07 coisas que os liberais odeiam

Por Renato Vargens

Lamentavelmente algumas de nossas igrejas e seminários estão repletas desta funesta teologia denominada liberal.  Infelizmente tornou-se comum encontrarmos pastores e mestres defendendo conceitos teológicos absolutamente antibíblicos, questionando a autoridade das Escrituras, bem como relativizando a Palavra de Deus.  

Sem sobra de dúvidas o liberalismo teológico é um câncer que vagarosamente arrebenta a saúde da Igreja. Como bem afirmou Augustus Nicodemus os "Liberais são parasitas, assim como um vírus  se instala num organismo debilitando o corpo do indivíduo, assim também eles se instalam na igreja sugando-a até ficar só a carcaça, para depois buscar outro hospedeiro".  

Há pouco soube de um  teólogo liberal que disse a seus alunos: “conheço inclusive teólogos e pastores em nosso meio que não aceitam o sacrifício de Jesus Cristo, mas isso não os torna um herege.”

Pois é, os liberais são intransigentes e odeiam quando afirmamos:

1- Que a Bíblia é a nossa única e suficiente regra de fé, que ela é  infalível e que acreditamos em tudo que nela está escrito.

2- Que Deus reina soberanamente sobre todas as coisas e que nada foge ao seu controle e desígnio, tendo em suas mãos o domínio sobre o tempo e o futuro.

3- Que a humanidade não foi criada através da evolução, mas sim por um Deus poderoso, que mediante sua Palavra e vontade  tudo fez.

4- Que Deus concedeu a salvação eterna para  aqueles que conhecessem Cristo como também a condenação eterna para os réprobos. 

5- Que o universalismo é uma heresia.

6- Que somente Cristo e por Cristo e através de Cristo os homens são salvos e que fora de Cristo, ninguém, nem nenhuma religião pode proporcionar salvação ao homem.

7- Que Cristo morreu pelos nossos pecados, ressuscitou corporalmente dentre os mortos e que literalmente vai voltar para buscar a sua igreja.

Pense nisso!

Renato Vargens


17 comentários:

Pastor,

Se eu não concordase com uma dessas alegações seria considerado liberal?

Jean Patrik

14 de outubro de 2011 10:31 comment-delete

Assino embaixo, creio e prego todas estas afirmações.

Marcelo Mittelstadt

14 de outubro de 2011 10:38 comment-delete

O homem que foge de Deus, tenta esconder-se em si mesmo, com a mente carnal e depravada, procura prescrutar as grandezas de Deus interpretando de maneira pessoal as Sagradas Escrituras. A corrupção do gênero humano, torna o homem inimigo mortal da cruz de Cristo e opositor a todas as Doutrinas bíblicas.

15 de outubro de 2011 09:25 comment-delete

Os fundamentalistas são mais incucados com os liberais do que os liberais com os fundamentalias. Os chamados "liberais" se preocupam em meditar nas escrituras para poderem tornar o Evangelho o mais compreensível possível e que responda às inquietações da alma do homem. Já os fundamentalias se preocupam mais em atacar os que pensam diferentes deles.

A verdade é que os fundamentalistas criticam os chamados "liberais" sem ao menos conhecê-los. 90% dos fundamentalias nunca leram (estudaram) os chamados liberais, os outros 10% leram e não entenderam nada a proposta. Enfim, eu particularmente prefiro ler teólogos liberais do que os fundamentalistas. se isso é ser herege, então sou um.

15 de outubro de 2011 18:09 comment-delete

Pois é,

Liberais meditam na Bíblia e não a conhece. Liberais não plantam igrejas, não fundam hospitais, não pregam o evangelho. Liberais são parasitas teológicos que adoecem a Igreja de Cristo proclamando uma teologia espúria que nega inclusive o sacrificio vigário de Cristo.

Renato Vargens

15 de outubro de 2011 18:13 comment-delete

Prezado Fábio,

você escreveu: "Os chamados "liberais" se preocupam em meditar nas escrituras para poderem tornar o Evangelho o mais compreensível possível e que responda às inquietações da alma do homem."

O que você entendeu por liberais? E fundamentalistas?

Se você conhecer a igreja do editor deste blog verá que ele se preocupa em proclamar o Evangelho como resposta a inquietação humana.

Precisamos definir de que fundamentalismo você está falando (1910 ou 1940)?

E se você defende o liberalismo e acha que não entendemos as propostas de Schleiermacher, Bultmann, Tillich e outros, é óbvio que fica claro o que eles escrevem: " religião como sentimento"; "NT como mitológico, inclusive a ressurreição de Cristo" e "Deus como fundamento do ser sendo impessoal".

Como disse Bonhoeffer sobre um deles em sua tese de doutorado: Sanctorum Comunnio, esse pensamento "nada tem a ver com a doutrina cristã".

Sejamos sinceros naquilo que cremos e claros nas citações sem fazer caricatura.

Juan

15 de outubro de 2011 19:04 comment-delete

Ah cito John Gresham Machen no livro "Cristianismo e liberalismo" : liberalismo não é cristianismo. Liberalismo é outra religião.

Liberalismo provem de uma cosmovisão materialista e naturalista, fechada ao transcedente, guiada pela causa e efeito em um mundo fechado. E submetem a Bíblia a essa interpretação fazendo picadinho do Pentateuco, por ex, dizendo que este é uma colcha de retalhos mal feita por diversas tradições confessionais juntadas com o nome JEDP como uma hipótese documental.

15 de outubro de 2011 19:07 comment-delete

Caro Juan, pelos seus "comentários" sobre os teólogos chamados liberais vejo que vc se enquadra dentro daques 10% que leram e não entenderam, ou entre os 90% que nunca leram, mas repetem feito papagaio o que outros não entenderam.

Poderia explicar a vc a teologia destes teólogos e pensadores cristãos, porém o espaço não me permite se aprofundar.

Com relação ao comentário que reproduziu sobre a HD, por mais que moisés não tenmha escrito o Pentateuco, este fato não faz do mesmo irrelevante, pelo contrário, acabamos por entender melhor a história de fé dos hebreus.

se quiser mais explicações pode me enviar um e-mail com suas dúvidas

Abçs

16 de outubro de 2011 14:42 comment-delete

Caro Fábio,

Vi que vc me respondeu, no entanto, seu comentário veio truncado. Por favor, vc pode republica-lo?

Grato,

Renato Vargens

16 de outubro de 2011 15:22 comment-delete

Pastor Renato

Concordo com tudo o que vc afirmou neste post. Mas gostaria de saber o que vem a ser o "Universalismo".

Poderia me explicar, ainda que brevemente, o que vem a ser isso?

Grato

16 de outubro de 2011 18:40 comment-delete

Ok Pr. Renato. Eu tinha dito, em resposta ao seu comentário, que a teologia chamada liberal, antes de se preocupar em construir templos e instituíções cristãs, ela está mais preocupados em formar homens e mulheres conforme a imagem de Jesus. Pq o mais imporntante é ser "gente" antes de ser "crente".

A teologia chamada liberal não desqualifica as Escrituras, como pensam os fundamentalistas. O problema dos fundamentalistas é que pensam que sua interpretação é a única correta, ou seja, eles colocam em pé de igualdade com o texto bíblico. E se esquecem que canônico só o texto bíblico, interpretações são apenas interpretações, e todas são passíveis de questionamentos. Não existe interpretação canônica.

Assim como as interpretações chamadas liberais são questionáveis, assim tbm são as interpretações fundamentalistas. Tanto o fundamentalista como o chamado liberal estão sujeitos a erros de interpretação. Deus não pode ser enquadrado dentro das nossas teologias. Como dizia P. Tilich; "Deus está para além de Deus". Ou seja, bem a Bíblia comporta Deus.

Abçs
Paz

16 de outubro de 2011 22:46 comment-delete

Fábio,

obrigado por oferecer ajuda mas dispenso. Estudei em seminário com professores adeptos do método HC de interpretação bíblica e de persuasão neo-liberal. Li livros, fiz trabalhos e tive que entender as idéias expostas ali.

Seu comentário mostra que não está havendo clareza nas ideias debatidas aqui.

As propostas dos teólogos contemporâneos estão claras em seus livros conforme mencionei no 1o comentário (alguns axiomas).

E a nossa proposta na confessionalidade (credos apostólico, niceno e também confissões de fé reformadas) também é clara.

Acho que o erro é confundir confessionalidade e crença na Bíblia com uma hermenêutica de aceitação e afirmação do texto sagrado (sem submete-lo a uma interpretação humanista de que o homem é o centro e não Deus em sua glória e majestade) com legalismo-moralismo, religiosidade farisaica e politicagem institucional.

Uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa. Também não gostamos disso embora afirmamos a igreja como uma instituição com a missão de glorificar e adorar o Senhor proclamando o Evangelho e servindo as pessoas (va na igreja do editor deste blog e veja a solidez do trabalho social-comunitário e como eles servem as pessoas através do Evangelho de Jesus).

E ser confessional não desvaloriza o ser humano, pelo contrário, John Piper - que esteve no Brasil recentemente - abordou o assunto de uma forma linda e especial: "A busca pela glória de Deus para a felicidade e alegria no ser humano é totalmente correta", ele chama isso de satisfação em Deus através do Evangelho usando o teólogo americano Jonathan Edwards.

Por isso caro Fábio, você tem sim o direito de discordar de nós, mas faça entendendo o nosso pensamento sem acusações caricatas.

Encerrando por aqui na expectativa de ter sido claro e educado,
Juan

17 de outubro de 2011 10:22 comment-delete

Fábio, sou obrigado a discordar de tuas afirmações no tocante a tuas afirmações acerca dos fundamentalistas.

Ser fundamentalista, definindo de forma bem simples, é ser FIEL AOS FUNDAMENTOS ESCRITOS NA BÍBLIA.

A linha fundamentalista tem por base a Escritura que, segundo a fé comum dos reformados, é a única e Suficiente Palavra de Deus.

NOSSOS PRINCÍPIOS SE BASEIAM NAS ESCRITURAS, E NÃO EM FILOSOFIAS.

A livre interpretação do texto bíblico é um instrumento poderoso e abençoador, desde que obedecidos critérios hermenêuticos e exegéticos - critérios estes DETERMINADOS POR ESCRITO na Bíblia.

Além disso, você acusa os fundamentalistas de se colocarem em pé de igualdade com o texto bíblico... FRANCAMENTE, QUE CALÚNIA!

17 de outubro de 2011 23:00 comment-delete

Não gostei do texto.
Você parece estar sugerindo que somente são servos de Deus aqueles que buscam uma interpretação literal de toda a bíblia e ignora os achados científicos (no que diz respeito a evolução)... Não estou dizendo que é para abraçarmos a teoria da evolução, mas é veemente a necessidade de discussão acerca desse tema, enquanto na igreja fechamos as portas para as questões e discussões, o mundo abraça as dúvidas dos jovens e oferecem caminhos de respostas totalmente distantes da palavra de Deus.

Quanto aos outros pontos, prefiro não entrar em detalhes... Mas não vejo muito sentido edificante nesse post pois serve somente como afronta, e afrontas por afrontas não promovem esclarecimento e muito menos crescimento.

14 de fevereiro de 2013 23:27 comment-delete

As coisas mencionadas pelo Pr. Renato são fundamentos da fé cristã.

O que o Pastor defende aqui, fundamentalmente, é a inegociabilidade dos fundamentos da fé.

Somente pessoas que discordam do evangelho puro - ou aquelas que abraçam o relativismo - poderiam se sentir afrontadas.

E nem todas as igrejas fecham as portas para discussões científicas.

28 de fevereiro de 2013 20:25 comment-delete

As coisas mencionadas pelo Pr. Renato são fundamentos da fé cristã.

O que o Pastor defende aqui, fundamentalmente, é a inegociabilidade dos fundamentos da fé.

Somente pessoas que discordam do evangelho puro - ou aquelas que abraçam o relativismo - poderiam se sentir afrontadas.

E nem todas as igrejas fecham as portas para discussões científicas.

28 de fevereiro de 2013 20:25 comment-delete

Não concordo com o método da teologia liberal. Mas sabemos que a teologia é uma linguagem sobre Deus.Se a teologia é linguagem ,sera impresisa,precaria e sempre relativa.Ninguem é possuidor da verdade absoluta é o mesmo que fosse ,seria incapaz de traduzi-la e explica-la ou demostra-las com absuluta exatidão. Assim ,toda teologia é possivel de ser criticada e revisada e perfeicoada. ate mesmo a reformada .

23 de setembro de 2015 08:56 comment-delete