Eu amo a minha Igreja

Por Renato Vargens

Eu amo a minha igreja.

Eu amo os irmãos que se reunem na Igreja Cristã da Aliança.

A minha igreja é composta de amigos, de parceiros que lutam apaixonadamente pelo Evangelho, que amam a Cristo e que amam uns aos outros.

A cada dia eu louvo a Deus pela Igreja Cristã da Aliança e pelos amigos que lá tenho!Tenho amigos de fé, irmãos camaradas, obreiros fiéis, gente abnegada.

Eu amo minha igreja, ela é um porto seguro em dias de tempestade. Nela eu posso ser o que sou, nela eu não preciso usar máscaras, nem tampouco vestir a capa da religiosidade.

Eu amo a minha igreja. Eu amo os amigos que lá se reúnem. Eu amo a minha equipe pastoral. Sou privilegiado pois tenho pastores amigos, fiéis a Cristo e a obra missionária.

Eu amo a minha igreja. Sou grato ao Senhor pela nossa unidade! Bendigo ao Senhor porque a unidade entre os líderes é marca de um relacionamento fundamentado na Cruz de Cristo.

Eu amo a minha igreja. Amo os diáconos que abnegadamente servem ao Senhor e aos irmãos.

Eu amo a minha igreja e sou grato a Deus por ser pastor dela, por amar e ser amado, por respeitar e ser respeitado, por acolher e ser acolhido.

Eu amo a minha igreja!

Muito obrigado Senhor pela graça que me concedestes de pastorear a Igreja Cristã da Aliança.

Muito obrigado pelos amigos que tenho, pela aliança que possuo como irmãos queridos e pelo prazer incomparável de servi-lo num lugar de amor, carinho e respeito.

Renato Vargens


3 comentários:

Querido amigo,

Louvo a Deus pelo seu testemunho!!!

Ainda existem igrejas e ministérios saudáveis! Muuuuuuuuuito saudáveis.

Colheitas como essas (e outras) são resultado da semeadura: oração, fidelidade, integridade, discipulado, honestidade, etc.

Parabéns.

Compartilho do mesmo sentimento em relação à igreja que pastoreio, a CCNV.

Se o irmão permitir, vou compartilhar.

Paz, e que o Senhor lhes abençoe cada vez mais.

26 de novembro de 2012 00:05 comment-delete

Sorte sua Pastor. O senhor não nasceu em Belém do Pará. Pois essa Belém aqui, a que fica logo abaixo da linha do equador é seguramente das mais mesquinhas moralmente e culturalmente cidade do mundo, bem diferente da outra Belém, a dos judeus. Talvez por isso a sua igreja é abençoada.

Mas que somente Deus seja glorificado. Ele sabe de todas as coisas, não vamos nos preocupar.


JOÃO EMILIANO MARTINS NETO

26 de novembro de 2012 19:59 comment-delete

Por falar em culturalmente e moralmente, se me permite acrescentar amado pastor Vargens, o personagem Macunaíma, aquele que é o herói sem nenhum caráter de Mário de Andrade foi inspirado nos paraenses, cuja capital é a decadente Belém por mim citada acima. O paulista visitou Belém e inspirou-se para escrever o Macunaíma. O referido personagem maligno não tem por pátria exatamente o Brasil como um todo, mas somente brasileiros de uma certa localidade.

Ora, em um lugar tão iníquo como Belém do Pará, só podiam eclodir certas heresias antigas como a montanista insana pentecostal que servem de esquema de poder para certos vampiros que se alimentam do sangue de Cristo derramado pela carne fraca do homem que se envolve em obras da carne como as heresias.


JOÃO EMILIANO MARTINS NETO

26 de novembro de 2012 20:25 comment-delete