Tudo o que eu quiser o cara lá de cima vai me dar

Por Renato Vargens

Hoje me lembrei dessa famosa frase proferida pela Xuxa. Naquele mesmo instante fui  tomado pela impressão de que alguns evangélicos pensam igualzinho a rainha dos baixinhos, isto porque, bastam determinar a bênção que o “cara lá de cima” irá atender.

Pois é, a prática do decreto e da oração determinista infelizmente se tornaram comuns ao meio evangélico. Na verdade, em boa parte dos templos chamados cristãos é absolutamente normal vermos ou ouvirmos pessoas determinando a benção em nome de Jesus.

Os defensores deste tipo de oração fundamentam seus comportamentos no evangelho de João, capítulo 14, verso 13, afirmando que o termo usado como pedir foi mal traduzido, isto porque, segundo estes, a palavra no original jamais teve a idéia de pedir alguma coisa, e sim de determinar algo. Entretanto, ao contrário do que tais profetas afirmam, o texto grego aponta efetivamente para alguém que pede, sem contudo exigir o cumprimento daquilo que deseja. Ora, onde já se viu um filho determinar o que quer que o pai faça? Ou, de modo semelhante um servo ordenar o que deve ser feito ao seu senhor? O filho é submisso ao pai e o servo é submisso ao seu senhor. Se Deus é nosso Pai, então devemos honrá-lo como tal. Se ele é nosso Senhor, então a nossa postura deve ser de servos.

Infelizmente, boa parte das mensagens pregadas pelos pastores brasileiros nos apontam o quão despreparados estão nossos ministros. Suas mensagens são rasas, sem substância, empobrecidas teologicamente, cheia de modismos, unções, decretos, e determinismos os quais tem reverberado vergonhosamente em todo território nacional.

Amados irmãos não dá pra vivermos a vida cristã de profecia em profecia, de revelação em revelação, de decreto em decreto. Mais do que nunca, essa é a hora de regressarmos a Palavra de Deus, de redescobrirmos os seus preciosos tesouros, de fazermos das Sagradas Letras nossa referência de fé e de comportamento.

Que Deus nos ajude, e tenha misericórdia de seu povo!

Pense nisso!

Renato Vargens

4 comentários

  1. Ilustre Pr. Renato,


    Outro dia, tendo o desprazer de ler o Curso Fé, do aclamado R.R.Soares, li (e ouvi) uma das afirmações mais grotescas que poucos hereges ousariam fazer: "segundo os estudiosos, João 14.13 foi mal traduzido para 'pedir', quando deveria ser 'determinar'. Então a partir de hoje você não vai mais pedir, mas DETERMINAR". Isso que é eisegese, ou exejegue! Aí quando lemos a obra primorosa de Vine, entendemos que pedir é uma atitude suplicante de alguém que está em posição inferior a quem faz a petição. Mas o R.R.Soares arrumou alguns "estudiosos anônimos" (que mal entendem o português, que dirá o grego) para reproduzir a heresia do determinismo.

    Agora, engraçado mesmo é que outro dia, recentemente, na Tv quando perguntado sobre o porquê dos líderes serem chamados de "pastores", o exegeta R.R.Soares simplesmente disse: "sei lá, pessoal, isso é coisa pros estudiosos responderem". Xiii! Pergunta tão básica, e o homi não soube responder. Acho que ele faltou a essa aula na escolinha dominical.

    Como disse o ilustre Pr. Renato, os pastores brasileiros estão despreparados e empobrecidos de teologia. Que vergonha!

    "O meu povo perece porque lhe falta conhecimento" (Oséias 4.6)

    ResponderExcluir
  2. Amados irmãos não dá pra vivermos a vida cristã de profecia em profecia, de revelação em revelação, de decreto em decreto. Mais do que nunca, essa é a hora de regressarmos a Palavra de Deus, de redescobrirmos os seus preciosos tesouros, de fazermos das Sagradas Letras nossa referência de fé e de comportamento.

    Infelizmente vivemos nessa época de falta de Biblia dentro das igrejas locais, oro todods os dias pra que Deus traga um avivamento pela sua Palavra isso sem deixar de pregar e defende-la de todo meu coração.

    "O meu povo perece porque lhe falta conhecimento" (Oséias 4.6)

    ResponderExcluir
  3. Isso alerta para a necessidade de não só sempre conferir na Palavra de Deus o que os ministros dizem, mas também de conferir a fonte de supostos estudos ou estudiosos, quando citados.
    Não dá para sair confiando cegamente em tudo, principalmente na era da Internet, onde informações incorretas se espalham facilmente.

    ResponderExcluir
  4. Até quando esses idiotas vão continuar pensando que DEUS é idiota como eles????

    ResponderExcluir

Caro leitor,

(1)Reservo o direito de não públicar criticas negativas de "anônimos". Quer criticar e ter a sua opinião publicada? Identifique-se. (2) Discordar não é problema. É solução, pois redunda em aprendizado! Contudo, com educação. Sem palavrão! (3) Ofereça o seu ponto de vista, contudo, a única coisa que não aceitarei é esta doutrina barata do “não toque no ungido” do Senhor. Querendo aprender sobre o direito de julgar, leia estes artigos:

Não julgueis para que não sejais julgados. Como é isso?

Julgando os críticos ou criticando os juízes?

O conselho de Gamaliel e o pensamento Cristão

Nele,

Renato Vargens