A tragédia de Angra dos Reis e a ação soberana de um Deus que intervém.

Por Renato Vargens

O Brasil assiste chocado as consequências da tragédia de Angra do Reis, onde devido as fortes chuvas dos últimas dias, dezenas de pessoas vieram a falecer. Sem sombra de dúvidas, a dor e o sofrimento de centenas de pessoas que perderam tudo aquilo que tinham, nos deixaram absolutamente comovidos.

Caro leitor, tragédias são indescritíveis. Elas não têm hora para chegar, não pedem licença e sem que as autorizemos abruptamente invadem nossas vidas interrompendo sonhos, projetos e ideais. Tragédias nos provam, nos sacodem existencialmente, violentam a alma. Tragédias possuem a cruel capacidade de sugar de nossos corações a expectativa de um mundo melhor. Em situações como estas é comum o questionamento: “Por que Senhor? O que fizemos para merecer tal coisa?”

Ora, não quero ser simplista em tentar explicar tragédias, até porque, nem sempre nos é possível fazê-lo. Todavia, as Sagradas Escrituras nos apontam um Deus Soberano que tudo sabe, tudo vê e governa, e que usa os meios mais distintos para cumprir seus propósitos e designios eternos. No entanto, é indiscutível também o fato de que o Soberano  não nos abandona em meio aos furacões da  existência. Na verdade, Ele aproveita cada momento, para nos enviar sinais do seu grande amor, cuidando afetuosamente dos nossos corações, confortando-nos e ministrando o consolo do Espírito Santo.

Por favor, preste atenção no que vou lhe dizer: Deus usa os dramas e dificuldades da jornada para se contrapor às tragédias do dia-a-dia trabalhando a favor da gente. Foi isso que ele fez na vida de José. Quando tudo parecia apontar para o fim, Deus interveio na história ensinando que ele usa toda e qualquer circunstância como instrumento de sua vontade. Nada absolutamente nada pode se contrapor à vontade de Deus! Ele é  majestosamente Soberano, Senhor de tudo e de todos! Se o cosmos é sustentado pela força do seu poder quanto mais as nossas frágeis vidas.

Caro amigo,  vale a pena ressaltar que quando aparentemente chegamos ao fim da linha, somos tentados pelo o inimigo de nossas almas a nutrir no coração o sentimento de frustração e derrota. Entretanto, sem que percebamos, são em situações assim onde a esperança fraqueja, que obtemos a oportunidade de transformar nossos dilemas e problemas em esperança.

As circunstâncias disseram a José na cisterna do deserto: É o fim. Contudo, Deus lhe disse: É o começo, José, o governo do Egito te espera. No deserto Moisés teve a seguinte impressão: “É o fim. Entretanto, Deus lhe disse: É o começo, transformar-te-ei no libertador do meu povo”. O rei da babilônia disse a Sadraque, Mesaque e Abede-Nego: É o fim. Todavia, Deus lhes disse: É o começo, vocês serão grandes governadores da Babilônia! Na cova dos leões Daniel ouviu: É o fim. Entretanto, Deus lhe disse: É o começo, sua história mudará o mundo enchendo os crentes de fé esperança. João, exilado na ilha de Patmos ouviu: É o fim. Contudo Deus lhe disse: É o começo, você escreverá a maior revelação de todos os tempos - O Apocalipse. Ao ser crucificado Jesus ouviu: É o fim. Contudo, Deus disse: É o começo, todo poder no céu e na terra eu entrego nas tuas mãos.

Isto posto, rogo ao Senhor Todo-poderoso, infinito e pessoal que possa confortar e consolar os moradores da bela Angra dos Reis, trazendo sobre eles a certeza de que tudo está sob a potente mão do Eterno Rei.

Pense nisso!

Renato Vargens

4 comentários:

Bom Dia, pr. renato,
Lendo o seu comentário, bem pertinente, como sempre, me lembrei de 2 citações:
" ENQUANTO NAVEGA PELA VIDA, NAO EVITE TEMPESTADES E AGUAS BRAVIAS.
APENAS DEIXE-AS PASSAR,
APENAS NAVEGUE.
SEMPRE SE LEMBRE, MARES CALMOS NAO FAZEM BONS MARINHEIROS.

A outra e do Rev Hernandes Dias Lopes

AS TEMPESTADES SAO PEDAGOGICAS. ELAS SAO A ESCOLA DE DEUS PARA NOS ENSINAR AS MAIORES LICOES DA VIDA.

PS/ Desculpe os erros de acentuacao. estou com problemas no meu teclado.

forte abraco
Paulo

7 de janeiro de 2010 10:21 comment-delete

Superação atravez da perseverança e fé, o DEUS que nos assiste, também nos renova, porém o 1º passo é nosso, a decisão, o querer, o bom animo, sei que é dificil falar de uma experiencia que não se vivenciou, porem cada um de nós tem a sua história, e eu atravez da minha que não foi facil não, antes que Cristo adentra-se a minha porta, e a partir dai as forças se refizeram em Cristo Jesus, amemos ao nosso vizinho mais do que a nós mesmos, porque este é o amor que Cristo nos amou, dificil não é ?, mas a caminhada é assim, sem facilidades, todos que seguiram ao SENHOR foram perseguidos, e hoje não é diferente aos que realmente estão em santidade, portanto louvemos ao SENHOR em todo momento, o plano terreno é dolorido e passageiro, mas para os que não se tornarem amigos do mundo, terão a vida eterna, glórias a DEUS !!!!!!
Gilbert Raposo, um aprendiz em Cristo Jesus.

Gilbert Raposo
7 de janeiro de 2010 16:12 comment-delete

Oi, Pastor!

Tive a ousadia de colar no meu blog parte desse texto e espero que não se incomode :)


É que eu achei interessante porque dias atrás, olhando para a imponência do mar, estávamos conversando, um dos meus filhos e eu, acerca dos fenômenos que têm ocorrido nas últimas décadas, daí como moramos abaixo do nível do mar,(como se isso influenciasse rss) ele me perguntou o que eu faria se o mar invadisse como nos filmes, considerando a loucura que seria uma fuga desesperada de toda uma população em tanta verticalidade. Eu até falei brincando que se tivesse um helicóptero à minha disposição aqui no meu prédio, tudo bem, do contrário não sairia de onde estivesse.
Daí ele disse, serenamente: eu também ficaria. E nessa resposta sumária e segura ele demonstrou Quem realmente está no controle de sua vida, o que muito me alegrou.

Obrigada pelo texto.

R.

10 de janeiro de 2010 13:33 comment-delete

Prezada Regina,

Fique a vontade.

Abraços,


Renato Vargens

10 de janeiro de 2010 13:36 comment-delete