O problema dos jovens calvinistas da internet, que não são pastoreáveis e não frequentam a igreja


Eu tenho pregado praticamente em todo país, nas igrejas e denominações mais variadas e tenho descoberto uma gama significativa de jovens e adolescentes ávidos por teologia, o que tem me deixado muito feliz. Na verdade, creio que há uma ressurgência da fé reformada em todo o Brasil. Nessa perspectiva, a "garotada" outrora, considerada "incapaz" por alguns, ou "alienada" por outros, tem dado um "show" de conhecimento bíblico demonstrando com isso fome e vontade de conhecer cada vez mais a Palavra de Deus. Todavia, apesar disso, alguns pastores amigos tem compartilhado sua preocupação quanto a alguns destes, que em nome de uma espiritualidade distorcida tem se mostrado ascéticos, soberbos e intransigentes. A consequência dessa arrogância juvenil, é que alguns destes calvinistas cibernéticos,  não são pastoreáveis e ensináveis o que por conseguinte  tem acarretado no seu desigrejamento. 

Pois é, particularmente confesso que fico assustado com a forma autoritária com que alguns jovens tem se dirigido  àqueles que pensam diferente nas Redes Sociais.  Outro dia soube de uma caso de um rapaz que afrontou desrespeitosamente um dos mais capazes e saudáveis pastores brasileiros numa rede social. Noutra ocasião testemunhei um adolescente seminarista chamando a atenção de forma áspera e desrespeitosa homens e mulheres com idades para serem seus pais simplesmente porque pensavam diferente daquilo que ele acreditava ser correto. Há pouco soube de outro adolescente com pouquíssimo tempo de conversão, que ao ler sobre um fato ocorrido em uma Igreja bem conhecida no Brasil, exigiu do pastor explicações. Isso mesmo, o menino escreveu para o pastor, um experiente líder brasileiro exigindo respostas. 

Há pouco, conversando com o meu amigo Juan de Paula, pastor da Igreja Batista da Graça em Indaiatuba, São Paulo,  fiquei sabendo que muitos pastores tem andado preocupados com jovens deste tipo, que em virtude da arrogância, optaram pelo desigrejamento pelo fato de acreditarem que são melhores e  mais sábios que os pastores de suas igrejas.

A WEB está lotada de meninos que são bênçãos na mão do Senhor e louvo a Deus por isso, todavia, neste vasto mundo virtual também encontramos um número significativo de jovens que nunca fizeram nada positivamente, mesmo porque, nem idade para isso tem. Todavia, foram contaminados velo vírus da arrogância tornando-se assim "Profetinhas da Internet". 

O meu amigo Gaspar de Souza, pastor presbiteriano, publicou um texto no Facebook escrito por Filipe Machado que diz o seguinte: 

"Calvinista mirim é aquele que acabou de ler sobre as doutrinas da graça e se acha o cão de Calvino. Crê que foi investido de poder do alto para "tretar sempre que possível", sob a desculpa de que está defendendo a verdade. É jovem-preguiçoso que em vez de procurar um emprego decente, fica debatendo nas redes sociais e sustentando um blog de qualidade questionável." 

Concluo dizendo que alguns desses profetas virtuais precisam amadurecer, crescer,  como também ser mais humildes. Como bem já disse o pastor Juan de Paula, os profetas do "desigrejamento"  nunca foram para um campo missionário, nunca plantaram uma igreja, nunca expulsaram demônios, nunca tiveram rebanho, nem tampouco lideraram um grupo pequeno no lar com cinco, seis pessoas e querem ser mestres virtuais.

Pense nisso!

Renato Vargens

31 comentários:

Excelente texto. Não generalizou e foi preciso. Apenas uma correção, é Filipe Machado, não Felipe.

Abraços, pastor.

18 de outubro de 2016 16:46 comment-delete

É por demais, triste esta realidade, de que um ensinamento tão saudável, como o da Reforma, e consequentemente o da Bíblia (ou vice-versa), seja usado como desculpa para desobedecer uma ordem bíblica, clara e firme: CONGREGAR!

Ser um cristão reformado, vai além de conhecimento correto, é uma atitude de renovação, na vida espiritual, devocional intima com Deus, reformar o testemunho pessoal, reformar sim por meio do estudo da teologia, mas também se permitir ser reformado, ensinado.

Se temos algo a ensinar (e todo crente verdadeiro tem no mínimo a mensagem da cruz para isso), não quer dizer que não precisamos ser ensinados por outros. Isso de fato nunca ocorrerá! Por isso precisamos de pastores e mestres!

A Deus somente, seja a glória!

18 de outubro de 2016 18:06 comment-delete

Excelente!

18 de outubro de 2016 19:05 comment-delete

A "soberba santa" é um terrível problema e quando se envereda por esse caminho o retorno é muito difícil só a misericórdia divina pra fazer com q esses olhos se abram!

18 de outubro de 2016 19:36 comment-delete

Acho que já li esse texto ou algo bem parecido uns anos atrás postado pelo senhor mesmo.

18 de outubro de 2016 22:03 comment-delete

"Há pouco soube de outro adolescente com pouquíssimo tempo de conversão, que ao ler sobre um fato ocorrido em uma Igreja bem conhecida no Brasil, exigiu do pastor explicações. Isso mesmo, o menino escreveu para o pastor, um experiente líder brasileiro exigindo respostas."

Só me digam uma coisa, a palavra de um "pastor renomado" é inquestionável, por acaso? Vamos ser honesto, a igreja hoje é um lugar cheio de corrupção e heresias, isso é um fato. Eu fui evangélico assíduo na igreja até os 20 anos. Não sou mais assíduo em uma congregação, mas mantenho a minha fé intacta. E o que tenho a dizer é que é lamentável o que acontece nos "bastidores", o que a igreja se tornou.
Não sou o homem mais sábio, mais santo... digo isso humildemente .

18 de outubro de 2016 23:25 comment-delete

Caro Pr Renato, concordo com o senhor quando se retrata dos jovens que possuem um bom conhecimento teológico serem desigrejado e não respeitarem pessoas mais experientes, mas discordo quando se generaliza a apenas "calvinistas", pois já fui atacado em páginas calvinistas por pessoas que defendem o arminianismo, chegando ao ponto de ser chamado de herege ou que o Calvinismo era uma doença. Fica a minha pergunta, será que é a teologia que ele defende ou a personalidade e o caráter que o fazem ser assim?
Espero que entenda a minha posição, fique na paz do Senhor.

18 de outubro de 2016 23:54 comment-delete

Estava lendo um depoimento de um missionário no Peru falando algo semelhante sobre nossa a minha geração. Realmente concordo que tem algum conhecimento, talvez pela facilidade da acesso a informação, mas nos falta experiência e humildade. Como precisamos disso!

Deixo a abaixo o link do texto o qual comentei acima:

http://www.pulpitocristao.com/2014/03/o-brasil-nao-e-mais-um-celeiro.html?m=1

19 de outubro de 2016 01:07 comment-delete

Pelos frutos se conhece a árvore.
Bom dia,
Paz.

19 de outubro de 2016 07:39 comment-delete

Entendo a dificuldade e a complexidade do assunto. Tenho percebido uma insegurança e indefinição do limite respeitoso da defesa do evangelho que tem sido fundamental pra combater os falsos ensinos. Posso fazer uma sugestão?! Eu sei que é muito difícil estabelecer um comportamento perfeito mas esclarecer como um servo de Deus age nesse combate, talvez mostrando os requisitos de uma vida transformar dê discernimento das intenções do coração de quem faz, se faz isso por a mor a Deus ou se por ego. Muitos que combatem fazem sem entendimento por não estudar as escrituras e não terem sido exercitados na fé o suficiente pra ter discernimento. Creio que expôr como fazer oposição e de forma obediente a Deus ajude. Orientar como se faz, os que são de Deus se sujeitarão de acordo com a diretriz.

19 de outubro de 2016 10:20 comment-delete

O desmoralizar do orador é uma antiga estratégia quando não se pode refutar. A arrogância juvenil é um mal do século.

19 de outubro de 2016 10:20 comment-delete

Isso. O texto foi respeitável e respeitoso, instrutivo e passou a mensagem sem ser ofensivo. No entanto,vejo o seu compartilhamento especialmente pelos arminianos ou "não Calvinistas" com uma legenda ridicularizadora, ofensiva e sim generalizando a todos os que seguem o Calvinismo. Obviamente que o Calvinismo motiva os seus seguidores a estudar mais a Bíblia e o muito estudar Seja da Bíblia ou de qualquer outra coisa sempre traz pra alguns a prepotência e arrogância. Isso não significa que todos serão assim.

19 de outubro de 2016 10:44 comment-delete

O que mais me preocupa é o ódio encrustado na explanação de idéias dessas pessoas. Na minha percepção continuam moralista e legalistas do mesmo jeito. Discípulos do ódio religioso.

19 de outubro de 2016 10:45 comment-delete

Bom dia. Eu entendo esse fenômeno como uma evolução. Não são todos que conseguem romper com os dogmas e tradições impostas, aliás, em bem menor quantidade são aqueles que quando insatisfeitos, buscam aprofundamento teórico, não acho que exista dúvida quanto a isso.
Apesar de arrogância não ser agradável, ela é característica de um indivíduo arraigado em suas certezas, portanto não é encontrada exclusivamente nos "jovens revolucionários" mas também frequentemente em preletores conservadores.
Além disso, creio que o produto dessa mudança no jovem seja sempre benéfico, seja uma adaptação da religião, seja a mudança pra outra religião ou até mesmo a ausência de religião, porque será fruto de um processo interno e de autoconhecimento.
Faço um humilde convite aos conservadores (espero que não se ofendam com o termo) a enxergarem esse fenômeno por uma ótica menos absoluta entendendo que formas diferentes de se pensar podem ser igualmente positivas ou até melhor do que as se esperam.

19 de outubro de 2016 12:24 comment-delete

Ótimo texto, e Jesus disse que conhece a árvore por seus frutos, os estudiosos virtuais possuem quantos em seu rebanho? Tem pago o preço pelas almas, esta apascentando as ovelhas ou está dividindo ainda mais os cristãos com chuva teológica?

19 de outubro de 2016 12:37 comment-delete

Engraçado, que o conhecimento da Palavra de Deus me levou a confiar que respeitando o meu próximo com a sua escolha de ir a uma igreja, ainda que igreja sejamos nós, não altera o fato de Deus estar no controle de todas as coisas, e que ser pastor não é uma profissão, é exercitar um dom no seu dia a dia, seja numa reunião em casa, ou seja num lugar com uma placa de identificação, o que não pode faltar é o respeito, a consideração, o amor, e a certeza de sermos irmãos em Cristo.

19 de outubro de 2016 12:53 comment-delete

Deus sempre vai preferir um publicano arrependido a um soberbo fariseu!!!!!!

19 de outubro de 2016 13:01 comment-delete

Estudo a Bíblia a mais de 40 anos, sou Teólogo Batista, ex professor de Teologia e etc. Mas nada disso me fez se identificar com o Calvinismo ou outra corrente qualquer, pois não faz diferença nenhuma para uma criatura o ser calvinista ou arminiano, pois se para o Calvinista os predestinados estão salvos, mas mesmo assim se toma cuidado com a santificação, assim como acontece com os arminianos, tanto uma vertente quanto a outra só perdem tempo com esta discussão interminável! Sendo Calvinista ou Arminiano, "sem santificação NENHUM e nem outro verá ao Senhor", pois o calvinista que não tem intimidade com Deus não é predestinado e o Arminiano da mesma forma não o é! Calvinismo é uma das coisas mais sinistras que surgiu na história da igreja!

19 de outubro de 2016 13:48 comment-delete

O texto não fala de líderes inerrantes, mas de jovens desrespeitosos.Todos podem questionar, só precisam fazer de forma respeitosa.
Lamento que não frequente mais uma congregação

19 de outubro de 2016 13:54 comment-delete

Ide e pregue o evangelho! Que não dá tempo de debater!

19 de outubro de 2016 14:09 comment-delete

Texto interessante.
Possui um público alvo bem definido, a mensagem é clara ao abordar os problemas ligados a pessoas que possuem pouco tempo de igreja, e por isso mesmo deveriam aprender mais em vez de dar respostas sobre questões que não dominam.
O autor do texto esqueceu de mencionar que a narrativa também parte da visão de mundo de um ser humano que também falha, que não se arvorou a dizer que é o único detentor da verdade. Não estou com isto dizendo que o texto se trata de uma indireta, uma forma de rotular negativamente alguém, que há uma crise teológica ou embate entre novos e velhos teólogos.

19 de outubro de 2016 14:18 comment-delete

Só me digam uma coisa, a palavra de um "pastor renomado" é inquestionável, por acaso? Vamos ser honesto, a igreja hoje é um lugar cheio de corrupção e heresias, isso é um fato. Eu fui evangélico assíduo na igreja até os 20 anos. Não sou mais assíduo em uma congregação, mas mantenho a minha fé intacta. E o que tenho a dizer é que é lamentável o que acontece nos "bastidores", o que a igreja se tornou

Concordo com o trecho acima, postado por Wáquila Sousa. Não diria que são todas, pois não vou generalizar, mas AS QUE EU CONHEÇO, tanto reformadas, como pentecostais, neo-pentecostais e etc, são lugares onde você encontra qualquer pessoa, menos Jesus. Parece que nos tempos bíblicos os "crentes de fachada" eram a exceção, hoje são a regra. AS IGREJAS QUE EU CONHEÇO são lideradas por pastores carreiristas, que encaram o ministério como uma mera profissão. Por outro lado, há os membros, que levam uma vida imunda, pior do que os incrédulos, sob o olhar conivente da liderança e que, para agravar mais ainda, ainda têm a cara de pau de apontar o pecado dos não crentes. Aqui na minha cidade e adjacências um dos períodos em que mais o nome de Cristo foi escarnecido foi durante o auge da pirâmide financeira TELEXFREE. "Crentes" e "pastores" de TODAS as igrejas e teologias andavam feito leões famintos à caça de membros para o esquema, o que lhes proporcionaria retorno financeiro. Muitos desses "crentes" e "pastores" nunca saíram às ruas para falar de Cristo e de seu amor, mas se engalfinhavam para reunir o maior número de adeptos para a pirâmide. Se você amigo leitor, conhece ou participa de alguma igreja em que a realidade seja diferente, fique aí, não saia, porque é algo raro de encontrar. Como NA MINHA REGIÃO as coisas são como descrevi eu prefiro ficar fora da igreja, não comungarei com os canalhas, se não correrei o risco de tornar-me igual a eles. Desculpe o desabafo, mas na cidade ONDE MORO a igreja é assim.

19 de outubro de 2016 15:43 comment-delete

Arrogantes e prepotentes, sempre existiiram por toda parte. O que é novidade é o espaço democrático, anteriormente pouco existente, criado pela internet, onde pessoas podem expor seus pensamentos livremente, mesmo que às vezes, lamentávelmente, de forma inapropriada. Isso me faz pensar se algumas igrejas estão preparadas para lidar com questionamentos e situações peculiares deste nosso tempo. Pastorear nunca foi fácil, mas parece ter se tornado uma tarefa ainda mais difícil.

19 de outubro de 2016 17:41 comment-delete

Excelente texto meu caro amigo Renato Vargens...É exatamente isso!

20 de outubro de 2016 00:13 comment-delete

Entre Calvino e Armínio eu fico com Jesus Cristo o filho de Deus .
Vim do mundo cheio de rótulos ,e custei para retira los,não vai ser agora que vou me enfiar debaixo desse julgo.
Por favor parem com essa idolatria teológica. Porque letra mata mas o espirito vivifica.

20 de outubro de 2016 08:51 comment-delete

Na igreja sempre existiu o Joio e o Trigo. Não é porque existe uma falha na membresia de determinada igreja, que devemos abandoná-la, porque se pensarmos desta forma jamais congregaremos, por ter pessoas com muitas falhas se esforçando para melhorar dentro das igrejas. É certo que realmente existem pessoas com más intenções em uma igreja, mas como eu disse no início, existe o Joio e o Trigo dentro de uma igreja. Quem sai da igreja por causa de pessoas, só demonstra que sua fé nunca esteve no Senhor, mas em Homens.

20 de outubro de 2016 20:09 comment-delete

Muito bem colocado, concordo plenamente. Muitos estão defendendo sua corrente teológica como pré-requisito para a salvação.

21 de outubro de 2016 10:56 comment-delete

Concordo plenamente com a posição, mas o único problema é que também existem lideres que não querem ser questionados, ainda que em uma pergunta respeitosa. A experiência de um líder mais velho é precisa, porém eles acham que porque tem mais tempo de igreja eles não podem ser questionados. Não sou líder de igreja, mas é a realidade de todos os seguimentos evangélicos. Se você não concorda com algo que é feito ou dito a pessoa é considerada rebelde e endemoninhado. Isso não é liderança, mas sim ditadura.

22 de outubro de 2016 19:46 comment-delete

Esses jovens, pelo menos alguns deles, ainda não conhecem Calvino, sequer leram a Institutas e muito menos leram a Bíblia de Gênesis a Apocalipse. São soberbos e estão sendo enganados pela sua carne e por satanás. O PIOR É VER PASTORES REFORMADOS E PRESBITERIANOS, QUE AGEM DA MESMA FORMA, OFENDEM PENTECOSTAIS GENERALIZANDO COMO SE TODOS ESTIVESSEM ERRADOS OU DESVIADOS. VEJO MUITO ISSO INCLUSIVE COM PASTORES FAMOSOS DA INTERNET.
Lembrem do episódio em que o Rev. Hernandes falou da falta de fervor Pentecostal nas igrejas tradicionais, alguns líderes ficaram"endemoniados" com essa posição correta do Rev. Hernandes.

30 de outubro de 2016 10:04 comment-delete

Hummm... Entendi. Então a sua intenção é ir atrás de algo que seja "benéfico" e que produza mais auto-conhecimento...
Me engana que eu gosto com esse papo de "temos que nos livrar dos dogmas e das tradições e etc, porque eles nos prendem." Você está sendo tão dogmático quanto eles, o seu dogma é ter benefício e aumentar auto-conhecimento.

29 de dezembro de 2016 02:54 comment-delete

Desculpe perguntar, mas qual é sua definição de dogmatismo?

1 de janeiro de 2017 15:02 comment-delete