segunda-feira, maio 03, 2010

Pode o pastor proibir um membro da igreja de namorar?

Por Renato Vargens

Volta e meia recebo emails de adolescentes e jovens que compartilham que os seus pastores os proibiram de namorar. Sei de casos em que o pastor é quem escolhe com quem o rapaz ou a moça devem se relacionar em namoro. Há pouco fiquei sabendo de uma igreja cuja regra estabelecida pelo pastor é que só se pode namorar depois dos 23 anos de idade, antes disso não, e quem desobedecer a determinação pastoral comete rebeldia tornando-se passível de punição.

Caro leitor, vamos combinar uma coisa? Alguns pastores definitivamente se sentem donos do rebanho. Determinar com quem o jovem vai namorar ou quando isso deve acontecer é no mínimo despótico e arbitrário.

Como já escrevi anteriormente, não sou contra as relações de namoro que um jovem possa desenvolver com uma moça. Antes pelo contrário, acredito que relações afetivas entre um rapaz e sua namorada contribuem significativamente para o desenvolvimento de uma autoestima saudável. Sou contra sim a banalização das relações, sou contra as “ficações” que contribuem para o adoecimento da alma de nossos adolescentes, sou contra o beijar por beijar! Agora, daí proibir o namoro ou estabelecer que os jovens só podem namorar depois de determinada idade há uma grande e substancial diferença.

Lamentávelmente a questão é que boa parte dos pastores não conseguem lidar muito bem com o equilibrio e liberdade que Cristo nos outorgou, mesmo porque, para eles a proibição é o melhor meio de se precaver de problemas futuros.

Prezado amigo, diferentemente dos que se consideram donos do rebanho, acredito que proibir não é o melhor caminho no processo de edificação e consolidação na vida espiritual dos nossos jovens. Na verdade, o que eles mais precisam é de discipulado e aconselhamento cristão cuja tônica principal deve ser a vontade de Deus.

Diante do exposto, afirmo que NÃO cabe ao pastor DETERMINAR sua vontade, mas sim aconselhar suas ovelhas, permitindo com que cada uma delas tome suas decisões de forma livre e consciente. Além disso, o pastor NÃO pode IMPOR sanções, ou "castigos" diciplinares àqueles que por um motivo ou outro resolveram namorar alguém cujo líder espiritual não aprovou não quis.

Pense nisso!

Renato Vargens
João Armando disse...

Você está certo.

Faltou dizer, porém, que pastores que proíbem as ovelhas de namorarem ou que determinam uma idade (a mesma) para todos, ou mesmo que pretendam escolher com quem fulano deve casar-se (os infames "pastores Santo Antônio" NÃO SÃO TÃO COMUNS quanto o contrário - casos em que o pastor tem mesmo um cuidado genuíno com as ovelhas, quando percebe (amiúde também os pais o fazem) que o jovem está namorando mal - sem ser para casar, com impureza, com "preliminares", pensando que só o ato sexual em si é pecado, mas tudo o que não implicar em penetração é permitido, pois não seria sexo... e coisas assim, namoros doentios, namoros com descrentes... Enfim, quando pastores ou outros líderes exortam suas ovelhas quanto a isso, e não são acatados, mas passam por puritanos, moralistas, fundamentalistas e outros "xingamentos". Para usar uma frase da qual você gosta muito, "Vamos combinar uma coisa?" O pastor responde perante Deus por suas ovelhas, e muitas vezes precisa exortar, corrigir, repreender mesmo - com amor, mas nem sempre a correção é bem recebida. Mais e mais, o que se vê nas nossas igrejas - e não falo de grupos heréticos ou adeptos da prosperidade e outras heresias, mas de igrejas sérias, históricas, enfim - é de impureza, de namoros muito semelhantes aos do mundo (senão idênticos), é de moças solteiras grávidas, de escândalos - precisamente porque a autoridade pastoral tem sido desprezada pelos jovens.

Renato Vargens disse...

João Armando,

Será que precisa proibir? Será que ensinare discipular os jovens não é o melhor caminho? Por acaso tem o pastor o DIREITO de decidir com quem o jovem vai namorar? Sinceramente discordo PLENAMENTE deste tipo de comportamento.

Abraços,

Renato VArgens

Anônimo disse...

Primeiro gostaria de dizer que sou pai de filhos adolescentes, e sou cristão, segundo se existe alguém que deve dizer com quem e se o filho esta esta pronto ou não para o namoro é de inteira responsábilidade dos pais.Os pastores podem até aconselhar caso haja a procura dos mesmo pelos pais ou pelos filhos.
E gostaria de deixar uma perguntar para os Senhores, que já não namorou e não sentiu o desejo de namorar, que atire a primeira pedra.

Anônimo disse...

Um absurdo! Um pensamento dessa natureza, em plena pós-modernidade, ufa! Como “esses caras” nos dão trabalho, não é mesmo, pastor Renato?
É como se eles não tivessem passado pelo relacionamento do namoro e noivado para terem chegado ao casamento, e por isso se acham no direito de alienar sonhos, projetos e ideais dos outros. Que tragédia!
Que saibam eles, que todos os jovens, inclusive os seus próprios filhos, um dia despertarão para o amor e inevitavelmente viverão a experiência do enamoramento. A fase do namoro não só é extremamente pedagógica, mas também necessária ao autoconhecimento e ao conhecimento do outro, pois é nesta fase que se formam sa bases e os construtos através da vivência dos nele envolvidos, para a construção do relacionamento definitivo que é a aliança do casamento. Durante o namoro é que se faz a triagem e se descobrem os valores a serem incorporados ou descartados na relação entre os enamorados, para que então se construa uma colônia familiar marcada por um relacionamento de amor qualitativo com projeção de afetos profundos e uma aventura conjugal com bases sólidas e duradouras que apontem para a perenidade do casamento projetada por Deus para a sua honra e glória.

nEle, que "habitou corporalmante toda a plenitude da divindade", e que foi fruto de um namoro e de um casamento.

pr. Moisés Fontoura

Renato Vargens disse...

Prezado Pastor Moyses,

Como sempre seus comentários são bem equilibrados.

Obrigado por emitir sua opinião.

Pr. Renato VArgens

Vivendo Profeticamente disse...

Vou colocar aqui como tenho agido.
Primeiro deixo bem claro que é uma recomendação e não uma ordem por que a autoridade n vida deles são os pais.

Ai vejo: 1 - Seus pais concordam
2 -Você tem idade ? ( recomendo com mais de 16 anos)
3 - Você trabalha para sustentar o namoro ( pedir dinheiro aos pais e o fim da picada )
4 - Você estuda ( o namoro nao vai atrapalhar)
5 - Qual intenção
6 - Seu propósito de via bate com o da pessoa ( tipo quero ser missionário na áfrica e o outro quer ser jogador de futebol)

Isto leva o jovem a refletir, mas nunca , digo nunca mesmo, com tom reprovador.

Por fim recomendo ficarem um mês orando sobre isso , sem manterem contatos físicos , isso é para evitar o tal do "ficar"apenas para desfrutar o corpo do outro.

Mas como disse tudo e recomendação e nunca ordem.

Cada um e livre, os que tem sido mais livres acabam voltando a nos procurar para chorar suas frustrantes experiências de namoro errado, por que não se atentou a todos os questionamentos acima.
O jovem é livre para acertar e errar , erra quem quer.
Abraços

D. CAROLINA disse...

eu gustei do tema
e muito interesante e se que vai orientar a muitos pastores
e jovens tambem como eu,
e uma bencao!

Márcia Gizella disse...

Nossa Renato penso como você, é absurdo.
Sou mãe de dois garotos um de 11 outro de 6.
Converso muito com o mais velho, e sempre explico para ele a respeito de namorar na adolescência, o quanto pode prejudicar a auto-estima e os estudos, já que sem maturidade é fácil se apaixonar/apegar e isso não tem propósito, namorar só por namorar, que se namora pensando em um possível relacionamento mais sério, o casamento, não que vá casar, pois tem que saber se vai dar certo. Enfim.
Um dia desse ele me disse que foi pedido em namoro por três garotas, e para todas ele disse que não podia, porque é criança e sua mãe não deixa, caçoaram dele, mas tudo bem, é isso, muito bom o texto.
Tem pastores que se acham donos das ovelhas, absurdo.
Aqui tem a tal da corte, e quando um casal resolve cortejar tem que comunicar o líder, submetr-se à sua autoridade, orar com ele para saber se é de Deus, e quando o pastor diz que não é, já viu, desmancham, pois tem medo de acabar como outros que não acataram e o relacionamento não deram certo, vivem com medo, coisas do tipo. Não é todo mundo, claro, porém quem não age dessa forma não é bem visto na igreja. Dizem que quem faz isso é mais espiritual, e quem não faz é rebelde. Agora imagina um casal adulto, que já foi casado (agora é viúvo, tem filhos adultos.), tendo que dar satisfações de suas vidas? Não podendo ter liberdade? Chega a ser ridículo.

Sergio Jesus disse...

É.
Ouvi de uma Igreja cujo pastor determina o nome dos filhos em gestação, e os pais tem que obedecer.
Cada dia aparece uma novidade, normalmente descabida como esta.
Certamente o pastor tem o dever de orientar, de esclarecer, através, nos dias de hoje, de simpósios, palestras (por favor, com gente que saiba falar para adolescentes).
Na realidade, o que me salta aos olhos, é que alguns, provavelmente por falta de capacidade ou segurança para agir de outra forma, preferem proibir do que orientar pois, na orientação, há diálogo, debate, crescimento mútuo, e muita gente não tem a menor condição de participar disto.

Anônimo disse...

O que esta acontecendo é que os valores da família esta sendo deteriorada: Isto mesmo deteriorada, pela sociedade, tanto a dita cristã quanto a secular.
A pessoa do pastor é para tratar da vida ESPIRITUAL do seu rebanho, ele pode até aconselhar, mais dizer o que vai fazer ou não é obrigação dos pais, estes sim, é que são responsáveis pelos filhos”.” Filhos são como flechas nas mãos do valente “são dádivas de Deus para aqueles que os tem.
Acontece que estamos sendo doutrinados a entregar toda a nossa vida, inclusive à de nossa família nas mãos de terceiros.
Pessoas que não dão uma bufa!!! (me perdoem pelo linguajar) sem antes perguntar ao pastor se pode ou não. Uma geração de pessoas inseguras as quais, não procuram a Deus para tomar as suas decisões e sim aos aproveitadores ditos.. (não agravando a todos) “pastores”.
A ordem é esta: Cristo é o cabeça da família!!! E não os pastores.
Caso haja a necessidade, aí sim!!! A família procura a ajuda espiritual.
Fora isto é ridículo esta teoria de côrte e etc..

Anônimo disse...

Concordo plenamente, Renato. Seu estilo de escrever, é edificante e mostra que você é um irmão sábio, esclarecido e equilibrado. Obrigada por nos presentear com esses textos.

Como você, também soube de muitos casos em que pastores se intrometem dessa forma danosa na vida dos irmãos. Também acho q não é o caminho. O pastor tem q ser amigo, amoroso e aconselhar aqueles que o procuram com muito amor e amizade.

FERREIRA disse...

Ao tratarmos sobre este assunto, que entendemos ser de grande importância dentro do propósito eterno do Senhor de ter uma família de filhos semelhantes a Jesus, nosso objetivo é aclarar aos jovens os princípios do Senhor e as motivações que devem orientá-los para a constituição de uma família para Ele. Vivemos dias onde o sexo fora do casamento é normal; onde o namoro é um período de tempo onde é permitido satisfazer todos os desejos e impulsos da carne, por isso, não há limites para as carícias, a alma é quem dá as ordens, as motivações são as mais egoístas possíveis. Outra prática que surgiu nos últimos anos e se tornou muito comum entre os jovens e principalmente entre os adolescentes: O ficar, que é a mesma coisa que o namoro, com as mesmas liberdades, o que muda é o período de tempo. O relacionamento” pode durar alguns minutos ou no máximo algumas horas. A definição dessas práticas à luz das escrituras, nada mais é do que: Impureza, fornicação, sensualidade, imoralidade... (Gl 5:19). Diante de tudo isso, a motivação que deve estar no coração do rapaz e da moça.1 pe 1:15, 16. Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver;Porquanto está escrito: Sede santos, porque eu sou santo. 1 TESS 4:3A 8. Esta é a vontade de Deus: a vossa santificação; que eviteis a impureza;
que cada um de vós saiba possuir o seu corpo santa e honestamente,
sem se deixar levar pelas paixões desregradas, como os pagãos que não conhecem a Deus;
e que ninguém, nesta matéria, oprima nem defraude a seu irmão, porque o Senhor faz justiça de todas estas coisas, como já antes vo-lo temos dito e asseverado.
Pois Deus não nos chamou para a impureza, mas para a santidade.
Por conseguinte, desprezar estes preceitos é desprezar não a um homem, mas a Deus, que nos deu o seu Espírito Santo. FERREIRA

Anônimo disse...

Irmão Ferreira,

Paz e Graça,

Isto tudo que o irmão colocou é correto, deve ser ensinado de púlpito para toda a igreja pelos Pastores.
Os Pais têm e devem introduzir estes ensinamentos na vida da sua família.
Porém isto em hipótese alguma outorga ou da o direito aos Pastores de mandarem na família dos seus membros escolhendo o momento ou com quem os jovens devem ou não se relacionar.
Conheço um monte de Pastores que se preocuparam tanto com as famílias dos outros que se esqueceram da sua; A filha engravidou namorando o filho se desviou e por aí vai.

Anônimo disse...

Grande Renato,

Diana Carolina comentou esse texto! rs... Ainda bem que nao proíbo ninguém de namorar, hehehe...

Abraçao!

Léo.

Anônimo disse...

É POSITIVA AS VOSSAS CONTRIBUIÇÕES, PRECIZAMOS DISSO NAS NOSSAS IGREJAS EM AFRICA.

ANTONIO CRUZ disse...

Penso que o tema abordado é bem serio, e as vezes alguns pastores confundem sua função como lideres espirituais. No caso de Adolescentes, cabe aos pais a orientação de sues filhos, O problema é que muitos pais, para não discutirem com os filhos, resolvem transferir essa responsabilidade para os pastores que, em muitos casos, são verdadeiros dinossauros espirituais, que não se reciclam, não se informam e são autoritários. Por essa razão, determinam idade e ameaçam os que não obedecerem. Vivi essa experiência. A questão da idade é algo relativo, existem jovens de 17 anos com mais equilibro do que um de 25 anos.

A função pastoral é a de orientador espiritual, não de ditador.

Sergio Jesus disse...

Gostei do "dinossauros espirituais" - é a mais pura verdade.

Leo Blume disse...

O Amor Radical

Gente, século 21.
Mundo global, pessoas que viajam e se mudam constantemente - estudos, estágios, trabalho, congressos, reuniões.
Tudo é tão dinâmico, e há quem ache seu saudosismo "mais saudável". Vida campestre está em extinção.
Não dá pra ser tão conservador e enrolado (como esse que vos fala um dia foi!), mas as oportunidades de relacionar são preciosas!

A precocidade generalizada e o "direito de errar" me permitem reduzir tudo a 3 perguntas:
1) Vc se responsabiliza por todas as possíveis conseqüências pra vcs 2? (no sentido amplo)
2) Vc promete exercitar seu amor e despertar o amor no outro(a) para q, mesmo que haja incompatibilidade, que a paixão acabe, seus "potenciais de amar" saiam MAIOR do que começou?
3) Promete esforço em não deixar cicatrizes nem mágoas na pessoa de sua opção?(quase a mesma pergunta que a 1, pra ser enfático!)

Isso exercita a comunhão, o amor e a sexualidade responsável. Sem medo de ser feliz, sem medo de errar. Do contrário, pode virar em medo de amar! E o que é muito proibido se torna muito mais atraente!

Quanto ao contato físico, ninguém JAMAIS vai "controlar" ninguém. Cabe orientar, ser exemplar e torcer pra q não surjam cicatrizes. Se surgirem, devemos amá-los ainda mais, pois o exercício do amor necessita de situações extremas para que possamos nos posicionar com o amor radical!

Daniela Nogueira disse...

Daí o pastor faz isso, os garotos se casam cedo e sem saber se é a pessoa certa e depois quero ver se eles cuidam dos lares desfeitos que ele próprio está plantando a semente para se formarem.

Um absurdo mesmo!

Abs e que Deus abençoe!

ps: acho que nunca comentei, mas adoro seu blog ^^

sidney cavalcante disse...

Como poderá os jovens manter puro o seu caminho? observando-o conforme a Tua palavra. salmos 119:9
Somente a palavra de Deus pode iluminar a mente da juventude, bons conselhos também são essências. Infelizmente a nossa juventude é muito influenciada pelos padrões do mundo e isso por que lideres e espirituais estão deixando de lado a sã doutrina por doutrinas que não são do Senhor; infelizmente a palavra de salvação não tem enchido as igrejas, mas de uma coisa eu tenho certeza, vai encher o reino dos céus.

Felipe disse...

Quando fui namorar minha esposa o meu pastor na época disse que não iria abençoar o meu namoro, porque ela era mais velha do que eu.
Ele não proibiu, mas nos perseguiu e disse que não teria certeza se daríamos certo.
Bati o pé e disse que ela era a mulher da minha vida e que Deus tinha falado isso comigo.

Hoje estamos casados e felizes.

"O Senhor é o meu pastor, porém o pastor não é o meu Senhor"

Tenho viso tantas aberrações no meu evangélico, pastores se metendo onde nãos lhes compete.
"Coberturas espirituais" que dizem aonde o indivíduo pode ou não ir, querem saber de tudo sobre a pessoa. Uma invasão total.

Só Jesus na causa.

Vagner Fernandes disse...

Infelizmente, o tipo de relacionamento adotado por quase todos os grupos denominacionais de irmãos são os mesmos daqueles que não conhecem a DEUS. Se procura evitar o sexo antes do casamento, mas toda a maneira de se relacionar direciona a isso. Jovens ficando sozinhos em casa, saindo sem avisar para onde vão e sem hora para voltar. E muitos em um contexto onde o casamento ainda não pode ser avistado mesmo em um horizonte distante. Onde está o ensino pela santidade no relacionamento entre solteiros que almejam se casar no SENHOR? Dizer com quem um ou outro deve se relacionar ou não é uma palhaçada, mas não aconselhar, mostrando princípios irrefutáveis da palavra, que visem a glória de DEUS, é tão absurdo e biblicamente errado quanto.

Unknown disse...

Eu vi um vídeo de um pregador que está crescendo muito na mídia, afirmando que não existe a prática de namoro na Bíblia, e que essa prática é ocidental, quando um casal se unia já era pra casar, e ele afirma que na igreja dele em Marília, não permite o namoro pois quando um jovem se interessa por uma moça dá igreja eles chamam os pais e já começam planejar o casamento, e os casamentos que ele fez lá os casais casaram virgem, e ele mandou mostrar pra ela na Bíblia onde está um único caso de namoro???Pois na Bíblia não existe isso!!!

Clara disse...

Gostei muito de saber que existem pastores que pensam assim. Estou totalmente perdida, pois meus pastores estão fazendo algo que eu sinto que não é bíblico. Batizei há duas semanas e quando perguntei para o pastor sobre o que ele acha de eu começar a orar com uma pessoa e ele disse não. Ele disse que acabei de entrar na igreja e que devo ser tratada por ele e pela pastora sobre questões do meu passado antes de orar. Mas o que ele esqueceu é que eu agora sou nova criatura e não vivo mais de acordo com as coisas do mundo. Ele disse que devo orar com essa pessoa só daqui 3 meses. Ontem fui conversar sobre isso com a pastora, esposa dele, e ela disse que eu e a pessoa que quer orar comigo sermos ótimas pessoas, ele não é a pessoa certa pra mim. Eu perguntei o motivo e ela disse que não sabia. O mais contraditório é que ela nos incentivou a orar juntos, mesmo tendo falado que eu e ele não daríamos certo. Além disso, disse que não devemos sair juntos só nós dois... Eu estou assustada! Você poderia me falar onde na bíblia fala sobre isso?

Renato Vargens disse...

Clara,

Para inicio de conversa não existe pastoras. Leia isso: http://renatovargens.blogspot.com.br/2011/09/07-razoes-porque-eu-nao-creio-em.html

Renato Vargens

favourite category

...
test section describtion

Whatsapp Button works on Mobile Device only