A morte de Dicró e o testemunho dos seus filhos

Por Renato Vargens

Ontem morreu o sambista Dicró, que era conhecido como o último dos malandros cariocas. Dicró era um tipo  de cantor debochado, escrachado e que sempre tinha na manga uma piada sobre sogra. Lembro de uma entrevista antológica no programa do Jô, onde de forma descontraída e risonha contava seus casos e contos a uma platéia  extremamente diversificada.

Prezado amigo, o objetivo deste post não é tratar  especificamente da morte de Dicró, nem tampouco do destino da sua alma. Na verdade, o que me motivou a escrever este texto foi o testemunho dos seus filhos. Isso mesmo, tive a oportunidade de ver na TV, além é claro, de ler nos jornais o quanto os seus filhos o amavam. Pois é, Dicró aparentemente possuía uma boa relação com os seus filhos, e o fato disso ser uma realidade em sua vida, fez com os rapazes testemunhassem a dor de ter perdido o pai. 

Caro leitor, isto, posto, fico a pensar na enorme quantidade de pais que não se relacionam bem com os seus filhos. Quantos não são aqueles que durante toda a vida mantiveram-se distantes daqueles que Deus lhes confiou, proporcionando feridas em suas almas?  Quantos não são os pais repressores e ignorantes que tratam mal os seus filhos, esbravejando e gritando com eles o tempo todo? Quantos pais deste imenso país optaram por uma vida egoísta  e ensimesmada em detrimento amizade à com seus filhos? 

E você? Quando morrer, o que será que os seus filhos irão dizer?

Dá pra pensar não é verdade?

Naquele que vive e reina,

Renato Vargens


7 comentários

  1. sim, a reflexão serviu. No entanto afirmo que nao é necessário ser cristão para criar bons filhos, e é ai provavelmente onde surgem as divergências. Como se muçulmanos não pudessem criar bons filhos, como se mormons ou ateus também nao o pudessem, como se hindus fossem incapazes de fazer o mesmo. portanto a mensagem dessa reflexão deveria ser puramente humanista, onde os pais deveriam seguir o senso comum, conceitos morais e éticos, dar amor e noções de responsabilidade e consequencia de seus atos para os filhos. certamente para isso a religião nao se faz necessária, porque todos podem ser boas pessoas sem fé num determinado Deus pessoal. Eu poderia inclusive questionar um dos mandamentos onde o Senhor afirma que quem nao segui-lo como deve, seus descendentes serão amaldiçoados ate a terceoira ou quarta geração...isso sim é uma demonstração de desamor até mesmo para o nao nascido, para o inocente...mas a biblia nao segue o conceito moral de que apenas os culpados devem ser responsaveis pelos seus proprios atos, e os inocentes acabam pagando pelo pecado dos outros até mesmo com o PROPRIO FILHO DE dEUS. QUANTO AMOR! ou não...
    lucas.couto@terra.com.br

    ResponderExcluir
  2. Deus tem falado muito conosco aqui em casa sobre a instrução de nossos filhos.
    O que temos mais aprendido com Deus, é sermos bons exemplos para nossos filhos, pois não adianta de nada nós os ensinarmos a palavra, mas ao mesmo tempo não cumprirmos esta palavra. E também sobre o diálogo e a comunhão que temos que ter com nossos filhos.
    Muitos estão perdendo seus filhos para o mundo, pois seus filhos acabam não se tornando prioridade em suas vidas.
    A paz de Cristo.

    ResponderExcluir
  3. Respeitadas as diferenças "teológicas", sempre gostei do Dicró e de seu humor escrachado. Vai fazer falta, assim como o Moreira da Silva e o Bezerra da Silva, os outros dois malandros que com ele compunham o trio"Os Três Malandros", parafraseando os Três Tenores (Pavarotti, Carreras e Domingos). Insubstituíveis! Alegrem-se, amantes da boa música... Ele se foi, mas ficaram o Michel Teló, o Luan Santana, o Restart...

    ResponderExcluir
  4. Vi os filhos agradecendo a DEUS por ter tido o pai que tiveram, achei fantástico porque a imagem que a midia passava do Dicró era de uma pessoa que não esquentava a cabeça com nada, muito legal.

    ResponderExcluir
  5. Acreditar que homens não regenerado, está dando uma boa criação aos seus filhos, mesmo não estando ensinando eles a palavra de Deus, é temerário e não condiz com a palavra de Deus! Os ensinamentos que um pai, não regenerado pode dar a seus filhos é passageiro e centrado nesse mundo. Qualquer ensinamento, que damos a nossos filhos tem que estar inserido o reino de Cristo. Esse pai que faz isso é sábio, pois está mostrando ao filho a salvação!

    ResponderExcluir
  6. Quando voce ve pais abandonados pelos filhos na velhice, questiona-se que tipo de filhos sao estes, mas também devemos lembrar que tipo de pais eles foram. O exemplo na criação dos filhos é tudo. Tivemos contato com o personagem malandro dicro, eles tiveram contato com o pai por tras do personagem.

    ResponderExcluir

Caro leitor,

(1)Reservo o direito de não públicar criticas negativas de "anônimos". Quer criticar e ter a sua opinião publicada? Identifique-se. (2) Discordar não é problema. É solução, pois redunda em aprendizado! Contudo, com educação. Sem palavrão! (3) Ofereça o seu ponto de vista, contudo, a única coisa que não aceitarei é esta doutrina barata do “não toque no ungido” do Senhor. Querendo aprender sobre o direito de julgar, leia estes artigos:

Não julgueis para que não sejais julgados. Como é isso?

Julgando os críticos ou criticando os juízes?

O conselho de Gamaliel e o pensamento Cristão

Nele,

Renato Vargens