que eu poderia me entregar sem reservas. Cantar para ele, mesmo que não tivéssemos instrumento para acompanhar, mesmo que na igreja tivesse só 5 membros, o amor que nos unia era tão forte, que nos bastava. Então aceitei a Jesus e me preparei para o batismo.

2.1 A profissão


Aos dezesseis anos de idade estava cursando o 2º Magistério e surgiu na cidade o curso de Técnico em Enfermagem, então vários profissionais saíram por 1 ano da sala de aula e procuraram substitutos, então eu lecionei para a 3ª série aos dezesseis anos e tive alunos maravilhosos na escola Confúcio Aires Costa Neto e tive vários profissionais que ajudaram-me: Virgínia, Maria Cirqueira, Piedade, Marli, Genesi, Rosiléia; enfim toda a equipe da escola. Pude comprar minha primeira bicicleta: uma cecizinha rosa com cestinha, com meu próprio dinheiro e pude ajudar minha família, além de aprender diariamente com meus alunos: Átila, Wátila, Júnior, Irismar, Willian, Zezinho, Jussara e tanto outros que no momento não me recordo, mas que foram de suma importância para meu crescimento pessoal e profissional. “ O preguiçoso deseja e nada tem, mas a alma dos diligentes se farta.” Prov. 13-4.





3 – Batismo


No dia 02 de fevereiro de 1994 batizei-me nas águas, numa piscina na cidade satélite do Lago Sul em Brasília DF, minha terra natal, o pastor Evaldo realizou meu batismo e mais tarde a igreja foi composta por mais 2 pastores: Ricardo e Geraldo Borges.
O pastor Geraldo foi um verdadeiro pai na fé para mim, assim como sua esposa Tianinha in memorian. O pastor apascentava realmente suas ovelhas, tinha prazer em conhecer a vida de cada membro e apascentar, isto numa cidade grande que é Brasília, mais isto não impediu que o pastor Geraldo se propusesse a ser mais que um pastor e sim um pai de cada membro.


Líder de Louvor


Sempre cantei como disse anteriormente, porém na igreja de Cristo do Guará é que Deus foi preparando-me para liderar e ministrar louvor e para isso obtive auxílio de uma grande família Irmãos: Marinalva, Marcelo, Vanessa, Francisco Salerno, Helen in Memorian, Ricardinho, Xandinha, Eunice, Saulo, Suzana, Fátima, Pastor Ricardo, Fátima Freitas (minha intercessora) Marcelo Freitas, Gisele, Sales, Cléser, , Angélica, Carlos, Ildênia, Adriana, Henrique, Rosana, Marisa, Marcelino, enfim todos os integrantes da igreja de Cristo no Guará me ajudaram direta ou indiretamente a adquirir postura, perder a timidez e ministrar, embora sendo recém batizada, aceitei e tomei posse da benção.

4-Depressão


Fui para Brasília estudar pedagogia, habilitação em Orientação Educacional aos 17 anos, passei e graças à Deus, somente com estudos aqui na cidade de Dianópolis, na qual estudei de 5ª à 3º ano de Magistério. Fui estudar então na Universidade Católica de Brasília na cidade satélite de Taguatinga Sul. Fui morar com meus tios e primos: Maria Madalena, Eduedson, Vanusa, Raphael e Rodrigo que são minha 2ª família. Foi com eles que aprendi a ser independente, a não ter medo de andar sozinha à noite, pois estudava no período noturno e voltava de ônibus. Para mim, criada no interior era um grande avanço, circular por Brasília até 11:30 da noite, e venci, foi uma bênção! Porém minha tia, que na época trabalhava no T.C. U teve que se mudar para o Maranhão, convidou-me mas eu não quis ir, pois já estava no 3º período de pedagogia, então fiquei em Brasília. Nunca tinha namorado firme, conheci um rapaz totalmente mundano, que só me deixou marcas, a partir dele aprendi a desprezar os homens, a julga-los sempre da pior maneira. Fiquei desempregada, meus pais não tinham condições de me sustentar no estudo e eu não sabia com quem iria morar, pois não é com todo parente que nós nos damos bem! Naquela época eu descobri essa verdade!



5- Depressão profunda!


Depois que terminei o namoro, fiquei totalmente sem chão. Estava apaixonada por um descrente, que não me respeitava e ainda zombava descaradamente de Deus! E eu na minha ingenuidade, pensando que iria leva-lo a se decidir por Jesus e mudar de vida, depois de me casar, com ele. Sim eu queria me casar com ele estava, totalmente cega!
Bom , sem namorado, sem emprego, sem moradia, sem amigos, em quem pudesse confiar e desabafar, estava afastada da igreja, então somente Jesus, ele, este meu amado sem igual me carregou eu seus braços! Vivi um milagre sem igual, pois quando estamos fracos aí é que estamos fortes. 2 Coríntios 12.10. Pois fiquei 30 dias sem dormir, rodando Brasília ao léu, sem destino certo, durante o dia (pegava carona com motoristas de ônibus, explicava que eu era estudante e naquela hora não tinha dinheiro para ir para a escola) Sendo que eu passava o dia assim, mas à noite ia para faculdade, não me pergunte como, só sei que Deus me susteve!
Consegui bolsa de 80% na faculdade pois na época a UCB ( Universidade Católica de Brasília) ainda eram faculdades integradas da católica e eles tinham um projeto de alfabetização de adultos, o aluno que se dispusesse a ensinar diariamente 2 horas um grupo, em qualquer lugar de Brasília onde houvesse interessados, teria o desconto. E eu fui aprovada!
Nisso, neste ínterim, já havia morado com a amada tia Tereza e seus filhos Gustavo, Paulinho e sua nora Sheila, esposa do Paulinho. Eu sempre fui carinhosa e a esposa do Paulinho não entendia, que eu ao abraça-lo era só afeto, então começou o ciúme, aí eu não tinha o apoio da minha minha tia Tereza, não porque ela não quisesse, mas porque ela era diarista no plano piloto, trabalhava para os deputados do DF e não sabia o que se passava em sua casa, pois suas folgas eram quinzenais. E eu não contava para ninguém o que se passava comigo, sofria calada. Meu amado primo Gustavo, nós nos dávamos muito bem, mas nem com ele eu me desabafava, então para sair daquela situação angustiante, eu passava o dia inteiro na biblioteca pública do Núcleo Bandeirante lendo livros que não me edificavam em nada, tais como: O exorcista e por aí vai. Chegava em casa só para comer ou tomar banho para ir para a faculdade. Como ninguém sabia por onde eu andava, não deu outra, fiquei apenas 1 mês no Núcleo Bandeirante – Bairro Metropolitana – E aí começaram os boatos, pois não sabiam que eu já havia terminado o namoro, assim diziam que eu passava o dia inteiro namorando.
Então fui morar em Taguatinga Norte com meus primos: Nilson, Lié e Eli, lá obtive um pouco de paz, mas temporariamente, pois estava desempregada e já não tinha perspectiva de vida a não ser alfabetizar adultos. E para isso como já disse anteriormente, o pagamento era a porcentagem de 80% de desconto na mensalidade, ou seja, não ganhava dinheiro em espécie, nem vale transporte, nesse ínterim eu já estava com depressão profunda. Meu primo Nilson chegou a dizer que eu não conseguia emprego na Fundação Educacional é porque não queria, não sabendo ele que o que eu queria mesmo era morrer, devido à tanta angústia. Nisso acho que morei uns 2 ou 3 meses em Taguatinga.
Aí fui morar com minha amada tia Nena que me recebeu de braços abertos , porém trabalhava em farmácia e quase não nos víamos, aí sim eu já estava no cume da depressão e o inimigo rindo, feliz usando minhas primas para falarem mal de mim, não deixando que eu tomasse ao menos 1 copo de suco antes de ir para a Asa Norte dar aula de alfabetização para adultos, eu nesta época, morava na Ceilândia e tinha que sair 11:00 da manhã para ensinar os alunos no horário de almoço deles! Nesta fase eu passava o dia com 1 biscoito, 1 chiclete, ou balinhas que os alunos me davam. Aí eu já estava 30 dias sem dormir, nem cochilar, e a minha alimentação como já descrevi era nada, mas o Senhor me susteve.”Diz o Senhor: Eu quero salva-los e com certeza vos abençoarei.” Zacarias 8-14. Num dia de grande angústia tomei mais de 30 comprimidos fiz uma mistura de analgésicos, antiinflamatórios, todos os comprimidos que encontrei pela casa e fui tomando de 2 em 2, 3 em 3 até tomar todos. Não fiz carta para despedir de meus pais ou irmãos a quem eu os amo muito, somente pedi perdão à Deus e fiquei esperando a morte chegar. Porém o Senhor é a força da minha vida, de quem eu poderia ter medo? Salmo 27-1. O Senhor Jesus fez com que eu vomitasse tudo, não morri para honra e glória do Senhor, pois ele tinha um propósito na minha vida, ele me fez adoradora para anunciar o evangelho através da música. Naqueles dias de sofrimento o hino que eu cantava era:
Mais perto, quero estar meu Deus de ti!
Inda que seja a Dor que me una a ti
Sempre hei de suplicar
Mais perto quero estar 2x
Meu Deus de Ti!

Andando triste aqui,
Na solidão, paz e descanso a mim
Teus braços dão.
Eis meu constante orar mais perto quero estar
Mais perto quero estar meu Deus de ti!


Min’alma cantará
A ti Senhor!
Cheia de gratidão por teu amor
Eu sempre hei de rogar
Mais perto quero estar 2x
Meu Deus de ti!



E o meu preferido: E quando a morte enfim
Me vier chamar com serafins no céus
Irei morar, então me alegrarei
Perto de ti, meu Rei, Perto de ti meu Rei
Meu Deus de ti!

Eu cantava chorando. Sabe o que é sentir dor no coração? Meu coração doía tanto, tanto
Que eu chorava de dor, e isso era nas paradas de ônibus, dentro dos ônibus, só não na frente dos alunos e nem na faculdade!


Então meu amado paizinho veio me ver, saiu de Dianópolis para me alegrar, mas eu estava tão ferida, que não sei se consegui dar um sorriso para ele, não me lembro!
Só sei, que um tio meu tinha falecido e eu que sou uma pessoa tão expressiva e sentimental não disse nada, só pensei: sorte dele antes fosse eu! Não sei se meu pai percebeu, quer dizer ele só sabia que eu estava triste, mas como eu não conversava com ninguém , nenhuma pessoa sabia da tormenta que estava no meu coração! Só Deus!
Então uma colega evangélica casada, tocada por Jesus convidou-me para morar com ela e seu esposo, esta minha amada irmã Marli que Deus a proteja onde estiver, foi uma luz em meio às trevas. “Os pensamentos de Deus e sua maneira de agir são muito diferentes dos vossos.” Isaías 55.8
Marli em acolheu em seu lar e daí eu passei da depressão para a euforia, comecei a levantar 6:00 horas da manhã e ia correr sozinha... sozinha não com Deus “A fidelidade de Deus é grande” Lamentações 3-23 e Deus me susteve não fui atacada por ninguém e neste horário só encontrava homens nas ruas, mas como já disse não estava bem mentalmente, estava com transtorno bipolar, ou seja a doença passa da depressão para a euforia num estalar de dedos. Então como eu achava que estava bem, comecei a ligar diariamente para a minha mãezinha, a amada irmã Marli, também comentou com minha mãe que eu estava muito diferente. E eu estava com sentimento de grandeza. Me apoiava no versículo Fp 4-13 “Tudo posso naquele que me fortalece!” Tinha uma amiga de faculdade dona de uma imobiliária e como nas minhas conversas eu me dizia rica ela se prontificou a alugar um apartamento com 2 quartos, sala, cozinha, banheiro e garagem em Taguatinga Centro sem avalista. Então os amados, podem imaginar a minha felicidade! Liguei imediatamente para minha mãe contanto a boa nova! Prov. 14-1 A mulher sábia edifica a sua casa! Olhe a sabedoria de minha mãe! Em vez de repreender-me ela me disse: Não feche negócio ainda, estou indo para aí! O que me deixou extasiada! Minha mãe me vendo na minha própria casa! Mas há um tempo certo para cada coisa- Eclesiastes 3.1. Então já veio logo para Brasília me retirou da casa de minha amada amiga Marli, graças à Deus! Pois eu já estava sendo um fardo pesado para ela! Minha mãe levou-me novamente, para ficarmos nós duas na casa de minha tia Nena na Ceilândia e lá quase todos os meus primos usados pelo inimigo começaram a acusação: É Maura, sua filha não presta! Ela não está doente! O caso dela é gravidez! Amados, vocês não podem imaginar o quanto minha mãezinha sofreu, tanto que traumatizou-se com Brasília, só vai lá em último caso! Bom retornando, eu dizia chorando: -Mãe não acredita neles. Mãe: eu sou virgem! E minha mãe nada respondia só chorava, minha tia Nena como trabalhava há muitos anos em farmácia, fez com que eu fizesse o teste da urina e o meu corpo estava tão fora de controle, que o teste deu positivo. Mas minha prima Mezina, que Deus a abençoe pelo discernimento me disse: Eu acredito em você, tia Maura acredite em Cristina! Então minha mãe falou: Tudo bem, então vamos ao ginecologista, eu na época estava com 19 anos e não sei dizer o porque, mas nunca troquei de roupa na frente de ninguém, então ir para o ginecologista é para mim um sacrifício desnecessário, tanto que até hoje com 31 anos nunca mais fui. Bem voltando ao exame, o médico afirmou para minha mãe: Bem virgem ela é, só não sei em relação aos seus pensamentos! A situação era tão embaraçosa, que tive de rir para não chorar! Pois implorei à minha mãe para que eu não tivesse que fazer este exame! Ainda perguntei: Mãe e se eu morresse hoje? Mas mesmo assim minha mãe foi obstinada, o que eu agradeço à Deus, pois todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam à Deus. E minha mãe levou o laudo médico para demonstrar que eu estava falando a verdade! Deus me tirou do lamaçal da fofoca, maledicência e intriga! Minha mãe foi à faculdade, trancou minha matrícula e eu retornei para Dianópolis.


6. Trabalho

Fui em novembro de 1993 a setembro de 1994 morar com tia Eulina no Riacho Fundo I- DF. Foi uma luz na minha vida, nesse momento tão doloroso e difícil. Fui trabalhar na Administração do Cruzeiro, chefe do departamento de abertura de processos. Conheci pessoas maravilhosas: Deputado Odilon, Paulo, Rosana, e muitos outros, mas a pessoa nesta fase que teve maior destaque foi minha tia Eulina por seu carinho, cuidado e paciência! Que Deus lhe retribua em dobro todo o amor que você me deu. Você é maravilhosa! Aproveito para agradecer ao tio João e todos os meus primos, vocês foram luz em meio à trevas, para mim! Quanto ao trabalho, foi muito bom ter ido trabalhar na Administração, mesmo em crise meu amigo Paulo demonstrou sua diligência ao me afastar por 30 dias do trabalho, no momento em que estava no ápice da crise, meu amigo que Deus lhe abençoe ricamente!



6.1 O recomeço



Nisso já estávamos no ano de 1995 e eu fui trabalhar como professora de Ciências, História e Desenho Geométrico de 5ª à 8ª série também dava aula para a 4ª série noturna. Estava com o coração triste, pesava uns 80 Kilos apesar de ter só 1, 57 de altura, minha auto-estima era zero, muitos na cidade pensavam que eu estava grávida. Minha vergonha era tão grande, que não queria ver ninguém, nem sair nas ruas, pois um dia uma jovem perguntou á minha mãe se eu estava grávida, não satisfeita perguntou também a mim. Nesta época eu chorava muito, pois não queria de forma alguma sair de casa, mas graças aos meus amados pais e por muita insistência deles comecei a trabalhar nas séries anteriormente descritas na escola Abílio Wolney em Dianópolis Tocantins, na época a diretora era Maria do Socorro, uma ótima pessoa, meiga, engraçada e compreensiva! Conheci também a secretária Sandra uma pessoa linda, tanto no interior como no exterior, uma pessoa centrada, organizada, uma profissional exemplar! Marcolina e Marluce as gêmeas também foram duas colegas de destaque! Assim como Marli, enfim todos os colegas e alunos que tive o prazer de conviver naquele ano serviram de luz para minha vida: professora Geane, professor Jeremias, professora Edna, Alunos: Charles, Marcos, Edílson, Laurenita, Ladjane, Douglas... enfim tantos nomes que não caberiam nesta folha! Vocês moram no meu coração! Que Deus conceda à cada um bênçãos sem medida!
Este ano de 1995 foi o ano de restauração, voltei para a igreja de Cristo e o Senhor Jesus foi me curando e usando todos os irmãos para me abençoarem: Pastor Kleber, Juracema, Edna, Joviniano e sua esposa, Mônica de Cássia, Joana, Rita, Klerley e minha madrinha Ermezina.


7– A volta


Retornei em 1996 para Brasília e reabri minha matrícula na faculdade, porém fiquei 2 anos pagando, mas não tinha forças para ir à escola, então reprovei em todas as disciplinas, o que para mim era quase uma morte, pois sempre fui a 1ª aluna da classe, mas espiritualmente e fisicamente ainda não estava pronta para estudar, mas queria continuar com este vínculo com a faculdade, pois uma das coisas que mais gosto é estudar, e lá formei muitas amizades, não vou citar nomes porque como já tem certo tempo, eu não me lembrarei de todos e deixaria a leitura exaustiva. Estava angustiada pois estava novamente desempregada, resida com Tia Maria, consegui trabalhar como doméstica, mas ela não deixou dizendo que era melhor eu cuidar dos meninos dela que eu a estaria ajudando mais e ela me ajudaria a custear a faculdade e eu aceitei. No final de 1997 “Mudou o Senhor a sorte de Jó” Jó 42-10. Então minha amada irmã Marinalva da Igreja de Cristo do Guará, indicou-me como babá de um jovem excepcional, para uma dentista Eneceli do conjunto nacional que residia no Lago Sul. Seu filho João Flávio tinha uma enfermidade semelhante à epilepsia, Adriana filha da irmã Marinalva, era secretária da Eneceli em seu consultório, tanto Adriana como irmã Marinalva indicaram-me para ser babá, pois a Eniceli precisava com urgência de alguém para ajuda-la enquanto seu filho não estava na escola especial. Então ela aceitou-me graças à Deus, e no primeiro instante da entrevista foi logo falando: - Ana, meu filho usa fraldas e eu preciso que você dê banho nele, porém não na banheira, pois poderá ser perigoso!Como eu já descrevi anteriormente, tenho 1,57 e João Flávio na época era um jovem de 17 anos e maior que eu! Andava e se alimentava sozinho, porém precisa de cuidados constantes pois caía e ficava com o corpo todo rígido e si por acaso caísse na piscina do quintal da casa eu não conseguiria tira-lo pois o corpo ficava muito pesado, devido à rigidez! Além disso, ele tomava remédio controlado, então eu precisava vigia-lo constantemente! Bom, voltando à entrevista, quando ela disse- me você precisará dar-lhe banho eu graças à Deus agi naturalmente e disse: “ Não tem problema, pode deixar, eu darei banho nele no chuveiro”! Mas no meu interior eu estava com um misto de vergonha e receio pois nunca havia dado banho em ninguém adulto, veja lá num homem, mas disfarcei bem, graças à Deus, pois talvez se tivesse demonstrado surpresa, ou medo, provavelmente ela não teria me admitido como babá.
Bom, mas apesar das dificuldades: eu tinha que acordar à 5:00 horas e dormia às 24:00 ou mais, porque estudava na Universidade Católica, e também à enorme responsabilidade pois eu passava o dia inteiro sozinha eu, Deus e João Flávio, tinha que medicá-lo, arrumava a casa, fazia almoço e tinha que estar sempre alerta para que ele não fosse para o quintal devido à piscina. Mas estava em paz! O Lago Sul é tão tranqüilo, a casa era toda cercada de verde e eu me sentia em paz! E graças à Deus sempre consegui ajudar o João Flávio, ou seja, pouquíssimas vezes ele caiu no chão na minha presença! Deus é tão maravilhoso, que ele caiu diversas vezes no sofá, na cadeira, na cama e nenhuma vez na piscina, e eu consegui ser uma boa babá, até viajei para Buritizal – São Paulo com eles e me senti muito útil. Eneceli é uma pessoa maravilhosa, bonita, simples, meiga, educada e compreensiva, até tocava violão e eu a acompanhava cantando! Nunca vi uma pessoa rica de bens materiais tão simples! Que Deus a abençõe sempre! Poucas pessoas são como você!
No ano posterior 1998, eu estava trabalhando no Colégio CENAL de Águas Lindas e foi uma benção tanto profissionalmente, como pessoal, fiz muitas amizades: Alan Cleide, Adriana, Roberto Carlos, Luciana, Alexandra e seu esposo Rogério, sua mãe Ana, Salomé, Andréia e tantos outros queridos que me susteram e me apoiaram, que Deus retribua no viver de vocês o amor e a vida em abundância que me ajudaram a ter. Pois lá minha alta estima começou a ser restaurada, fui amada, querida e ensinava C.F.B (Ciências Físicas e Biológicas) com prazer, até teve alguns alunos que se interessaram em namorar comigo, porém além de ser anti – ético eu não conseguia me relacionar, devido às marcas profundas deixadas pelo meu primeiro namorado. Mas estava feliz, fazia o que eu gostava, apesar das dificuldades, pegava 5 ônibus diariamente com idas e voltas gastava na época cem reais, somente com passagens, mas Deus é fiel, fiz concurso para a prefeitura de Águas Lindas e passei, aí meu vencimento passou de 350 reais para 507 reais, mas as tribulações foram tamanhas que não é bom relatar, a não ser os amigos: Janice, Cida, Alan, Socorro, Carlos Renato e Nancy. Vocês foram meu sustento naquele lugar horrível, onde até pegar um rapaz recém baleado o professor Alan teve o desprazer de carrega-lo e vê-lo morrer em seus braços e nós colegas presenciamos tudo sem poder socorrer, somente oramos! Que Jesus proteja cada um de vocês!




8 – A faculdade


Passei dois anos estudando sem ir à escola porque não tinha forças para ir, minha mãe descobriu e eu comecei a estudar 2 ou 3 matérias por ano. Em 2000 novamente tive a crise bipolar mas foi diferente... estava na igreja de Cristo e participei do congresso G12 o encontro e lá recebi muitos dons, um irmão me disse após o encontro que eu tinha recebido além do limite e ele estava certo: fui batizada no espírito santo em 2 línguas Inglês e Espanhol e discernimento de espírito, quando voltei do encontro passei 5 dias falando só casteliano ou castelhano. Então como a sabedoria de Deus é loucura para os homens, fui novamente levada aos médicos: psiquiatra, neurologista e psicólogo e diagnosticaram que estava em crise, aí não tranquei a faculdade, minha mãe foi à diretoria do departamento de pedagogia- Profª Márcia e ela leu todas as medicações que eu estava tomando e entrei em estudo especial, voltei para Dianópolis e continuei a fazer os trabalhos acadêmicos, outra grande auxiliadora foi a professora Ione Vasconcelos e Maria Helena da ouvidoria, estes dois anjos me reanimaram e incentivaram-me a prosseguir. Em agosto de 2000 já de volta à Brasília, fui trabalhar como babá de um jovem excepcional filho de uma colega de faculdade: Ana Tércia, foi Deus quem me abençoou, pois no 1¬º dia de trabalho ele agrediu-me de tal maneira que minha camiseta de malha de algodão rasgou-se de ponta à ponta, mas o Senhor Jesus me deu uma autoridade sem igual, que eu não temi que ele me batesse ( ele já havia feito isso com outras moças) e apesar dele ser maior que eu pois só tenho 1,57 eu conseguia ser ágil o bastante para pegar os pulsos dele antes dele ter as crises e bater em si mesmo ou em mim e tudo isso sem a mãe dele saber que eu tive depressão e que alguns dos medicamentos do filho dela eu já havia tomado! Mas Deus é fiel, fiquei 4 meses com eles e não queria sair, mais só não fiquei porque Ana Tércia disse: Você é muito talentosa e legal, deve procurar outro emprego, até para você se manter, (pois ela pagava-me 1 salário mínimo pois não tinha condições de aumentar o pagamento, era universitária como eu,) e neste período eu estava um ano de licença pelo INSS tal era o estado de depressão, mas fui literalmente carregada por Jesus.



9 – A monografia do curso de Pedagogia

A monografia que eu escolhi foi a inclusão de portadores de necessidades especiais no ensino regular, os amados já sabem o porque deste tema, não é? Tinha vivido na pele a rejeição de alguns ditos amigos pela enormidade de besteiras que eu falava e tinha minha maninha Silvana que apesar de ter 27 anos, sua mentalidade é de alguém de 7 anos. Então queria de alguma forma ajudar à tantos portadores de necessidades especiais a se sentirem amados.
A monografia foi elogiada pela minha amada professora Ione e Márcia diretora do curso de Pedagogia e até insistiram para que eu prosseguisse fazendo mais um ano de Pedagogia para sair de lá habilitada além da Orientação Educacional, sair licenciada em Ensino Especial, mas aí eu já não tinha condições financeiras e físicas para continuar, então saí com habilitação só em Orientação , mas era o que eu queria, pois sou ótima ouvinte e disposta a ajudar, creio que os dois requisitos são os essenciais na nossa profissão. Fiz estágio na UCB de Taguatinga Sul DF com os cuidados das professoras acima citadas de a secretária Rosana. Amados foi a época mais feliz da minha vida! Sabe aquela sensação de que estamos no lugar certo, fazendo a coisa certa? Pois foi assim que eu me senti. Obrigada Jesus! Aqueles dias foram inesquecíveis e pelos próximos que virão!

10 – Retorno para Dianópolis

Quando terminei de estudar Pedagogia em 2001 junho. Em julho fui passar as férias em casa, meus pais me aconselharam à pedir o chefe do núcleo de ensino Adelmides, vaga em alguma escola, ele falou comigo da possibilidade de uma turma de Normal Superior Telepresencial e eu mandei sem demora meu currículo para Palmas, dentro de dias o chefe do departamento Eugênio ligou, disse para eu estar em Dianópolis na tele-sala na próxima 2ª feira, lembrando que eu já era concursada em Águas Lindas, e já estava em Brasília quando recebi o telefonema. Então pedi licença sem remuneração por 2 anos e vim morar com meus pais e irmãos.


11 – A turma 51


Não foi fácil me adaptar , tinha alunos de renome das grandes famílias tradicionais da cidade, e eu ali pequena, humilde, e muito educada do tipo “sim eu levo desaforo, para casa, desde que não magoe ninguém”. E nesta “brincadeira” como fui magoada! Mas venci e não magoei ninguém, posso dizer tranqüilamente que ajudei à todos quantos me procuraram e estive à disposição! Vocês turma 51 matutino, moram em meu coração, aprendi demais com vocês! Agradeço também, à outra tutora Betânia Carla pela força a Josecila pelo incentivo e sua filha Luciana pela paz que sempre demonstrou para comigo, aproveito a oportunidade para agradecer minhas colegas de Magistério especialmente à Zoraide Vogado, Lusenilde, Débora, Sydhia Delane, Eliane, Fabíola, Yoná e Maria Dias.



12 – A Escola Batista Blonnye Holmes Foreman


Em 2002 em junho tomei posse do concurso estadual para professor nível superior, então trabalhei durante 6 meses, 3 períodos. 40 horas no estado e 20 horas como tutora da turma 51, porém eu não queria ficar dessa maneira por 3 anos, então deixei a tutoria e em janeiro de 2003 fiquei exclusivamente como funcionária de estado, ao ingressar na escola Batista, já entrei como coordenadora pedagógica da EJA 2º segmento (5ª à 8ª séries) e ensino fundamental (1ª à 4ª séries) e no mês de setembro de 2003 assumi a orientação educacional para honra e glória do senhor Jesus Cristo, pois amo o que faço e tive oportunidades de orar por alunos e foi muito gratificante poder ouvir os problemas dos nossos próximos, e tentar solucionar, creio que nasci para isso! Mas quero agradecer de modo especial a Mônica, Eli, Idalina, Dona Dina, Iranei, Innaê, Milde, Fábio,Vera, Sandra Helena e a todos os professores e alunos da Batista pela amizade e solidariedade e harmonia em especial à Ermezina, Joana Darc, Rita de Cássia, Ionara, Hiarla, Idalina, Jenesi, Mariêta, Estefânia , Sara, Lílian e Silnei.




























13- Libertação

Em 2005 tive estress no início do ano, porém não fui afastada do trabalho, isto graças à Deus e a diretora da escola Innaê que me compreendeu e apoiou.
Porém, em agosto tive depressão, e fiquei muito mal, porém não tentei suicídio, pois sei que Deus não me perdoaria, entretanto pedia à Deus diariamente para que ele levasse-me. Conversei com vários irmãos à este respeito e todos falavam que isto era pecado, mas não conseguiam me convencer, pois no livro de Jó ele dizia: - Maldito o dia em que nasci! – Um aborto é mais feliz que eu! O Apóstolo Paulo afirmou: Pra mim o viver é Cristo e o morrer é lucro!
Então eu baseava-me nestes versículos, para apoiar meu desejo de morrer. Porém estive em oração, mesmo durante os sessenta dias em que fiquei em casa, dormia cedo e levantava de madrugada, fazia jejum durante o horário do jantar e Deus teve misericórdia de mim e durante as orações de madrugada libertou-me da depressão, e eu como acredito, suspendi as 4 medicações diárias que vinha tomando. Porém pedi ao Senhor transformação e ele deu-me maturidade, então voltei atrás e resolvi obedecer meus pais e meu médico. E esperei pelo momento da suspensão do remédio pelo médico. Embora tivesse ficado doente em outras fases de minha vida, não havia sido curada do desejo de morte, e este ano para honra e glória do Senhor Jesus fui curada. O Senhor me fez ver que ao desejar a morte eu chamava inconscientemente o inimigo para ficar do meu lado, ou seja a depressão voltaria. Mas agora tenho vida em abundância e sei que tenho muito a fazer nesta vida: Falar do amor de Cristo aos povos não alcançados. Para que o evangelho seja espalhado e a promessa da vinda do Messias se cumpra!
Mesmo diante de tantas dificuldades estava cursando a pós graduação para Docência Superior pela Universidade Cândido Mendes do Rio de Janeiro com filial em Brasília, fui na época em que estive de licença médica para defender minha monografia a respeito de projeto político pedagógico e fui defendê-lo diante de diversos cursistas como eu de outros estados e da professora e além disso fazer prova escrita de todos os módulos enviados e fui aprovada, mas não fui eu, somente o corpo estava presente, foi Deus quem fez a prova e a defesa pois eu estava medicada ainda, mas consegui falar sem gaguejar e falei sobre o projeto político pedagógico e sua importância para as escolas e sua disseminação aqui no estado do Tocantins
Para Deus não há nada que seja difícil ou impossível, basta crer e confiar, o resto ele fará! Buscai em primeiro lugar o reino de Deus e a sua justiça e as demais coisas vos serão acrescentadas!



Esclarecimentos:

Depressão Bipolar ( Transtorno Bipolar)

A depressão bipolar é outro nome para a psicose maníaco-depressiva. As pessoas com psico maníano-depressiva passam por períodos continuados de euforia e períodos continuados de humor deprimido que podem variar de depressão leve a grave. Quando uma pessoa com esta doença está em sue período de euforia (mania), ela tende a se sentir exultante, necessita de menos horas de sono e de menos alimentos e experimenta uma sensação de bem-estar geral. Ela tem excesso de energia, fala rapidamente e sente como se seus pensamentos estivessem voando em sua cabeça. Sua crítica torna-se precária e ela pode ter alucinações e delírios, mas estes diferem daqueles da depressão psicótica, pois são positivos e não negativos.
Algumas pessoas pensam que conhecem a família real inglesa e que são vips (pessoas muito importantes) quando não o são; outras acreditam que são ricas ou que tem poderes especiais. A euforia, ou uma fase de “bom humor”, pode ser tão destrutiva quanto as fases de “mau humor” e algumas vezes a falta de um julgamento criterioso aliado aos delírios pode trazer problemas financeiros como resultado do impulso consumista, e a pessoa pode sair comprando até iates ou coisas excessivamente caras. “Guia da saúde familiar: Isto é, com a supervisão médica do hospital israelita Albert Einstein. Editor Médico Dr. Tony Smith


Estresse:

Sintomas:
 Cansaço, insônia, ou dificuldade de concentração.
 Nervosismo, agitação ou excitação excepcionais.
 Perda de apetite, náuseas, desconforto estomacal, diarréia ou prisão de ventre;
 Dores de cabeça;
 Perda de interesse sexual;
 Irritabilidade, raiva, ressentimento, apatia ou pessimismo.

O que é estresse:
É simplesmente uma resposta individual a demandas físicas, emocionais ou ambientais mais intensas. Embora o organismo esteja em condições de lidar com episódios breves de estresse pode ser prejudicial à saúde física e mental.


Depressão:
Sintomas:

 Tristeza ou falta de motivação persistentes.
 Perda do prazer em atividades comuns, inclusive sexo.
 Distúrbios no sono, redução da energia, cansaço.
 Aumento ou redução do apetite, perda ou ganho de peso.
 Sentimentos de culpa, desvalorização, impotência.
 Dificuldade de concentração, irritabilidade, choro excessivo.
 Dores e desconfortos crônicos.
 Pensamentos de morte ou suicidas.

O que é:

A depressão é uma doença de alta ocorrência, mas pouco compreendida, que aflige milhares de pessoas.
Mais que fazer a pessoa sentir-se “pra baixo”, a depressão é uma doença devastadora que afeta todos os aspectos da vida humana-físico, mental e emocional. Ela influencia a auto-estima e a percepção dos outros, dificultando a realização das atividades do dia-a-dia. Existem diversas formas de depressão, que variam desde uma tristeza branda e duradoura (distimia), passando por uma alternância de humores entre a alegria intensa e o desespero (depressão bipolar ou maníaca) até a mais grave, a melancolia. Esta última gera total incapacidade de funcionamento pessoal, com possibilidade de pensamentos suicidas.
“O poder de cura de vitaminas, minerais e outros suplementos” Seleções do Reader’s Digest














Conclusão:

Alternativas contra Estress e Depressão:


 Salmo 23-3: Antídoto contra o estress, depressão e contra a indecisão.
 Tiago 1: Deixe Deus guia-lo e descanse em Deus.
 Provérbios. 12: Há caminhos que nos parecem bons mas que nos levam à morte!

Para estarmos em comunhão com Deus não precisamos de uma metodologia, pois Deus age de diversas formas, no silêncio, de maneira simples como um sorriso de paz de uma criança, de modo sobrenatural, embora não devamos esperar sempre por isso, pedindo sinais de maravilhas à Deus, pois isto é testar o Senhor! E o Senhor não é homem para que minta!
Para sermos abençoados temos que admitir quatro coisas:
 Temos que admitir que precisamos de um guia.
 Pedir com fé;
 Confiar nas promessas de Deus;
 Descansar em Deus e não tentar ajuda-lo!

Lembre-se enquanto estivermos lutando somos vencedores, não desista, persevere! Pastor Fabian Serejo- Palmas Tocantins

Ana - graça de Deus disse...

Pastor meu e-mail é annnit7@hotmail.com ou anacristinaquirinoribeiro@yahoo.com.br

Leonardo Bruno Galdino disse...

Caro Pr Renato,

Gostei muito do seu blog. Aliás, vez por outra dou uma olhada nele, mas acho que é a primeira vez que comento.

A propósito da sua postagem (sobre pregadores preguiçosos), escrevi algo semelhante em meu blog, o Optica Reformata. O nome da postagem é "A propósito do ET do Panamá" (http://opticareformata.blogspot.com/2009/09/proposito-do-et-do-panama.html).

Um grande abraço!

favourite category

...
test section describtion

Whatsapp Button works on Mobile Device only