terça-feira, março 30, 2010

Mandaram o genérico

Por Renato Vargens

Um Amigo me compartilhou essa semana que uma Igreja muito pobre se cotizou para receber um determinado ministério de música de uma conhecida igreja do Rio de Janeiro. O valor pedido pelo "ungido" ministério era bem alto, o que fez com que aquela pequenina comunidade se individasse toda. No dia marcado, eis que surge a banda disposta a "louvar" o Senhor. No entanto, o que a igreja não imaginava é que o vocalista do grupo, em questão não era exatamente o que eles esperavam. Ele até se vestia igual, cantava igual e tinha uma certa aparência com o líder da banda, mas não era ele, e sim um substituto. A banda se desculpou dizendo que o famoso cantor tinha um outro compromisso numa GRANDE igreja do Rio de Janeiro e por isso enviaram o "genérico".

Caro amigo, infelizmente em nome de Deus os denominados cantores gospel criaram uma verdadeira indústria. Alguns destes possuem o ultraje de cobrar R$ 35.000,00 por show. Ora, isso é uma verdadeira aberração! Em um país de gente miserável e pobre, a igreja em vez de saciar a fome daqueles que anseiam por justiça e comida, comercializa a fé?

Sinceramente esses cantores que se dizem vocacionados deveriam abrir mão dos cachês nababescos e viver como qualquer servo de Deus. É bem possível que ao ler a esta afirmação talvez você esteja pensado com seus botões: “Há, mais eles precisam viver, é certo que recebam!” Claro que é justo que recebam uma oferta como qualquer ministro cristão, todavia, existe uma diferença significativa entre receber uma oferta e cobrar milhares de reais por apresentação. Se não bastasse isso, tais cantores se locupletam de uma glória que não lhes pertencem, tomando para si a honra que pertence ao Senhor das nossas vidas.

Pois é, como já escrevi inúmeras vezes esta historia de artista gospel é uma verdadeira vergonha. Afirmar que seus shows fazem parte de um ministério cristão é no mínimo afrontar o conceito bíblico de serviço. Isto posto, repudio veementemente os que em nome Deus se locupletam da fé publica cobrando valores imorais por seus shows e apresentações.

Que Deus tenha misericórdia desta geração!

Renato Vargens
Walter Filho disse...

Esse negócio de cobrar cachês exorbitantes para louvar (louvar?) ao Senhor, é uma cafajestagem. Concordo com o senhor, pastor Renato, em gênero, número e grau. É como água e óleo, são imisciveis. Eis a geração que causa nauseas no Senhor (Ap 3.16).

Manifestem-se bereianos!

Em Cristo,
Walter Filho

Marcelo disse...

Eu, realmente, fico escandalizadíssimo com isso. Será possível, meu Deus?

Isso é maldade, não é coisa de crente.

Getulio Duarthe disse...

Acredito que o pior é a igreja que paga. Se eu fosse um pastor de uma igreja jamais traria um grupo musical, cantora, cantor ou pastor que cobrase e fizesse exigencias financeiras.
"Só tem esperto porque tem bobo!"

Cleber 33 disse...

Têm situações que deixa a gente na dúvida. Será que quem conduz as ovelhas é o pastor ou as ovelhas conduzem o pastor?

Quando um "lider" não sabe se impor gera esse tipo de situação, a galera quer show mas ele não sabe como dizer que o mais importânte é se colocar na presença de Deus de forma verdadeira e tranparente. Então vamos fazer oque a galera pede, dessa forma teremos os templos inxados mas ao mesmo tempo sem conteúdo cristão ou um tipo de conteúdo burrificado.

Quando eu serví a pátria aprendí que o lider é o espelho da trópa.

Se não fosse a misericórdia!...

Alex disse...

Meu Véio,

Que Deus tenha misericórida do que vou escrever, mas esses caras merecem uma sofa!!! Mas precisavam apanhar de verdade, pra ver se pelo menos assim tomavam vergonha na cara deles.

Me inoja não apenas esses que cobram, mas tb aqueles que os sustentam... como diria o mercado: "é uma questão de foreta e demanda". Enquanto uns passam fome, outros se lambuzam com o dinheiro do povo

Que a verdade venha a tona e eles quebrem a cara e que o povo de Deus deixe de ser passado pra trás por esse calhordas.

Joao disse...

Enquanto continuarem a ser convidados, e ainda existirem pessoas dispostas a pagar o que eles pedem, nada se pode fazer. Esses ainda deram-se o luxo de trocar o vocalista que a igreja, provavelmente pagou contando com ele.


JOAO MAPIE
MAPUTO-MOÇAMBIQUE

Daladier Lima disse...

Prezado Pr. Renato,

Por aqui teve um desses gospelman que chegou ao culto ás 22:30h! E o dirigente ainda esticou a programação para abarcar a irracionalidade dele! É brincadeira? Essa turma vai tão longe porque tem quem banque a jogada deles.

Abraços!

Renato Vargens disse...

Alex, por favor, menos, menos.

Basta nossos pastores nao contratarem mais esse povo que isso acaba.

Abraços,

Pr. Renato Vargens

Marcinho Thuler disse...

Só o cachê já é uma afronta, porém existem exigências como: toalha perfumada no hotel; ônibus pra buscar a equipe no aeroporto e um carro só para "estrela"; já ouvi falar de uma que exigiu um carro importado para sua locomoção, e outros absurdos.
Se querem cobrar cachês milionários que cobrem, mas, não envolvam o nome de Deus nessa maracutáia.

Fernando de Sá Nogueira disse...

Caro Pastor Renato.

Sou pastor da Igreja do Nazareno há 48 anos. Fui transferido de Cabo Verde para o Brasil, me formei lá e sou caboverdeano, brasileiro naturalizado e sei que o irmão já esteve em Cabo Verde, porque leio todas as suas comunicações e concordo com todas.

Boa é essa palavra sobre os cantores "gospel". Sabem muito bem que não são chamados para cantar nas emissoras seculares, então nós temos faca e queijo na mão : Não vamos convida-los e fim de papo. Querem uma oferta. Vamos dar é justo. Deixar se explorar é se tornar bobo.
Essa turma mais os conferencistas da prosperidade estão nos envergonhando. O irmão tem sido extremamente util através dessa janela. Vai em frente. Assino em baixo.
Fernando de Sá Nogueira
Pastor da Igreja do Nazareno
Rua Belmiro Braga, 661 Caiçara BH MG Nesta igreja esse pessoal não canta.

Renato Vargens disse...

Prezado pastor Fernando,

De fato estive em Cabo Verde, pregando numa Conferência Sobre família, na cidade da Praia. Foram momentos extremamente abençoadores. Conheci gente santa em seu país, além de homens comprometidos com a verdade do Evangelho.

Muito obrigado pelo carinho.

Estamos juntos na luta pela fé evangélica.

Renato Vargens

Isaias Lobao disse...

Pastor Renato. Fico muito triste cada vez que ouço histórias como essa. A obra missionária é tão carente de recursos e pessoal e poucos apoiam o dedicado trabalho do missionários. Agora, para os cafajestes gospel as igrejas arrumam dinheiro. Se eu puder, eu não nunca irei contribuir para esse "mercado". Prefiro cooperar com a obra missionária ou gastar meu tempo e dinheiro adquirindo bons livros reformados. Um abraço.

Renato Vargens disse...

Prezado pastor Isaías Lobão,

Penso extamente como o irmão. Quanta necessidade na obra missinária, não é verdade? Quanta gente carência e pobreza no nosso meio.

Dias dificeis os nossos!

Renato Vargens

roberto lopes disse...

Mais difícil do que mandar genérico e acreditar que as pessoas pagam para ver esse pessoal , e assim seguimos com a fama de otários ...

Gedmar disse...

Aí... quem manda ser trouxa!!!

Quem quer fazer do evangelho um circo acaba por se tornar num palhaço.

forte abraço!

fernandogomespr disse...

Concordo plenamente pr.Renato.No aniversário de nossa igreja aqui em LÍDICE convidei um determinado pastor para trazer a palavra de Deus oramos dois meses pela vida dele a igreja ficou na expectativa de conhece-lo e ele no dia mandou um irmão que eu nunca vi para pregar claro que não deixei.eu tinha ali varios pastores nos visitando,e um deles trouxe a palavra de Deus,abençoando a nossa vida naquele dia,conforme disse o senhor mandaram o generico! que tristeza ne mesmo?

favourite category

...
test section describtion

Whatsapp Button works on Mobile Device only