Neopentecostalismo brasileiro e a sua alma católica

Por Renato Vargens

Diversas práticas e comportamentos de algumas das denominadas igrejas neopentecostais carregam em si inúmeros pressupostos católicos. Se não vejamos:

1) O púlpito como altar. 

É comum os pastores tratarem o pulpito como lugar sagrado desafiando os crentes a depositarem suas expectativas de oração num lugar especial. Para tanto, transformaram a plataforma de pregação em  "altares" onde os fiéis de forma abnegada se prostam no desejo de vivenciarem milagres . Para os evangélicos em questão  o "altar" é um lugar mais santo do que o restante do "templo", onde  o "sacerdote" mediante prerrogativa divina impetra as bênçãos do Senhor.

Há pouco fiquei sabendo de uma igreja cujo o púlpito onde o apóstolo  prega foi considerado pelos membros de sua comunidade como sagrado e que em virtude disso, não pode em hipótese alguma receber pecadores.


2- A hierarquização do reino
  
No catolicismo a figura do Papa impõe sobre os fiés o entendimento de que a autoridade divina repousa sobre um único homem. Para os católicos o Sumo Pontífice é o Vigário de Cristo, o representante de Deus na terra. Além disso, Roma faz uma séria distinção entre clérigos e leigos colocando os sacerdotes católicos em um nível acima das pessoas comuns. 

Ora, lamentavelmente o neopentecostalismo brasileiro tem funcionado nos mesmos pressupostos.  Nessa perspectiva é possível encontrarmos bispos,  apóstolos, profetas e similares que por vontade própria se auto-nomearam representantes de Deus na terra, impondo sobre os seus seguidores suas vontades e doutrinas.

No neopentecostalismo tupiniquim a “hierarquização do reino”, tem sido caracterizada pelo aparecimento de estruturas monárquicas, onde "apóstolos" em nome de Deus mandam e desmandam na vida alheia. Tais homens, como ditadores da fé, têm feito do rebanho de Cristo propriedade particular. Além disso, os apóstolos em questão, sem o menor constrangimento “militarizaram” a comunidade dos santos, obrigando a seus liderados a se submeterem sem questionamento as suas ordens e determinações. Em estruturas como estas, é absolutamente comum exigir-se dos crentes, submissão total. Em tais comunidades, a vida cristã é regida exclusivamente por um sistema onde coronelismo e arbitrariedade se misturam. Infelizmente, aqueles que porventura ousem opor-se a este estilo de liderança, sofrem sanções das mais estapafúrdias possíveis.

3- Sincretismo e objetos mágicos

 O Catolicismo brasileiro tem por características o misticismo e a superstição.  Basta olharmos para a nossa colonização que perceberemos com facilidade mistura de fé e comportamento . Além disso, o catolicismo ultramontano tupiniquim acreditava em milagres de santos,  aparições de Maria, em objetos ungidos e santificados, como por exemplo a água benta. Ora, o neopentecostalismo nacional também se  comporta de forma  mística e sincrética. Nessa pespectiva é comum as mais variadas unções, do uso de copo d’água como instrumento de contato, da rosa ungida, do sal grosso, e muitas outras coisas mais.

Conclusão:

Isto posto, chego a conclusão que mais do que nunca necessitamos voltar as ESCRITURAS. Calvino costumava dizer que o verdadeiro conhecimento de Deus está na Bíblia, e de que ela é o escudo que nos protege do erro, portanto, em tempos difíceis como o nosso onde o sincretismo se multiplica a olhos vistos precisamos regressar à Palavra de Deus, fazendo dela nossa única regra de fé, prática e comportamento.

Soli Deo Gloria,

Renato Vargens

4 comentários

  1. Meu nome é Omar Gigante.
    Muito bom seu comentário. Inclusive tenho presenciado também o grande número de "Profetas e Profetizas", nos quais as revelações que entregam não podem ser questionadas...como se estivéssemos questionando o próprio Deus. E eu tenho estado com meu coração partido devido ao desinteresse crescente que os cristãos estão tendo pelas Escolas Bíblicas. Ninguém mais tem interesse por estudas as Escrituras. Entro em livrarias cristãs e é um deserto só, algumas que eram até grandes em variedade já fecharam suas portas. Fiquei arrasado ao ver uma grande livraria evangélica sumir para dar lugar à venda de cabelos para apliques. Meu Deus, até quando? até quando?

    ResponderExcluir
  2. Caro Renato Vargens!

    Infelizmente percebo que não só no "arraial neopentescostal" estas manifestações da "alma católica" estão presentes, principalmente no item hierarquização do reino. Creio que a Reforma não conseguiu romper com essa figura do "UM" sobre os demais. CLERO X LEIGOS. Então que voltemos as Escrituras.

    Cristo é a cabeça de Todo o Corpo.
    Bem, neste caso nosso ponto de partida deve ser Cristo . O que ele diz ?
    Então Jesus, chamando-os para junto de si, disse: Bem sabeis que pelos príncipes dos gentios são estes dominados, e que os grandes exercem autoridade sobre eles.
    NÃO SERÁ ASSIM ENTRE VÓS; mas todo aquele que quiser entre vós fazer-se grande seja vosso serviçal;
    E, qualquer que entre vós quiser ser o primeiro, seja vosso servo;
    Mateus 20:25-27
    Vós, porém, não queirais ser chamados Rabi, porque um só é o vosso Mestre, a saber, o Cristo, E TODOS VÓS SOIS IRMÃOS.
    E a ninguém na terra chameis vosso pai, porque um só é o vosso Pai, o qual está nos céus.
    Nem vos chameis mestres, porque um só é o vosso Mestre, que é o Cristo.
    O maior dentre vós será vosso servo.
    Mateus 23:8-11
    Vós me chamais Mestre e Senhor, e dizeis bem, porque eu o sou.
    Ora, se eu, Senhor e Mestre, vos lavei os pés, vós deveis também lavar os pés uns aos outros.
    Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também.
    João 13:13-15 ... ISTO FALA DE IGUALDADE ENTRE OS IRMÃOS.

    Partindo deste principio podemos construir qualquer estrutura desde que sejamos todos iguais, irmãos, servos uns dos outros... a noção gentílica de hierarquia baseada no fluxo de autoridade descendente foi rechaçada por Jesus. A palavra grega para autoridade é exousia .. e em todo o Novo Testamento , ela NUNCA é aplicada ou usada para um relacionamento de um crente com outro. Porque ?? Porque TODA a autoridade está na pessoa de Jesus.

    Como era o governo na Igreja Primitiva ?

    Atos 20:28, 1 Timóteo 5:17, 1 Tessalonicenses 5:12 e Hebreus 13:7,17,24 não mostram que os anciãos têm que governar a igreja?
    Anciãos = presbuteros ( grego ) = Homem velho = homem maduro. A igreja reconhecia os irmãos mais maduros como líderes para que eles protegessem o rebanho e supervisionassem os irmãos nos seus sacerdócios individuais.


    A palavra “governar” em Hebreus 13:7,17,24 é uma tradução do vocábulo grego hegéomai, que significa simplesmente guiar, conduzir ou seguir adiante. F.F. Bruce, um profundo conhecedor do NT, em seu comentário à carta aos Hebreus traduz hegéomai como “guiar” (Epístola aos Hebreus, Ed. Nova Criação). Estes textos comunicam a idéia de “os que lhes guiam”, em vez de “os que lhes governam”. No mesmo sentido, em 1 Tessalonicenses 5:12, a palavra “presidir” (RV-1960) é uma tradução da palavra grega proístemi. Este termo sugere a idéia de estar à frente, supervisionar, guardar e prover cuidado.


    ResponderExcluir
  3. Infelizmente tenho percebido um certo corporativismo em que os grupos se dividem e no campo das ideias tornam-se herméticos dificultando desta forma o que é o maior sonho de Deus UNIDADE.

    ...O que eu não desejo e cometer o mesmo erro ao generalizar já que tenho aprendido muito com palestrantes que não fazem parte do meu meio, "pentecostal", isto não significa que não haja pessoas idôneas em nosso meio.

    Na verdade temos as nossas diferenças, mas jamais deveríamos fazer delas uma incongruência...


    CALVINISMO X ARMINIANISMO

    "Os que são e os que não são"

    Existe as margens do rio
    algo que parece mais cio,
    pois a obsessão
    aludida a obstinação
    promulga a sua razão
    deturpando a verdade.


    Só que no veio do rio
    um povo santo seguiu
    neste rio se submergiu
    banhados com o sangue
    da glória de Deus.

    Deixando as margens
    os faltos de coragem
    que só tem na bagagem
    sua própria maneira de crer
    de crer e de agir.

    De um lado os tradicionais
    que sabem demais
    e desdenham os neo pentecostais
    os julgando tão rasos
    tão volúveis e voláteis.

    Do outro lado do rio
    algo análogo a este cio,

    não,
    eles não sabem demais!...

    Mas se acham demais!
    Super espirituais.

    Sempre orando em línguas estranhas
    mas em meio às entranhas
    fogo estranho havia.

    Por serem pentecostais
    se acharem demais
    tão cheios da unção
    egocêntrica e pseudo razão
    execram os que não são
    que do outro lado do
    rio estão.

    Mas o Senhor deste rio
    traz em seu seio um sonho
    de trazer para o meio
    mergulhar no seu veio
    os que são e os que não são
    e os que um dia serão.

    ResponderExcluir
  4. É bem mais fácil reduzir Deus a um objeto que o representa, substitui ou simboliza do que arrepender-se, buscá-lo em sinceridade e andar em santidade. Afinal, este dito caminho é estreito né...

    ResponderExcluir

Caro leitor,

(1)Reservo o direito de não públicar criticas negativas de "anônimos". Quer criticar e ter a sua opinião publicada? Identifique-se. (2) Discordar não é problema. É solução, pois redunda em aprendizado! Contudo, com educação. Sem palavrão! (3) Ofereça o seu ponto de vista, contudo, a única coisa que não aceitarei é esta doutrina barata do “não toque no ungido” do Senhor. Querendo aprender sobre o direito de julgar, leia estes artigos:

Não julgueis para que não sejais julgados. Como é isso?

Julgando os críticos ou criticando os juízes?

O conselho de Gamaliel e o pensamento Cristão

Nele,

Renato Vargens