Alcoolismo na adolescência um grave problema brasileiro.

O Portal G1 publicou que uma adolescente de 14 anos foi encontrada alcoolizada perto da casa onde mora com os pais em São José do Rio Preto, a 438 km de São Paulo. Ela confessou que comprou a bebida com dois colegas, em uma loja de conveniência.

Após beber vodca, a garota passou mal e teve convulsões. Seus amigos, assustados, fugiram. Ela foi socorrida por um funcionário da Santa Casa da cidade. Segundo equipes médicas, se ela não fosse socorrida rapidamente poderia ter morrido. A garota acordou no hospital com diversas escoriações. Ela disse que não teve dificuldade em comprar a garrafa. “Não me pediu RG nem nada”, afirmou.

Caro leitor, as estatísticas apontam para o fato de que os adolescentes que possuem entre 12 e 17 anos, 48,3%, já beberam alguma vez na vida. Desses, 14,8% bebem regularmente e 6,7% são dependentes de álcool.

Pois é, cada vez mais adolescentes consumem álcool desregradamente. Em novembro de 2006, foram divulgados os resultados os resultados do segundo levantamento sobre o uso de drogas psicotrópicas no Brasil, realizado pelo Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas. O Levantamento revela um aumento dos dependentes de álcool no País, de 11,2%, em 2001, para 12,3%, em 2006. Foram focalizadas 107 cidades com mais de 200 mil habitantes e ouvidas 8,5 mil pessoas entre12 e 65 anos. A pesquisa destaca que é particularmente preocupante o uso precoce do álcool, uma vez que quanto mais cedo se inicia o consumo, tanto maior é o risco de tornar-se dependente.

Em 2009 estava na bela cidade de Porto Seguro na Bahia, quando numa noite eu minha esposa ouvimos o dialogo de algumas adolescentes: - “Hoje estou DNA” Instigados pela curiosidade em saber o que significava DNA no vocabulário adolescente diminuímos o passo e ouvimos outra dizer: -“Isso mesmo. Dia e noite Alcoolizadas. Isso mesmo. Vamos beber muiiiiiiiiiittttto", replicou uma terceira.

Confesso que fiquei chocado com um discurso, até porque, as meninas não tinham mais do que 16 anos, e estavam dispostas a beberem até cair.

Pois é, vivemos dias difíceis em nosso país. Nossa sociedade encontra-se absolutamente deteriorada e sem referências, nossas famílias perdidas e sem rumo, nossos adolescentes e jovens sem perspectivas e objetivos. Infelizmente a sociedade brasileira, encontra-se envolvida em um estilo de vida que se contrapõe aos princípios da lei de Deus. Os padrões de moralidade parecem não mais existir, a forma de se medir felicidade e sucesso difere daquela encontrada na Palavra de Deus. O objetivo de vida do ser humano não é a glorificação do nome do Senhor e sim a busca desenfreada pela satisfação pessoal, ainda que para isso seja necessário desconstruir conceitos e valores jogando-os definitivamente na lata do lixo.

Diante disto me pergunto: “Como ouvirão se não há quem pregue?” Nas ruas, nos becos, nos guetos, gente como estas meninas estão clamando desesperadamente por uma mensagem de esperança e salvação. Agora, como crerão se não há quem os envie? A pergunta é: O que temos feito? Temos anunciado o Evangelho de Cristo Jesus ou temos andado preocupados com a nossa satisfação e realização pessoal. Amados, não nos esqueçamos que os campos estão prontos, Deus nosso Senhor nos redimiu e nos comissionou a noticiarmos as boas novas da salvação a todos quanto pudermos!

Pense nisso!

Renato Vargens

1 comentários:

Infelizmente esse tem sido um problema comum em todos os lugares. Essa semana eu testemunhei dois jovens que eram de nossa igreja envolvidos com problemas com alcoolismo e direção perigosa.

No Domingo eu postei um artigo relacionado em meu blog: http://bit.ly/jGnVO0

Que Deus nos ajude a cuidar de nossos jovens!

6 de junho de 2011 18:56 comment-delete