sexta-feira, outubro 17, 2008

Cristãos que teimam em recosturar o véu.
Renato Vargens

Parece que parte dos evangélicos brasileiros necessitam desesperadamente de coisas novas em seus ministérios. Na verdade, inúmeros destes, Insatisfeitos com as Escrituras Sagradas, precipitaram-se por caminhos escusos em busca de uma nova revelação. Tais pessoas transformaram-se em entusiastas caçadores de novidades, cuja expectativa é descobrir algo novo o qual os impulsionem a uma nova dimensão de vida cristã. Junta-se a isso, que parte destes, necessitam desesperadamente de “dançar conforme a musica” , moldando-se por modismos irracionais, os quais contribuem significativamente para o adoecimento da igreja.

O movimento judaizante é a nova febre da atualidade. Isto porque, alguns dos evangélicos têm introduzido praticas vetero-testamentárias nos cultos e liturgias de nossas igrejas. Na verdade, tais pessoas têm declarado que tal método doutrinário é uma revelação de Deus a igreja contemporânea, cujo slogan é “Sair de Roma e voltar para Jerusalém”

Estes modernos fariseus têm disseminado praticas tais como:

Tocar de costas para a congregação, por considerar os ministros de musica “levitas de Deus”.
Usar o Shofar, para liberar unção ou invocar a presença divina.
Guardar o sábado fezendo dele o dia do Senhor.
Observar TODAS as festas Judaicas.
Usar o Kipá e o Talit, que são as vestimentas que os judeus praticantes usam para ir a sinagoga.
Usar excessivamente símbolos judaicos tais como, a bandeira de Israel, o Menorah ou a Estrela de Davi dentre tantos outros mais.

Caro leitor, não existem pressupostos bíblicos para que a igreja de Cristo, queira “recosturar” o véu do templo. Entretanto, alguns dos crentes atuais teimam em transformar em realidade aquilo que deveria ser uma simples sombra. Foi o Apostolo Paulo quem afirmou: "Portanto, ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber ou por causa de dias de festa, ou de lua nova, ou de sábados. Estas são sombras das coisas futuras; a realidade, porém, encontra-se em Cristo", Colossences 2.16-17.

As leis cerimoniais judaicas, os ritos sacrificiais, as festas anuais, foram abolidas definitivamente por Cristo na cruz do calvário(o significado de cada uma delas se cumpriu em nosso Senhor). Por esse motivo, mesmo os judeus que se convertem hoje ao cristianismo estão dispensados das leis cerimoniais judaicas. É por esta razão que crentes em Jesus, não fazem sacrifícios de animais, não guardam o sábado, não celebram as festas judaicas, e nem tampouco fazem uso do shofar.

Nossa mensagem, vida e testemunho deve ser Cristo, o Evangelho pregado deve ser o evangelho de Cristo, nossa mensagem central deve ser para a gloria e o engrandecimento do nome de Cristo.

Soli Deo gloria!

Renato Vargens
Anônimo disse...

Caro Renato Vargas, concordo com parte de teu artigo, porém com relação ao que Paulo fala dos "sábados" você deve ver o que ele quer dizer com isso, pq ele se refere aos "sábados" festivos e não ao sábado semanal, pq o sábado semanal foi instituido por Deus na criação e a Lei é bem clara pq ela diz "Lembra-te..." e não é uma órdem como os demais preceitos da lei. Você tb tem que levar em consideração que para os Judeus, seja daquela época como os de hoje, que qq dia festivo é chamado de "sábado". Se desejar posso te enviar um vasto material com relação a este assunto para maior esclarecimento.

Um abraço de teu irmão em Cristo, o filho de Deus e não o deus filho,

Eder

Anônimo disse...

Irmão Renato,
Graça e Paz!

Estariam também os judeus desobrigados da circuncisão?

Um grande abraço.

Edson Barros

Anônimo disse...

Marcus Vinicius Cardoso disse...

Tenho uma dúvida Pr.Renato.Se todas as festas e liturgias do Velho Testamento foram abolidas em Jesus Cristo, por que então ainda há a obrigação da devolução do dízimo nas igrejas da atualidade?
Muito obrigado e aguardo resposta.
Marcus Cardoso
Email: cardosovm@gmail.com

Renato Vargens disse...

Pr. Renato , pede pro Marcos Vinicius ler Mateus 23:23. Ali, o próprio Jesus orienta entregar o dízimo.
Abraçoa.

batistasconservadores disse...

Caro Marcos
Lembre-se de que o dízimo não é festa nem liturgia. Além disso ele antecede à Lei. Basta observar Abraão entregando o dízimo de tudo a Melquisedeque. Não existia a Lei ainda e Melquisedeque não pertencia a uma ordem de levitas.
Um grande abraço
Pr Dinelcir de Souza Lima

Edson Barbosa disse...

Pr. Renato,

Muito bom o teu artigo e ver esta triste realidade no meio da igreja brasileira e mundial e de dar tristeza.
Vejo que os crentes hoje são como meninos em Cristo, agitados de um lado para outro e levados por todo vento de doutrina como Paulo fala em Efésios 4:14.

Que Deus continue usando a tua vida para despertar o povo de Deus.

abraços em Cristo,

Edson

Rev. Jaaziel Marcelo disse...

Graça e Paz do Senhor Jesus Cristo, Pr. Renato.

Só uma questão importantíssima: para escrever com tanta propriedade e não cometer injustiça, sugiro ao amado irmão que pesquise um pouco mais sobre um grande movimento divino chamado judaísmo messiânico. Infelizmente, esse grande chamado de Deus às origens da Igreja dita primitiva, mas que na verdade era judaica messiânica, é confundido por muitos líderes, é verdade, para implementar modismos na Igreja.
A intenção destes estilistas litúrgicos é óbvia: aumentar o povo e consequentemente aumentar os DÍZIMO$$$....
Mas, colocar a todos no mesmo balaio de impiedade, creio que seja temerário demais para estes que creio serem os últimos dias.
Um forte amplexo.
Pr. Jaaziel Marcelo

Edson Dorna disse...

gostei do texto... Pr Renato Vargens... o interessante que muita gente... quer dizer os dizimista vem com essa história de não dá dizimo pq é da lei e Jesus aboliu na cruz do calvario...

então se entendermos desse jeito... então podemos adulterar??? cobiçar??? roubar??? e matar???

Em Cristo
Edson Dorna
www.santodosantos.blogspot.com

Célio R. disse...

Não há sacrificio de animais ainda, do jeito que a coisa anda..., não duvido que isso já passe pela cabeça de alguns.
GRAÇA E PAZ

Anônimo disse...

EXCELENTE... SÓ ESQUECEU DE CITAR GÁLATAS 3:10 PARA MOSTRAR QUE QUEM SEGUE ALGUMAS LEIS DO VT E NÃO TODAS AS 613, É AMALDIÇOADO POR PAULO.
ABRAÇO
MARY

Anônimo disse...

Precisamos levar Gálatas 3:10 a sério!



Novecentos e noventa e nove entre cada mil pastores evangélicos da atualidade (macaquinhos dos pastores americanos) estão se judaizando, escandalosamente, graças ao confuso movimento da Igreja Emergente, o qual pretende apagar na mente do mundo ocidental a nação de Israel, apropriando-se das leis e costumes do Velho Testamento, colocando a Igreja como o Novo Israel de Deus, achando que foi isso que Paulo quis dizer em Gálatas 6:16.

Esse erro vem desde a Reforma, quando Lutero e seus companheiros passaram a odiar Roma e, ao mesmo tempo, assumiram a postura romana de substituir Israel, adotando a Teologia da Substituição, criada por Agostinho de Hipona. Vi na Alemanha, bem perto do Museu de Lutero, uma placa chamando os judeus de “porcos”. Esse foi o maior pecado que Lutero cometeu em vida. Quando subi ao púlpito (uma réplica) de Lutero, em Wittenberg, tive vontade de falar umas palavras de censura ao anti-semitismo luterano, mas preferi me calar, pois havia subido ali, escondida, driblando o guia turístico, e só tive coragem de fazê-lo, porque sabia que o guia alemão não se atreveria a bater numa indefesa brasileira de 69 anos.

As igrejas pentecostais são as que mais gostam de chapinhar no Velho Testamento, buscando respaldo para suas bizarrices. Vou contar, com minhas palavras, o que um dos meus filhos mais inteligentes (ex-penteca) escreveu:



As igrejas da linha pentecostal clássica, como Assembléia de Deus [de onde ele saiu] Congregação Cristã do Brasil e Deus é Amor (umas mais, outras menos) mantém seus fiéis debaixo de pesadíssimo jugo de tradições, trazendo usos e costumes antigos, restritos ao povo judeu, para nossos dias. Sei de um terrível do pastor penteca, que espancou violentamente a filha, simplesmente porque ela havia cortado as pontas do cabelo, deixando-a estirada no chão. Depois, ele foi, tranquilamente, pregar sobre o amor no culto da noite.

A moça não agüentando mais a pesada doutrina do pai, ateou fogo ao corpo, morrendo, dias depois, no hospital. O tal pastor, acometido pelo intenso remorso, foi parar num hospício, sabendo que vai prestar conta da alma da filha, naquele grande e terrível Dia, e que não terá meios de cobrir a oferta pela vida da filha, a saber, o sangue do Cordeiro de Deus.



E como as coisas vão piorando, no mundo pentecostal judaizante, leiamos o que sabiamente escreveu o Pr. Renato Vargens, em sua crônica “Cristãos que teimam em recosturar o véu”, publicada hoje na Internet:



[Boa] parte dos evangélicos brasileiros necessita, desesperadamente, de coisas novas em seus ministérios. Na verdade, inúmeros destes, insatisfeitos com as Escrituras Sagradas, precipitaram-se por caminhos escusos, em busca de uma nova revelação. Tais pessoas transformaram-se em entusiastas caçadores de novidades, cuja expectativa é descobrir algo novo, que os impulsione a uma nova dimensão de vida cristã. Parte destes necessita “dançar conforme a música”, com modismos irracionais, os quais contribuem, significativamente, para o adoecimento da igreja.

Esses modernos fariseus têm disseminado praticas tais como:
* Tocar de costas para a congregação, por considerar os ministros de musica “levitas de Deus”.

* Usar o Shofar, para liberar unção ou invocar a presença divina.
* Guardar o sábado fazendo dele o dia do Senhor.

* Observar TODAS as festas Judaicas.

* Usar o Kipá e o Talit, que são as vestimentas que os judeus praticantes usam para ir a sinagoga.

* Usar excessivamente símbolos judaicos tais como, a bandeira de Israel, o Menorah ou a Estrela de Davi dentre tantos outros mais.



Esses pastores estão submetendo suas ovelhas à maldição de Paulo, conforme Gálatas 3:10, condenando os judaizantes do seu tempo: “Todos aqueles, pois, que são das obras da lei estão debaixo da maldição; porque está escrito: Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las”. (grifo meu).



Mary Schultze, 17/10/2008.

marco disse...

Querido Renato,
Bela reflexão, muitos ainda acreditam que o passado da Lei os santifica. Por falar nisso, infelizmente não há espaço para colocar o cap.9 de Hebreus, mas um pedaço dele serve bem para responder acerca do sábado ao Querido Ir. Eder:
Diz ele, (o sábado semanal foi instituido por Deus na criação e a Lei é bem clara porque ela diz "Lembra-te")

É importante ressaltar todo o versículo - Esse "Lembra-te" está em Ex. 20:8 e diz:
"Lembra-te do dia do sábado, para o santificar"

Evidentemente que não é o dia que nos santifica, mas na ignorância da época era preciso.

Por isso que o autor de Hebreus observou em Hb 9, veja parte dele:
"Mas, vindo Cristo, o sumo sacerdote dos bens futuros, por um maior e mais perfeito tabernáculo, não feito por mãos, isto é, não desta criação,Nem por sangue de bodes e bezerros, mas por seu próprio sangue, entrou uma vez no santuário, havendo efetuado uma eterna redenção.Porque, se o sangue dos touros e bodes, e a cinza de uma novilha esparzida sobre os imundos, os santifica, quanto à purificação da carne,Quanto mais o sangue de Cristo, que pelo Espírito eterno se ofereceu a si mesmo imaculado a Deus, purificará as vossas consciências das obras mortas, para servirdes ao Deus vivo?" Hb 9:11/14

Abraços. Marco

Anônimo disse...

Como Igreja do Senhor devemos amar Israel, mas não praticar as suas tradições.

Um abraço

Gilmar

batistasconservadores disse...

As tradições dos israelitas eram somente para os israelitas. Até mesmo a Páscoa, tão defendida por cristãos era uma festa exclusiva do povo hebreu. Há proibições de participação de estrangeiros bem explícitas.
Não tem como negar: Em Jesus foram abolidas as tradições e rituais religiosos do Antigo Testamento.
Pr Dinelcir de Souza Lima

marco disse...

Querido Gilmar,

Sua resposta sobre devermos amar a Israel merece uma lembrança de Isaías 19:25

"Porque o Senhor dos exércitos os abençoará, dizendo: Bendito seja o Egito, meu povo, e a Assíria, obra das minhas mãos, e Israel, minha Herança."

Veja que não precisamos dar prioridade a povo algum, especificamente, devemos amar a todos talqualmente o Senhor os ama.

O preconceito a outros povos nasce dessas prioridades.

Abraços. Marco

gilmar disse...

Caro Marco,
É obvio que, como cristãos, devemos amar a todos os povos, mas estamos falando especificamente de Israel e não há nenhum tipo de preconceito nesse comentário. A propósito a boca só fala daquilo que o coração está cheio, nesse caso, estou falando de amar e não de preconceito.

Um abraço
Gilmar

favourite category

...
ministério pastoral

Whatsapp Button works on Mobile Device only