A Igreja africana, a paixão pelo evangelho e a missão de um brasileiro.

Acabei de falar com o meu amigo o Pr. Mario Freitas que se encontra pregando o Evangelho da Salvação Eterna em Burundi - África. Ao conversar com ele pelo twitter fui profundamente tocado pelo Espirito de Deus. Na mesma ora lembrei da Igreja Brasileira, com suas riquezas, talentos e apostasias que em muito se opõe a Igreja Africana. Isto posto, pedi ao Mário que compartilhasse conosco um pouco daquilo que tem visto na África Central. 

Segue abaixo o texto escrito por ele!

Pr. Renato Vargens


O NOSSO CORDEIRO VENCEU!
Morávios em Burundi

Os irmãos morávios foram a igreja mais missionária da história. O avivamento nas terras de Herrnhut aconteceu a partir de 1727. Ao longo dos anos subseqüentes, a igreja moraviana promoveu um século de ininterrupta oração – 24 horas ao dia! Herrnhut, que tinha 300 habitantes, enviou mais de 1500 missionários, contrariando todas as leis da possibilidade e da matemática. Os missionários seguiram para o Caribe, as Américas, África, Ásia e outras regiões. 

O lema dos morávios tornou-se uma frase nobre, que pavimentou toda a rota missionária a partir deles. Alguns atribuem ao jovem Leonard Dober, primeiro missionário moraviano, aquele que seria o grito de várias gerações apaixonadas: 

“Vicit Agnus noster. Eum Sequamur” (“O nosso Cordeiro venceu. Vamos segui-Lo”). 

Pois foi essa frase, rodeando o Cordeiro e a Bandeira típicos do selo, que chamou minha atenção em Burundi. Eu andava pelas ruas com um pastor local, visitando famílias necessitadas, quando deparei-me com o marco. Em um dos países mais pobres do mundo, vi uma igreja descendente de Herrnhut tão simples quanto às outras, rodeada por esgoto a céu aberto. A paixão moraviana passou por aqui.

Sabe, Deus conhece o meu coração. É tentadora a proposta de deixar um legado. A luta por ser relevante pode ser uma grande armadilha, e tenho me esquivado dela. Mas dou-me o direito de não querer passar pela história sem acrescentar nada a ela. 

Basta seguir o Cordeiro. Vicit Agnus Noster!

Mário Freitas é diretor da MAIS - Missão em Apoio à Igreja Sofredora (www.maisnomundo.org), e está em viagem à África.

Contribua com a M.A.I.S  depositando sua oferta no banco ITAU AG. 0937 - c/c 44077-4

2 comentários:

Amei a postagem! Fui para o continente africano ainda bebê, pois meus pais foram missionários em Gana por 5 anos. Tenho um amor profundo por esse continente. Fico feliz por ver que ainda há homens e mulheres que dizem "Que o Cordeiro receba a recompensa pelo Seu sacrifício.""

Ana Paula Lopes Pinheiro

Anônimo
8 de julho de 2011 20:41 comment-delete

Como nosso Deus é maravilhoso! A cada dia que sei de mais e mais histórias que contradizem tudo que o homem incrédulo pensa eu me deleito mais e mais Nele!

Para Tia aglória, Senhor! Hoje e para sempre!

8 de julho de 2011 21:33 comment-delete