Ele me ama!

Por Renato Vargens

"Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.  (João 3:16)

O que seria de nós se Cristo não tivesse morrido na Cruz do Calvário em nosso lugar? O que seria das nossas miseráveis vidas se Deus não tivesse nos amado incondicionalmente? O Que seria de cada um de nós salvos por Cristo, se Deus não tivesse se compadecido das nossas almas?

A resposta é simples: Estaríamos condenados ao inferno e viveríamos eternamente longe de Deus. Não teríamos os nossos pecados perdoados. Viveríamos debaixo da culpa e da justa condenação pelas nossas inúmeras transgressões. Não desfrutaríamos do amor de Deus em nossas vidas. Alias, que amor é esse? Que amor maravilhoso é esse que fez com que o Todo Poderoso, tomasse a forma de gente a fim de que fossemos reconduzidos a Deus? Que graça é essa? Que bondade é essa? Que Deus é esse! 

Caro leitor, acordei essa manhã envolto pela bondade do Pai, absorto pelo amor de do Filho e envolvido pela graça do Espírito Santo.  Como bem disse o salmista: "Como é precioso o teu amor, ó Deus! Os homens encontram refúgio à sombra das tuas asas." (Salmos 36:7) "No teu templo, ó Deus, meditamos em teu amor leal." (Salmos 48:9)

Que amor maravilhoso! Quem poderá nos separar desse amor? Como dizem as Escrituras "estou convencido de que nem morte nem vida, nem anjos nem demônios, nem o presente nem o futuro, nem quaisquer poderes, nem altura nem profundidade, nem qualquer outra coisa na criação será capaz de nos separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus, nosso Senhor. (Romanos 8:38-39)

Sou grato a Deus pelo seu amor e pela salvação e eu não tenho nenhum mérito nisso! Ele me amou, me elegeu, me salvou e me deu vida eterna.

"Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores. Logo muito mais agora, tendo sido justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira. Porque se nós, sendo inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de seu Filho, muito mais, tendo sido já reconciliados, seremos salvos pela sua vida. E não somente isto, mas também nos gloriamos em Deus por nosso Senhor Jesus Cristo, pelo qual agora alcançamos a reconciliação. Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram. Porque até à lei estava o pecado no mundo, mas o pecado não é imputado, não havendo lei. No entanto, a morte reinou desde Adão até Moisés, até sobre aqueles que não tinham pecado à semelhança da transgressão de Adão, o qual é a figura daquele que havia de vir. Mas não é assim o dom gratuito como a ofensa. Porque, se pela ofensa de um morreram muitos, muito mais a graça de Deus, e o dom pela graça, que é de um só homem, Jesus Cristo, abundou sobre muitos. E não foi assim o dom como a ofensa, por um só que pecou. Porque o juízo veio de uma só ofensa, na verdade, para condenação, mas o dom gratuito veio de muitas ofensas para justificação. Porque, se pela ofensa de um só, a morte reinou por esse, muito mais os que recebem a abundância da graça, e do dom da justiça, reinarão em vida por um só, Jesus Cristo. Pois assim como por uma só ofensa veio o juízo sobre todos os homens para condenação, assim também por um só ato de justiça veio a graça sobre todos os homens para justificação de vida. Porque, como pela desobediência de um só homem, muitos foram feitos pecadores, assim pela obediência de um muitos serão feitos justos. Veio, porém, a lei para que a ofensa abundasse; mas, onde o pecado abundou, superabundou a graça; Para que, assim como o pecado reinou na morte, também a graça reinasse pela justiça para a vida eterna, por Jesus Cristo nosso Senhor." (Romanos 5:8-21)

Soli Deo Gloria

Renato Vargens

0 comentários: