O que penso sobre os Blocos evangélicos no Carnaval

Por Renato Vargens

Nos últimos anos tornou-se comum encontrarmos em algumas igrejas evangélicas blocos carnavalescos. 

Com o intuito de pregar o evangelho durante o carnaval, evangélicos de denominações diferentes criaram blocos e até mesmo Escolas de Samba cujo objetivo final é pregar aos foliões. Segundo os sambistas de Jesus, essa é uma maneira de evangelizar os perdidos que se encontram absortos em iniquidade e que precisam desesperadamente de Cristo.

Antes de qualquer coisa preciso afirmar que concordo plenamente com o fato inequívoco de que os perdidos estão mergulhados em iniquidade e que carecem da graça do Senhor. Sem sombra de dúvidas isso é um ponto indiscutível. Verdadeiramente os homens estão destítuidos da glória de Deus, mortos em seus delitos e pecados e incapazes de buscarem ao Senhor. (Efésios 2:1-10)

Caro leitor, o que me preocupa efetivamente não é o desejo de evangelizar, nem tampouco a vontade de pregar as Boas Novas da Salvação Eterna aos que se perdem e sim a forma escolhida para o desenvolvimento dessa missão.

Isto posto, permita-me explicar porque sou contra a criação de blocos evangélicos carnavalescos: 

1-) Acredito que a evangelização se dá de forma contínua e de modo relacional, isto é, todos nós, somos chamados a evangelizar os que se relacionam conosco através de palavras, testemunhos,  durante o ano e não em eventos esporádicos. 

2-) Porque nem toda contextualização é bíblica. Quando a contextualização abre portas ao mundanismo, paganismo, e a ausência de santidade, ela precisa ser rechaçada.

3) A igreja foi chamada para pregar Cristo e o arrependimento de pecados e não um tipo de evangelho palatável cujo foco principal é a satisfação humana.

4-) Pela forte relação com o mundo e com os valores que nele existentes. Ora, por mais que digam ao contrário, os que saem as ruas para "evangelizar" em blocos carnavalescos relacionam-se com o mundo e a cultura de uma forma onde o foco principal não é a glória de Deus e sim o bem estar do homem. (Romanos 12:1-2)

5-) Por tomarem o nome de Deus em vão, fazendo do Senhor instrumento exclusivo de satisfação pessoal. Na minha perspectiva sair as ruas, sambando, rindo fere o mandamento bíblico de usar o nome do Senhor em vão.

6-) Porque ainda que se diga que o objetivo é a evangelização o que menos se vê é a pregação do Evangelho. 

7-)Por dar ocasião a carne e ao "velho homem." despertando em muitos o antigo prazer pelo pecado. 

Se não bastasse isso pergunto:

Será que se a Igreja pregasse e vivesse o evangelho durante o ano não haveriam mais conversões do que comumente temos?  Ora, vamos combinar uma coisa? Evangelizar é muito mais do que cantar, sambar, pular. Evangelizar está para além de eventos, programas ou atividades distintas. Evangelizar é compartilhar aquilo que o Senhor fez pelo pecador na cruz do calvário, é confrontar o homem em seus delitos e pecados, chamando-o ao arrependimento, é proclamar Cristo como Senhor e Salvador, confrontando o pecador com a dura, porém maravilhosa mensagem da Cruz.

Bem sei que alguns me xingarão de "fundamentalista estupido", de fariseu da modernidade e outras coisas mais, todavia, ao contrário de alguns não posso considerar as loucuras do chamado movimento gospel como normais.

Definitivamente o Brasil precisa de um avivamento! 
Definitivamente o Brasil precisa regressar as Escrituras.
Definitivamente precisamos chorar e clamar a Deus por Deus por mudança no evangelicalismo brasileiro.

"E não sejais cúmplices nas obras infrutíferas das trevas; antes, porém, reprovai-as. Porque o que eles fazem em oculto, o só referir é vergonha" (Efésios 5.11-12).

É o que penso, é o que digo!

Renato vargens

22 comentários:

Parabéns , eu concordo com você. o problema é que querem alimentar a carne, e dizem que está evangelizando, querem a bíblia se torne de acordo com as vontades delas, mas não é assim, nós que devemos viver de acordo com as escrituras!!




http://jesusadoradores.blogspot.com.br/

21 de fevereiro de 2014 19:56 comment-delete

A Paz do Senhor... É isso... Foi-se o tempo em que nesta época o povo de Deus ia para acampamento estudar a Bíblia...e, não é só carnaval, tem a festa junina cristão... bailão... e por ai vai...sem mencionar as "marchas para Jesus"... Abraços
@prrubcler

21 de fevereiro de 2014 21:33 comment-delete

1. Acredito que a evangelização se dá também de forma em eventos esporádicos. Onde abíblia condena eventos esporádicos?
2. Nosso evangelismo não abre portas ao mudanismo, paganismo, e muito menos a ausência de santidade mas abre as portas da salvação pois muitas vidas já entregaram suas vidas ao Senhor através do nosso evangelismo e estão na igreja até hoje: consolidados, batizados e alguns são grandes obreiros do Senhor!!
3. A igreja foi chamada para pregar Cristo e o arrependimento de pecados. Nosso evangelismo nunca pregou a satisfação humana. Só saímos para anunciar o nome de Jesus! E a colheita é abundante!
4. Não há nenhuma relação com o mundo e com os valores nele existentes. Nos preparamos meses antes, oramos, jejuamos e nos organizamos para buscar o nosso objetivo: O foco principal é a glória de Deus e a salvação do homem. O que acontece!!!
5. Não ferimos nenhum mandamento bíblico e nem saímos na rua com pretexto de diversão, mas anunciamos o nome de Jesus com ousadia e somente isso! Simples: anunciamos o nome de JESUS!!!
6. O objetivo é a somente a evangelização o que mais se vê é a pregação do Evangelho. Ou seja, só a pregação do Evangelho!!
7. Não damos ocasião a carne e ao "velho homem." Nós saímos d nossas casas preparados e com os nossos corações clamando por salvação de vidas e para conhecimento de vocês que não concordam: conseguimos sim alcançar os perdidos!!
Portanto:

Evangelizamos o ano todo e inclusive nos dias de carnaval.

22 de fevereiro de 2014 00:57 comment-delete

Há muita distorção do que é viver o evangelho em tudo isso. Nossos irmãos em vez de procurar se renovarem em santidade, querem se adequar ao mundo no intuito de ganhar almas p Cristo, ñ enxergando que estão correnddo em direção ao abismo. Lamentável

22 de fevereiro de 2014 01:32 comment-delete

"Acredito que a evangelização se dá de forma contínua e de modo relacional, isto é, todos nós, somos chamados a evangelizar os que se relacionam conosco através de palavras, testemunhos, durante o ano e não em eventos esporádicos."
Somente esse argumento já é o suficiente pra refutar essa palhaçada gospel de bloco "evangelizador", ahhh, detesto gente hipócrita. Assuma logo que quer brincar carnaval e vá, bem mais honesto do que fazer isso!!!

22 de fevereiro de 2014 10:11 comment-delete

Quando vou a Ouro Preto, não me lembro de brincar carnaval Suyene Carvalho. Você em seu texto pastor diz Porque ainda que se diga que o objetivo é a evangelização o que menos se vê é a pregação do Evangelho. Participe conosco no ano que vem para ver se não tem pregação do evangelho. O senhor fala quando o bloco sai as ruas, ali se dobra os joelhas e oramos por todos ali na cidade! A noite saimos para pregar o evangelho que o senhor diz que não se prega! Minha amada irmã acima nos chama de hipócritas. A jocum minha irmã vai para Africa, Paraíba, Barretos e todos os dias vão na rua Guaicurus que é umas das partes boemia de BH- MG. LÁ SE PREGA TAMBÉM! FORA OUTROS LUGARES DO BRASIL E DO MUNDO QUE ELES VÃO LEVAR O EVANGELHO, E NÃO EM EVENTOS ESPORÁDICOS COMO VOCÊ DIZ. ME DEIXA PROFUNDAMENTE TRISTE QUE NOSSOS PRÓPRIOS IRMÃOS NOS JULGAM E NOS CRITICAM POR LEVAR O EVANGELHO! MAS SEM PROBLEMAS, O BOM É QUE VEMOS OS FRUTOS, ENCONTRAMOS AS PESSOAS QUE IAM PARA OURO PRETO BRINCAR CARNAVAL NA IGREJA, PREGANDO A PALAVRA, SERVINDO A DEUS . NUNCA GOSTEI DE CARNAVAL, NÃO ME LEMBRO DE TER PULADO CARNAVAL ANTES DA MINHA CONVERSÃO, PORQUE NUNCA GOSTEI E CONTINUO NÃO GOSTANDO. ESTOU TRISTE , SABE TODO ANO VAMOS PARA OURO PRETO COM O CORAÇÃO CHEIO DE AMOR POR AQUELES ALMAS AI APRECE ALGUÉM E FALA QUE NÃO SE PREGA O EVANGELHO ALI, QUE NÃO CONHECE O NOSSO TRABALHO. CONVIDO A TODOS VOCÊS PARTICIPEM PARA VER SE É OU NÃO É! DEUS OS ABENÇOE!

22 de fevereiro de 2014 15:37 comment-delete

Isso mesmo Orvalho!! não gostamos de estar nesses lugares, apenas o fazemos para de alguma forma alcançar alguns, por amor a vidas e ao Senhor.
Não perderíamos nosso tempo o ano inteiro dentro da igreja, trabalhando, jejuando, orando, nos submetendo as nossas lideranças e em quatro dias jogaríamos tudo o que construímos em Cristo fora? Nada disso! Vamos ali somente para nos doar para as vidas!
E tem mais: não evangelizamos somente nesses dias, nós nos relacionamos com as pessoas de nossa comunidade, família, amigos e etc e falamos de Jesus para eles! Sem falar da evangelização com os irmãos de nossa igreja toda semana em que várias pessoas se entregam ao Senhor nos nossos cultos!
Cada um esteja seguro no seu coração do que faz para Deus! Quem vai retiro, que vá para glória de Deus, quem não vai para retiro e sai para evangelizar que faça para a glória de Deus!!
Respeitamos sinceramente quem durante o carnaval vai para retiro ou fica em casa descansando. Nós simplesmente detestamos carnaval, mas vamos a esses lugares para alcançar alguns se possível!
Graça e paz!!

22 de fevereiro de 2014 20:53 comment-delete

Concordo com o artigo em questão, mas também não podemos generalizar a massa, há sim alguns com o coração sincero, porém há também aqueles que estão ali ( Tanto na igreja quanto nestes eventos) só por farra. Não vou julgar os irmãos que fazem esse tipo de evangelização, mas também não posso me esquecer de algo: os "crentes" dentro da igreja com o coração no carnaval. Na cidade onde moro há um evento no período do carnaval, mas é dentro da igreja, e é lógico, tem um "arrastão" se é que posso definir assim o movimento de evangelismo antes da festividade e mesmo assim escuto comentários dos próprios jovens crentes combinando de irem ao carnaval depois da festa. É lamentável, mas é a realidade, então não podemos generalizar em dizer se esses movimentos são ou não carnais, digo a evangelização. Creio que criar blocos e escola de samba "gospel" não é de certa maneira o certo a fazer, sei que Paulo disse que se fez de tolo para ganhar o tolo, mas o mesmo apóstolo também disse que nem tudo convém! Fiquem todos com Deus.

23 de fevereiro de 2014 00:54 comment-delete

Renato Vargens,
Não posso julgar sua vida dizendo que você está falando da superfície do que podes ter visto dos blocos evangelisticos. Ficar sabendo de um movimento e estar lá para ver de perto o que acontece são coisas diferentes não é?
O Fato é que faço parte de uma igreja que promove um bloco evangelistico no carnaval, mas verdadeiramente não posso dizer que o que acontece lá é superficial. Para começar a preparação para esses atos evangelisticos começam 40 dias antes do carnaval. E essa preparação não é somente para as músicas ou para a bateria. TODOS participam de jejuns, orações, vigilias semanais e devocionais para que o espírito seja fortalecido, recebemos treinamento estrategicos, temos momentos de nos consagrarmos a Deus, de nos arrependermos dos nossos pecados e adoramos ao único que é digno para que nunca saiamos do foco que é: FALAR de Jesus, trazer o arrependimento dos pecados e mostrar que pode-se ter uma vida plena, satisfeita e inabalavel em Cristo. Para falar que a alegria desse periodo de festas acaba, mas com Cristo é eterna.
Concordo plenamente com o seu primeiro tópico. O evangelismo se dá sim de forma continua e é por isso que o nosso bloco se preocupa em deixar uma literatura com a pessoa e dizer de onde somos e onde estamos para que ela busque crescer na fé. Em outros casos, já levamos muitos que aceitavam Jesus ali para suas casas, já cuidamos de pessoas embriagadas ali mesmo e, nesse caso Renato, não se pode dizer que " ainda que se diga que o objetivo é a evangelização o que menos se vê é a pregação do Evangelho", afinal de contas pregar o evangelho é vive-lo e coloca em prática certo?
Posso te apresentar muitos jovens que aceitaram a Jesus ali no meio das festas do carnaval por que tinha alguém ali falando de Jesus para eles. Jovens que NUNCA pisariam dentro de uma igreja para ouvir falar desse Cristo. Jovens que, talvez de tanto ver o que o proprio site de vocês faz questão de mostrar, sentem nojo do que é Igreja. Jovens que se arrependeram, mudaram de vida, e hoje voltam ao cenário onde tiverem um encontro com Cristo para falar o mesmo para outros jovens...
Não posso afirmar que outras igrejas fazem o mesmo. Mas posso sim falar do que nós vivemos e vemos nesse período. Acho que não podemos deixar as oportunidades de falar e viver o amor de Cristo. Ir para as ruas (não só no carnaval) é dar continuidade ao que vivemos durante o ano todo. É aproveitar todas as chances que temos, é falar (enquanto pudemos falar) das formas que pudermos sem perder o foco. É estar lá, fazer barulho e chamar a atenção, sabendo que estamos numa batalha, não contra pessoas mas contra principados e potestades que atuam nas regiões celestiais que empurram muitos jovens para a estrada da morte e pecado nesses dias. Nós não nos retiramos da cidade para que Satanás faça o que ele quiser, nós avançamos e sempre avançaremos até que Cristo volte.
É fácil falar sem conhecimento profundo. A forma com que as informações chegam pela internet nos faz juizes de causas que só conhecemos a superfície. Definitivamente o Brasil precisa de um avivamento, a começar em nossos corações e mentes.
É o que penso, É o que digo!

24 de fevereiro de 2014 12:26 comment-delete

É salutar as defesas de todos os pontos de vistas. Ainda que divergentes demonstram a realidade de cristãos que de alguma forma procuram viver não um cristianismo de fachada, mas procuram ser brasas ardentes e não se entregam ao estado morno, quase letárgico da maioria do povo que se intitula cristão. Acredito pertinente lembrar 1joao 2:6 - aquele que diz estar Nele, deve andar como Ele andou.
E aproveitando o ensejo lanço a seguinte pergunta: se no carnaval não houvesse embriaguez, nudez, apelo à sexualidade, ainda assim está festa popular seria pecaminosa?

3 de março de 2014 22:46 comment-delete

Seguindo seu raciocínio, evangelizar usando funk, rap ou rock, também...

4 de março de 2014 19:21 comment-delete

Concordo, seguindo-se essa linha de raciocínio para o funk evangélico...

4 de março de 2014 19:23 comment-delete

Renato,

Respondendo seu comentário.

Eu não membro nem pastor de uma igreja histórica e tradicional. Segundo, eu não sou cessacionista, Alias, diga aonde você leu nesse blog eu afirmando que não creio na contemporaneidade dos dons espirituais? Terceiro, de onde você tirou eu ataco e reprovo os pentecostais?

Cuidado com os seus julgamento querido irmão, vc pode estar equivocado.

NEle que é a verdade!

Renato Vargens

17 de março de 2014 12:52 comment-delete

Renato Morais deixou um novo comentário sobre a sua postagem "O que penso sobre os Blocos evangélicos no Carnava...":

Na verdade o pastor Renato Vargens é tradicional, cessacionista, contra tudo que são de uma "teologia" diferente da dele. Então existe um pré-requisito para ele gostar ou não gostar, defender ou não defender, estar ou não estar de acordo:
1 - Se for de origem pentecostal ou neo-pentecostal, mesmo que seja uma boa causa, tenha um bom motivo, ou efetivamente gere um bom fruto, seja genuinamente cristão, e não fira a palavra de Deus, ele será contra;

2 - Se for de origem tradicional, independente da motivação, e independente do resultado , ele será a favor.

Só mais um detalhe, ele comenta sobre o paganismo. Quer algo mais pagão que o Natal ? Pois é, ele defende com unhas e dentes a comemoração dentro da igreja.

Lamentável.

Xará, te considero meu irmão, nada contra o Senhor, são apenas diferenças de pensamentos, idéias e doutrinas.

Existem posts seus que concordo, ainda que sejam poquissimos, por isso as vezes dou uma passada no seu blog.

Graça e paz.

17 de março de 2014 12:57 comment-delete

Mateus 5-13:"Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? ... 14 Vós sois a luz do mundo [...]
Não percebemos a DIFERENÇA ou como diz na bíblia "o sal da terra" ou "a luz do mundo" nestas "evangelizações flexíveis e atrativas" aos olhos mundanos. Elas mais se assemelham aos costumes mundanos que aos cristãos. Por isto, concordo com você.

5 de julho de 2014 10:35 comment-delete

Que piada kkkk , me perdoe o que vou dizer, me mostre na biblia um versiculo aonde Jesus ou os apostolos se utilizaram de qualaquer outro meio que não fosse a pregação, a reforma foi toda realizada baseada na pregação,será que Deus mudou sua estratégia ? será que tenho que sambar na avenida para convencer as pessoas de seu pecado ? será que tenho que me contextualizar com o samba e com tudo o que ele significa para enagelizar ? ou devo acreditar que o Espirito Santo não mudou de idéia e ainda se utiliza da pregação para conduzir os homesns a Cristo ?
Deus não mudou , quem mudou foram as igrejas , na ansiedade de encher nossos templos nós aceitamos todo tipo de modismo , é biblía em cima de prancha,é musica de toda espécie dentro das igrejas, é biblia sendo traduzida usando palavras de baixo nivel para atrair os incrédulos, é balada gospel e por ai vai.
Me perdoe ,más existe muita gente sincera nas igrejas, más sinceramente engandos, gente sem nenhum preparo biblico,basta ter boa vontade e voçê vira pr ,dispensa-se ir estudar em um seminário ,depois servir a igreja ,agora é só ser legal , cheirar a biblia ter revelações etc.
Por ultimo o Brasil precisa de avivamento,más se voçê for pesquisar a história dos avivamentos , todos, sem exeção , começaram pela pregação da palavra a oração continua da igreja , quebrantamento da igreja seguida de uma vida piedosa e muita oração.

28 de janeiro de 2015 14:19 comment-delete

Prossiga com estas convicções sobre os blocos Kacangêlicos no carnaval pr Renato. Afinal devemos saber discernir entre convicções e preferências. Deus continue abençoando sua vida, família e ministério. A oposição do vento é que mantém a pipa no ar.
O Senhor seja contigo.

16 de fevereiro de 2015 12:23 comment-delete

É triste ver pessoas enganadas pelo diabo e dizendo ser cristãos continuam com práticas mundanas que agradam a carne e a velha criatura , carnaval não é festa de cristão e o fato de cantarem e pronunciarem o nome de Jesus não quer dizer que ele vai se fazer presente nisto.

9 de fevereiro de 2016 20:18 comment-delete

Parabens pela postagem. Concordo plenamente. sou da Igreja que organizou o bloco Mocidade dependente de Deus, mas não concordo com a postura. Vi um vídeo do Solano Portela que diz o seguinte:

"Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas?" 2 Coríntios 6:14

"Que trabalho positivo pode dar essa confusão que nós estamos vendo nos dias atuais, com esses "blocos de crentes" que se misturam lá? Quem é que voces acham que domina a cena do carnaval? São esses cristão que estão lá? Claro que não. O jugo aqui é exatamente o jugo do pecado"

"Temos sim que testemunhar, temos que pregar, mas o que nós estamos vendo nos dias de hoje é o envolvimento numa festa e numa demonstração de "alegria" que se confunde com a alegria pagã".

"Uma dessas pessoas que favorecem o envolvimento dos crentes a estarem com seus blocos evangélicos no meio do carnaval disse assim: "Se Jesus vivesse hoje ele etaria aonde? Ele estaria tomando agua de coco num retirio evangélico ou ele estaria no meio dos blocos? E a resposta que ele quer é que Ele estaria no meio dos blocos. Meus irmãos pelo que eu leio na Palavra de Deus, não é onde Ele estaria não.Jesus não estaria no meio dos festivais pagãos , sabe por que? Porque esses festivais pagãos eles já existiam no tempo de Jesus também, mas nós não vemos Jesus Cristo seguindo as multidões, as multidões é que seguiam a Cristo... Nós vemos Jesus participando dos festivais do Templo, Festivais sociais na festa de casamento em Canaa da Galiléia, nós vemos Jesus de braços abertos abrigando pecadores, chamando e conclamando pecadores ao arrependimento, mas nós não vemos Jesus Cristo compromentendo o seu testemunho".

"Por isso saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor;E não toqueis nada imundo,E eu vos receberei;" 2 Coríntios 6:17

"Se dissermos que temos comunhão com ele, e andarmos em trevas, mentimos, e não praticamos a verdade". 1 João 1:6

Tenho visto pastores e líderes encorajando seus dicipulados a se investir de autoridade baseados em Mc 6:7 que diz: "Chamou a si os doze, e começou a enviá-los a dois e dois, e deu-lhes poder sobre os espíritos imundos"... mas esses mesmos pastores e líderes se esquecem do que Jesus diz, em Mc 9:29, aos seus discípulos que, debaixo dessa autoridade, não conseguem expulsar um demonio de um homem: "E disse-lhes: Esta casta não pode sair com coisa alguma, a não ser com oração e jejum". Infelizmente, o que vemos, são líderes levando crentes totalmente despreparados para a batalha.

9 de fevereiro de 2016 22:21 comment-delete

Foi a melhor resposta. Como curte um milhão de vezes?

11 de fevereiro de 2016 00:27 comment-delete

cocordo plenamente com você Renato, só para constar sou católica, frequento o carnaval, pulo, danço, canto e creio que um dia vou servir a Jesus de corpo, alma, mente e coração.
Não acho certo isso de "pregar o evangelho" em meio a essa festa carnaval, festa da carne, cristão, não crente tem que ser que nem a amêndoa não é? Pouca carne, muito óleo, ou estou equivocada, caso eu esteja me corrijam.
Daqui a pouco vão pregar o evangelho no show da Ivete Sangalo, Claudia Leite, entre outros eventos mundanos, como vcs cristãos dizem.
Os evangélicos tem que ser diferentes na terra, e no meio de uma banda vcs acham que estão sendo diferentes?
2 Cor 6:17
Talvez, não generalizando, alguns católicos como eu não dão credibilidade aos cristãos, devido a maioria estar se igualando ao mundo ;(
Na minha opinião não estão evangelizando o nome Jesus, mas sim escandalizando Seu nome.
Essa é a minha opinião, é cada um tem a sua.
Parabéns pelo texto Renato!!

31 de agosto de 2016 13:29 comment-delete

Uma pergunta por acaso tem regra de fato como se deve evangelizar. Evangelizar é uma coisa culto para Deus é outra coisa diferente. As pessoas confundem as coisas.

1 de fevereiro de 2017 18:07 comment-delete