terça-feira, abril 10, 2012

Carta Aberta ao Governador Sérgio Cabral e ao prefeito Jorge Roberto Silveira

Por Renato Vargens

Excelentíssimo Governador Sérgio Cabral e Excelentíssimo prefeito Jorge Roberto Silveira,

Primeiramente gostaria que os senhores lessem as recentes notícias sobre a cidade de Niterói, publicadas pelo Jornal O Fluminense:

"Um posto de gasolina na Avenida Roberto Silveira, em Icaraí, já foi assaltado oito vezes este ano, as duas últimas neste fim de semana. De acordo com funcionários, os bandidos costumam agir quase sempre de moto e em dupla. No último sábado não foi diferente. Por volta das 23 horas, dois homens em uma moto pararam no estabelecimento e anunciaram o assalto.

“Eles estavam de capacete e chegaram falando: ‘Perdeu!’ Roubam tudo. Eu estou com medo de trabalhar”, desabafou um frentista, que teve que entregar os R$ 180 da féria.

Menos de 24 horas depois, no domingo por volta das 16h, outros dois assaltantes, também de moto, anunciaram assalto, mas foram embora levando apenas combustível.

“Eles pararam e mandaram o frentista abastecer R$ 50. Mostraram a arma, mas como perceberam que o posto estava lotado, desistiram e foram embora”, disse a gerente do estabelecimento, lamentando o crescimento da violência na cidade. Segundo ela, no ano passado o estabelecimento sofreu três assaltos.

Entre os clientes do posto, o clima ontem ainda era de apreensão.

“É necessário mais policiamento nessa área. Moro aqui perto e vejo que essa rua à noite é deserta, local ideal para esses assaltantes. Eles não respeitam ninguém, nem um trabalhador”, reclamou.

O delegado titular da 77ª DP (Icaraí), Mário Luiz da Silva, informou investiga o caso. O comandante do 12º BPM (Niterói), Wolney Dias, prometeu reforçar o efetivo na região.

Em Itaipu, casal atacado

Continua internado em uma unidade médica particular o fisioterapeuta Fabiano Almeida Afonso, de 35 anos, baleado na Estrada Velha de Itaipu, na Região Oceânica. O crime aconteceu no fim da noite de sábado, quando a vítima e a noiva, Joana Souza, de 21 anos, seguiam de moto para Piratininga, onde a jovem reside. O casal foi atacado por dois homens em uma moto.

“Eles anunciaram o assalto e foram logo atirando. Nem esperaram meu noivo parar a moto. Foi um susto muito grande. Nós dois caímos e eu machuquei a mão. Agora estamos torcendo para que nada de mais grave aconteça”, contou a jovem, referindo-se ao noivo que está internado em um hospital particular de Santa Rosa e corre risco de perder a visão de um olho. A Honda CB300 da vítima foi levada.

Fabiano mora em Angra dos Reis, mas passava o dia em Niterói com a noiva, que havia se mudado para a cidade há dois meses. No momento do assalto, o casal usava capacete e não reagiu.

“Meu irmão tem um leve problema de audição que o acompanha desde criança, e agora pode ficar com problema de visão. Eu pedi para ele não vir de moto para Niterói, ele poderia ter vindo de carro, mas não me escutou. Esse assalto poderia ter terminado em tragédia. Felizmente meu irmão não corre o risco de morrer”, lamentou o professor de educação física José Luiz de Almeida, de 42, irmão da vítima. “Sinceramente, acho que Niterói deixou de ser um lugar seguro. É incrível o número de assaltos que a cidade vem sofrendo. Sempre tive uma boa imagem de Niterói, mas estou mudando de opinião”, acrescentou.

De acordo com a assessoria da Polícia Civil, o delegado Marcus Castro Nunes Maia, titular da 79ª DP (Jurujuba), não iria se pronunciar sobre o caso sob a alegação de que atrapalharia as investigações. O comandante do 12º BPM (Niterói), informou que homens do Serviço de Inteligência (P2) do batalhão também investigam o caso.

Violência - O ataque aconteceu no mesmo dia em que o corpo do estudante de administração Jorge Luiz Carvalho, 24 anos, foi enterrado no Cemitério Parque da Colina, em Pendotiba. O jovem foi morto com um tiro após ser baleado na madrugada do dia primeiro de abril e passar alguns dias internado no hospital.

Roubo em Santa Rosa

Um homem de 33 anos que estava em regime condicional há pouco mais de um mês foi espancado na localidade Pé Pequeno, em Santa Rosa, após ser acusado de roubar uma casa na Rua Magé. Ele teria sido pego quando fugia desarmado, carregando objetos furtados. O crime teria acontecido no sábado. O suspeito teria sido surpreendido por populares, logo após pular o muro para deixar a residência.

“Ele disse que trabalhava na casa, no entanto, as pessoas perceberam que se tratava de um roubo e chamaram a polícia”, contou um popular.

Bastante machucado, o acusado foi levado para o Hospital Estadual Azevedo Lima (Heal), no Fonseca, e depois encaminhado para a 77ª DP (Icaraí), onde o caso foi registrado. Segundo a polícia, a mesma casa já teria sido invadida e assaltada há cerca de três semanas.

No mês passado, pelo menos sete casas foram assaltadas na mesma localidade. Os crimes ocorreram nas ruas Itaperuna, Maricá, Araruama, Itaocara, Magé, Miracema e Travessa Saquarema. Os moradores pedem mais policiamento para o local. O comandante do 12º BPM, Wolney Dias, prometeu reforçar o efetivo na localidade.

No Ingá, ameaças

Uma professora de 32 anos foi assaltada no domingo por dois criminosos na Rua Justina Bulhões, no Ingá, a mesma via em que o estudante de administração Jorge Luiz Carvalho, de 24 anos, foi baleado no último sábado. Os bandidos usaram o caso do rapaz para ameaçar e intimidar a vítima, que está com tanto medo que se negou a fazer o Boletim de Ocorrência (BO) na delegacia da área.

“Eu fiquei muito apavorada, eu não desejo isso para ninguém. É um terror psicológico muito grande. Eles [os bandidos] ficavam o tempo todo dizendo que se eu fizesse algum movimento brusco ia acontecer comigo o que aconteceu com o menino na semana passada. Eu tô tomando remédio e mesmo assim não estou conseguindo dormir!”, comentou ontem a professora, bastante abalada.

A professora contou que foi atacada pelos criminosos assim que deixou o filho pequeno na portaria do prédio para ir ao mercado comprar um chocolate para a Páscoa. Após ser abordada pelos bandidos, ela foi ameaçada e teve a bolsa levada. A mãe dela revelou que a família pretende se mudar do bairro. A bolsa, vazia, foi achada mais tarde por vizinhos próximo ao local do crime."

Prezados senhores, fiz questão de reproduzir na integra as ultimas noticias da cidade, visto que talvez os senhores não conheçam a realidade do nosso município, mesmo porque, o senhor governador, dificilmente vem para os lados de cá. Já o senhor prefeito, há muito não aparece na cidade não é verdade?

Caros Sérgio Cabral e Jorge Roberto, confesso que estou cansado de ouvir tantas noticias ruins. Não agüento mais ler nos jornais ou ver na televisão as histórias trágicas de gente trabalhadora que morre bruscamente em virtude do descaso dos senhores para com esse município. Até quando famílias inteiras chorarão desesperadas a perda de seus entes queridos? 

Governador e prefeito, confesso ao senhores que tenho vergonha deste país promiscuo, onde o jeitinho é quem dita as regras. Tenho vergonha dos políticos safados que se locupletam do poder publico, enriquecendo suas contas bancárias lixando-se para as dores dos pobres e miseráveis. Tenho vergonha dos contrabandistas, dos cafetões e cafetinas de colarinho branco, dos que traficam influência, de assassinos, terroristas, corruptos de todos os tipos que transformaram esta nação em covil de salteadores.

Prezado governador e prefeito, eu quero que a minha cidade volte a sorrir! Aliás, não sei se os senhores sabem, mais Niterói outrora era conhecida como cidade sorriso.

Isto, posto, peço aos senhores que voltem os seus olhos a nossa cidade, visto que infelizmente foi abandonada pelo poder publico, deixando-a mercê da bandidagem.

Com dor no coração,

Renato Vargens
Diácono Junior disse...

Caro pastor Renato, para um governador que apoia o movimento gay e sua agenda, não podemos esperar nada. Que infelicidade o Rio passa.

favourite category

...
test section describtion

Whatsapp Button works on Mobile Device only