quarta-feira, junho 24, 2015

Liberais e neopentecostais, um novo e perigoso caso de amor

Por Renato Vargens

Tenho reparado nas redes sociais que muitos dos neopentecostais tem aplaudido, comentado e repassado aos seus amigos virtuais, algumas frases de efeito proferidas pelos liberais. Neste perspectiva se tornou comum encontrar os adeptos do neopentecostalismo vibrando com expressões do tipo:

"Mais do que entender a Biblia, o importante é saber respeitar outras pessoas, ter compaixão de quem sofre,  pois no fundo a Biblia é isso." 

"Pessoas que destilam ódio em nome da doutrina religiosa podem ter encontrado religião, mas não Deus. Deus é amor e misericórdia." 

"Deus é amor e se manifesta de forma diferente nas religiões." 

"Os evangélicos precisam rever seu conceito medieval de salvação"

"Juízo eterno? Não! Deus é amor, no final de tudo o amor prevalecerá e  todos os homens serão salvos"

"Não julguemos os homens, nem tampouco as suas doutrinas, isso não nos cabe. Vamos amar as pessoas, tratando-as com o amor do Cristo.

Pois bem, os liberais não se cansam de falar de amor. Em quase todos os seus textos é comum encontrarmos a afirmação de que Deus é amor e que em virtude disso, ele não julga ninguém, não condena ninguém. Todavia, os adeptos do liberalismo teológico se esquecem que as Escrituras apontam para o fato inexorável de que Deus além de amoroso é justo, e que no dia final, há de tratar com os homens consoante os seus pecados. 

Ora, antes que me apedrejem, gostaria de  afirmar que é claro que eu sei que Deus é amor. As Escrituras afirmam isso de forma inequívoca. O que seria de nós sem o amor e a graça de Cristo? O que seria das nossas miseráveis vidas se Jesus não tivesse morrido por nós na cruz? Que amor maravilhoso é esse, não é verdade? Entretanto, o fato de saber que Deus é amor, não me dá o direito de distorcer a verdade.  JESUS CRISTO, a expressão máxima do AMOR, é também a mais absoluta VERDADE (João 14:6). 

Bom, talvez você esteja se perguntando: Tudo bem, mais o que isso tem há ver com os neopentostais?

Tudo! Deixe-me explicar!

Os neopentecostais e suas doutrinas espúrias tem sido severamente criticados pela ortodoxia evangélica. É comum encontrarmos na blogosfera cristã inúmeros textos refutando as heresias do neopentecostalismo, o que de certa forma tem proporcionado a descoberta da verdade bíblica por milhares de nossos irmãos.  Em contrapartida, um número incontável de neopentecostais tem rechassado a postura conservadora por parte da igreja brasileira, alegando que falta entre os que combatem o neopentecostalismo, amor e compaixão.  Nesta perspectiva os neopentecostais em questão, tem vibrado com as expressões de "tolerância" usada pelos liberais, o que infelizmente tem proporcionado a aproximação destes dois grupos.

Prezado amigo, todos sabemos das distorções teológicas do neopentecostalismo e dos seus malefícios para a igreja brasileira, no entanto, o que muitos de nós desconhecemos é que o liberalismo teológico é muito pior. Sim! O liberalismo teológico é um câncer que vagarosamente arrebenta a saúde da Igreja. Como bem afirmou Augustus Nicodemus os "Liberais são parasitas, e assim como um vírus  se instala num organismo debilitando o corpo do individuo, da mesma forma eles se instalam na igreja sugando-a até ficar só a carcaça, para depois buscar outro hospedeiro"

Caro leitor,  o que me preocupa é fato de que em virtude da fraqueza teológica dos neopentecostais os liberais encontrem espaço em seus arraiais, instalando em suas débeis estruturas de pensamento, um tipo de vírus, que se não tratado com firmeza poderá produzir males quase que irreparáveis.

Sem sombra de dúvidas esse é um namoro que me preocupa!

Pense nisso!

Renato Vargens


Mauro Meister disse...

Renato,
Some a isto o fato de que os um número dos neopentecostais (e pentecostais históricos) estão 'in love' com a suposta respeitabilidade acadêmica que os liberais lhes trazem... o amor é lindo! A gente continua sendo obscurantista e fundamentalista...

abs

Mauro

Fabio Silveira de Faria disse...

Nada mais a dizer. Só concordância com Mauro pois, na atualidade é quase impossível separar pentecostais de neo pentecostais.
Abraços.
Fabio,cristaodebereia.blogspot.com

Anônimo disse...

Misturando alhos com bugalhos, nada tem haver neo com pentecostal, um segue sua emocao, o outro a biblia, o que vejo é ressentimento e talves um pouco de inveja, sempre que se fala de neo querer puxar a sardinha e lançar todo mundo no mesmo pacote, tem gente séria no pentecostalismo, os colegas deviam rever suas posiçoes, um abraço. E fiquem com Deus.
Christian silva

mais simples, mas real disse...

Nos últimos anos tenho lido artigos em vários locais diferentes, com posições e visões das mais variadas, especialmente na internet.Será que se olhássemos de um outro ângulo, bem diferente sinceramente, ousadamente, ineditamente, o que veríamos? não seriam vários grupos defendendo sua forma de verdade validada por Jesus?"eles todos outros estão sempre errados (totalmente, muito ou um pouco), nós estamos certos (totalmente, muito ou um pouco)mas somos a igreja da história. Lavemos nossas bandeiras com o melhor alvejante da praça e ela será a mais branca...vaidade, vaidade, tudo é vaidade, travestida de tantas intenções. Precisamos mesmo defender nosso ponto de vista... tudo igualzinho a como Jesus fez, igualzinho ele faria se fosse com ele hoje... não é Jesus?

Renato Vargens disse...

Christian,

Me diga aonde no texto e mencionei os pentecostais?

Abracos,

Renato Vargens

CUMPADRE MANEL disse...

Caro pastor Renato,
entendo a sua preocupação e a admoestação. Entretanto, creio que esta associação de liberalismo teológico aos chamados neopentecostais é um tanto quanto arbitrária. Explico:
1- o que o sr classifica como neopentecostal parece abarcar uma gama de denominações e grupos de crentes bem grande para se listar.
2- se conseguíssemos fazer uma lista, nela estariam compreendidas igrejas com práticas diversas e doutrinas (se é que podemos chamar assim) bem distintas entre si.
Desta possível lista, poderíamos destacar algumas igrejas onde a orientação para a conduta dos membros seria classificada como "old". Esta suposta ortopraxia tende a fazer com q muitos irmãos rejeitem as novidades liberais só em sentir o cheiro.

O que tenho observado e tentarei dizer é que a aceitação de certos "ópios" acadêmicos-universitários parecem ser os fatores determinantes para a tal aproximação com o liberalismo teológico. (Também entendo que alguns termos estão bem desgastados e contaminados de sentido pejorativo e por isso devemos sempre usá-los com bastante cuidado - e adjetivos)
Seja presbiteriano, seja batista, quadrangular, assembleiano, metodista, muitos estão acostumados a ou sendo levados a conduzir suas reflexões à “antropologismos”, “historicismos”, “psicologismos” ou qualquer tentativa explicação ou abordagem pretensamente científica diante de assuntos cristãos, impostos pelo beautypeople universitário e pelo mainstream jornalístico.
Imaginem só: um lindo estudante de engenharia ambiental e um aluno de ciências sociais com CR 9,7 afirmarem o nascimento virginal da segunda pessoa da Trindade; ou quem sabe estes no centro acadêmico de seus respectivos cursos falando da ressurreição de Cristo como um fato histórico datado e testemunhado. Muito mais chique e legal eles dizerem que à época do primeiro fato, existiam muitas lendas de nascimento virginal no Mediterrâneo, ou fazer como na Bíblia Edição Pastoral da Editora Paulus, mostrando que a ressurreição de Nosso Senhor é uma metáfora, pois o amor de Cristo Jesus deve ressurgir em nossos corações. Pecado original que nada, o homem é um bom selvagem.
Como posso eu, um acadêmico, escrever no FACE que um cristão não deve votar em um partido que venera o aborto, o PLC 122, o PNDH-3, o consumo de drogas..... como disse o rev. Meister: seria um obscurantista.
Esta mentalidade se revela nas igrejas através da negação ou relativização dos elementos básicos da nossa fé. Independentemente do grupo, mas sim de ovelhas específicas.
Indico um texto bom sobre o assunto:
http://resistenciaprotestante.blogspot.com.br/2012/05/seja-justo-com-os-liberais.html

Gilson Pereira Barbosa disse...

Amado irmão,
Concordo que não devemos colocar TODOS os pentecostais junto com os neo, mas na periferia é isso o que acontece. Não há diferença

Eliezer Pereira disse...

Pastor Renato , os pregadores da TMI são também liberais ?

Renato Vargens disse...

Eliezer,

Penso que não, ainda que seja possível encontrar liberais entre a TMI. Julgo que seria irresponsável afirmar que os que defendem a Missão Integral sa Igreja são liberais.

Abraços,

Renato Vargens

Luiz Fernando disse...

Renato,
Estou fechado com você, liberais + neopentencostais é a receita do desastre.

favourite category

...
ministério pastoral

Whatsapp Button works on Mobile Device only