Conselhos àqueles que pensam em mudar de Igreja

Por Renato Vargens

Um náufrago foi encontrado dez anos depois em uma pequena ilha. Quando o capitão do navio de resgate chegou lá notou que havia três cabanas de bambu cobertas com folhas de coqueiro. "Por que três cabanas? Você não ficou aqui sozinho por dez anos?", perguntou o capitão. "Sim, fiquei", respondeu o náufrago. E completou: "Aquela primeira cabana é a minha casa e aquela segunda é a minha igreja". "E o que é aquela terceira cabana ali adiante?", insistiu o capitão. O magro e barbudo homem, com olhar de desprezo respondeu: "É a minha ex-igreja"

Pois é, essa pequena e engraçada história nos faz pensar na enorme quantidade de pessoas que trocam de igreja como se estivessem trocando de roupa. Assusta-me o fato de que inúmeros cristãos mudem de igreja com tanta facilidade. Talvez isso se deva ao pluralismo eclesiástico de nosso tempo, onde se é possível encontrar uma variedade enorme de igrejas que anunciam o evangelho de Cristo segundo o gosto do freguês. Isto se vê nitidamente nas pregações temáticas com palestras para empresários, endividados, adoecidos na alma, escravizados e etc.

Infelizmente Já vi casos de irmãos que com menos de 05 anos de caminhada cristã já passaram pelo menos por cinco igrejas. O interessante é que boa parte destes crentes migradores, ao chegarem a sua nova comunidade o fazem cheios de murmurações e reclamações quanto às comunidades passadas. No entanto, bastam alguns poucos meses de relacionamento com seus novos irmãos, para descobrirem de que essa igreja não é tão ungida quanto se pensava, e que a igreja do lado tem mais propostas a oferecer do que todas as outras que já passou.

Os que se comportam desta forma justificam suas saídas para uma nova igreja usando desculpas das mais estapafúrdias possíveis. Para estes, o problema é sempre dos outros, além obviamente de justificar seu afastamento afirmando que o pastor é fraco, que a palavra não é ungida, que o louvor não tem poder e que os crentes são falsos e cheios de pecados.

Caro leitor, vamos combinar uma coisa? Ainda que saibamos que algumas migrações eclesiásticas são absolutamente legitimas, temos que convir que boa parte destas não possuem o menor fundamento. O fato é que por vivermos em um tempo onde as relações são ralas e superficiais, as pessoas preferem voar como pássaros de igreja em igreja evitando relacionamentos mais íntimos e profundos do que serem confrontadas em seu modo errado de viver.

Isto posto, resolvi escrever algumas dicas àqueles que pensam em mudar de igreja:

1) Ore.
2) Analise os seus reais motivos. O que será que está motivando a querer mudar de igreja?
3) Cuidado com as suas emoções. Não é porque você se aborreceu com alguém que deve mudar de igreja. Aborrecimentos acontecerão em qualquer Comunidade cristã.
4) Avalie doutrinariamente a igreja que faz parte e a igreja que pretende ir. Lembre-se que igrejas saudáveis possuem um púlpito saudável.
5) A igreja que faz parte possui um governo despótico ditadorial onde o pastor é o ungido do Senhor e não pode ser questionado em absolutamente nada?
6) De que forma a igreja que faz parte lida com o dinheiro?
7) O que você espera de uma igreja? A pregação de todo Conselho de Deus, que lhe confronte ajudando-o a crescer como cristão, ou a ministração de mensagens temáticas que lhe satisfaçam os desejos de uma vida próspera e abençoada?
8) A igreja que você é membro prega "novas" revelações doutrinárias?
9) Se o motivo for razões doutrinárias, esses motivos são realmente importantes?
10) Você se sente tolhido e vítima de abuso espiritual?
11) Converse com seu pastor abertamente sobre o seu desejo e peça conselhos.
12) Ouça pessoas mais maduras e permita o benefício da dúvida.
13) Não seja precipitado. Lembre-se que a precipitação pode levá-lo a experimentar consequências desagradabilissimas.

Pense nisso!

Renato Vargens

40 comentários:

Digo amém!!!

21 de dezembro de 2009 15:25 comment-delete

Pastor Renato Vargens,

Este artigo será marcante para mim! Estou a concluir meu 4° ano no seminário teológico e, confesso que tenho experimentado muitas dificuldades na igreja local.

Entretanto, hoje aprendi mais de Deus! E agradeço a Ele por neste momento ter lido este artigo que em muito falou ao meu coração.

Deus continue com você.

Um forte abraço!

Marcos Sampaio

21 de dezembro de 2009 16:11 comment-delete

Independentemente da denominaçåo, 90% de crentes avioes, tem o feito por motivos espiritualmente ridiculos.
A maioria anda a procura de homens perfeitos. Conheço certas pessoas que já passaram por acima de 10 igrejas, e até chegaram a frequentar os Mormons, mas, os motivos såo sempre ridiculos e infantis.



JOAO MAPIE
MAPUTO-MOÇAMBIQUE

21 de dezembro de 2009 16:18 comment-delete

Olá, Renato.

Há algum tempo venho acompanhando seu blog e suas postagens. (Seu blog já está em minha lista de blogs.)
Tem sido fonte de grande conhecimento e ajuda para mim, como também tenho certeza que tem sido para todos os verdadeiros cristãos comprometidos com a palavra.

Gostaria de pedir uma opinião sua sobre meu texto "Eu não consigo aceitar Jesus!" Publicado em meu blog, no dia de hoje (segunda-feira)

O texto é uma apologia à soberania de Deus e de que devemos nossa salvação totalmente e exclusivamente a Ele. Como sabemos, neste ato de salvação somos apenas agentes passivos.

A postagem é uma resposta a tantos blogs que nos tempos atuais vem publicando mensagens (você sabe quais) dizendo que a expiação de Cristo foi ilimitada.

Por favor, se puder ler e comentar, ficarei grato em poder contar com sua crítica.

Um abraço e Deus abençoe!

http://2timoteo316.blogspot.com

21 de dezembro de 2009 16:43 comment-delete

É verdade, Pastor! O mesmo sentimento compartilho com o senhor, às vezes me sinto até acuada, sem saber direito o que fazer para formar uma mentalidade diferente. As únicas conclusões às quais consigo chegar são:
*Nós, Pastores, lutamos a cada minuto numa luta desigual com a mídia e as ofertas de culto circense.
*Devo continuar em linha reta porque, se cairmos na tentação de oferecer o que as pessoas desejam, seremos como tantos que criticamos e combatemos.
Abraço. (Ah, postei algo dando uma arrepiada. Se quiser ler, fico muito honrada:
1 - http://pastoragente.blogspot.com/2009/10/adoro-ter-amigos-contanto-que-sejam.html

2 - http://pastoragente.blogspot.com/2009/10/ado-ado-moda-e-ser-desigrejado.html

21 de dezembro de 2009 16:49 comment-delete

Frequento uma igreja normal, onde estou a 4 anos, praticamente o tempo que tenho de conversão, porque quando JESUS me resgatou foi numa igreja co-irmã do mesmo bairro, estavamos eu e meu filho ( na época com 4 anos ), fui fazer um trabalho na casa de um pastor e conheci a Conceição, nossa amada, ela tinha já mais de 20 anos de conversão e eu 2 meses, e para nos conhecermos fiquei indo as duas igrejas, o que eu percebi estar causando um cansaço no Heitor e em mim também, dai tomei a atitude de falar com meu pastor na época e pedi licença para ir para a igreja que estou hoje, pois a Conceição era membro lá, agradeci, pedi a benção, o pastor me disse:" você está fazendo o que muito crente com mais de 30 anos na igreja não faz ", eu lhe falei que sou grato a ele eternamente por ter sido deichar usar para me tratar, estou bem, casado a 4 anos, não falto cultos por motivo futil, sei que a igreja não é perfeita, sei que se pular de galho em galho não terei uma estrada retilinea, vou com calma, " Lento, gradual mas certeiro ", vejo pessoas que saem de uma igreja e falam mal de tudo e de todos, e normalmente põe-se numa situação e voltam e esta igreja, somos incontentes por natureza, temos que dominar nossos impulsos para não nos ferirmos em nossa caminhada.
Gilbert Raposo, um aprendiz em Cristo Jesus.

Gilbert Raposo
21 de dezembro de 2009 19:36 comment-delete

São bons conselhos - a lista deve ser repassada por quem pensa em sair. Todos sabemos de irmãos que saíram e se arrependeram e voltaram. Contudo, nem sempre é a carnalidade que faz com que pessoas "troquem de igreja". Há casos distintos. Cito alguns:
- pastores centralizadores, inseguros, que tolhem a ação dos irmãos - que veem todas as iniciativas como ameaças.
- pessoas que têm um chamado bona fide para determinado ministério, e simplesmente não há como exercê-lo na igreja de origem.
- pessoas que têm filhos adolescentes numa igreja de velhos, onde não têm amigos, com a qual não se identificam (não se trata de encontrar uma igreja "moderninha" tipo Disneylandia - mas o outro extremo existe, e igrejas tumulares, gélidas, não são, só por isso, espirituais).
- pessoas que descobrem verdadeiras falcatruas financeiras nas igrejas, e cuja liderança, ao saber de tudo, escolhe jogar a sujeira debaixo do tapete.
- há casos em que é necessário afastar algum filho ou filha de determinados pretendentes a namorado(a) - enfim, a lista poderia se alongar.
Concordo que a gente precisa ficar junto da igreja nos bons e maus momentos - e elas certamente os têm - mas NEM SEMPRE sair é sinal de carnalidade. Pode ser questão de sobrevivência emocional e espiritual.

21 de dezembro de 2009 19:43 comment-delete

Pastor,
esse texto veio na hora que estou pensando em mudar de igreja... estou ha 9 anos na mesma igreja, mas de 2 anos para ca tenho sentido que minha visao comeca a se distanciar da visao da igreja. Segunda que vem conversarei com o pastor a respeito. Estou seguindo esses passos. Quero estar onde o Espirito me levar ou me deixar!

21 de dezembro de 2009 23:26 comment-delete

Eu me mudei, graças a Deus, e não me arrependo. O motivo? Não dava para ser Igreja lá naquela igreja.

22 de dezembro de 2009 18:17 comment-delete

Concordo com João Armando,

Eu mesma saí de uma igreja da "visão celular" por ver o que estavam fazendo com o Santo Nome de Jesus. Foi lá que conheci o evangelho e me converti. Hoje me sinto perdida em qual igreja congregar... me sinto muito perdida, pois desejo comunhão com os irmãos e servir a igreja com os dons que Deus me concedeu. É triste estar assim "solta", sem orientação... Enfim... Confio em Deus.

22 de dezembro de 2009 20:29 comment-delete

Oi pastor! Infelizmente o que a gente mais encontra é o crente pula - pula, isto é pula de galho em galho.

Anônimo
5 de fevereiro de 2010 18:10 comment-delete

Nem todo mundo que muda de igreja é porque é "pula-pula", sem compromisso. Discordo de quem julga os que saem como se fossem irresponsáveis, imaturos; há casos e casos.
Foram muito sábias as palavras do João Armando, já que pode haver motivos sérios para se mudar de igreja, principalmente nos dias de hoje, quando ouvimos falar de tanta heresia, escândalos, etc.

Duda
6 de fevereiro de 2010 13:19 comment-delete

É impressionante o número de razões que as pessoas apontam para a mudança ou saída das igrejas. Mas o texto é imprescindível para todo cristão.

22 de julho de 2010 19:43 comment-delete

Já passei por duas igrejas e estou na terceira agora e já penso em congregar em outra. Mas sempre que sai das igrejas é pela questão que, quando começo a conhecer as doutrians vejo que nada delas estão na Bíblia, a ultima igreja que estou é uma igreja que preza pela palavra de Des, mas que nos ultimos meses está se deixando levar pelo mal da adoração profética. Creio que terei que sair novamente e so Deus sabe onde ficarei.

11 de agosto de 2010 16:38 comment-delete

Graça&Paz!
Muito obrigdao pastor Vargens por escrever artigo tão oportuno.
Já tive que passar por esta terrível e penosa situação(contrariamente à minha vontade) e não gostaria de passar pelo mesmo, a não ser mesmo por questões doutrinárias. O sair de uma igreja nunca deve trazer alegria, senão lamento e tristeza. Creio que este é um indicador.

Aconselho a todos a lerem o pequeno livro: Separados pela Verdade, Peter Masters, editora Fiel. Ajudou-me muito e penso que é uma ótima escolha de leitura a quem se acha numa indecisão.

Abraços.

17 de dezembro de 2010 11:27 comment-delete

é, as pessoas estão preocupadas em ESTAR na IGREJA e não em SER IGREJA.

Anônimo
17 de dezembro de 2010 12:16 comment-delete

Tem algum texto falando das mudanças que são legítimas?

17 de dezembro de 2010 12:19 comment-delete

Boa reflexão, Renato!
Sou pastor de uma congregação da Assembleia de Deus em SBCampo, e percebo esse transito religioso crescente.
Sua posição é importante!! É preciso firmar os pés! Colocar os pés no chão da realidade da vida.
As pessoas procuram perfeição nas igrejas, mas esquecem-se que elas mesmas não o são.
Pior: Querem Esquecem-se de que toda relação pessoal implica em conflitos. Isso é inevitável! Ninguém pensa igual! A questão é que somos extremamente intolerantes com o próximo. E quanto mais próximo, mais intolerantes!
Que Deus nos ajude!

17 de dezembro de 2010 12:25 comment-delete

Simplesmente AMÉM por este post!
Vindo de Deus querido pastor...

Deus continue abençoando!!

17 de dezembro de 2010 12:26 comment-delete

A Paz Pastor. Bom, muito bom o seu texto.
Recentemente sai de uma igreja, orei ao Senhor... E então aconteceram alguns problemas. Ja tinha pensando em sair pois a doutrina que era exposta não era uma doutrina bíblica e nem Cristocêntrica [Acho que Doutrina bíblica e Cristrocêntrica é a mesma coisa rsrs].

Otimo texto
Deus abençoe

18 de fevereiro de 2011 10:29 comment-delete

Hoje está muito difícil encontrar uma igreja bíblica. Conheço muitos crentes que são "sem-igreja", reúnem-se em casa mesmo, por falta de igrejas centradas na Palavra.

Hoje existem igrejas barulhentas, com cultos barulhentos, sem paz e tranquilidade. E pregações temáticas que usam versículos fora do contexto só para justificar o assunto.

Tá difícil ser crente...

Anônimo
18 de fevereiro de 2011 12:31 comment-delete

Pra que fazer parte de uma igreja institucional se a Igreja de Cristo é orgânica?

Me reúno com amigos, dou minha oferta aos pobres, celebro a ceia, etc...

Porque iria participar de um sistema humano desses? Aos controversos à isso: Me dêem uma boa explicação bíblica pra mim estar entre 4 paredes!

17 de janeiro de 2012 09:59 comment-delete

Há casos e casos, né?

17 de janeiro de 2012 12:04 comment-delete

Como bem afirmado pelo pastor, existem casos legítimos onde a única opção relegada ao cristão é a mudança de congregação. Por isso, atenho-me aos casos ilegítimos. A maioria daqueles que optam por mudar de igreja são os indivíduos que acreditam estarem no papel de clientes, enquanto a igreja exerce a função de uma empresa que deve satisfazer todos os desejos destes clientes que acreditam piamente no ditado que diz "o freguês sempre tem razão". Não compartilham da imagem correta de que estes fazem parte de uma comunidade que vive (em alguns casos, sobrevive) por meio do trabalho de alguns poucos que entendem e aceitam seu papel como mordomo de Cristo. Somos um organismo vivo onde cada parte tem sua função e não pode ficar atrofiada, senão compromete o crescimento de todo o corpo.

Eliaquim Lima
23 de abril de 2012 09:56 comment-delete

Estou mudando de igreja mas não para encontrar uma que pregue o que quero ouvir, mas uma que pregue a Palavra da Verdade. Cansei desse evangelho anátema pregado lá, dessa falaciosa teologia da prosperidade, do triunfalismo barato, da falta de temor às Escrituras, dos usos de objetos ungidos como se Deus precisa deles para fazer alguma coisa, cansei da infabilidade papal dos pastores que não podem ter sua teologia questionada. Cansei desse evangelho da auto ajuda, cansei de ver a culpa sendo colocada sobre o diabo e nada é feito para mudança do caráter das pessoas. Cansei de ouvir que se a pessoa faz uma compra parcelada e não consegue pagar seu carnê é porque o diabo está agindo, cansei da insensibilidade com as causas sociais, cansei de ter meu pecados aceitos e não combatidos.
Cansie da burrificação dos crentes, da falta de conhecimento dos textos sagrados, da superficialidade do culto, das músicas voltadas oa homem, falando somente de vitória e vitória, mas exaltar ao Senhor que é bom tem muito pouco.
Neopentecostalismo: TÔ FORA!!!

5 de março de 2013 10:46 comment-delete

Texto muito bom!!!!!

1 de junho de 2013 00:08 comment-delete

Obrigada pela postagem tão útil! Ha excelemtes comentários que enriquessem a reflexão a quem esteja se angustiando nessa decisão.

1 de junho de 2013 09:55 comment-delete

Muito boa esta publicaçãp. Ha comentarios excelentes, Como o do Arnaldo e outros. que o Senhor illumine corações e mentes na tomada de decisão.

1 de junho de 2013 09:57 comment-delete

É verdade, pouco se fala sobre isso hoje em dia.

1 de junho de 2013 11:29 comment-delete

Ai sim amigo.......falou tudo!!!
Lembrando que a igreja constituída por DEUS somos nós e não a instituição Igreja (templo)que é cheia de religiosidade como os Fariseus da época e que JESUS tanto a combateu. Vejo que estas instituições de hoje tem feito mais mal do que o bem as criaturas de DEUS e por isso também tô Fora da instituição e não da GRAÇA DE DEUS.

1 de junho de 2013 12:18 comment-delete

Creio se tivermos pastores que realmente, sejam pastores não haveria esse tipo de êxodo nas igrejas, creio que os que não concordam com as doutrinas da igreja e alguns pastores e uma minoria e é verídico que estes grupos não prevalecem por muito tempo nas igrejas. O que ocorre e que em vez de igreja temos uma empresa na qual os requisitos são os mesmos exigidos lá fora, então se estou em um lugar do qual não sou valorizado e ainda tenho que pagar por isto (dizimo), procuro outro que pelo menos trate melhor, é o que tenho observado neste grande êxodo nas igrejas. Sabemos que o dizimo e de Deus, mas tenho que concordar, se vê e membro e não tem sido cuidado como ovelha, vai fazer o que neste lugar, não e fazer apologia aos desigrejados, mas essa turma de pastores ta de mais. Estou no evangelho ha 35 anos, vejo coisa do arco da velha, estou na mesma igreja ha 30 anos tenho propriedade do que estou falando. email:mclaudemir@ig.com.br

24 de dezembro de 2013 10:51 comment-delete

Tenho uma opinião parecida com a do irmão, acredito que o dinheiro das ofertas e dízimos, deveriam ser utilizados com os mais necessitados, para que uma igreja física com luxo, sendo que seus membros e irmãos passam por restrições

2 de maio de 2014 14:08 comment-delete

Excelente texto. Mas quando a Palavra de Deus está em jogo, ou pior, não é pregada, é bom pensar em sair.
Marcos David.

23 de julho de 2014 23:03 comment-delete

Meus Parabéns joão, é bem isso mesmo ! a sua resposta disse tudo valeu!

12 de agosto de 2014 12:52 comment-delete

Muito bom esse texto. Estou vivendo justamente esse dilema. Estou na mesma igreja há aproximadamente 15 anos e durante esse tempo muitas coisas aconteceram: houve uma divisão na igreja pela saída de um pastor e o que eu tenho percebido é que com isso houve também uma mudança gradual durante o tempo que sucedeu a saída desse pastor. Naquela época eu percebia principalmente nos jovens uma busca por mais santidade e comunhão com Deus, um entusiasmo por missões, um desejo de conhecer mais a palavra e um púlpito que correspondia a tudo isso. Eram mensagens ungidas, que de fato alimentavam espiritualmente; mensagens expositivas, estudando os livros da bíblia em sequência. Hoje o que eu percebo é que há um oba oba, com muitas programações, acampamentos, eventos, mas palavra mesmo, muito pouca. Não vejo uma ênfase na vida de oração, de santidade, de missões. É duro o que vou falar, mas a igreja tem se assemelhado mais a um clube. E o pior é que as pessoas estão super satisfeitas, mais preocupadas em seu convívio social na igreja e com as programações de um modo geral. Quando falo da minha insatisfação argumentam que nem todo mundo tem meu nível intelectual para entender mensagens mais complexas. Na igreja ambém não há disciplina; vejo jovens abertamente frequentando boates, bailes de carnaval e não vejo nenhuma exortação a respeito. Quando argumento sobre isso, falam que o pastor não tem como ter conhecimento da vida das pessoas. Não queria sair da igreja, porque tenho muitos amigos queridos lá, mas percebo que não há vontade de mudar e eu preciso mudar. Tenho percebido que tenho me distanciado muito de Deus, estando conformada com essa vida cristã fraca e medíocre e sinceramente, isso tem me incomodado muito. Estou querendo mudar de igreja para que de fato eu possa ser alimentada e pastoreada. Atualmente isso tem acontecido apenas pela internet. Tenho ouvido mensagens extremamente edificantes, mas gostaria de estar numa igreja onde isso fosse verdade, onde eu possa compartilhar com os irmãos as duficuldades da vida cristã, ser encorajada. Que Deus me ajude nessa busca. Como disseram aí em cima, está cada vez mais difícil ser crente.

26 de junho de 2015 11:32 comment-delete

O comentário é ótimo, tirou muitas dúvidas. Mas estou cansada de ouvir palavras anti-bíblicas e estou a 22 anos, tenho minhas convicções sei das heresias mas agora tenho um filho minha preocupação é essa , ensinamos a Graça para Ele e a igreja ensina a lei, temos que fazer, fazer, isso me sufoca, pois ensinamentos errados trazem condutas erradas.

27 de dezembro de 2015 11:30 comment-delete

Pastor Renato, eu gostaria de saber no caso de uma igreja fraca doutrinamente, e não administra o dinheiro bem e é ditatorial, eu gostaria de saber se permanecer tbm é uma boa opção pois eu e uns amigos que são líderes de jovens tem muita vontade de ajudar a igreja, e cremos q se deixar ela, será mais fácil para os lobos devorarem os pobres dos irmãos que não conhecem muito bem

1 de março de 2016 18:15 comment-delete

Também gostaria de saber...

7 de março de 2016 08:03 comment-delete

Era isso que estava precisando. Estou há 23 anos e não me encaixo nessa igreja. Não tenho o que falar mal, mas me sinto tolhida e sei que é hora de mudar. Estou em propósito e se essa é a vontade de Deus, Ele vai me mostrar.

15 de novembro de 2016 17:07 comment-delete

Estou me sentindo assim também na igreja em que frequento.

24 de janeiro de 2017 18:05 comment-delete