Vergonha! Filme censurado na Europa com cenas de pedofilia e necrofilia é exibido no Brasil.

Por Renato Vargens

A Folha de São Paulo acabou de publicar que um filme com conteúdo pedófilo que foi censurado na Europa foi exibido no Rio de Janeiro. A ficha corrida do filme fala por si: é o filme mais censurado dos últimos 16 anos no Reino Unido (só foi liberado para exibição após 49 cortes). Na Noruega, está vetado; na Espanha, rendeu um processo ao diretor do festival que o exibiu. Também teve problemas com a lei na Alemanha (onde o laboratório que fez as cópias as destruiu após se dar conta do conteúdo) e em seu país de origem, a Sérvia. 

O longa tem incesto, pedofilia, necrofilia, violência a granel (incluindo dois assassinatos em que a arma é um pênis) e, em seu momento mais polêmico e chocante, o estupro de um recém-nascido.

Caro leitor, noticias como essa me enojam profundamente! Que país é esse? Sinceramente gostaria de saber como um filme deste nipe pôde ser exibido nos cinemas nacionais?  

Prezado amigo, eu tenho vergonha de ser brasileiro! Eu tenho vergonha de morar numa nação cujo deus é o sexo e a pornografia. Sem sombra de dúvidas vivemos em um mundo submerso em pecado e que despreza Deus e a sua Palavra. Lamentavelmente a cada dia novos comportamentos sexuais são observados por uma sociedade cuja filosofia de vida é o prazer. 

Infelizmente os padrões de moralidade parecem não mais existir, até porque, a forma de se medir felicidade e sucesso diferente daquela encontrada na Palavra de Deus. Na verdade, o objetivo prioritário do ser humano não é a glorificação do nome do Senhor e sim a busca desenfreada pela satisfação pessoal, ainda que para isso seja necessário desconstruir conceitos e valores jogando-os definitivamente na lata do lixo.

Como já escrevi anteriormente fomos chamados pelo Senhor a vivermos de modo absolutamente diferente dos que compõem esta geração. Compromisso com a moral, decência e santidade devem fazer parte da vida daqueles que nasceram de novo, levando-nos a exalar sobre os que se encontram em estado de putrefação espiritual o bom perfume de Cristo. Junta-se a isso o fato de que mais do nunca necessitamos anunciar a todos quanto pudermos as conseqüências funestas do pecado, como também mostrar a essa geração que a libertação de uma vida promiscua e adoecida encontra-se em Cristo Jesus!

Pense nisso!


 Renato Vargens

13 comentários:

O mundo jaz no malígno... Temos que pedir que Desu tenha misericórdia de nossa nação. E a Bíblia noas alerta: é daí pra pior, nós sabemos que não vai melhorar. Que Deus nos ajude a ser LUZ e SAL!

18 de julho de 2011 11:54 comment-delete

Com toda certeza os espectadores não precisam ser desrespeitados a esse ponto, por mais crítico que seja o enredo de um filme. por outro lado, creio que existe uma certa hipocrisia dos países europeus que censuram certas "obras". sabemos que essa é uma realidade que existe nesses países e a sociedade e o Estado se faz de cego. eu falo a respeito da falsa idéia moralista que os europeus querem passar ao mundo, mas justamente esses países, como Alemanha, são os mais moralmente decaídos. os brasileiros são é uns "santos" comparados a esses povos. contudo, claro, não faço apologia a nada que é apregoado no filme. nós não precisamos ver pra saber que é ruim.

18 de julho de 2011 12:08 comment-delete

New record!




Até a europa está proibindo filmes que o brasil permiti que passa... é uma vergonha passa um filme desses!

18 de julho de 2011 14:03 comment-delete

Aceitar um filme como esse é a mais alta declaração de regressão moral e espiritual de nossos governantes!

18 de julho de 2011 14:04 comment-delete

Proibido na Europa e liberado no Brasil? Nosso país está se superando no que se refere a perversão.

18 de julho de 2011 15:11 comment-delete

olá Renato.
sou o @omortorista que TT com você ao meio dia. espero que não tenha me entendido mal, e vim aqui me esclarecer.
1º Lugar: O ponto principal da minha resposta, foi quanto ao seu post de hoje, quando defende a censura, e de alguns dias passados, no qual você falou da ditadura, post´s nos quais não se encaixam a proposta. Afinal, a liberdade de expressão, foi a principal luta da democracia.
2º: Não estou tentando lhe corrigir. Também tenho um blog, sigo pro humor, mas defendo que opinião deve ser respeitada.
3º: Não defendo esses crimes, mas vejo isso tudo com outros olhos, vejo que esse filme pode retratar o horror que algumas pessoas são obrigadas a vivenciar, as vezes em silêncio. Um filme, para mim, serve como uma espécie de janela da realidade. Muitas vezes não nos damos conta do quão barbara é a realidade até presenciarmos. Um filme similar, em alguns pontos, é a PAIXÃO DE CRISTO. Quando ouvimos um pastor ou um padre, ´´sou católico``, retratar o que ele passou, nos toca, mas ver com nossos olhos uma representação do que ele viveu, é tocante. Não tenho a menor intenção de assistir esse filme, não conseguiria, mas imagine se um vizinho que sabe o que acontece na casa ao lado, mas não quer se envolver, assiste um filme desses. O que não passaria na cabeça dele?
Um filme assim, só retrata o quão nojento e horrível, é uma situação dessas, ou seja, só denigre e marginaliza esse tipo de atrocidade.
Espero que tenha me compreendido, sempre leio os seus post´s, e gosto da sua forma de se expressar.
Felicidades, Marcos.

18 de julho de 2011 18:46 comment-delete

Pr. Renato Vargens,

no Brasil cada vez mais tudo se torna permitido. Estamos prestes a ultrapassarmos o fundo do poço. Lamentável!

18 de julho de 2011 20:19 comment-delete

Olá, Renato. Você expôs com clareza sua opinião. Parabéns. Clareza e simplicidade facilitam em muito uma comunicação.

Eu também fico horrorizado com cenas como estas, mas como disse "O Entregador" (um dos último comentários), os filmes são uma espécie de janela que nos passa a barbárie e selvageria que o homem é capaz de fazer, um filme deste deve ser censurado aos, legalmente, incapacitados de discernir entre a mão direita da esquerda (menores de idade).

Contudo, censurar qualquer coisa ao homem, por mais horrenda que esta seja, é um atentado à sua liberdade para qual ele é chamado a viver. Escravizá-lo através de censuras, limitando-o em consequência de qualquer moral (sacra ou profana) é colocar sobre ele um fardo pesado demais para se carregar. A organização da sociedade de forma política (a boa pólis) trouxe o diálogo que no despotismo (muitas vezes inserido nas tantas teocracias) nunca conheceu.

Na Bíblia encontramos passagens onde se retrata o "pecado" e sua consequência. Deveríamos então excluir ou minimizar os contos pecaminosos (incesto das filhas de Ló) e contar somente a triste consequência? Deveríamos ainda censurar ou minimizar (da Bíblia ou pregações da Sexta-feira da paixão) tamanha violência a granel sofrida por Jesus, contando assim somente seu propósito? Não.

A realidade exposta nos coloca ante quem o homem pode ser. Ele é capaz de cometer "incesto, pedofilia, necrofilia, violência a granel e o estupro de um recém-nascido", como você bem disse.

Eu e muitos de nós não assistiríamos a tal filme, mas está aí um tipo de gente que existe entre nós (religiosos ou não) e deve ser condenado severamente, pois desorganiza a sociedade, e, caso se arrependam e queiram mudar, recuperados.

Este tipo de filme pode até servir para o prazer daqueles que já comentem tal crime, ou incentivar aqueles que já têm tais crimes dentro deles; é fato que estes existirão e até procurarão por este filme. Mas o homem livre não deve ser preso em consequência do homem mal. Um país como o nosso se difere aos tantos outros porque preza pela liberdade, desprezando completamente aquilo que é ilegal (quaisquer crimes, que são atos imorais). Eu não tenho vergonha do Brasil, aqui somos livres (e os religiosos que digam amém).

Lutar contra a maldade não é condenarmos e proibirmos sua representação em filmes, novelas, teatros etc, mas corrermos atrás dela, identificando-a e a punindo. Nosso grito não deve ser contra a representação, mas contra a ação. E quando nos distanciamos das representações perdemos a noção do que acontece ao nosso redor; perdemos o tato para sentir o mal.

O que me incomoda não é o grito dos maus, mas o silêncio dos bons. (Dr. Martin Luther King)

Paz e saúde pra você.

19 de julho de 2011 00:13 comment-delete

Depois de inúmeras leis que estão sendo aprovadas contra a moralidade, é só vigiar e orar pois esta muito próximo a vinda de CRISTO!!!

19 de julho de 2011 15:41 comment-delete

Realmente um ultraje para um país de maioria cristã. Precisamos de um cristianismo para ser vivido, não apenas pregado ou seguido.

20 de julho de 2011 20:10 comment-delete

nada mais me deixa indignado,pois o ser humano(sem cristo) esta podre,tudo é normal,tudo em nome da afetividade(pouca vergonha),OREMOS COM FERVOR AO SENHOR PARA QUE OS OLHOS SE ABRAM.

25 de julho de 2011 09:04 comment-delete

Na vdd eu gostaria de esclarecer algumas coisas sobre o filme (eu assisti, inclusive) A história do filme eh sobre um ex ator pornô que volta a atuar, achando que se trataria de mais um filme qualquer, quando ele percebe que tah no meio de um filme snuff (filme onde há violência real, estupro real e outras coisas), no caso da parte com pedofilia, fica muuuuito implícito no filme, e o cara nem participa, ele descobre isso e sai da sala enojado... jah a parte contendo necrofilia, eh que o protagonista estva sob o efeito de drogas, então ele não tinha consciência de seus atos, pois tava dopado...
enfim, o problema maior desse filme eh que ele eh chato. simplesmente chato. e convenhamos, o meio evangélico fez mto alarde pra uma coisa dessas...

18 de dezembro de 2011 22:08 comment-delete

Sr. Leo (HyouRising),
Taxar um filme com esse conteudo, nojento e cruel, simplesmente de "chato"... humm, deixa quieto!

21 de fevereiro de 2012 03:09 comment-delete