A relação entre os Gremlins e a música evangélica.

Por Renato Vargens

Na  década de 80  houve um filme (veja vídeo abaixo) que fez grande sucesso entre a garotada. Gremlins é o seu nome! Bom, para os mais novos que nunca ouviram falar num Gremlin deixe-me explicar:

Os Gremlins eram bichinhos que se caracterizavam por duas maneiras: A primeira são os Mogwai, que seria o estágio infantil destes seres, no qual são quase inofensivos, e o segundo os Gremlins, que são muito perigosos.  No filme existem algumas coisas que não podem ser feitos com um Gremlin. A primeira é que a luz não deve ser administrada diretamente a eles, pois a odeiam: não se deve dar a luz do sol, sob o risco de ser morto. A segunda é que eles nunca devem entrar em contato com a água, pois quando isso ocorre com um Mogwai, saem bolas de pelos de suas costas, e assim ele se reproduz, em cópias parecidas, porém, mais travessas proporcionando com isso enormes problemas.

Caro leitor, sabe que as vezes eu tenho impressão que alguns músicos evangélicos são como os Gremlins? Só que em vez de se multiplicarem tocando na agua, se multiplicam ouvindo música de péssima de qualidade. Ora, vamos combinar uma coisa? O que tem de música ruim sendo tocada nas Igrejas evangélicas, não tá no Gibi! Confesso que as vezes ao ouvir algumas dessas canções sinto vontade de chorar! Pra inicio de conversa as letras são horrorosas, a melodia pobre e o ritmo pra lá de brega, aí meu caro, a coisa complica não é verdade?

No filme de Hollywood a única coisa que podia EXTERMINAR os Gremlins era o brilho da luz do sol. Os bichinhos causadores da destruição alheia odiavam os raios solares.  

Prezado amigo, sabe de uma coisa? Da mesma forma que a luz trouxe libertação àqueles que sofriam os ataques dos bichos da maldade, tenho impressão que a única coisa que pode acabar com essa onda de terror na musica evangélica brasileira é a iluminação das verdades cristãs mediante a exposição das Escrituras.

Isto posto, pelo bem da igreja e pela saúde dos nossos ouvidos, voltemos a Palavra e cantemos as Escrituras!

Soli  Deo Gloria!

Renato Vargens

10 comentários:

Acredito que a solução é uma volta as escrituras(óbvio).Além de compositores convertidos de verdade.Os músicos pararem de pensar que são levitas(algo sem nenhum senso biblico).Pararem de pensar que são super stars.Pararem de falar na hora do culto,achando que são melhores que os outros.Pararem com essa onda de falar palavras sem nexo,sem noção,enchendo linguiça na hora da adoração,que se transforma também em um culto ao homem e não a Deus.É isso.

23 de novembro de 2011 23:22 comment-delete

Ta crítica a situação da música brasileira, isso no geral, não é Soh no meio evangélico

24 de novembro de 2011 10:10 comment-delete

Além de Ministro da Palavra, sou músico e concordo em gênero, número e grau. Só quero acrescentar um detalhe quanto aos Gremlins... não podiam comer após 00:00h... vi muito..srs!

24 de novembro de 2011 10:14 comment-delete

Pastor... gosto muito do seu ponto de vista, mas cá pra nós, música é música... cada um tem seu gosto a parte... se você não gosta, não julgue ser ruim...

afinal... Deus gosta que louvemos com todos os instrumentos de cordas e batuques... TODOS. (Salmo 149 e 150).

Dessa forma, cabe a cada um gostar de x ou y.

Quanto a letras, aí sim, eu posso inclinar a concordar contigo... cantemos louvores ao Senhor pq Ele é bom!

Fale da apologética, fale das coisas bonitas que Deus fez e faz nos nossos dias, fale do amor e da graça do Pai... mas num fale de música não, afinal, é pra Deus e só Ele pode dizer se gosta ou não disso.

;)

24 de novembro de 2011 13:48 comment-delete

Excelente texto! As músicas (que na realidade estão longe de ser louvor, são somente músicas) tocadas hoje em dia em muitas igrejas "evangélicas" vão de mal a pior!

Só faltou mesmo no texto o fato de que se o Gremlin comesse após a meia-noite, ele ficaria "malvado"...

Ééé... tem muita "musiqueta de crente" comendo após a meia-noite...

19 de dezembro de 2011 16:12 comment-delete

Pr Renato, gosto muito do seu Blog e sempre acompanho seus posts. É fato que nos falta bons servos bons e fieis dentro do nosso universo musical. Agora sempre que o senhor fala a respeito da musica gospel me surge uma outra dúvida e acredito que muitos outros irmãos tb ficariam, no mínimo, curiosos:

Afinal de contas, o que é música boa pro senhor? O que é tocam no momento de louvor na sua igreja? Não acredito que em nenhuma congregração há de existir um repertório de menor do que 30 canções. Dá pro senhor listar aquelas que na sua opinião prestam ou são de qualidade?

PS. Só pra colocar as cartas na mesa, permita-se finormar que eu sou músico e mais do que uma casca de banana, a pergunta é um desafio.

Abraços,

Yardo de Sousa

8 de janeiro de 2012 18:39 comment-delete

Goste citra ai musicas boas pra ti

8 de julho de 2012 02:03 comment-delete

Sabe, pastor. Acredito que os músicos cristãos brasileiros tem a capacidade necessária para fazer uma boa música, que agrade a Deus e não seja uma deturpação da teologia. Mas para que isso aconteça, é preciso parar de olhar para si mesmo e voltar os olhos à cruz!
Temos canções, mesmo as mais modernas,como da Aline Barros( só pra citar um exemplo )que são lindas e tem algum conteúdo. Nossos irmãos precisam apenas tomar certos cuidados na hora de compor a canção, para não cometer esses erros gortescos que infelsmente aparecem em nosso meio.
Fique na paz.

28 de novembro de 2012 14:38 comment-delete

Olá pr.,
Acredito que seu texto foi um pouco vazio, sem objetivo e sem definição. O que seria música horrorosa pra você? Forro, rap, funk, samba... O que seriam letras péssimas?
Dê-me fundamento bíblico para desmerecer alguma música, dizer que ela é horrorosa ou ter letra ou melodia péssima? Um louvor deve agrade Deus e não a mim e a você.
Biblicamente não se pode desmerecer um estilo, trata-se de gosto pessoal.
Qualidade é algo muito subjetivo. Sou músico. O teclado que acho perfeito pode não ser pra outro e isso pode ser estendido pra tudo que você escolhe: canal de televisão, carro, roupa, perfume etc e muito mais ainda pra música.

O seu e o meu gosto pessoal é absolutamente irrelevante para definir se uma música cumpre seu propósito para Deus.
O que importa é se a cumpre a finalidade (louvor, didática, edificar, consolar, exortar, promover comunhão etc) para a qual foi composta - e é bíblica.
O critério deve ser: a letra tem de ser bíblica.

Temos que acabar com essas discussões fazias e procurar se na música tem algo que vá de encontro com a Palavra.

PV
10 de dezembro de 2012 11:58 comment-delete

No livre de Amós, cap 5 vs 21-23 está escrito: Aborreço, desprezo as vossas festas, e as vossas assembléias solenes não me dão nenhum prazer. E, ainda que me ofereçais holocaustos e oferta de manjares, não me agradarei delas, nem atentarei para as ofertas pacíficas de vossos animais gordos. AFASTA DE MIM O ESTRÉPITO DOS TEUS CÂNTICOS; PORQUE NÃO OUVIREI AS MELODIAS DOS TEUS INSTRUMENTOS.
Examinai as Escrituras, antes de duvidar...

29 de janeiro de 2013 10:08 comment-delete